Ibram recebe a Caravana Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural

- Cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, na apresentação da plataforma

– Cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, na apresentação da plataforma

Na terça-feira (18), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a plataforma Benfeitoria realizaram a apresentação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural. O evento, que aconteceu no auditório do Ibram, reuniu cerca de 30 participantes relacionados ao setor cultural.

O programa vai selecionar projetos que envolvam patrimônios federal, estadual ou municipal de bens móveis e imóveis; processo de tombamento de bens móveis e imóveis aprovado, pelo menos, no nível do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) regional; premiação ou menção honrosa pelo Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Iphan; premiação nos editais Pontos de Memória do Ibram; registro como “Memória do Mundo” da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) nos níveis mundial, nacional ou regional; listagem do acervo bibliográfico de obras raras no Catálogo do Patrimônio Bibliográfico Nacional gerido pela Biblioteca Nacional; declaração do acervo arquivístico privado como de interesse público e social do Conselho Nacional de Arquivos (Conarq) e acervos memoriais pertencentes a museus públicos federais ou a arquivos públicos federais, estaduais ou municipais.

Como pré-requisito, as iniciativas precisam se enquadrar em pelos menos uma das categorias abaixo:

Promoção e Inclusão: ações de promoção de um patrimônio e transmissão de conhecimentos tradicionais a um novo público; benfeitorias ou ações de inclusão que tornem o patrimônio mais acessível e democrático e ações de impacto perene voltadas ao turismo ligado ao patrimônio cultural brasileiro.
Inovação e Tecnologia: instalações, aplicativos e jogos digitais, novas tecnologias ou conteúdos que melhorem a experiência e o engajamento do público com o patrimônio ou que o torne ainda mais atraente, contemporâneo e/ou com mais valor turístico.
Educação e Inspiração: cursos, oficinas e/ou eventos de formação (online ou presencial) de profissionais que trabalhem com patrimônio; ações e conteúdos educativos que promovam o engajamento do público com o patrimônio.
Preservação e Memória: restauros, reformas, ações de conservação e cuidado do patrimônio; iniciativas de registro e reconhecimento que preservem a memória do patrimônio, como documentários, prêmios e cartografias.

Orçamento e prazo de execução
Serão aceitas iniciativas com meta de arrecadação entre R$ 30 mil e R$ 300 mil, considerando tanto os recursos do financiamento coletivo como os do BNDES. O valor do aporte (match) do BNDES por projeto será sempre equivalente a ⅔ do valor da meta mínima a ser arrecadado via financiamento coletivo, independente do valor total captado na campanha.

- Maria Parreiras, do BNDES, durante a explicação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural

– Maria Parreiras, do BNDES, durante a explicação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural

A expectativa é que a iniciativa apoie até 80 projetos selecionados ao longo de 2019 e 2020 por meio do edital. De acordo com a Maria Parreiras, do Departamento de Educação e Cultura do BNDES, um dos méritos da iniciativa é alcançar projetos pequenos, a partir de R$ 30 mil, em que o BNDES diretamente não teria capacidade de aportar. Para ela, a ideia é que a operação de apoio financeiro seja organizadora e catalizadora de investimentos com capacidade de atender a um espectro maior de público.

Na apresentação do programa, a cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, mencionou que a cada ano, vão ocorrer cinco ondas de seleção com a expectativa de oito projetos selecionados em cada uma. Segundo ela, os responsáveis pelos projetos escolhidos receberão treinamento mais aprofundado com foco nas campanhas de arrecadação de forma que consigam captar os recursos necessários à execução das propostas. Após passar por essa fase, os projetos serão apresentados na plataforma do programa, hospedada no site Benfeitoria, para que o público possa conhecê-los e efetuar doações àqueles que acharem mais interessantes.

Na ocasião, a também cofundadora da Benfeitoria, Yasmin Youssef, informou que as iniciativas precisam ser executadas no prazo máximo de 9 meses contados da data de realização do primeiro repasse financeiro. Na hipótese de as iniciativas não utilizarem o total do apoio do BNDES, os valores não utilizados voltarão para o fundo Matchfunding BNDES+ e poderão ser reinvestidos posteriormente.

Como participar
Para participar do programa, os proponentes devem ser pessoas jurídicas brasileiras, de direito privado, sem fins lucrativos que tenham legitimidade e direito legal para implementar a proposta; articulação ou ação na cadeia produtiva de cultura e capacidade de realização, prestação de contas e mobilização de redes.

No período de 02 de abril de 2019 a 15 de junho de 2019, as entidades proponentes deverão enviar por meio do formulário online disponível  as propostas que serão avaliadas nos aspectos técnicos e administrativos. A seleção das iniciativas caberá ao Comitê de Seleção, composto por funcionários, convidados e/ou contratados da SITAWI, organização civil que atua no campo das finanças sociais, e da Benfeitoria. O BNDES poderá, a seu critério, indicar até dois funcionários ou especialistas para compor o Comitê de Seleção.

Depois de passar por Brasília, a Caravana Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural passará por Belém (26/06), Recife (04/07), Porto Alegre (08/07) e Rio de Janeiro (18/07).

Outra matéria sobre o tema: Ibram, BNDES e Benfeitoria apresentam, no Museu da República, o programa Matchfunding BNDES + Patrimônio.

Ibram, BNDES e Benfeitoria apresentam, no Museu da República, o programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio

2019_junho_Ibram e Benfeitoria_Matchfunding BNDES_foto1O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), a SITAWI e a plataforma Benfeitoria realizaram, na terça (4), um workshop gratuito para a apresentação do programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural. O objetivo da oficina foi divulgar e explicar a nova modalidade de financiamento do BNDES que pretende triplicar a arrecadação de projetos de financiamento coletivo (conhecido como crowdfunding).

Voltado para projetos que deixem legados para o patrimônio cultural brasileiro, o programa prevê o aporte do BNDES em R$ 2, para cada R$ 1 doado pela sociedade, observando o valor máximo de aporte do banco de R$ 200 mil para cada projeto. Podem participar iniciativas de promoção e acesso do patrimônio para novos públicos, tecnologias que melhorem sua experiência, projetos que capacitem profissionais do setor ou projetos de preservação à memória.

2019_junho_Ibram e Benfeitoria_Matchfunding BNDES_foto2O evento aconteceu no auditório do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro, e reuniu cerca de 40 participantes. A cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, fez uma apresentação sobre a relevância do financiamento coletivo para o setor, apresentou o edital e tirou dúvidas dos participantes. No final da manhã, os participantes fizeram, ainda, exercícios de cocriação de projetos, deixando clara a potência de se criar legado para Patrimônio através de projetos inovadores de pequeno e médio porte.

O coordenador da área de Financiamento e Fomento do Ibram, Rodrigo Marques, explicou que o Ibram pretende apoiar os demais eventos que serão realizados pelo Brasil para disseminar o edital pela oportunidade que ele representa de financiamento e inovação para o setor museal. Estão previstos encontros em São Paulo, Brasília, Belém, Recife e Porto Alegre.

No próximo dia 18, o programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural será apresentado na sede do Ibram, em Brasília. O evento será aberto ao público e as inscrições podem ser feitas aqui.*

Sobre o Matchfunding BNDES+
Com R$ 4 milhões de fundo, o Matchfunding BNDES+ é o primeiro edital do setor público a adotar um modelo de financiamento combinado, unindo o aporte direto do BNDES ao financiamento coletivo. Para receber os recursos efetivamente, as iniciativas deverão atingir suas metas de arrecadação, que serão informadas ao público. Serão apoiadas as ações que apresentarem um índice mínimo de pulverização de recursos. A ideia, com isso, é que sejam efetivamente realizados os projetos que contem com amplo engajamento do público.

Sobre a Benfeitoria
Lançada em 2011, a Benfeitoria é uma plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) para projetos de impacto cultural, social, econômico e ambiental. Já mobilizou R$ 40 milhões de quase 300 mil colaboradores para dar vida a mais de 2 mil projetos. A plataforma não cobra comissão obrigatória de quem arrecada, foi a primeira do Brasil a lançar crowdfunding recorrente e é a única a trabalhar com editais de grande porte via Matchfunding. Saiba mais em: www.benfeitoria.com

Sobre a SITAWI Finanças do Bem
A SITAWI é uma organização pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto social. Em mais de 10 anos de história, mobilizou R$ 26 milhões, apoiando mais de 100 organizações e negócios de impacto que alcançaram mais de 650 mil pessoas. Saiba mais em: www.sitawi.net

*matéria atualizada em 14/06/2019.