Nomeado o novo presidente do Instituto Brasileiro de Museus

Ex-diretor do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), o artista plástico, curador, escritor e engenheiro civil gaúcho Paulo César Brasil do Amaral ocupará o cargo.

Ex-diretor do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), o artista plástico, curador, escritor e engenheiro civil gaúcho Paulo César Brasil do Amaral ocupará o cargo.

O novo presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) foi nomeado nesta quinta-feira (21). A portaria de nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

Ex-diretor do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), o artista plástico, curador, escritor e engenheiro civil gaúcho Paulo César Brasil do Amaral ocupará o cargo. A posse do novo presidente do Ibram está programada para a próxima segunda-feira (25).

Paulo César Brasil do Amaral dirigiu o MARGS em três gestões. A primeira delas se deu entre 1997 e 1998, quando coordenou processo de restauro que colocou a instituição na rota das exposições internacionais. Também dirigiu o museu entre 2003 e 2006.

Desde 2015 dirigia o MARGS pela terceira vez, função que acumulava com a de diretor artístico-cultural da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul. Como artista visual, iniciou estudos de pintura na California (EUA) em 1967 e já realizou diversas exposições individuais e coletivas dentro e fora do Brasil.

Convidado no ano passado a assumir a presidência do Ibram, Amaral participou de reuniões com a equipe de transição do novo governo. O cargo estava ocupado de forma interina por Eneida Braga Rocha de Lemos desde agosto passado, quando o ex-presidente do Ibram Marcelo Mattos Araújo pediu exoneração.

Trajetória

Paulo César Brasil do Amaral participou de inúmeras exposições individuais e coletivas e de salões de arte ao longo de sua carreira como artista plástico. Suas obras integram acervos de diversas instituições, como a Pinacoteca Aldo Locatelli (RS), o MARGS, o Museu da Gravura Brasileira de Bagé (RS), o Stedelijke Museum van Aalst (Bélgica) e coleções privadas no Brasil e no exterior.

Amaral foi responsável pela curadoria e chefiou as atividades do Rio Grande do Sul no Ano do Brasil na França (Saison Brésil-France), da exposição Vasco Prado – A Escultura em Traço e da mostra Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, que integrou a missão cultural do Rio Grande do Sul na República Tcheca, entre outras.

Foi diretor institucional pelo Rio Grande do Sul na I Bienal de Artes Plásticas do Mercosul, em 1997, em Porto Alegre. A partir da terceira edição, passou a compor o Conselho da Fundação Bienal, cargo que deixou em 2015.

Em 1994, recebeu a Comenda da Ordem do Mérito das Belas Artes, do estado do Rio de Janeiro, no grau de Comendador, e, em 2006, o título de Cidadão Honorífico da Cidade de Porto Alegre. Desde 2010, integra a Academia Brasileira de Belas Artes, na qual ingressou pela cadeira de Di Cavalcanti. Em 2017, recebeu a mais alta honraria da Academia, a Grande Medalha de Honra.

 

Com informações da Secretaria Especial da Cultura

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days