Página 1 de 212

Museu Victor Meirelles homenageia artista plástico Paulo Gaiad em SC

De 14 a 18 de fevereiro, o Museu Victor Meirelles/Ibram, em Florianópolis (SC) realiza a exposição Paisagem – Viagem em Paulo Gaiaduma homenagem ao artista falecido em outubro do ano passado.

A abertura da exposição acontece no dia 14, às 19 h, e vai ser precedida do tradicional Encontro com o Curador, às 18h30, com as participações de Juliana Crispe e Rosângela Cherem.

Trabalho de Gaiad que esteve em exposição em 2015 no Museu Victor Meirelles

Trabalhos de Gaiad estiveram em exposição no Museu Victor Meirelles em 2015

Em novembro de 2015, o Museu Victor Meirelles recebeu a exposição Anotações a Caminho, de Paulo Gaiad. O evento era parte do Projeto Memória em Trânsito e tinha por objetivo aprofundar as pesquisas em torno das obras dos artistas que vivem e trabalham em Santa Catarina, pertencentes ao acervo do Museu Victor Meirelles.

Paulo Gaiad
Nascido em 1953, na cidade de Piracicaba (SP), em 1972 ingressa em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília (UnB). Dois anos depois, inicia curso de desenho na Pontifícia Universidade de Campinas (PUC/Campinas) e recebe bolsa de estudos para frequentar o curso de Planejamento Urbano da Universidade de Oslo (Noruega).

Entre 1975 e 1977, estuda arquitetura em São Paulo, e em 1980 cursa desenho livre na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Em 1981, fixa residência em Florianópolis, onde passa a trabalhar com arquitetura e artes plásticas . Em 1984, ganha a Bolsa de Multiplicadores Culturais do Instituto Goethe (Alemanha).

Realiza sua primeira exposição individual em 1987. Recebe, em 1989, o prêmio Cubo de Prata da Bienal Internacional de Arquitetura, em Buenos Aires. Em 2006, participa do projeto Pinte um Futuro, liderado pela artista plástica holandesa Hetty van der Linden, que atua junto a comunidades que vivem em situação de risco. Saiba como chegar ao Museu Victor Meirelles.

Texto e imagem: Museu Victor Meirelles/Divulgação

Nova exposição de longa duração no Museu Victor Meirelles (SC)

A nova exposição de longa duração do Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram), em Florianópolis (SC), chama-se Entrelaços e mostra as relações do pintor catarinense Victor Meirelles (1832-1903) com o seu tempo.

Trata-se de um novo olhar sobre a vida e a obra do artista ao mesmo tempo em que apresenta diálogos com obras de artistas modernos e contemporâneos. A proposta da nova exposição é estimular o encontro de novos sentidos, correspondências e singularidades.

A exposição está dividida em quatro módulos principais. Inicia com Introdução, onde o artista é apresentado, e segue com os módulos Retratos, Paisagens e, por fim, Vestígios do Tempo.

Meirelles e Senise
Os retratos da arte brasileira do século XIX, em grande maioria, representavam a corte imperial e os nobres, que solicitavam por encomendas que os artistas pintassem seus retratos pessoais ou de família.

Com o advento da fotografia, a reprodução fiel da figura e do mundo na pintura foram alteradas. No Brasil, a arte, no reinado de Dom Pedro II, refletia ainda a influência da escola europeia. Desse período destaca-se a obra de Victor Meirelles, fiel aos princípios da Academia Imperial de Belas Artes. Neste módulo estão expostos alguns exemplos de retratos e paisagens – trabalhos que estão presentes em toda a obra do artista.

No módulo Vestígios do Tempo, que fecha a exposição, o observador está à frente da obra de Daniel Senise. Em um mergulho capaz de percorrer vários níveis de tempo e realidade, o artista explora o passado e cria planos sobre planos, desenvolvendo uma técnica de pigmentação dos tecidos usados na colagem, expondo-os ao contato com velhos pavimentos de madeira.

O estranhamento sugerido amplia-se pelo local em que a obra está exposta: a alcova da casa natal de Victor Meirelles. Cada uma das camadas possíveis suporta vestígios do tempo, remetendo também ao estranhamento de estarmos ‘colados’ em um sobrado do século XVIII. Saiba mais sobre o Museu Victor Meirelles.

Texto e foto: Divulgação MVM
Edição: Ascom/Ibram

Ministra da Cultura abre novas exposições no Museu Nacional de Belas Artes

Neste sábado (20), às 11h, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, participa da cerimônia de abertura das exposições Quando o Brasil Amanhecia – A Primeira Missa no Brasil vista por Victor Meirelles e Candido Portinari e Portinari e os painéis da Capela Mayrink, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ). A cerimônia também contará com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O painel de Portinari fica em exposição até 5 de junho no MNBA

Essa será a primeira vez que a obra A Primeira Missa no Brasil, executada por Portinari, será exibida ao público. Com dimensões de 271 cm X 501 cm, a tela foi produzida em 1948 para a sede do Banco Boa Vista e foi adquirida, no final de 2012, pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). Saiba mais.

Na exposição, o público poderá ver também o quadro de Victor Meirelles (tela com 270 cm x 357 cm, realizada entre 1858 e 1860), que foi inspirado na carta de Pero Vaz de Caminha, e retrata o mesmo momento histórico. Também serão exibidos estudos, fotos, documentos e objetos que ajudam a contextualizar as criações das duas obras.

A mostra, em cartaz até 5 de junho, dará oportunidade ao público de comparar duas escolas de pintura: o Romantismo acadêmico de Victor Meirelles (1832-1903) em contraposição à liberdade modernista de Candido Portinari (1903-1962).

Capela Mayrink

Painel de Nossa Senhora do Carmo é uma das obras da Capela Mayrink

Em simultâneo a abertura da exposição Quando o Brasil Amanhecia, outras quatro obras de Cândido Portinari, doadas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/MMA) ao MNBA/Ibram, também serão exibidas ao público.

Portinari e os painéis da Capela Mayrink apresenta as obras Nossa Senhora do Carmo, São João da Cruz, São Simão Stock e Purgatório, realizadas pelo artista em 1944 para adornar o interior da Capela Mayrink – localizada no Parque Nacional da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, propriedade do ICMBio. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação MNBA

 

Exposição celebra 60 anos do Museu Victor Meirelles (SC)

O Museu Victor Meirelles/Ibram, em florianópolis (SC), está com a exposição Viagem em torno do museu: 60 anos de Museu Victor Meirelles aberta ao público – em comemoração aos 60 anos do museu em 2012.

A exposição, que fica em cartaz até 17 de fevereiro de 2013, conta com o patrocínio da Orsitec – Assessoria Contábil e Empresarial, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Estarão expostas obras pertencentes ao acervo do museu, com destaque para aquelas que integram o chamado ‘núcleo inicial’.

Dividida em quatro módulos, a exposição foi pensada a partir de dois pilares: o primeiro aborda a formação do acervo do museu, que contempla a produção artística de Victor Meirelles bem como de artistas da década de 1950 até os dias atuais. O segundo centra-se na narrativa de viajantes, derivando daí a ideia que dá nome à exposição.

A obra escolhida para abrir a mostra é a última adquirida pelo museu, sendo também a única datada do século XVIII em seu acervo: a gravura Vue de l´Île de Sainte-Catherine, desenhada em 1785, por Gaspard Duché de Vancy (foto), é uma das imagens fundadoras da iconografia da cidade de Florianópolis.

Museu exposto
Também faz parte da exposição comemorativa a própria edificação que hoje abriga o Museu Victor Meirelles: a casa onde nasceu o artista catarinense. A aquisição pelo Governo Federal, em 1946, do típico sobrado lusobrasileiro da virada do século XVIII e o tombamento da edificação como patrimônio histórico nacional, em 30 de janeiro de 1950, seriam os primeiros atos para a inauguração do Museu Victor Meirelles, em 15 de novembro de 1952 – data que também assinala a Proclamação da República.

O processo de formação de seu acervo museológico, ao longo de seis décadas, acabou resignificando a própria instituição, sobretudo a partir da década de 1990, quando trabalhos artísticos modernos e contemporâneos passaram a ocupar suas salas de exposições e a reserva técnica.

Programação
Ainda no âmbito das comemorações dos 60 anos do museu, estão programadas outras atividades. Veja calendário abaixo:

23 de novembro, às 19h
Lançamento de livros Arquivo Debilitado – o gesto de Evandro Affonso Ferreira, de Júlia Studart (Dobra Editorial, SP), Jogo de Varetas e As Mãos (editora 7Letras, RJ), ambos de Manoel Ricardo de Lima.
27 de novembro, às 19h

Sessão solene na Câmara Municipal de Vereadores de Florianópolis em homenagem aos 60 anos do Museu Victor Meirelles.
28 de novembro, às 20h

Exibição ao ar livre dos vídeos produzidos durante a Oficina de Introdução ao Stop-Motion, com Diego de los Campos.
29 de novembro, às 16h

Palestra: Os viajantes na Ilha de Santa Catarina, com Gilberto Gerlach.

A entrada para todas as atividades é gratuita. Mais informações pelo endereço eletrônico mvm.ac@museus.gov.br ou pelos telefones (48) 3223.3274/3225.4121.

Texto e foto: Divulgação MVM

Exposição comemora 60 anos do Museu Victor Meirelles em Santa Catarina

Gravura Vue de l´Île de Sainte-Catherine (1785), de Gaspard Duché de Vancy, estará exposta

O Museu Victor Meirelles/Ibram abre nesta quarta-feira (14), às 19 horas, a exposição Viagem em torno do museu: 60 anos de Museu Victor Meirelles, em comemoração a data alusiva à sua criação – 15 de novembro de 1952.

A exposição, que fica em cartaz até 17 de fevereiro de 2013, conta com o patrocínio da Orsitec – Assessoria Contábil e Empresarial, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Estarão expostas obras pertencentes ao acervo do museu, com destaque para aquelas que integram o chamado ‘núcleo inicial’.

Dividida em quatro módulos, a exposição foi pensada a partir de dois pilares: o primeiro aborda a formação do acervo do museu, que contempla a produção artística de Victor Meirelles bem como de artistas da década de 1950 até os dias atuais. O segundo centra-se na narrativa de viajantes, derivando daí a ideia que dá nome à exposição.

A obra escolhida para abrir a mostra é a última adquirida pelo museu, sendo também a única datada do século XVIII em seu acervo: a gravura Vue de l´Île de Sainte-Catherine, desenhada em 1785, por Gaspard Duché de Vancy, é uma das imagens fundadoras da iconografia da cidade de Florianópolis.

Museu exposto
Também faz parte da exposição comemorativa a própria edificação que hoje abriga o Museu Victor Meirelles: a casa onde nasceu o artista catarinense. A aquisição pelo Governo Federal, em 1946, do típico sobrado lusobrasileiro da virada do século XVIII e o tombamento da edificação como patrimônio histórico nacional, em 30 de janeiro de 1950, seriam os primeiros atos para a inauguração do Museu Victor Meirelles, em 15 de novembro de 1952 – data que também assinala a Proclamação da República.

O processo de formação de seu acervo museológico, ao longo de seis décadas, acabou resignificando a própria instituição, sobretudo a partir da década de 1990, quando trabalhos artísticos modernos e contemporâneos passaram a ocupar suas salas de exposições e a reserva técnica.

Programação
Ainda no âmbito das comemorações dos 60 anos do museu, estão programadas outras atividades. Veja calendário abaixo:

23 de novembro, às 19h
Lançamento de livros Arquivo Debilitado – o gesto de Evandro Affonso Ferreira, de Júlia Studart (Dobra Editorial, SP), Jogo de Varetas e As Mãos (editora 7Letras, RJ), ambos de Manoel Ricardo de Lima.

27 de novembro, às 19h
Sessão solene na Câmara Municipal de Vereadores de Florianópolis em homenagem aos 60 anos do Museu Victor Meirelles.

28 de novembro, às 20h
Exibição ao ar livre dos vídeos produzidos durante a Oficina de Introdução ao Stop-Motion, com Diego de los Campos.

29 de novembro, às 16h
Palestra: Os viajantes na Ilha de Santa Catarina, com Gilberto Gerlach.

A entrada para todas as atividades é gratuita. Mais informações pelo endereço eletrônico mvm.ac@museus.gov.br ou pelos telefones (48) 3223.3274/3225.4121.

Texto e foto: Divulgação MVM

Publicação sobre museus e exposições marcam semana na Câmara federal

Lançada no dia 3 de julho, em Brasília, a publicação Legislação sobre Museus é um dos primeiros frutos do acordo de cooperação técnica firmado entre a Câmara dos Deputados e o Instituto Brasileiro de Museus, no final do ano passado.

O livro foi entregue ao presidente do Ibram, José do Nascimento Jr., durante evento de inauguração das duas primeiras exposições da série Retratos da Brasilidade, na Câmara federal, que começa com a exibição inédita em Brasília do quadro Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, e da série Cenas Brasileiras, de Cândido Portinari.

Legislação sobre Museus, que já está disponível online, reúne leis, normas, acordos e diretrizes relativas aos museus e à profissão de museólogo. Entre eles estão o Estatuto de Museus, a lei de criação do Ibram, e a que regulamenta a profissão de museólogo, e a Declaração de Santiago - que completa 40 anos em 2012 e foi escolhida como tema do 5º Fórum Nacional de Museus.

Durante a solenidade, o presidente do Ibram lembrou que o Estatuto de Museus, que está em fase final de regulamentação, “é uma grande conquista e também resultado do trabalho dos parlamentares”.

Meirelles e Portinari
Pintado por Victor Meirelles entre 1858 e 1860, Primeira Missa no Brasil faz parte do acervo permanente do Museu Nacional de Belas Artes (Ibram/MinC), no Rio de Janeiro. Além do quadro, a exposição em Brasília traz outros trabalhos do autor e uma imagem rara do artista. Saiba mais.

Também compondo a série Retratos da Brasilidade estão obras de Cândido Portinari que pertencem ao acervo do Banco Central. Os quadros, pintados entre 1954 e 1956, relacionam-se com a história do país.

A visitação às duas exposições é diária, das 9h às 17h, e poderá ser feita até 16 de setembro, no Salão Nobre e Salão Negro da Câmara dos Deputados. Outras informações:  (61) 3216.1768/1772.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, chega a Brasília para exposição

O quadro foi exposto pela primeira vez no Salão de Paris em 1861

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, uma das obras de arte mais representativas do país, chegou a Brasília (DF) para uma exposição que será aberta no dia 3 de julho, às 19h, na Câmara dos Deputados.

A exposição fica em cartaz até 16 de setembro e poderá ser visitada todos os dias da semana, das 9h às 17h.  Também será exibida a coleção Cenas Brasileiras, formada por 12 obras de Candido Portinari, entre elas Descobrimento do Brasil. As duas exposições fazem parte da mostra Retratos da Brasilidade, organizada pela Câmara federal e que reunirá produções de artistas brasileiros. A entrada é franca.

Exposição inédita
Considerado um tesouro icônico brasileiro, o quadro Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, será exposto pela primeira vez na capital federal. Óleo sobre tela, que mede 270 x 357 cm, foi realizado pelo catarinense Meirelles em dois anos de trabalho – entre 1858 e 1860. Inspirada na carta de Pero Vaz de Caminha, a obra habita o imaginário dos brasileiros e já ilustrou livros didáticos, notas de dinheiro, selos e capas de cadernos de várias gerações.

Pintado no exterior, o quadro foi exibido pela primeira vez no Salão de Paris, em 1861, mas apenas no ano seguinte pode ser visto em solo pátrio na Exposição Geral da Academia Imperial. A obra, restaurada recentemente, deixou o MNBA pela primeira vez em 2007 para percorrer capitais no sul do país. No ano passado, representou a arte brasileira no festival Europália, na Bélgica.

Além da tela, outros nove trabalhos, entre desenhos e estudos preparatórios para a obra, todos pertencentes ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), fazem parte da exposição que irá ocupar o Salão Nobre da Câmara. Também será exibida uma rara foto do artista, de autoria desconhecida. Leia mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA
Última atulização: 2.7.2012

Museu Victor Meirelles divulga resultado de edital para exposições temporárias

Museu Victor Meirelles/Ibram, localizado em Florianópolis (SC), divulgou o resultado do edital de seleção para as exposições temporárias do ano de 2012. Os artistas vencedores são Dirnei Prates e Nelton Pellenz, que vivem e trabalham em Porto Alegre, com o trabalho Cinema do Acaso; Bil Lühmann, que vive e trabalha em Florianópolis, com a mostra Tudo Começa com C; e Erica Kaminishi, que vive e trabalha em Paris, com a exposição Palavras Fluidas. Os trabalhos não selecionados devem ser retirados até o dia 27 de abril.

O Edital 2012 teve mais de 50 propostas inscritas e, como acontece todos os anos, a Comissão de Seleção foi composta por profissionais de notório saber, com atuações nos campos da educação, artes visuais e museus.

A reunião aconteceu em 10 de fevereiro, no Museu Victor Meirelles. Estiveram presentes pela Comissão o pesquisador e professor do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina, José Luiz Kinceler; a presidente e representante da Associação dos Amigos do Museu Victor Meirelles, Maria Costa de Araujo; a arte-educadora Marion Batista de Martino, o curador e diretor executivo da Fundação Cultural de Joinville, Charles Narloch, e o diretor-substituto do MVM, Fernando Boppré. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu Victor Meirelles

Museus de Arte e Conservação de Bens Culturais no Museu Victor Meirelles

Qual o papel dos museus de arte na contemporaneidade? Essa é a questão central do conjunto de atividades programadas pelo Projeto Agenda Cultural do Museu Victor Meirelles/Ibram, nos dias 21 e 22 de novembro, em Florianópolis (SC).

Realizado em parceria com o Fórum Permanente de Museus e o espaço Contemporão, no dia 21, o professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e coordenador do Fórum Permanente de Museus, Martin Grossmann, ministrará a palestra Museu como interface: arquiteturas, arte, gestão e comunidade.

A mediação estará por conta do artista Yiftah Peled, do espaço Contemporão. A atividade é gratuita e não é necessário proceder com prévia inscrição. Às 20h30, acontece o lançamento da coleção de livros do Fórum Permanente de Museus.

No dia 22, das 18h às 22h, as atividades seguem no espaço Contemporão. Martin Grossmann ministra a oficina Curadoria e Performance. Para se inscrever, é preciso enviar, até o dia 17 de novembro, o currículo resumido e uma pequena apresentação de interesses em relação à oficina para o endereço eletrônico contemporao@gmail.com.

Já a Semana de Conservação de Bens Culturais será de 28 de novembro e 1º de dezembro. O objetivo é proporcionar e complementar a formação de profissionais do setor bem como demais interessados.

Estão sendo oferecidas as oficinas teóricas Conservação Fotográfica e Conservação de Bens Culturais. As atividades são gratuitas, mas é necessário se inscrever. Os interessados devem encaminhar, até 24 de novembro, pedido de pré-inscrição para mvm.ac@museus.gov.br. Os critérios para a seleção nas oficinas são de responsabilidade da equipe técnica do Museu Victor Meirelles. Saiba mais aqui.

Fonte: Divulgação Museu Victor Meirelles

Museu Victor Meirelles (SC) estende horário de funcionamento

A partir do dia 27 de outubro, e em todas as demais quintas-feiras, o Museu Victor Meirelles/Ibram terá um horário especial de funcionamento, estendendo o encerramento das suas atividades das 18h para 20h. 

A medida visa possibilitar ao público um horário alternativo para a visitação, ampliando o período em duas horas em todas as quintas-feiras, de modo a receber aquelas pessoas que, por razões de cumprimento de jornada profissional, não encontravam o museu aberto. O Museu Victor Meirelles, localizado em Florianópolis (SC), está buscando alternativas para a abertura também aos finais de semana.

Visita virtual
Outra opção para conhecer o museu está disponível na internet. A visitação virtual a diversas instituições culturais brasileiras, dentre elas, o Museu Victor Meirelles, está acessível ao público por meio da plataforma Era Virtual. Visite.

No processo de transposição do museu real para a sua versão virtual buscou-se um modelo no qual o internauta possa “entrar” no espaço a ser experienciado, além de brincar e jogar.

O Museu Victor Meirelles funciona de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, com horário estendido às quintas-feiras, a entrada custa 2 reais.

Fonte: Divulgação Victor Meirelles

Página 1 de 212