Página 129 de 129« Primeira...102030...125126127128129

Aventura I – Ibram leva mais de 130 crianças do interior de SP ao museu

Imagine adentrar pela primeira vez em um grande casarão antigo da metade do séc. XVIII, com fachada de azulejos, janelas e portas gigantescas, percorrer por salões com pinturas de época nas paredes e subir por escadas iluminadas por uma clarabóia comprida, toda trabalhada. E, logo adiante, se surpreender com um gramofone, no meio da sala, e com equipamentos que contam a história da imagem e do som de uma cidade – primeiros aparelhos de televisão, telefone, retro-projetores, vídeo-games, câmeras, discos de vinil, cartazes de filmes de época, fotografias da cidade antiga e de cantores e músicos conterrâneos, desde o notório maestro Carlos Gomes à dupla Sandy e Júnior. Imagine também conhecer um grande salão moderno, vazado e branco, com uma série de obras em diferentes formatos e cores, que pontuam a história da arte no município: algumas expressam o imaginário popular de determinada década, outras fazem referência às histórias em quadrinhos, às fábulas, às manifestações de protesto, à ditadura e à guerra.

O primeiro espaço descrito é o Museu da Imagem e do Som – MIS Campinas, visitado na terça-feira 11 de novembro, por cerca de 80 crianças de seis entidades sócio-educativas da cidade do interior paulista Hortolâdia – SP. São elas: Núcleo de Crianças Vinde a mim, Barracão da Gente, Casa Bethania da Paz, Escola Evangelho Esperança, Centro Comunitário São Pedro e Casa da Criança. Já o segundo, é o Museu de Arte Contemporânea de Campinas – MACC, visitado por 40 crianças de uma escola do ensino fundamental campinense, na segunda-feira, 10 de novembro. O diferencial dos visitantes é que são crianças de áreas de risco social, e algumas delas retiradas do trabalho infantil. O diferencial da visita é que, além de conhecer pela primeira vez uma casa de memória, elas também puderam aprender, através de oficina de contação histórias e produção de desenhos, a importância do museu como guardião da memória e lugar de comunicação entre passado, presente e futuro.

A ação – piloto faz parte do Programa Aventuras da Memória: Nosso Museu, minha história, uma parceria entre o Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e a escritora de literatura infantil Patrícia Secco. O projeto pretende promover e incentivar a visitação a museus e a leitura, consideradas práticas fundamentais para compreensão do mundo. Durante as oficinas, a escritora conta as histórias “Aventuras da Memória” e “Museu Vivo”, ambas de de sua autoria. A primeira, que faz referência à mitologia grega, narra as aventuras de um grupo de crianças que são apresentadas as noves musas gregas, filhas da memória. Já a segunda, conta a história de um menino que ganha de aniversário um livro em branco e ali registra sua história pessoal, familiar e da cidade, o que o inspira a criar um museu no quintal de sua casa. Após a contação de histórias, as crianças ganham um kit, com os livros, lápis de cor, lápis grafite, borracha e papel e são convidadas a soltar a imaginação e desenhar o que pensam sobre museu. Também faz parte do projeto a publicação de um livro com os melhores desenhos produzidos pelas crianças.

A monitora Casa da Criança Feliz Michelle Clementino diz que a cultura de Hortolândia está apagada e que a cidade precisa de museu para contar sua história. “Precisamos incentivar a criação de um museu da cidade de Hortolândia, pois acredito que, a partir do entendimento de nossa história, das memórias da cidade, as crianças vão resgatar a identidade e ter uma melhor expectativa de vida ”, enfatiza.

O diretor do Departamento de Inclusão Social de Hortolância, Rogério Nóbrega, diz que as mensagens dos livros vêm ao encontro da cidadania que a cidade vem buscando. “Apesar de estar na região metropolitana de São Paulo, cercada por um conjunto de fábricas, grande parte da população de Hortolândia não tem acesso a equipamentos culturais”, afirma.
Já a coordenadora do MIS- Campinas, Adriana Maciel, diz que o trabalho é importante na formação das crianças por apresentá-las ao patrimônio cultural da cidade. “É fundamental que as crianças desde cedo despertem o interesse e o respeito pelos museus e pela memória da cidade.”

Na próxima semana, a ação estará em Porto Alegre – RS, com a participação de 300 crianças de municípios do interior gaúcho.

FICHA DE INSCRIÇÃO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS AS COMUNICAÇÕES COORDENADAS E AOS PAINÉIS

Aventura II – Ibram leva 300 crianças do interior gaúcho a museus de Porto Alegre

Cerca de 300 estudantes da rede pública dos municípios gaúchos de Canoas, Rio Grande, Alvorada e Missões tiveram a oportunidade de conhecer, na última semana, a importância do museu e da memória, através de atividades lúdicas e divertidas do Programa Aventuras da Memória – Nosso museu, minha História, do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, em parceria com a escritora Patrícia Secco. As atividades foram realizadas em instituições museológicas de Porto Alegre.
Os estudantes da Escola Normélio de Barcellos, de Alvorada, conheceram o Museu Militar do Comando Militar do Sul e tiveram contato interativo com tanques, canhões e armas usadas nos combates gaúchos.

Já o Museu de Ciência e Tecnologia da PUC, recebeu as crianças da Escola Estadual Prof.ª Margot Terezinha Noal Giacomaz, de Canoas, e do Centro de Atenção Integral à criança e adolescente – CAIC, de Rio Grande. No museu, as crianças interagiram com os objetos em exposição – corpos humanos com dispositivos que mostram partes internas dos membros, aparelhos de medição de equilíbrio, e ainda puderem conhecer uma jibóia viva no aquário.
A Aventura nos Museus também chegou ao sítio arqueológico das Ruínas de São Miguel, no Museu das Missões, projetado por Lúcio Costa. O local , cercado de lendas e ruínas, proporciou às crianças contato com a influência do barroco europeu em fusão com traços indígenas refletidos na coleção de imagens sacras missioneiras da região.

As atividades nos museus contaram com contação de história dos livros Aventuras da Memória e Museu Vivo, da Patricía Secco, visitas mediadas aos museus e uma oficina, em que foram distribuídos kits – com lápis de cor, lápis grafite, borracha e bloco de papel, para os alunos soltarem a imaginação e desenharem o que pensam sobre museu e a memória. Os melhores desenhos farão parte da publicação de um livro.

A ação, coordenada pelo Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus – DDFEM/Ibram, pretende promover e incentivar a visitação a museus mostrando às crianças que conhecer um espaço de memória está longe de representar uma visita a um local estático, responsável apenas por conservar relíquias. Mas que, assim como no filme Uma Noite no Museu, de Ben Stiller, o museu é um lugar de comunicação, e a visita pode ser um convite a grandes descobertas e desafios, onde objetos realmente ganham vida e se comunicam a partir do momento em que passamos a construir relação com eles.

O evento também recebeu apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul – Sistema Estadual de Museus, do Comando Militar do Sul – Museu Militar do Comando Militar do Sul e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Museu de Ciências e Tecnologia.

Museu Victor Meirelles 2010: Edital Exposições Temporárias

Até o dia 15 de dezembro estão abertas as inscrições para o Edital Exposições Temporárias 2010 do Museu Victor Meirelles, de Florianópolis – SC, vinculado ao IBRAM/MinC.

O Edital prevê a seleção de quatro propostas de exposição que serão realizadas no Museu Victor Meirelles entre abril de 2010 e fevereiro de 2011. As exposições são apresentadas no andar térreo do Museu, situado na casa onde viveu o artista Victor Meirelles, edifício histórico no centro da cidade de Florianópolis.

A sala de exposições possui pequenas dimensões, de cerca de 40m2, e características arquitetônicas marcantes, o que tem conferido um caráter mais específico para as montagens e permitindo diálogos produtivos entre a arquitetura e as intervenções e propostas expográficas de cada exposição.

Nesta edição do Edital, a Comissão Consultiva, responsável pela seleção das propostas, será formada por 07 profissionais atuantes no panorama artístico catarinense, incluindo artistas, pesquisadores e profissionais das áreas de curadoria, critica, gestão institucional, museologia, conservação e educação: Charles Narloch, Fernando Lindote, Raquel Stolf, Ana Lucia Vilela, Ângela Paiva, Rosivaldo Flausino e Julia Amaral (representante da Associação dos Amigos do MVM).

Além disso, em 2010, o Museu pretende retomar a publicação da revista eletrônica “um ponto e outro”, que foi desenvolvida entre 2006-2007 reunindo uma série de textos críticos, entrevistas, imagens e material de apoio e pesquisa sobre cada mostra do programa. O Programa também conta com mediações especializadas desenvolvidas pelo setor educativo da instituição. Considerando a complexidade da produção de arte contemporânea e a importância de sistematizar e mediar estes conteúdos junto ao público, estas iniciativas são estratégias fundamentais para contribuir para a qualificação do Programa.

Para saber mais sobre o Edital, os artistas interessados poderão acessar o regulamento, plantas baixas e fotografias da sala de exposições temporárias no site do Museu: www.museuvictormeirelles.org.br

Mais informações: Museu Victor Meirelles – Rua Victor Meirelles, 59 – Centro – Florianópolis (48) 3222 0692, museu.victor.meirelles@iphan.gov.br ou http://www.museuvictormeirelles.org.br.

Museus do estado do RJ definem ações preparatórias para Copa, Olimpíadas e ICOM- 2013

Cerca de 150 representantes de museus do estado do Rio de Janeiro, com a participação da secretária de Estado da Cultura, Adriana Rattes, e equipe do Instituto Brasileiro de Museus/Ibram/Ministério da Cultura definiram nesta terça-feira (17), em reunião no Rio, cinco linhas de ação para as instituições museológicas estarem preparadas para 23ª Conferência Geral do Conselho Internacional de Museus – ICOM, em 2013, Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas em 2016, que acontecem no Rio.

As propostas dividem-se nos eixos: Modernização das instituições; Cidade-Museu – que contempla urbanização, sinalização e divulgação; Programação e intercâmbio; Implantação de museus; e Capacitação de funcionários. De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, José do Nascimento Júnior, os investimentos no setor devem chegar a R$ 600 milhões.

Até o final da próxima semana, um documento com as propostas encaminhadas pelos museus sobre as ações será entregue ao Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, ao ministro da Cultura, Juca Ferreira, e ao Ministro do Turismo, Luiz Barreto.

Legado Cultural – Com a eleição do Rio à cidade-sede desses eventos, os museus brasileiros estão convocados para a produção de um legado cultural, que implica a retomada dos vínculos indissociáveis entre o passado e o presente e a possibilidade de construção de um futuro que compreenda a cultura como bem simbólico, valor econômico e direito de cidadania.

Programa de Pós-Graduação em Memória Social inicia mapeamento dos museus fluminenses

A falta de mapeamento e documentação sistematizada do universo dos cerca de 220 museus fluminenses levou a antropóloga Regina Abreu, do Programa de Pós-graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), em parceria com pesquisadores do Instituto Brasileiro de Museu- Ibram, e a socióloga Myrian Sepúlveda dos Santos, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a desenvolver o projeto de pesquisa Memória, Cultura, Transformação Social e Desenvolvimento Sustentável: Panorama Museal do Estado do Rio de Janeiro. O projeto prevê a criação de vídeos, site e guia, como roteiros e histórias dos museus nos quatro cantos do Estado.

O estudo – que também conta com a participação de professores e alunos do Programa de Pós-graduação em Memória Social da UniRio e de bolsistas de Treinamento e Capacitação Técnica e de Iniciação Científica da Faperj e do CNPq, além de alunis da Escola de Museologia da UniRio – teve início com o levantamento de todos os museus fluminenses, tendo como base os dados disponibilizados pelo Cadastro Nacional de Museus do Ibram. Depois, a equipe selecionou percursos e roteiros de visitação a partir das oito regiões econômicas definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cada rota de musesu projetada foi vivenciada e filmada pela equipe.

Na região centro-fluminense, a primeira rota de museus a ser visitada foi composta por quatro instituições: Museu Casa da Hera, em Vassouras, Museu Francisco Alves e o Museu Ferroviário, ambos em Miguel Pereira, e Museu da Cachaça, em Paty dos Alferes.

No livro, o grupo de pesquisadores relata as entrevistas com pessoas ligadas à história de cada lugar, a importância dos museus e a ligação deles entre si e com as cidades a que pertencem, além de outros museus que estão na rota. Tanto o livro como o site servirão para sugerir roteiros de visitação.

Página 129 de 129« Primeira...102030...125126127128129