MinC e GDF formalizam transferência de terreno para o futuro MNMAfro

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o governador do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg, formalizaram ontem (10), em Brasília, a transferência de terreno para a construção do Parque Mandela e o lançamento do concurso internacional para o projeto arquitetônico do Museu Nacional da Memória Afrobrasileira (MNMAfro).

Juca Ferreira ao lado de Rodrigo Rollemberg (centro). Eneida Braga representou o Ibram

Juca Ferreira ao lado de Rodrigo Rollemberg (centro). Eneida Braga representou o Ibram

O governador do DF garantiu ao ministro a transferência do terreno, que estava prevista desde a gestão passada, mas que ainda não havia sido concluída.

O local escolhido fica ao lado da Ponte JK, às margens do Lago Paranoá – um dos cartões postais da cidade.

“O museu complementa o processo de afirmação de Brasília como capital cultural do Brasil. Então, é um passo importante que demos aqui”, afirmou Ferreira.

“O processo da discussão deste parque  já foi dado, inclusive, com a participação da comunidade de Brasília. A área já estava determinada. A parte administrativa e a jurídica já estavam concluídas e, hoje, fechamos politicamente”, concluiu.

Concurso e centro de referência
Com a transferência do terreno de 65 mil metros quadrados pela Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal) para a União, o edital do concurso, que está a cargo do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-DF), poderá ser aberto para a participação de arquitetos de todo o mundo. A previsão é que o edital seja lançado no próximo dia 21 de abril – data em que se comemora o 55º aniversário da capital federal.

Os profissionais terão como base o termo de referência desenvolvido pela Fundação Cultural Palmares em conjunto com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e Fundação Casa de Rui Barbosa – entidades vinculadas ao Ministério da Cultura – e integrantes da comunidade onde o parque e o museu serão instalados.

A ideia do museu é ser um centro de referência da cultura negra, onde o visitante poderá, por meio do uso de tecnologia e interatividade, conhecer a trajetória dos povos afrodescendentes no Brasil e, efetivamente, reconhecer a sua importância na construção da identidade cultural do país.

O espaço também será destinado para pesquisa e atividades educacionais, reunindo patrimônios material (peças de museus públicos e privados e de coleções particulares) e imaterial (danças, brincadeiras, tradições orais), além de objetos que mostrem a trajetória da população negra, que, atualmente, corresponde a mais de 50% dos brasileiros. Continue lendo.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Janine Moraes/MinC

Notícias relacionadas
Concurso internacional vai escolher projeto para museu afrodescendente no DF
Moradores do Lago Sul entregam contribuições para novo museu no DF

 

Governo do DF autoriza cessão do Museu Honestino Guimarães à União

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de segunda-feira (27), a Lei 5.293, de 24 de janeiro de 2014, que autoriza a cessão para a União do Museu da República Honestino Guimarães, que integra complexo cultural localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

De acordo com a lei, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), será responsável pela administração do museu por  um prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado por autorização legislativa.

O processo de transição da gestão será feito com a participação do Governo do Distrito Federal (GDF), de modo a manter o espaço de exposições temporárias e preservar o atual acervo da instituição.

A transferência definitiva se dará após celebração de termo de cessão entre a União e o GDF, seguindo o que determina a lei.

Acervos federais
Está prevista a criação de um grupo de trabalho conjunto para garantir o funcionamento e continuidade das ações programadas pelo museu durante o processo de transição, que será acordado entre as partes. Durante o período da gestão compartilhada, os servidores atuais do espaço cultural deverão ser mantidos pelo GDF.

O objetivo da cessão do museu à União é dar maior acesso ao público a obras de arte, presentes em acervos passíveis de musealização, que são de propriedade de órgãos da Administração Direta e Indireta da União. Nestes termos, o MinC, por intermédio do Ibram, deverá fazer um levantamento dos acervos pertencentes aos órgãos federais  para que venham a integrar a programação expositiva do museu.

Em paralelo, o Ibram prepara Projeto de Lei, a ser enviado à Câmara dos Deputados, criando o Museu Nacional de Brasília. O projeto visa dar estrutura ao museu, bem como criar cargos efetivos para o seu corpo técnico.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Wikipédia

Matérias relacionadas
Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães
Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) realizou ontem (21), um debate para tratar da cessão do Museu da República Honestino Guimarães, em Brasília (DF),  do Governo do Distrito Federal para o Governo Federal, ficando então sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Museus/MinC. A iniciativa da reunião foi das deputadas Liliane Roriz, Celina Leão e do deputado Olair Francisco.

Reunião na CLDF tratou da cessão do Museu Honestino Guimarães ao Ibram/MinC

Reunião na CLDF tratou da cessão do Museu Honestino Guimarães à União

No dia 5 de novembro, o governador Agnelo Queiroz enviou projeto de lei nº 1693/2013 à Câmara, que autoriza a cessão de uso do Museu Honestino Guimarães à União. Artistas, produtores e militantes culturais de Brasília questionam o projeto e querem discuti-lo antes da votação.

Liliane Roriz e Celina Leão são contra a cessão do espaço do museu. Segundo elas, o espaço é de Brasília, deve continuar com o DF e que o governo distrital tem condições de manter o espaço sob sua responsabilidade.

Referência local e nacional
Angelo Oswaldo, presidente do Ibram, participou do debate e afirmou que a discussão está sendo travada com base em informações contraditórias sobre a proposta. Angelo ressaltou que a intenção, desde o começo das conversas entre a ministra Marta Suplicy e o governador Agnelo Queiroz, sempre foi valorizar o Museu Nacional e transformá-lo em uma referência nacional, sempre em parceria com o GDF. “O museu é hoje um equipamento e núcleo de cultura fundamental para a sociedade local”, acredita.

Para Hamilton Pereira, Secretário de Cultura do DF, a discussão é positiva. O objetivo, segundo ele, é buscar uma solução duradoura para o Museu Honestino Guimarães que, atualmente, não tem corpo de servidores efetivo e orçamento próprio. O secretário reconheceu o espaço de excelência que é hoje o museu e sua vocação de diálogo com a comunidade do DF. O projeto tramita em regime de urgência na Câmara Legislativa. Saiba mais.

Ciência e Tecnologia
Na semana passada, o Governo do DF confirmou que Brasília ganhará  um Museu de Ciência e Tecnologia. O espaço, que será construído no Setor de Divulgação Cultural e gerido pela Secretaria de Cultura, terá 20 mil m² e contará com anfiteatro, auditório, oficinas multiuso, café/restaurante, loja e observatório astronômico. O museu está sendo concebido com apoio do Ibram/MinC.

O Distrito Federal possui atualmente 66 museus, seis deles sob responsabilidade da Secretaria de Cultura do DF. São eles o Museu do Catetinho, o Museu Vivo da Memória Candanga, o Museu da Cidade (Praça Três Poderes), o Museu de Arte de Brasília (MAB), o Museu da República Honestino Guimarães e o Memorial dos Povos Indígenas.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: CLDF/Fábio Rivas

Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Reunião entre MinC, GDF e Ibram tratou da transferência do Museu Nacional da República para o governo federal

A pedido da presidenta Dilma Rousseff, o Museu Nacional da República, que fica na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), passará a ser gerido pelo Ministério da Cultura (MinC).

O anúncio foi feito na tarde de quinta-feira (16), durante reunião que a ministra Marta Suplicy teve com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o secretário de Cultura do DF, Hamilton Pereira. Participaram também a presidente substituta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Eneida Braga, e Angelo Oswaldo – indicado pela ministra para assumir a presidência do Ibram.

Atualmente, a gestão do Museu é feita pelo Governo do Distrito Federal. O governador se reuniu com a ministra para discutir como o processo de cessão pode ser feito. Ficou decidido no encontro que o GDF e o MinC vão analisar as possibilidades do ponto de vista jurídico. A formalização da transferência será feita em breve.

A ministra explica que a ideia de trazer o Museu para a gestão do MinC consiste em tornar acessível aos cidadãos grandes obras de arte que fazem parte do acervo de empresas estatais. “A intenção é que o Museu passe a contar com um acervo fixo e exposições itinerantes, além de uma gama de possibilidades que está sendo definida junto com a equipe do Ibram”, explicou Marta.

Segundo o governador, a federalização proporcionará maior dinamismo ao Museu. “Temos muita coisa guardada em instituições como o Banco Central, por exemplo, que o público não tem acesso. Não adianta termos obras maravilhosas se o cidadão não puder usufruir”, afirmou o governador. Continue lendo.

Texto: Rosiene Assunção, Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Elisabete Alves, Ascom/MinC

Museus e acervos terão destaque em termo de cooperação entre MinC e GDF

O Distrito Federal será mais uma unidade da federação a integrar o Sistema Nacional de Cultura (SNC) a partir de 2013. O ato foi definido no dia 13 de dezembro, em Brasília, durante um encontro da ministra da Cultura, Marta Suplicy, com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, no Ministério da Cultura (MinC).

Ministra em reunião com governador do DF (esq.) e equipe. Presidente do Ibram (dir.) também esteve presente

No encontro, a ministra também apresentou ao governador uma proposta de parceria permanente ente o Museu Nacional da República, gerido pelo Governo do Distrito Federal (GDF), e a instituição inglesa Victoria and Albert Museum (V&A).

Participaram da reunião o presidente do Instituto Brasileiro de Museus, José do Nascimento Junior, e o Diretor de Relações Internacionais do MinC, Antônio Alves Junior. A comitiva do GDF foi composta pelos secretários de Cultura, Hamilton Pereira, e o chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa.

Parceria internacional
Segundo Marta Suplicy, a oportunidade de parceria com o Museu Nacional da República surgiu no início deste mês, durante agenda do MinC na Inglaterra. Na ocasião, a ministra foi recebida pelo diretor do V&A em Londres, que revelou o interesse do museu em desenvolver uma parceria com o Brasil.

“A ideia é trazer sem custos uma exposição que envolveria áreas de design, arquitetura, urbanismo e artesanato além de obras gregas e romanas. Seria uma grande valorização para o museu, principalmente neste período de Copa do Mundo”, projetou a ministra.

Entusiasmado com a iniciativa, o governador Agnelo Queiroz colocou o Museu da República à disposição e garantiu esforços. “Sem dúvidas é um ótimo projeto, vamos trabalhar para que ele se realize o quanto antes”, concluiu.

Aproveitando o período da Copa do Mundo em 2014, a ministra também sugeriu que o governo local promova uma exposição indígena que retrate o ritual Quarup, celebrado pelos povos da região do Xingu, no Brasil. De acordo com o governador, a mostra poderá ser feita no Memorial dos Povos Indígenas.

Para viabilizar ações como essas, já está sendo analisado pelo GDF um termo de cooperação de gestão comum entre o MinC e o governo distrital, com interveniência do Instituto Brasileiro de Museus e da Secretaria de Cultura do DF.

O presidente do Ibram, José do Nascimento Junior, enfatizou a importância dos entes federativos trabalharem em conjunto. “É importante para a capital do país que o MinC atue junto com o GDF no sentido de ampliar as dinâmicas culturais locais. Isso potencializa o setor e possibilita trazer acervos de repercussão nacional e internacional para a cidade, além de fomentar a cultura durante as copas das Confederações e do Mundo”, afirmou.

Texto e foto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram

Decreto dispõe sobre a criação do Sistema de Museus do Distrito Federal

Publicado no Diário Oficial do DF , em 23 de outubro de 2012, decreto que dispõe sobre o Sistema de Museus do Distrito Federal (SIM-DF), que vai permitir ao Distrito Federal captar recursos para melhorar e aperfeiçoar os museus de Brasília.

Vinculado à Secretaria de Cultura do DF, o SIM-DF tem como objetivo, além de propor formas de provimento de recursos, financiamento e fomento destinados à área museológica, implementar políticas de integração e incentivo aos museus sediados no DF, desenvolver programas de capacitação de recursos humanos para atuação nos museus, estimular propostas de realização de atividades educativas e culturais dos museus junto às comunidades, e incentivar a inclusão dos Museus do DF no Cadastro Nacional de Museus (CNM).

O SIM-DF será gerido por um Comitê Gestor cujos membros serão eleitos no dia 12 de novembro, às 10h, na Sala Alberto Nepomuceno do Teatro Nacional Cláudio Santoro, na Capital Federal. Saiba mais.

Conexões
O 14º encontro do projeto Conexões Ibram acontece em Brasília entre os dias 5 e 7 de novembro, no Museu Nacional e Biblioteca Nacional do Conjunto Cultural da República. Palestras sobre políticas e estratégias de gestão para o setor de museus, além de Grupos de Trabalho para tratar de temas específicos, compõem a programação. Acompanhe pelo blogue do projeto Conexões Ibram.

Texto: Ascom/Secult DF
Edição: Ascom/Ibram

 

 

 

Esplanada dos Museus: projeto propõe cinco novos museus em Brasília até 2014

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) apresentou ao Governo do Distrito Federal (GDF), em reunião no dia 7 de novembro, o projeto Esplanada de Museus.

A proposta é construir cinco museus temáticos na capital federal até a Copa do Mundo de 2014: Museu dos Esportes, de Arte das Américas, da Democracia, da Biodiversidade e da Diversidade Cultural.

Dotar o Plano Piloto de Brasília de um expressivo conjunto de instituições museológicas, colaborando para a inserção de Brasília nas rotas turísticas, e contribuir com o direito à memória, à cultura e ao museu estão entre os objetivos do projeto Esplanada dos Museus. Os espaços seriam ainda um “legado cultural” às cidades-sede da Copa de 2014.

Segundo a proposta, todos os museus dariam ênfase às atividades de pesquisa, formação profissional, conservação de bens culturais, comunicação e educação. A sustentabilidade ambiental, a acessibilidade, o uso de novas tecnologias e o investimento na inovação e na interatividade serão características de todos as instituições museais.

Após a primeira reunião, o GDF deverá avaliar quais locais indicados pelo projeto poderiam receber as novas instituições. Já o Ministério da Cultura (MinC) e suas insitutições vinculadas, como Instituto Brasileiro de Museus e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), devem ficar responsáveis por estabelecer parcerias para a construção e instalação dos espaços e constituição dos acervos.

Assim que os primeiros levantamentos estiverem concluídos, Agnelo Queiroz, Governador do Distrito Federal, e a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, devem apresentar o projeto à presidente Dilma Rousseff.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Secretaria de Cultura do DF

GDF e Ibram promovem o curso Arquitetura em Museus

A Secretaria de Cultura do Distrito Federal, por meio da Subsecretaria do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (SUPHAC) realiza, com o apoio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Curso Arquitetura em Museus entre os dias 25 e 27 de outubro. Estão sendo oferecidas 350 vagas. A atividade acontece no Auditório D. João VI da Imprensa Nacional (SIG, Quadra 06, Lote 800), das 14h às 18h. Inscrições gratuitas.

A arquiteta Léa Therezinha A. de Carvalho, Chefe da Divisão de Arquitetura e Espaços Museais do Ibram/MinC será a ministrante do curso. No programa constam módulos como Arquitetura e Conservação de Acervos, a relação entre as funções dos museus (preservação, investigação e comunicação) e a arquitetura, exemplos de edifícios adaptados e edifícios construídos especialmente para museus, dentre outros tópicos. Veja a programação completa.

Os Interessados podem encaminhar a ficha de inscrição para o endereço eletrônico diretoriadepatrimonio@gmail.com. Mais informações com Martita ou Luciano pelos telefones (61) 3325-6222/6281. Para receber o certificado é exigida a frequência mínima de dois dias ao curso.

 Fonte: Divulgação Secult/DF

Um olhar sobre as vítimas da violência

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do DF abre no dia 14 de junho, às 11h, a exposição itinerante “Lembrar para não esquecer. Não esquecer para transformar”. A mostra trata de um olhar sobre a vítima para resgatar o direito à vida.

A abertura da exposição será no Salão Negro do Ministério da Justiça, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, com a presença do Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o governador do DF, Agnello Queiroz, familiares de vítimas do Rio de Janeiro e Brasília, e convidados especiais como a escritora Glória Perez, o coordenador de Controle de Armas do Viva Rio, Antônio Rangel Bandeira, o cineasta Milton Alencar, entre outros.