Três temas foram debatidos durante o 2º dia do Conexões Rondônia

O segundo dia do Conexões Ibram Rondônia começou com o tema Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado, apresentado pela arquiteta Rafaela Felício (Ibram/MinC).

Felício destacou os principais riscos ao patrimônio por região, mapeados pelo Ibram com base em notícias veiculadas na imprensa; as ações de prevenção que as instituições devem tomar; a importância de um plano de gestão de riscos e de um programa de voluntariado.

Diante de questionamentos do público presente sobre como fazer reparos em pisos de edificações tombadas pelo Iphan, a arquiteta lembrou que no caso dessas construções, qualquer reforma deve ser autorizada pelo órgão.

Em seguida, Valdemar de Assis Lima, museólogo do Ibram/MinC falou sobre o Programa Pontos de Memória. Ele começou sua apresentação exibindo um vídeo sobre o tema, que emocionou os presentes e, em seguida, contextualizou o explicou em que consiste o Pontos de Memória.

Lima enfatizou que a pretensão é que o Pontos de Memória deixe de ser um programa e torne-se uma política pública, “A gente entende que o estado deve assegurar que o direito à memória seja democratizado”. Essa política público de direito à memória está sendo construída com os estados e municípios a partir do Conexões Ibram.

Para finalizar a apresentação dos temas, Adna Teixeira, da Coordenação de Fomento e Financiamento do Ibram falou sobre as formas de fomento e financiamento aos museus.

Ela explicou da importância do setor se articular junto aos deputados, para que estes proponham emendas parlamentares para a área dos museus e mostrou outras formas de atuação do Ibram, como o Programa de Fomento e Financiamento, que, em 2012 lançou dois prêmios e há previsão de outros lançamentos.

 

Publicado em

Deixe seu comentário

Digite seu comentário
  1. (obrigatório)
  2. (obrigatório e-mail válido)
  3. (obrigatório)
  4. Captcha
 

cforms contact form by delicious:days