Página 20 de 129« Primeira...10...1819202122...304050...Última »

Ibram abre edital para iniciativas de museologia social no RJ

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) abriu, na última quinta-feira (27), edital destinado à premiação de seis iniciativas de memória e museologia social desenvolvidas no Rio de Janeiro.

O chamamento público em âmbito estadual objetiva apoiar ações da Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro com o aporte financeiro de R$ 180 mil, incluídas as despesas administrativas. Serão distribuídos seis prêmios no valor de R$ 30 mil.

Podem participar pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos com atuação comprovada na área cultural e social, com ações de memória e museologia social e/ou junto a museus comunitários, ecomuseus e afins nos últimos três anos.

As inscrições poderão ser feitas até as 23h30 do dia 12 de dezembro próximo (horário de Brasília) por meio do sistema SalicWeb. O manual para inscrição de editais também encontra-se disponível.

As iniciativas cujas inscrições forem admitidas serão apreciadas por Comissão de Seleção, que avaliará se foi promovida a difusão e valorização da memória local de grupos, povos e comunidades representativos da diversidade cultural brasileira; e se a iniciativa contribuiu para gerar outras ações de memória e museologia social a partir de seus resultados. Confira o edital na íntegra.

Exposição em Brasília apresenta acervo dos Museus Castro Maya

A exposição Henri Matisse – Jazz, em cartaz na Caixa Cultural Brasília, traz colagens do pintor, desenhista e escultor francês Henri Matisse (1869-1954), que integram o acervo dos Museus Castro Maya/Ibram, Rio de Janeiro (RJ).

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Coleção Jazz de Matisse está em cartaz na Caixa Cultural Brasília

Com curadoria da museóloga Anna Paola Baptista, a mostra reúne 20 pranchas originais impressas com a técnica au pochoir, feitas especialmente para o livro Jazz, publicado em 1947. Foram impressos 250 álbuns, dos quais apenas dois estão no Brasil. As obras ora apresentadas pertencem ao exemplar 196.

O conjunto de desenhos feitos com tesoura utiliza-se da técnica desenvolvida por Matisse no início da década de 1940.

Obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas, quando se recuperava de uma delicada cirurgia, o pintor primeiro dedicou-se ao desenho e à ilustração e, depois, foi mais longe, combinando desenho e pintura, em colagens feitas com papeis recortados e coloridos com guache.

A exposição fica em cartaz até 23 de dezembro e tem entrada franca. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museus Castro Maya/Divulgação

British Council promove conferência internacional sobre museus no Rio

“Museus para quê?” é o tema da conferência internacional que o British Council no Brasil realiza, nos dias 21 e 22 de novembro, no auditório do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro (RJ).

Conferência internacional acontece no Museu do Amanhã no Rio

Conferência internacional acontece no Museu do Amanhã no Rio

O foco da conferência será o papel social dos museus e sua integração às causas mais contemporâneas e urgentes da sociedade: ativismo social, políticas públicas, engajamento de públicos, inovação, mídias e sustentabilidade são temas para palestrantes do Reino Unido, Brasil e Itália.

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) será representado pela diretora de Difusão, Fomento e Economia dos Museus, Eneida Braga Rocha, no painel Políticas Públicas: o que elas podem fazer por todos?.

Confira a programação completa. O evento contará com tradução simultânea. As inscrições são gratuitas e já estão abertas.

Programa Transform
A conferência “Museus para quê?” celebra quatro anos (2012-2016) do Programa Transform de Museus – plataforma de diálogo sobre as melhores práticas, intercâmbio de conhecimento e parcerias entre instituições no setor museológico.

Mais de 200 instituições participaram de visitas de estudo temáticos no Reino Unido e no Brasil, assim como seminários, workshops, cursos de formação, pesquisas e parcerias entre museus. Conheça a plataforma do British Council e leia entrevista realizada pelo programa com o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, com o tema “A arte transforma a vida”.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Bryan Prujansky/Museu do Amanhã

Museu Lasar Segall abre exposição com trabalhos de Liuba Wolf em São Paulo

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), apresenta, a partir do sábado (29), a mostra Liuba – esculturas e relevos da artista Liuba Wolf (1923-2005).

Esculturas e relevos de Liuba podem ser vistos até fevereiro de 2017

Serão apresentadas obras produzidas entre os anos 1960 e 1980, com ênfase nas peças da década de 1970. A seleção, com curadoria de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani, foi organizada pensando-se na relação entre as características dos trabalhos e os espaços do museu.

Inicialmente figurativa, a artista passou a operar a partir dos anos 1960 uma relevante mudança formal: a modelagem ganha, de modo progressivo, novos contornos e surgem “seres” e formas orgânicas, entre a figura e o abstrato, entre o real e o surreal.

Liuba, nascida na Bulgária e radicada no Brasil desde os anos 1950, está inserida na tradição da escultura moderna, sendo considerada uma das pioneiras entre as artistas mulheres que se dedicaram à arte de esculpir – como Pola Rezende, Maria Martins, Mary Vieira, Felícia Leiner, Sonia Ebling e Zélia Salgado.

A mostra fica em cartaz até fevereiro de 2017. O Museu Lasar Segall situa-se na Rua Berta nº 111, Vila Mariana, São Paulo e funciona de quarta a segunda-feira, das 11h às 19h, com entrada franca. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Lasar Segall/Divulgação

Cultura digital, museus, acervo em rede é tema de oficina do Ibram

BannerCursoIntranetO Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) realizam, em novembro, a oficina Cultura digital, museus, acervo em rede.

A formação tem por objetivo apresentar o cenário atual da cultura digital com foco nos fenômenos de rede e em diálogo com a área de museus, refletindo sobre as oportunidades de produção de acervos digitais e suas formas de articulação em rede.

A Oficina será dividida em duas partes e acontece no Auditório do Ibram Sede, em Brasília. O módulo 1 acontece nos dias 8 e 9 de novembro com o tema Inteligência coletiva e inteligência de redes: novos cenários da cultura digital. E, entre os dias 16 e 17, o módulo 2 tratará do tema Redes e mídias sociais: os museus na web.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas entre os dias 26 de outubro e 4º de novembro de 2016 neste link. As vagas são limitadas e haverá emissão de certificado para os participantes que cumprirem a carga horária total (32h/aula). Mais informações aqui.

Oficina Cultura digital, museus e acervos em rede

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) realizam a oficina Cultura digital, museus, acervos em rede.

A formação tem por objetivo apresentar o cenário atual da cultura digital com foco nos fenômenos de rede e em diálogo com a área de museus, refletindo sobre as oportunidades de produção de acervos digitais e suas formas de articulação em rede.

A Oficina está dividida em duas partes:

Módulo 1 “Inteligência coletiva e inteligência de redes: novos cenários da cultura digital”
Dias: 8 e 9 de novembro de 2016
Horário: 9h às 12h e 14h às 18h,
Carga horária: 16h/aula

Módulo 2 “Redes e mídias sociais: os museus na web”
Dias: 16 e 17 de novembro de 2016
Horário: 9h às 12h e 14h às 18h,
Carga horária: 16h/aula

Local: Auditório Ibram Sede (SBN Quadra 2, Bloco N, Sobreloja – Brasília/DF)

Ementa da oficina

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas entre os dias 26 de outubro e 4 de novembro de 2016. Haverá emissão de certificado para os participantes que cumprirem a carga horária total (32h/aula). As vagas são limitadas.

Ficha de Inscrição

Informações podem ser obtidas também pelo endereço eletrônico cgsim@museus.gov.br  ou pelo telefone (61) 3521.4307.

Ibram divulga consultores selecionados para programa Pontos de Memória

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) já tem os resultados finais de duas seleções públicas, realizadas em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), destinadas à contratação de consultores, na modalidade produto, para atuação junto ao programa Pontos de Memória.

O Edital 34/2016 destina-se à contratação de profissional com formação de nível superior em qualquer área e experiência mínima de cinco anos em Gestão Estratégica e Avaliação Estratégica de Projetos de Cooperação Internacional, além de desejável experiência em Gestão e Avaliação em Projetos com finalidade comunitária. O objetivo da consultoria é desenvolver sistemática de avaliação aplicável à gestão dos Pontos de Memória.

Já o Edital 35/2016 tem como objetivo a elaboração de projetos gráficos de manuais instrucionais e livros, na versão impressa e e-book, e foi aberto à participação de profissionais com formação de nível superior em qualquer área, sendo exigida experiência mínima de cinco anos como editor e designer gráfico, com domínio do pacote Adobe Creative Cloud (Indesign, Ilustrator, Photoshop), além de experiência em ministrar oficinas e cursos sobre design gráfico.

Em ambos os casos, a pontuação máxima atingida seria de 20 pontos e a avaliação foi realizada com base nos critérios de análise de currículo, de caráter eliminatório e classificatório, e entrevista oral, de caráter classificatório. A Coordenação de Museologia Social e Educação do Ibram entrará em contato com os selecionados. Confira os resultados das duas seleções, conforme pontuação e classificação:

Seleção para consultor em Avaliação Estratégica

Classificação

Candidato

Pontuação

Mariângela Ribeiro

18,5

Sérgio Henrique Cantuária Ferreira

18

Ana Virgínia Cardoso

13

Sérgio Costa

13

Sonia Regina Freitas Prota

12

 

Seleção para consultor em Edição/Design Gráfico

Classificação

Candidato

Pontuação

César Valente

20

Raimundo Alves Ferreira Neto

19

Anderson Moreira Lima

17

Gabriela Alves Coimbra

14

Marco Lúcius Freitas

14

Marcelo Araujo realiza visitas técnicas a museus Ibram no Rio de Janeiro

O Presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo está em viagem ao Rio de Janeiro, onde realiza visitas técnicas ao Museu Casa de Benjamin Constant, no Rio, e aos museus Imperial e Palácio Rio Negro, em Petrópolis, e se reúne com os diretores e equipes das instituições.

Marcelo Araujo em visita, hoje pela manhã, ao Museu Casa de Benjamin Constant, no bairro de Santa Teresa (Rio)

Para Araujo, é fundamental conhecer de perto a realidade dos museus que integram a rede Ibram e pensar o instituto como uma “equipe única e integrada”, capaz de desenvolver projetos transversais.

“Busco uma gestão mais próxima e forte entre as equipes. Essas visitas são importantes para conhecer de perto e conversar com os servidores de cada museu”, acredita o presidente do Ibram.

Esta é a segunda viagem de Marcelo Araujo aos museus federais da rede após assumir a presidência do Ibram.

No mês passado, ele esteve em Minas Gerais, onde conheceu e conversou com os servidores do Museu do Ouro, em Sabará, Museu Regional de Caeté e Museu da Inconfidência, em Ouro Preto.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Casa de Benjamin Constant/Divulgação

Tese de pesquisador do Ibram sobre arte e loucura é premiada pela CAPES

euripedes

Tese é resultado de nove anos de pesquisa do museólogo, que é responsável pelo setor de esculturas do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA).

Berço de Arthur Bispo do Rosário (1909-1989) – interno durante mais de 50 anos na Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro (RJ), cuja obra vanguardista desperta amplo interesse internacional – e Nise da Silveira (1905-1999), psiquiatra pioneira na utilização da arte como recurso terapêutico, o Brasil detém o maior acervo mundial de obras produzidas por pacientes internados em hospitais psiquiátricos.

O assunto é tema central da tese “Do asilo ao museu: ciência e arte nas coleções da loucura”, defendida em 2015 pelo museólogo Eurípedes Gomes da Cruz Jr., que acaba de ser reconhecida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) com a outorga de Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2016, na área de Ciências Sociais Aplicadas.

A tese é resultado de nove anos de pesquisa, entre mestrado e doutorado, do também compositor, arranjador e maestro, que é responsável pelo setor de esculturas do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Antes disso, o autor trabalhou durante 30 anos no Museu de Imagens do Inconsciente, criado por iniciativa de Nise da Silveira, onde foi vice-diretor por 10 anos.

Pioneirismo
Realizado junto ao Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), o trabalho, considerado pioneiro nesta seara, destaca o papel da Museologia para integrar à História da Arte parcela significativa de criadores dela excluídos, em âmbito brasileiro, por conta de marginalização social causada por diversos motivos.

“Meu foco situa-se mais nas coleções que abrigam obras de pessoas rotuladas como loucas, mas também abre indagações sobre as questões éticas trazidas pela exposição desses trabalhos e seus autores que são estendidas a outras categorias de artistas que não pertencem aos círculos estabelecidos pelo campo tradicional da arte”, explica o pesquisador.

Com extensa revisão bibliográfica – fruto de oito meses de pesquisa em bibliotecas e museus no exterior – sobre o que foi produzido acerca do assunto nos campos da Ciência e da Arte, o trabalho, que também abarca a história das primeiras exposições com esta temática realizadas no Brasil, tenciona servir de referência na indicação de pistas e fontes para os pesquisadores do campo.

A entrega do prêmio acontecerá em cerimônia na sede da CAPES, em Brasília (DF), no dia 14 de dezembro. Durante o evento, os outorgados com menção honrosa serão destacados. A tese de Eurípedes Gomes da Cruz Jr. pode ser baixada e lida, na integra, na página do Programa de Pós-Graduação em Museologia da Unirio/MAST.

Documentário revela a trajetória do mecenas Raymundo de Castro Maya

Já está disponível na internet o documentário Castro Maya, dirigido pelo cineasta carioca Sylvio Tendler, que conta a relação de Raymundo Ottoni de Castro Maya (1884-1968) com a cultura e as artes no Rio de Janeiro.

Ottoni de Castro Maya no Museu do Açude

Raymundo de Castro Maya no Museu do Açude

Industrial, editor de livros, esportista, defensor do patrimônio histórico, artístico e natural cariocas e, especialmente, colecionador de arte, seu rico e diverso acervo deu origem a duas instituições que hoje integram a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) na cidade do Rio: Museu da Chácara do Céu e Museu do Açude – reunidos nos Museus Castro Maya.

No curta-metragem, produzido para as celebrações dos 450 anos do Rio, Tendler reconta, por meio de imagens de arquivo e atuais, a história do rico empresário e sua dedicação sem fronteiras à cultura brasileira: do projeto de reformulação e urbanização da Floresta da Tijuca a edições ilustradas de clássicos da literatura voltadas para bibliófilos.

Portinari e Debret
A diversidade dos interesses artísticos de Castro Maya alcança tanta a cultura oriental quanto a arte moderna– com grande interesse pelo trabalho de Candido Portinari, de quem adquiriu cerca de 200 obras.

As aquarelas de Jean Baptiste Debret, feitas no Brasil durante o século 19, foram uma das grandes descobertas do colecionador em uma de suas viagens à França. Atualmente, 72 destes trabalhos encontram-se expostos em Paris em uma mostra comemorativa pelos 200 anos da Missão Artística Francesa. Saiba mais.

Dentre as entrevistadas para o documentário, estão a diretora Vera Alencar e a curadora Anna Paola Batista, dos Museus Castro Maya/Ibram. Assista ao documentário.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museus Castro Maya/Divulgação

Página 20 de 129« Primeira...10...1819202122...304050...Última »