Página 1 de 212

Ibram disponibiliza o Formulário de Visitação Anual 2016

20160122-CPAI-MidiasSociaisPREENCHAA partir desta quarta-feira (1º), todos os museus brasileiros já podem enviar para o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) os dados da visitação em suas instituições durante o ano de 2016.

O Formulário de Visitação Anual (FVA) – 2016 é um instrumento exclusivamente online e está disponível para preenchimento no site do Ibram até 28 de abril.

Desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Museus, o procedimento atende à Resolução Normativa N° 3, de 19 de novembro de 2014, que dispõe sobre a regulamentação de dispositivos do Decreto nº 8.124/2013 quanto à obrigatoriedade do envio do quantitativo anual de visitação dos museus.

Dados estratégicos
A coleta e o envio ao Ibram de dados anuais sobre visitação são considerados estratégicos para o desenvolvimento do setor de museus.

Além de aferir o fluxo de visitação, a contagem de público pode indicar a necessidade de adequação dos serviços oferecidos e a ampliação da ação educativa.

É também essencial para o acompanhamento e o monitoramento de diretrizes, estratégias, ações e metas estabelecidas em políticas públicas, como as que constam no Plano Nacional de Cultura, Estatuto dos Museus e Plano Nacional Setorial de Museus. Saiba mais sobre Formulário de Visitação Anual.

Texto: Ascom/Ibram

Colegiado de Museus estabelece metas para o biênio 2016-2018

O Colegiado Setorial de Museus junto ao Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), participou do Fórum Nacional Setorial das Áreas Técnicas, entre os dias 17  e 20 de novembro, em Brasília.

Durante a reunião, foram estabelecidas metas para o biênio 2016-2018, com base no Plano Nacional Setorial de Museus 2010-2020, que é a diretriz do Colegiado de Museus.

As metas estabelecidas são: consolidar as metas do PNSM e articular ações para seu monitoramento e avaliação; submeter a revisão do PNSM à consulta pública; colaborar com a revisão do Plano Nacional de Cultura; articular a implantação do Registro de Museus; estimular a criação da Rede Nacional de Identificação de Museus; estimular a participação na Rede Nacional de Identificação de Museus e; articular, em rede, o monitoramento do PNSM.

O Setorial de Museus, de acordo com a Portaria MinC 117-2014,  é formado pelo Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus, que existe desde 2004 com representantes da sociedade civil e dos poderes públicos. Saiba mais sobre o CNPC aqui.

PNSM

O Plano Nacional Setorial de Museus teve sua elaboração iniciada em 2009, de forma democrática e participativa, com plenárias estaduais e consolidado no 4º Fórum Nacional de Museus, em 2010, com a participação de cerca de 2 mil trabalhadores e estudantes do campo museológico. O PNSM foi revisto, em 2014, com a elaboração de indicadores e metas, possibilitando assim, o seu monitoramento e avaliação. Conheça o PNSM.

Metas do PNSM serão submetidas à consulta pública em 2015

Grupo de trabalho sobre Função Educativa dos Museus durante o 6º FNM em Belém

A primeira revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM), realizada durante o 6º Fórum Nacional de Museus (FNM), resultou na definição de produtos e impactos para as suas diretrizes prioritárias, bem como de indicadores, fontes de informação e fórmulas de cálculo.

A partir da consolidação e da sistematização dos resultados, um grupo técnico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realizará um levantamento inicial de dados que irá servir como referência para a proposição de metas para as diretrizes prioritárias.

Tais metas serão submetidas à consulta pública, prevista para ocorrer ao final do primeiro trimestre de 2015, por meio de plataforma virtual, cujo acesso será feito a partir da página do Ibram.

O resultado da consulta também será sistematizado pelo mesmo grupo técnico e então submetido ao Colegiado Setorial de Museus para aprovação e validação até o final do segundo trimestre do próximo ano.

Histórico da revisão
O Plano Nacional Setorial de Museus, conjunto de diretrizes que orientam o setor museal brasileiro, surgiu a partir de ampla discussão durante o 4º Fórum Nacional de Museus, realizado em Brasília (DF) em 2010.

Apresentação de resultados dos GTs antes da Plenária Final no FNM 2014

Apresentação de resultados dos GTs antes da Plenária Final no FNM 2014

Posteriormente, foi criada uma metodologia de revisão, monitoramento e avaliação, testada pelo Sistema de Museus de Ouro Preto (MG), para que fosse validada pelos participantes do 6º FNM – realizado em Belém (PA) no final de novembro.

Durante o fórum, oito Grupos de Trabalho (GTs) estiveram reunidos para criar indicadores, e suas fórmulas de cálculo, para as diretrizes prioritárias, além de designar fontes de informação, apontar o produto e o impacto desses itens em conjunto.

Após a aprovação na Plenária Final do FNM, os indicadores foram sistematizados pelo grupo técnico do Ibram. Confira o resultado.

A partir de agora, a equipe fará o levantamento de dados para, em seguida, iniciar a proposição de metas para as diretrizes prioritárias do PNSM – que então irão à consulta pública.

O Ibram é o responsável pela implementação e pelo monitoramento do PNSM, e, por isso, coordena o seu processo de elaboração da metodologia de avaliação e revisão. De acordo com o decreto nº 8124/13, que regulamentou o Estatuto de Museus no ano passado, tais processos devem ser realizados periodicamente.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Rio Grande do Sul sediará a sétima edição do FNM em 2016

Simone Flores (RS) e David Kasseker (SP) apresentam as candidaturas de seus estados para o FNM 2016

Simone Flores (RS) e Davidson Kaseker (SP) apresentam as candidaturas de seus estados para o FNM 2016

Nesta sexta-feira (28), o 6º Fórum Nacional de Museus (FNM) chegou ao fim em Belém (PA). Na conclusão dos trabalhos, os participantes escolheram o próximo estado a sediar o evento em 2016: Rio Grande do Sul.

Com votação simbólica apertada, o estado ganhou sobre São Paulo na preferência do público. Será a segunda vez que o fórum acontecerá no Sul do Brasil – o 3º FNM aconteceu em Florianópolis (SC) em 2008.

Mais de 700 pessoas se inscreveram para participar do evento que, pela primeira vez, foi realizado na região norte do país. Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, o evento foi muito positivo.

“O Fórum Nacional de Museus se concluiu com clima de vibração. Foi um momento muito rico, com painéis, conferências, encontros, minicursos, Teia da Memória: os participantes voltam energizados para sua missão nos museus e nos pontos de memória em todo o Brasil,” exultou Angelo Oswaldo.

Na cerimônia de encerramento, também foi anunciado o resultado da votação – que se deu entre os dias 25 e 27 de novembro – para definir quais as entidades que indicarão membros para representar os setores de museus e memória no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC).

PNEM: Rafaela Gueiros, da equipe do Ibram, fez a leitura da Carta de Belém

PNEM: Rafaela Gueiros, da equipe do Ibram, fez a leitura da Carta de Belém

O Conselho Federal de Museologia (Cofem) recebeu 126 votos; já o Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus (Icom-BR) obteve 117 votos. Quatro pessoas votaram em branco. Agora o resultado será encaminhado ao Ministério da Cultura (MinC) para que a atual ministra indique o representante no prazo de sete dias corridos.

PNSM e PNEM
Ainda durante o FNM 2014, o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) passou por sua primeira revisão. Os participantes do Fórum se reuniram, na última quinta-feira (27), em oito grupos para elaborar indicadores para as diretrizes do Plano. Os resultados desse trabalho foram apresentados e aprovados por todos no encerramento do Fórum.

“As discussões foram muito produtivas, e nós conseguimos sair com um material de alta qualidade em pouco tempo,” avaliou o consultor Alexandre Borges, contratado pelo Ibram para esse trabalho de revisão do PNSM.

Por fim, foi lida no auditório a Carta de Belém, escrita pelos participantes do Encontro Nacional do Programa Nacional de Educação Museal – que passaria a ser chamado de Política Nacional de Educação Museal, após discussões com o Ibram. Essa carta estabelece os princípios norteadores dessa política e solicita um novo encontro nacional para o segundo semestre de 2015.

Texto e fotos: Ascom/Ibram
Última edição: 1º.12.2014

Pontos de Memória e PNEM encerram atividades no Fórum 2014

Foi encerrada na noite desta terça-feira (25), a IV Teia da Memória – parte da programação do 6º Fórum Nacional de Museus, que segue até sexta (28) em Belém.

A plenária de encerramento culminou com a aprovação de minuta de portaria, a ser editada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que irá instituir o Conselho de Gestão Participativa/Compartilhada do Programa Pontos de Memória.

Consenso: Pontos de Memória reuniram-se para além da programação oficial

Consenso: Pontos de Memória reuniram-se para além da programação oficial

Realizada pela primeira vez como parte da programação oficial do Fórum Nacional de Museus (FNM), o encontro reuniu durante três dias representantes de Pontos de Memória, e outras iniciativas de memória e museologia social do Brasil, para discutir e deliberar sobre os rumos das políticas públicas para a área nos próximos anos. Leia mais.

Já os participantes do Encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM), que também estiveram reunidos em Belém, redigiram uma carta que, entre outras iniciativas, reivindica uma nova reunião com representantes de todo o país para concluir a análise e a consolidação das diretrizes do programa.

Em um trecho do documento, os participantes apontam, como o próximo passo da criação e posterior implementação da Política Nacional de Educação Museal, “a realização do II Encontro Nacional do PNEM para votar o texto final da Política Nacional de Educação Museal, no segundo semestre de 2015″. Leia a carta na íntegra.

Acesse o blogue do 6º Fórum Nacional de Museus para ler as matérias completas e acompanhar as últimas notícias.

Texto e foto: Ascom/Ibram

6º Fórum Nacional de Museus começa dia 24 em Belém: confira os destaques

Peça gráfica para o Fórum Nacional de Museus 2014

Peça gráfica para o Fórum Nacional de Museus 2014

Entre os dias 24 e 28 de novembro, o Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, na cidade de Belém (PA), recebe centenas de participantes de todo o país para a 6ª edição do Fórum Nacional de Museus (FNM), que tem como tema Museus Criativos.

O FNM é realizado a cada dois anos pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Nesta sexta edição conta com a parceria na realização da Secretaria de Economia Criativa (SEC) do Ministério da Cultura (MinC).

Conferências, painéis, minicursos, grupos de trabalho, apresentação de pesquisas, estudos de caso, reuniões paralelas, além de atividades culturais compõem a grade de atividades do 6º FNM. Confira a programação completa.

A edição 2014 traz ainda três destaques em sua programação: a realização da IV Teia da Memória, encontro nacional de Pontos de Memória e iniciativas de memória e museologia social, o Encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e a revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Nos dois primeiros dias (24 e 25) acontecem seis minicursos, todos tratando de temas relevantes para o setor de museus e ministrados por servidores do Ibram. Conheça quais são e quem ministra.

Conferências
De 24 a 26 estão programadas três conferências no 6º FNM. A primeira, na noite de abertura (24), chama-se Museus Criativos: experiências e práticas inovadoras nos museus, tendo como conferencistas Marcos André Rodrigues de Carvalho, secretário de Economia Criativa do MinC, e Angelo Oswaldo, presidente do Ibram. Convidados internacionais compõem as demais mesas.

A austríaca Ulrike Fallmann é uma das conferencistas

A austríaca Ulrike Fallmann é uma das conferencistas

Entre os dias 25 e 27, seis painéis sobre assuntos que dialogam com o tema Museus Criativos estão programados. Inovação, sustentabilidade e gestão de museus são alguns dos temas propostos: Saiba quais são os painéis.

Experiências regionais
A cada abertura de conferência ou de painel do FNM, haverá também, durante 15 a 30 minutos, a apresentação de casos da região Norte do país, que evidenciem boas práticas e experiências regionais envolvendo temas de interesse do setor. A iniciativa visa valorizar diversidade de ações da região que, pela primeira vez, recebe o Fórum Nacional de Museus.

Reuniões temáticas
Incorporadas à programação, entre os dias 24 e 26, acontecem dez reuniões temáticas voltadas para áreas específicas do setor de museus: Rede de Educadores em Museus, Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus, Sistemas de Museus, Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram, museus da Região Norte, Rede de Museus e Acervos de Arqueologia e Etnologia, Conselho Federal de Museologia, Conselho Internacional de Museus (Icom) Brasil, Comitê de Gestão do Ibram e diretores de museus Ibram.

Comunicações Coordenadas
49 trabalhos foram selecionados para apresentação durante o 6º Fórum Nacional de Museus. Resumos de pesquisas, relatos de experiência, em desenvolvimento ou já finalizadas, acadêmicos ou não, foram inscritos nas modalidades Apresentação Oral e Pôsteres. Veja os selecionados.

Encontros
Este ano será a primeira vez que a Teia da Memória integrará oficialmente a programação do Fórum Nacional de Museus. Em sua quarta edição, o encontro, dedicado às discussões relativas ao Programa Pontos de Memória, às iniciativas de memória e à museologia social, tem como objetivo proporcionar o intercâmbio, a reflexão e o debate acerca dos processos comunitários de memória que vêm se desenvolvendo no país. A programação está disponível para consulta.

Um dos manuais do Ibram que serão lançados em Belém

Um dos manuais produzidos pelo Ibram que será lançado em Belém

Já o Encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM), no dia 24 e 25, promoverá a síntese dos encontros regionais ocorridos ao longo de 2014 e a discussão dos encaminhamentos futuros do programa.

Será uma oportunidade de reunir os coordenadores dos Eixos Temáticos do PNEM, os representantes das Redes de Educadores de Museus, articuladores do programa e demais interessados em colaborar com as diretrizes que nortearão o campo de educação em museus no Brasil.

Revisão PNSM
O Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM), conjunto de diretrizes que orientam o setor museal brasileiro, sendo resultado de ampla discussão durante o 4º FNM (2010), será revisado durante o Fórum 2014. Para tanto, foi elaborada uma metodologia de revisão e criados oito Grupos de Trabalho (GTs) que serão responsáveis pela sua aplicação. O resultado será apresentado na Plenária Final no dia 27 de novembro.

Eleição CNPC
Durante o 6º FNM haverá eleição para a formação de lista tríplice para escolha de titular e membro do setor de museus e memória para compor o plenário do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC).

Programação cultural
A 6ª edição do FNM contará com o lançamento de campanhas, projetos e diversas publicações de interesse para o setor de museus: saiba quais serão as novidades apresentadas pelo Ibram.

Salomão Habib apresenta-se na abertura oficial do 6º FNM

Salomão Habib apresenta-se na abertura oficial do 6º FNM

Na noite de abertura do evento (24), o violonista Salomão Habib faz uma apresentação especial. Nos outros dias, as culturas populares terão destaque com a apresentação da dança indígena Toré, os tambores do Coletivo Casa Preta e o tradicional ritmo do Pará – o carimbó, recentemente reconhecido pelo Ministério da Cultura como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.

Também haverá a performance do artista Rafael Bandeira e a apresentação Lítero-Musical Memórias do Pompéu do grupo Abrapalavra.

No último dia do evento (28), após a Plenária Final do FNM, os participantes  visitam museus e instituições de memória de Belém. Há ainda uma mostra de artesanato local, com curadoria de Emanuel Franco, exposições e exibições de vídeos, e a presença de estandes institucionais e comerciais.

Detalhes da programação do Fórum Nacional de Museus 2014 está disponível no blogue fnm.museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação

Sistema de Museus de Ouro Preto testará metodologia de revisão do PNSM

Nos próximos dias 4 e 5 de novembro, o Sistema de Museus de Ouro Preto (MG) será incumbido de testar a metodologia de revisão, monitoramento e avaliação do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) – conjunto de diretrizes, estratégias, ações e metas resultantes de ampla discussão do setor museal em 2010.

A partir do projeto piloto, a metodologia deve estar pronta para ser validada pelos participantes do 6º Fórum Nacional de Museus (FNM), evento bianual que congregará os diversos entes do setor museal brasileiro, que acontece entre os dias 24 e 28 de novembro, em Belém (PA). Saiba mais.

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência/Ibram integra Sistema de Museus de Ouro Preto

Ouro Preto foi a cidade escolhida pelo fato de seu sistema municipal de museus, que teve início em 2004, já estar consolidado.

Além disso, a concentração de 13 museus ligados ao sistema, em uma mesma localidade, facilita a mobilização, a logística e diminui os custos de teste. As reuniões de trabalho acontecem no Museu da Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Revisão periódica
Participam do “balão de ensaio”, como também é chamada a consulta prévia, duas representantes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e dois representantes da consultoria contratada pelo instituto para desenvolver a metodologia de Monitoramento e Avaliação do PNSM, além de representantes do Sistema de Museus de Ouro Preto.

O Ibram é o responsável pela implementação e pelo monitoramento do PNSM, além de coordenar o processo de elaboração da metodologia de avaliação e revisão do plano. De acordo com o decreto que regulamentou o Estatuto de Museus no ano passado, tais processos devem ser realizados periodicamente.

“O objetivo é torná-lo um instrumento mais comunicável, e entende-se que isso decorrerá basicamente do alinhamento entre suas diretrizes, os objetivos do Mapa Estratégico e as metas do Plano Nacional de Cultura, bem como da definição de indicadores para tais diretrizes,” explica a especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ibram, Heloisa Evelin.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Comitê Gestor do SBM se reúne para avaliar proposta de revisão do PNSM

Comitê Gestor do SBM se reúne para avaliar proposta de revisão do PNSM

No dia 7 de outubro, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) recebe, em Brasília (DF), um Grupo de Trabalho (GT) do Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) destacado para acompanhar e contribuir com propostas para a  primeira revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) - conjunto de diretrizes, estratégias, ações e metas resultantes de ampla discussão do setor museal em 2010.

O objetivo é que o GT conheça a proposta de monitoramento, avaliação e revisão que está sendo elaborada pelo Ibram. De acordo com o decreto que regulamentou o Estatuto de Museus ano passado, o PNSM deve passar por avaliação e revisão periódicas. O Ibram, responsável por sua implementação e monitoramento, coordena ainda o processo de elaboração da metodologia de avaliação e revisão do plano.

O Ibram e o Comitê Gestor do SBM pretendem fazer um alinhamento entre as diretrizes que possuem foco no mesmo objeto e facilitar, assim, a leitura do documento e a atuação de todo o setor. O trabalho pretende ainda identificar quais diretrizes deverão ser consideradas prioritárias para o monitoramento nessa primeira fase, bem como elaborar metas globais e indicadores para mensurar os resultados do PNSM.

Os representantes do setor de museus poderão opinar e participar da revisão do Plano Nacional Setorial de Museus entre 24 e 28 de novembro, em Belém (PA), durante o 6º Fórum Nacional de Museus. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

6º Fórum Nacional de Museus vai acontecer em novembro no Pará

Com a publicação ontem (18) de portaria que cria a Comissão Organizadora do 6º Fórum Nacional de Museus (FNM), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) dá início às atividades do evento, realizado a cada dois anos, que congrega o setor museal brasileiro. Em 2014, ele irá acontecer na cidade de Belém (PA), entre os dias 24 e 28 de novembro.

Interior do Museu do Estado do Pará, localizado em Belém

Interior do Museu do Estado do Pará, localizado em Belém

O Fórum Nacional de Museus é um espaço para o intercâmbio de experiências e conhecimentos entre a comunidade museológica, sociedade civil, museus e órgãos de gestão museológica federais, estaduais e municipais.

Em sua sexta edição, a programação do encontro incluirá conferências, painéis, minicursos, apresentações de Comunicações Coordenadas, grupos de trabalho temáticos, reuniões de redes e de sistemas de museus, além de programação paralela que visa valorizar a cultura local.

Outras atividades
O FNM 2014 ainda deve realizar a Teia da Memória, encontro nacional dos Pontos de Memória e iniciativas de memória e museologia social do Brasil, a revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) e o encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM).

O PNSM prevê a sua revisão a cada quatro anos (2010-2014) de modo a permitir o constante aprimoramento deste instrumento de planejamento e gestão das políticas públicas voltadas para o setor museal.

Já a realização do encontro do Programa Nacional de Educação Museal tem como objetivo a votação e aprovação do texto final do programa com a ampla participação do setor.

Ainda esta semana será lançado o edital de chamada pública para apresentação de trabalhos durante o fórum. Acompanhe durante esta semana na página do Ibram as primeiras notícias sobre o 6º Fórum Nacional de Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Internet

Portaria do Ibram referenda Plano Nacional Setorial de Museus

Portaria publicada hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Museus, no Diário Oficial da União (DOU), referenda o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) – conjunto de diretrizes, estratégias, ações e metas resultantes de ampla discussão do setor museal, onde estão destacadas as propostas prioritárias do setor, sendo o Ibram responsável pela  sua elaboração, implementação, monitoramento e coordenação.

Com vigência até 2020, o PNSM é resultado de encontros nacionais com o setor museal realizados desde 2010, como o 4º Fórum Nacional de Museus (FNM) e  a II Conferência Nacional de Cultura (CNC), assim como de reuniões setoriais.

Segundo a portaria, que tem efeito retroativo a 17 de julho de 2010, a cada quatro anos, o plano dever passar por avaliação e revisão durante o Fórum Nacional de Museus, que acontece a cada dois anos, tendo o Departamento de Difusão, Fomento e Economia de Museus (DDFEM) do Ibram a responsabilidade de coordenar o processo. Já o Gabinete da Presidência do instituto deve coordenar o processo de monitoramento do PNSM.

O Plano Nacional Setorial de Museus integra o Plano Nacional de Cultura, estabelecido pela Lei 12.343, de 2 de dezembro de 2010. Composto por 131 diretrizes desdobradas em 169 estratégias e 560 ações a serem implementadas em nove áreas: 1) gestão museal, 2) preservação, aquisição e democratização de acervos, 3) formação e capacitação, 4) educação e ação social, 5) modernização e segurança, 6) economia dos museus, 7) acessibilidade e sustentabilidade ambiental, 8) comunicação e exposições e 9) pesquisa e inovação.

Texto: Ascom/Ibram

Página 1 de 212