Página 10 de 129« Primeira...89101112...203040...Última »

Museu Regional de São João del-Rei (MG) recebe o projeto Inverno Cultural

Entre os dias 26 e 28 de julho, o Museu Regional de São João del-Rei/Ibram, em Minas Gerais (MG), integra mais uma edição do projeto Inverno Cultural.

Realizado pela Universidade Federal de São João del-Rei, neste ano o tema será Universidade, arte e resistência: a cultura como bem comum - um chamado pela participação da cidade em busca de uma arte mais democrática e inclusiva.

Museu Regional de São João del-Rei (MG)

Museu Regional de São João del-Rei (MG)

O museu traz uma programação especial, funcionando inclusive com horário estendido para receber os visitantes que estiverem na cidade: entre 22 e 30 de julho, período em que acontece o Inverno Cultural, o horário de funcionamento será de 9h às 21h.

Agenda
No dia, 26, Clebson Cunha apresenta  o espetáculo Mais um Trovador… com canções da banda Legião Urbana. O intuito é rememorar a atemporalidade da poesia musicada.

Já no dia 27 acontece o Recital de Órgão de Tubos por Elisa Freixo. Professora de órgão e organista titular da Sé de Mariana (MG), a musicista se apresenta aproximadamente cinco vezes por ano no museu regional, que tem em seu acervo o histórico instrumento produzido na região no final do século XVIII.

Para finalizar, no dia dia 28 acontece a apresentação do espetáculo Rodas e Gingas. Realizado pela Associação Afro-brasileira Casa do Tesouro, Ponto de Memória Batuques e Associação Meninos do Amanhã, o espetáculo, com direção de Celina Batalha, exibe manifestações culturais afro-brasileiras, através de danças em roda,  com a participação do público e música ao vivo.

Todas as atividades acontecem às 19h e têm entrada gratuita. O Museu Regional de São João del-Rei está localizado na Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (32) 3371.7663.

Texto e foto: Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Inscrições de atividades para a 11ª Primavera de Museus começam hoje (14)

Começa hoje (14), e segue até o dia 14 de agosto, o período de inscrição de atividades para a 11ª Primavera dos Museus.

A temporada nacional de eventos, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece este ano entre os dias 18 e 24 de setembro e é aberta à participação de museus, instituições de memória, espaços e centros culturais brasileiros.

Oficina de tecelagem no Bosque da Ciência em Manaus (AM) na 9ª Primavera dos Museus (2015)

Oficina de tecelagem no Bosque da Ciência em Manaus (AM) durante a a 9ª Primavera dos Museus (2015)

Para 2017 o tema escolhido foi Museus e suas memórias. Um dos objetivos é que as instituições possam ‘olhar para dentro’ e refletir, junto com os seus públicos, sobre suas contribuições para a memória local e o desenvolvimento das comunidades onde se inserem.

As instituições interessadas devem acessar a página de Eventos Ibram e cadastrar online suas atividades programadas -  como exposições, palestras, seminários, shows, exibição de filmes etc. A programação é de inteira responsabilidade dos museus.

Semanas antes do início do evento, o Ibram lança o guia digital da programação com todas as atividades cadastradas.

Questões atuais
Desde sua primeira edição (2007), a Primavera dos Museus aborda temas que têm relações estreitas com tópicos contemporâneos e a memória social brasileira – como meio ambiente, direitos humanos, cultura afro-brasileira e questões ligadas a mulheres.

Assim como acontece no primeiro semestre, durante a Semana de Museus, o objetivo do Ibram é promover, divulgar e valorizar os museus brasileiros, buscando intensificar a relação dos museus com a sociedade e o aumento do público nos museus.

Na edição 2016, a Primavera dos Museus contou com a participação de 753 instituições, que realizaram 2. 080 eventos em torno do tema Museus, Memórias e Economia da Cultura. Na série histórica, entre 2007 e 2016, houve um crescimento de 15% no número de participantes. Confira o quadro evolutivo.

Dúvidas e outras informações devem ser enviadas para o endereço eletrônico primavera@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Fernanda Farias/Museus do Bosque da Ciência

MNBA inaugura mostras em comemoração ao Dia Nacional da França

André Penteado, Missão Francesa

André Penteado, Missão Francesa

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) abre, nesta sexta-feira (14), duas mostras: Diálogos Contemporâneos e Missão Francesa. As exposições são em comemoração ao Dia Nacional da França, celebrado em 14 de julho.

A mostra Diálogos Contemporâneos reúne cerca de 100 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, e tem curadoria de Claudia Saldanha e da pesquisadora e diretora do MNBA, Monica Xexéo. A exposição é um recorte do acervo do Museu e as obras expostas se situam entre os anos 1920 até o contemporâneo, espelhando alguns ângulos da influência francesa na vivência de artistas modernos e contemporâneos brasileiros.

Na exposição, poderão ser vistos trabalhos de nomes como Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Flavio Shiró, Antonio Bandeira, Gonçalo Ivo, Sérvulo Esmeraldo, Luiz Áquila, Jorge Mori, e Lasar Segall, Maria Leontina.

Missão Francesa é um recorte do livro de mesmo nome, do artista André Penteado. Para a mostra, o artista selecionou um grupo de trinta e três fotografias que resumem as discussões levantadas no livro.

O livro Missão Francesa faz parte da trilogia Rastros, Traços e Vestígios. A publicação busca relacionar passado e presente a partir da formação de artes no Brasil, pelos franceses, em locais emblemáticos como o Museu Nacional de Belas Artes, o Museu D. João VI e o Solar Grandjean de Montigny, e a personificação do que esse processo representou, em retratos de alunos e professores da Escola de Belas Artes da UFRJ, retratos de descendentes de Nicolas-Antoine Taunay e desenhos, pinturas e esculturas dos artistas que compuseram a Missão, assim como de seus alunos, pertencentes aos acervos das instituições visitadas.

Mais informações na página do Museu.

Técnicos do Ibram participam de treinamento em Estudos de Público

museuspublico_MHN-300x224Técnicos dos museus vinculados ao Ibram participaram, nesta semana, de uma oficina de treinamento em Estudos de Público.

A primeira turma, nos dias 3 e 4 de julho, reuniu no Museu da Inconfidência (MG), 13 profissionais dos museus sediados naquele estado. Já a segunda turma, reuniu cerca de 40 técnicos oriundos dos museus vinculados nos demais estados da federação nos dias 6 e 7, no Museu Histórico Nacional (RJ).

A capacitação é voltada para a implementação do Laboratório de Público Ibram, iniciativa do Projeto Museus & Público, que pretende levantar dados sobre o perfil dos visitantes. O laboratório utilizará metodologia desenvolvida pelo Observatório Ibero-Americano de Museus (OIM), que contou com a participação dos países membros do Ibermuseus.

Para Rômulo Sabarense da Costa, do Museu Regional Casa dos Ottoni, o levantamento de estudo de público é primordial para qualquer museu que pretenda estabelecer plano estratégico. “Conhecer o público ajuda a estabelecer metas, ajustar atividades e também nos dá subsídios para identificar o público ausente, o ‘não-público’. A partir dessa análise, a instituição deixa de ser mero agente passivo, apenas esperando o público visitante, para buscar método para trazer público regular e público potencial”, declarou.

Para o diretor do Museu do Ouro, Ricardo Rosa, o treinamento proporcionou a troca de experiências, o intercâmbio e a interação com colegas de outros museus e foi um espaço de construção coletiva, dedicado ao debate e a capacitação.

“A área educativa do Museu do Ouro já realiza pesquisa de público, sendo computados dados como, procedência, gênero, escolaridade, rede de ensino, faixa etária etc, porém a criação de uma metodologia unificada de pesquisa e aplicação, dentro dos museus do Ibram, apresenta-se como de suma importância para a compilação, validação, interação e dinamização dos dados coletados”, concluiu.

Saiba mais sobre o projeto Museus & Público, que visa estudar as características das relações existentes entre os museus e seus públicos.

Exposição fotográfica homenageia o Cardeal do Rio de Janeiro

Fotos para exposição - Orani,O Pastor da UnidadeO Museu Nacional de Belas Artes/Ibram , em parceria com o Vicariato para Comunicação Social e Cultura da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, abre nesta quinta-feira (6) a exposição fotográfica “Que todos sejam Um”.

A mostra reúne cerca de 130 imagens e alguns objetos que fazem parte da história do Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, que completou 20 anos de ordenação episcopal e oito anos à frente da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Para o co-curador da mostra e pesquisador do MNBA, Amândio Miguel, “a exposição é uma crônica fotográfica de Dom Orani Tempesta e a cidade do Rio de Janeiro”.

“A exposição será dividida em quatro módulos, que mostrarão o incansável trabalho deste paulista de São José do Rio Pardo(1950) nos mais diversos contrastes e realidades da cidade, segundo a ótica e pelas lentes do fotógrafo carioca Gustavo de Oliveira”, explica o cônego Marcos Willian Bernardo, assessor da Comunicação Social e Cultura da Arquidiocese do Rio.

Na mostra, o público vai poder apreciar imagens de Dom Orani no seu relacionamento com a comunidade, um outro segmento apresenta sua Ordenação de Bispo; o cardeal no seu cotidiano; e a temática específica da Jornada Mundial da Juventude, evento realizado no Rio de Janeiro em 2013.  A exposição fica em cartaz até setembro.

Plataforma reúne mais de 7 mil museus de países ibero-americanos

Presentacion-del-Registro-de-Museos-Iberoamericanos-RMIO Programa Ibermuseus apresenta nesta quarta-feira, 28 de junho, o Registro de Museus Ibero-americanos (RMI)A plataforma – rmiberoamericanos.org –, desenvolvida pelo Observatório Ibero-americano de Museus, é uma ferramenta fundamental para o conhecimento e o desenvolvimento do setor.  Trata-se de uma base de dados disponível em uma página web que reunirá os mais de 9.000 museus dos 22 países da região, proporcionando informação e acesso a eles.

O ato oficial de lançamento do RMI ocorre no Museu de América, em Madri, com a presença do Secretário de Estado de Cultura da Espanha, Fernando Benzo, da presidente do Programa Ibermuseus, Magdalena Zavala Bonachea, e da secretaria-geral adjunta da Secretaria Geral Ibero-americana (Segib), Mariangela Rebuá. No Brasil, o Instituto Brasileiro de Museus – Ibram replicará a abertura do evento e apresentará o Registro de Museus Brasileiro. O evento acontece às 14h30 no Auditório do Ibram Sede, em Brasília.

“O RMI é uma conquista substantiva do Programa Ibermuseus, consolidado depois de longas jornadas de trabalho conjunto. A página web mostra não apenas o tecido geográfico da região, mas todo o patrimônio que guardam as instituições, e reúne informação sobre sua gestão, sua infraestrutura, suas coleções, sua forma de administração e seu posicionamento no setor”, detalha a presidente do Programa Ibermuseus, Magdalena Zavala Bonachea.

O RMI é um recurso de referência e de consulta, tanto geral como especializada, que oferece a quem o visite dados organizados em forma de fichas, cujos conteúdos foram elaborados de forma colaborativa e encontram-se chancelados pelos 12 países membros do Programa Ibermuseus que participaram do projeto até esta data. Esse consenso foi resultado de debates, revisões e acordos sobre o que se entende por museu neste grande território e nesse espaço virtual, no qual se encontram distintas legislações e normas nacionais. Oferece, dessa forma, um detalhado panorama do setor e mostra a imensa variedade de situações que convivem dentro da denominação comum de museu.

No momento, já são mais de 7.000 instituições registradas, com diferentes contribuições desde 12 países da América Latina e a Península Ibérica: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Espanha, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai. Essa quantidade estará em constante atualização, com a incorporação dos museus ainda pendentes de ingressar na plataforma, e com a inclusão de outros países que já manifestaram o interesse em estar presentes no RMI.

Desenvolvimento de políticas públicas

A plataforma, que também dispõe de um modo de uso acessível apenas aos responsáveis de cada país com informação mais detalhada das instituições, possibilita, além disso, o intercâmbio de informações entre as administrações públicas, os museus e seus profissionais, contribui ao fomento das redes de cooperação e serve de referência para o estabelecimento de estratégias comuns de fortalecimento das políticas públicas do setor.Presentacion-del-Registro-de-Museos-Iberoamericanos-RMI-3-250x166

“O Registro é o lugar de encontro dos museus ibero-americanos, o espaço comum das mais de 9 mil instituições que povoam esse fértil território museal que forma a vanguarda da museologia em seus aspectos mais renovadores”, resume Miguel González Suela, Subdiretor Geral de Museus Estatais da Espanha. “O RMI permitirá conhecer esse setor, suas características, com um trabalho importante dos profissionais, e pouco a pouco o iremos ampliando. Mas ainda mais importante será criar redes de profissionais dos diferentes países, que desta maneira poderão intercambiar informações, conhecer-se melhor, criar projetos e enriquecer-se mutuamente.”

Virginia Garde López, chefe da Área de Difusão e Desenvolvimento da Subdireção Geral de Museus Estatais do Ministério de Educação, Cultura e Esporte e responsável pela coordenação do projeto, ressalta que “o RMI é a porta para conhecer e aceder às exuberante diversidade de instituições museais que em toda a Ibero-América estão trabalhando para melhorar a sociedade e interessar a seus públicos.”

O Registro é apresentado em um ano de celebração especial, no qual se comemoram 10 anos da assinatura da Declaração da Cidade de Salvador, documento de referência para o diálogo e a cooperação entre países no âmbito da museologia e da memória, e produto do I Encontro Ibero-americano de Museus, celebrado de 26 a 28 de junho de 2007, na cidade de Salvador, Bahia, Brasil. A declaração impulsionou a criação do Programa Ibermuseus e do próprio Registro de Museus Ibero-americanos, concebido já então como uma ferramenta para conhecer a diversidade do panorama museológico e gerar conhecimentos sobre a realidade deste setor na Ibero-América.

Texto e fotos: Ascom Ibermuseus

Edição: Ascom Ibram

Revista Ventilando Acervos abre chamada para trabalhos

ventilando-acervos-300x158O Museu Victor Meirelles/Ibram convida pesquisadores e profissionais de museus brasileiros e do exterior a compartilhar com a comunidade de leitores interessados suas reflexões e atividades realizadas na área da gestão de acervos em museus. Os trabalhos serão publicados na revista Ventilando Acervos, organizada pelo Grupo de Estudos Política de Acervos, publicada pelo Museu Victor Meirelles e com apoio da Associação de Amigos do Museu Victor Meirelles (AAMVM), dedicada a reunir e socializar práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus.

Serão selecionados trabalhos nas modalidades Artigos, Relatos de experiências, Entrevistas e Resenhas de livros, filmes ou exposições, e devem estar de acordo com os três temas de interesse da Revista: Gestão de Acervos em museus, Colecionismo e Experiências de elaboração e uso de Política de Acervos.

Os trabalhos devem ser enviados para o endereço eletrônico reva@museus.gov.br e o assunto da mensagem deve indicar “Inscrição de trabalho”, até o dia 30 de setembro de 2017. O resultado dos trabalhos selecionados será divulgado até dia 31 de outubro de 2017. Saiba mais sobre a Revista Ventilando Acervos.

Equipes do Ibram avaliam os resultados do 7º Fórum Nacional de Museus

7FNM_Avaliacao2

Servidores do Ibram reunidos na última quarta (14) para avaliar o 7º FNM

Na quarta-feira (14), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realizou, em sua sede em Brasília (DF), uma avaliação sobre o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – que teve lugar entre os dias 31 de maio e 4 de junho em Porto Alegre (RS).

Com a presença de servidores de todas as áreas do Ibram sede envolvidas com a realização do FNM, Marcelo Araujo, presidente do Instituto, avaliou de forma positiva a sétima edição do evento e pediu esforços diante dos desdobramentos para que “o êxito do 7º FNM se consolide”.

Ele destacou a comunicação, em especial o blogue do FNM, como essencial para manter e ampliar as articulações com grupos e redes do campo museal que se reuniram na capital gaúcha.

Eneida Braga, diretora de Difusão, Fomento e Economia dos Museus do Ibram, apresentou números do 7º FNM que reforçaram a relevância desta edição.

De um total de 1,3 mil inscrições realizadas online, 918 credenciamentos foram feitos no Centro de Eventos da PUC-RS. Os participantes – público espontâneo, convidados e servidores do Ibram – vieram de 124 cidades em 23 estados brasileiros.

O Rio Grande do Sul representou 47% do total de participantes – seguido pelo Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo. Destaque ainda para a presença do Pará, onde aconteceu o 6º FNM em 2014.

Os dados ainda revelam que os minicursos são de grande interesse: 63% dos participantes se inscreveram para os oito oferecidos nesta edição. Conheça as impressões de alguns deles.

A diretora de Processos Museus do Ibram, Renata Bittencourt, mostrou-se animada com os resultados do segundo encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e da reunião de Pontos de Memória – cuja principal bandeira, a institucionalização do programa junto ao Ibram, já tem avanços.

Contribuições

7FNM_Avaliacao1

Marcelo Araujo, presidente do Ibram, avaliou de forma positiva o Fórum Nacional de Museus 2017

Os servidores do Ibram puderam expor críticas e elogios sobre o a sétima edição do FNM, como também propor mudanças na estrutura e organização do Fórum Nacional de Museus.

Dentre as contribuições, com o intuito de ampliar o interesse e engajamento do setor, estão a ampliação das Comunicações Coordenadas, com possível criação de Anais com os trabalhos apresentados, e a forma como se dá o processo de seleção das cidades que sediam o evento.

Atualmente, após a apresentação de candidaturas das cidades, os presentes na Plenária Final de cada edição votam na proposta que consideram mais relevante.

Por fim, Marcelo Araujo demonstrou interesse em iniciar desde já as articulações para o 8º FNM – que deverá acontecer em 2019 na cidade de Fortaleza (CE) e marcará os 10 anos de criação do Instituto Brasileiro de Museus.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Cultura afro, videoinstalação e minicurso ocupam o MUBAN durante o FICA 2017

A cidade histórica de Goiás (GO) recebe de hoje a 25 de junho, a 19º edição de um dos eventos mais importantes do calendário local: o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA). Parceiro do festival, o Museu das Bandeiras (MUBAN), vinculado ao Ibram, volta a receber parte de sua programação, que se espalhará pela cidade.

Nesta terça-feira (20), dia da abertura do evento, o museu participa de sua programação com a videoinstalação Enxovia Forte. O projeto foi desenvolvido a partir de pesquisa realizada por alunos dos cursos técnico e superior em Audiovisual do Instituto Federal de Goiás (IFG) no arquivo do MUBAN.

Através de imagens e sons especificamente desenvolvidos para ser apresentados na sala da enxovia – espécie de antiga masmorra localizada na parte inferior do museu – a videoinstalação leva o visitante aos tempos de funcionamento da antiga Casa de Câmara e Cadeia que o prédio abrigou originalmente. A videoinstalação permanece em cartaz durante todo o período do FICA.

Na quarta-feira (22), a partir das 9h, a programação do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental inclui roda de conversa e um café da manhã para abertura da exposição fotográfica Diálogo entre Tempos, que remete à história da cidade de Goiás a partir da memória do cidadão vilaboense.

Religiosidade africana e Direito à Memória - A religiosidade de matriz africana também ocupará o museu como parte do “FICA na Comunidade”: também no dia 22, às 14h, o MUBAN recebe o Fórum de Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás.

Com o tema “Sustentabilidade das Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás”, o fórum terá apresentação de políticas públicas, leis e projetos focados na valorização e respeito das comunidades e suas religiões. Serão convidadas representações das 22 comunidades religiosas existentes na região da Cidade de Goiás.

Nos dias 22 e 23, a diretora do Museu das Bandeiras, Stélia Castro, será ainda uma das ministrantes do minicurso “O Direito à memória e as lutas sociais do campo”, que também contará com a participação de Janaína Sevá (UFG), José Roberto Novaes (UFRJ) e Ricarda Canozo (UNICAMP). Confira a programação completa do FICA 2017.

Últimos dias de processos seletivos para diretores de museus Ibram

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

Candidatos interessados em concorrer ao cargo de diretor do Museu da Inconfidência/Ibram, situado em Ouro Preto (MG), têm até o dia 24 de junho para fazer sua inscrição. Já aqueles que desejam concorrer ao cargo de diretor do Museu Solar Monjardim, em Vitória (ES), poderão fazê-lo até do dia 30 de junho.

Para realizar a inscrição o candidato deverá encaminhar a documentação exigida nos respectivos editais para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, indicando no assunto a qual processo seletivo deseja concorrer.

Podem concorrer aos cargos servidores públicos ou não, com formação acadêmica, conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu, além de experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações de governo e entidades da sociedade em geral.

A seleção será realizada mediante critérios técnicos e objetivos de qualificação, avaliados por Comissão de Seleção através de análise de currículo, declaração de interesse e plano de trabalho. Realizado em três etapas, o processo seletivo inclui ainda entrevista oral, de caráter classificatório. Mais informações no site do Ibram.

Página 10 de 129« Primeira...89101112...203040...Última »