Bonde da História: MHN promove visitas mediadas nos domingos de abril

Visitas mediadas no MHN abordarão em abril temas históricos relacionados ao mês, como páscoa, a chegada dos portugueses ao Brasil e o inconfidente Tiradentes.

Visitas mediadas no MHN abordarão em abril temas históricos relacionados ao mês, como páscoa, a chegada dos portugueses ao Brasil e o inconfidente Tiradentes.

Páscoa, a chegada dos portugueses ao Brasil, a resistência indígena à colonização e a figura histórica de Tiradentes serão temas de destaque das visitas mediadas promovidas pelo núcleo de Educação do Museu Histórico Nacional (MHN) durante o mês de abril.

Voltado para públicos de todas as faixas etárias, o projeto Bonde da História foi retomado no último domingo (7) com visita que abordou o tema “Pinturas históricas”. Foram abordadas obras do gênero que integram a exposição de longa duração do MHN. Voltado a crianças de 6 a 10 anos, o Bondinho da História “Brincando no pátio dos Canhões” abordou ainda a coleção de canhões de diversas origens e momentos da história do Brasil abrigada pelo museu em seu pátio.

No próximo domingo (14), o Bonde da História traz como tema “A presença de Cristo no acervo MHN”. Voltada para o público jovem e adulto, a visita vai abordar como a imagem de Jesus esteve aliada ao ideal civilizatório, forjando a sociedade no Brasil do período colonial.

Crianças e seus acompanhantes também serão convidadas para participar de mais uma edição Bondinho da História. Com o tema “Quem foi Aimberê?”, a visita vai resgatar a história do guerreiro chefe dos Tupinambás e da confederação dos Tamoios, mostrando sua luta contra a invasão portuguesa no Rio de janeiro e a defesa do território brasileiro.

No domingo seguinte (21), feriado nacional do Dia de Tiradentes, o MHN mergulha na história de Joaquim José da Silva Xavier no Bonde da História “Tiradentes: inimigo da Coroa, herói da República”. A proposta, voltada para jovens e adultos, é suscitar um bate papo sobre a construção da memória de Tiradentes (1746-1792), partindo de itens presentes na exposição de longa duração.

No mesmo dia, crianças de 4 a 10 anos e seus acompanhantes poderão mergulhar no Rio antigo a partir das pinturas ovais de Leandro Joaquim (1738-1798). O Bondinho da História, que acontecerá às 15h, revelará a história do artista e seu trabalho, dando ainda a chance para as crianças exercitarem sua criatividade em uma oficina de pintura.

No último domingo de abril (28), o Bonde da História faz referência à chegada dos portugueses com o tema “Descobrimento ou invasão?”. Os visitantes jovens e adultos farão uma visita pelo sala “Portugueses no mundo” com destaque para o processo de ocupação do território brasileiro por nações europeias e uso dos diferentes termos para abordar a presença portuguesa.

“Chegada dos portugueses” é o tema do Bondinho da História que finaliza o mês de abril. Voltada para crianças acima de 8 anos e seus acompanhantes, a visita vai abordar o contexto de chegada dos europeus na América. Na atividade, será possível participar de um “jogo de tabuleiro” onde os participantes serão as peças principais.

Como participar

Aos domingos, dia de entrada gratuita no MHN, o Bonde da História sempre começa às 14h e o Bondinho às 15h. Não há necessidade de agendamento ou inscrição: o encontro com os educadores acontece na recepção do museu nos horários indicados.

Aos sábados, o Bonde da História acontece às 14h e percorre todo o circuito de exposições de longa duração do museu. Confira ingresso e gratuidades. Mais informações sobre o projeto Bonde da História podem ser obtidas pelo endereço eletrônico mhn.educacao@museus.gov.br ou pelo telefone (21) 3299-0324.

MHN tem visitas mediadas em todos os domingos de janeiro

Proposta é levar visitantes a conhecer as exposições do museu a partir de temas pensados para diversos públicos.

Proposta é levar visitantes a conhecer as exposições do Museu Histórico Nacional a partir de temas pensados para diversos públicos.

No primeiro mês do ano, o Núcleo de Educação do Museu Histórico nacional (MHN) segue com o projeto Bonde da História, cuja proposta é levar visitantes a conhecer as exposições do museu a partir de temas pensados para diversos públicos.

No último domingo (6) aconteceu a primeira visita mediada do ano e os educadores levaram os visitantes, jovens e adultos, para conhecer a exposição temporária “ O retrato do rei dom João VI”. A proposta foi apresentar a iconografia relacionada ao rei dom João VI, através de pinturas e gravuras de acervos brasileiros e portugueses. O Bondinho da História também levou crianças (4 a 8 anos) a conhecer histórias sobre a vida de dom João VI e seus eventos mais importantes. Ao final, as crianças foram convidadas a confeccionar insígnias e leques reproduzindo peças da exposição.

No próximo domingo (13), às 14h, o Bonde da História apresenta um tema que tem feito sucesso entre o público. “Museu, memórias e mulheres” aborda o papel e a representatividade das mulheres na história do Brasil. A atividade é aberta a todos os públicos. Às 15h, uma atividade voltada para crianças de 3 a 7 anos e seus familiares transformará as crianças em detetives que devem desvendar segredos nas exposições de longa duração do MHN.

O Rio nas exposições do MHN

No dia 20, às 14h, o Bonde da História será dedicado ao Rio de Janeiro. No aniversário da cidade, a visita mediada “O Rio na exposição do MHN” passa pelo Pátio de Santiago e por várias salas das exposições de longa duração, buscando conexões entre a história da cidade do Rio de Janeiro e a história do próprio MHN – que completará 100 anos em 2022.

Grande testemunho do Rio colonial, as pinturas ovais de Leandro Joaquim (1738-1798) chamam a atenção dos visitantes. Com o intuito de envolver as crianças com o trabalho do artista e a memória da cidade, o Bondinho da História do dia 20, às 15h, chega com o tema “O Rio de Leandro Joaquim”.

Após conhecer as pinturas do artista, os participantes são convidados para uma oficina de pintura, onde poderão deixar a imaginação fluir para retratar o Rio atual. A atividade é voltada para crianças entre 4 e 10 anos – acompanhadas de pais ou responsável.

O último Bonde da História do mês, no dia 27, terá como tema “A presença negra no acervo do MHN”, a partir das 14h. A visita mediada abordará as exposições de longa duração trazendo à tona a produção artística e a presença histórica de matrizes africanas no Brasil. O objetivo é discutir, através do acervo, a presença negra na formação da sociedade brasileira.

O Bondinho da História no mesmo dia, às 15h, ganha uma versão especial com o tema “Museu de brincadeiras“. Em uma viagem a gerações passadas, os participantes, crianças e jovens de 7 a 14 anos, acompanhadas de pais ou responsáveis, participam de brincadeiras que fizeram parte da infância de outros tempos. Além disso, será abordada a questão “O que é ser criança?”, trazendo à tona questões relacionadas com os direitos da criança e do adolescente. A atividade será acessível para pessoas com deficiência visual.

Como participar

Aos domingos, dia de entrada gratuita no MHN, o Bonde da História sempre começa às 14h e o Bondinho às 15h. Não há necessidade de agendamento ou inscrição: o encontro com os educadores acontece na recepção do museu nos horários indicados.

Aos sábados, o Bonde da História acontece às 14h e percorre todo o circuito de exposições de longa duração do museu. Confira informações sobre ingresso e gratuidades. Mais informações sobre o projeto Bonde da História podem ser obtidas pelo endereço eletrônico mhn.educacao@museus.gov.br.

Museu da República oferece programação de visitas mediadas

O Museu da República, do Rio de Janeiro, está oferecendo ao público uma programação de visitas mediadas que estão fazendo o maior sucesso. Elas acontecem sempre na primeira e na terceira semana de cada mês.

O Projeto “Um Palácio e suas Memórias”, sob a coordenação e participação de técnicos do Museu, se estende de segunda a sexta-feira, sempre às 15h, e vem atraindo um público ávido pelo conhecimento da história do Palácio do Catete e da República Brasileira.

Confira a programação:

Às segundas-feiras, o público pode se deliciar com a visita “Um Jardim de Histórias”, com o educador Carlos Xavier, que conta a história do jardim do Palácio do Catete.

Às terças-feiras, o projeto “Arte no Palácio” oferece palestra destinada ao público interessado na observação do estilo decorativo dos ambientes do Palácio. Organizada e apresentada pela crítica de arte e museóloga Isabel Portella, pode-se observar características e estudos do Salão Amarelo (originalmente conhecido como Salão Veneziano), enfocando a parte decorativa num prédio construído no século XIX com características arquitetônicas claramente inspiradas nos palácios residenciais de Florença, na Itália.

“Um Tempo de Memórias” é o tema da visita programada para as quartas-feiras, quando o público pode percorrer todos os andares do Museu da República e se deliciar com a história da Casa, com  a participação da técnica em educação Maria de Lourdes Teixeira.

Às quintas-feiras, a visitas mediadas têm como foco a 1º conjuntura da exposição “A Res publica Brasileira”, intitulada a República Proclamada, onde os historiadores Carlos Vianna e Silvia Pinho apresentam o período inicial da história republicana brasileira.

E às sextas-feiras é a vez do visitante conhecer toda a exposição “A Res publica Brasileira”, que aborda a história republicana brasileira até os dias de hoje, com a técnica em Ciências Sociais Joana Regattieri e o historiador Marcus Rodrigues.

Anote a sua preferência e divulgue para os amigos. Os grupos são de 25 pessoas.

Informações: (21) 3235-5179 / 3235-5236 / 3235-5360