Museu Victor Meirelles promove evento sobre arte, morte e patrimônio no dia 10

O Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram) promove, na próxima quinta-feira (10), das 19 às 21h, a Mesa-Redonda Continuidades e Rupturas: Arte, Morte e Patrimônio. O evento é gratuito, sem inscrições prévias, e ocorre na sede provisória do Museu, na Rua Rafael Bandeira, 41, Centro de Florianópolis (SC). As palestrantes serão a professora adjunta do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas da UFSC, Telma Scherer, com o tema Vivas à morte viva: os processos de escrita, a alegria e o fenecer, e a presidente da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais – ABEC, Elisiana Trilha Castro, falando sobre Patrimônio cultural funerário: a morte como tema e seus dilemas.

A proposta é a discussão sobre ciclos na Arte e no Patrimônio a partir dos valores da produção artística e das teorias de patrimônio sempre em movimento e transformação, em vanguardas e movimentos de ruptura, nos ciclos de renovação de linguagens e de políticas. O tema da “Morte” (ou das “mortes”) serve de eixo conceitual para a percepção dos ciclos de memórias e de esquecimentos, de continuidades e de transgressões, de abandonos e de recriações. A atividade foi elaborada pelos participantes da Oficina de Planejamento de Exposições, realizada de 19 de março a 11 de abril com estudantes de Museologia e Artes Visuais.

Imagem: A Morta. Óleo sobre tela, sem data. Victor Meirelles, Rio de Janeiro, RJ. Divulgação: Museu Victor Meirelles/Ibram

Imagem: A Morta. Óleo sobre tela, sem data. Victor Meirelles, Rio de Janeiro, RJ. Divulgação: Museu Victor Meirelles/Ibram

Também integra o último módulo expositivo do Projeto Victor em 4D, conjunto de exposições que busca sugerir possíveis leituras sobre o acervo do artista preservado pelo Museu Victor Meirelles, identificando em diferentes módulos as características estéticas de suas obras, as faces de Victor como aluno, professor e artista, o ambiente em que sua produção estava inscrita na segunda metade do século XIX e o legado deixado pelo pintor, como patrimônio artístico brasileiro.

A última exposição – sob o título Victor e o Tempo Presente – será inaugurada no dia 20 de junho de 2018 e encerra o Projeto, observando os tempos e as transformações da cidade de Florianópolis e sugerindo aproximações do patrimônio oitocentista com a arte contemporânea.

Saiba mais sobre a programação do Museu Victor Meirelles.

Texto: Ascom MVM

Museu Victor Meirelles completa 65 anos com abertura de duas exposições

Cristo sobre as Ondas - Victor Meirelles - sem data Paris, França - óleo e papel sobre tela colado em madeira - 31,42 x 44,7 cm Divulgação Museu Victor Meirelles/Ibram

Cristo sobre as Ondas – Victor Meirelles – sem data
Paris, França – óleo e papel sobre tela colado em madeira – 31,42 x 44,7 cm
Divulgação Museu Victor Meirelles/Ibram

Em comemoração aos 65 anos de sua inauguração o Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram) abre duas exposições no próximo 16 de novembro, às 18 h. A primeira é Acervo MVM em Perspectiva, que faz um histórico da composição do acervo do próprio museu. A segunda propõe uma reflexão acerca das relações sociais e políticas da arte, através da montagem do Módulo 3 – A Dimensão Política, dentro do ciclo Victor em 4D, mostra de longa duração que se iniciou em maio último.

As obras selecionadas para a exposição Acervo MVM em Perspectiva representam a multiplicidade da linguagem das artes visuais, colocando lado a lado obras de um dos maiores artistas brasileiros do século XIX, o pintor Victor Meirelles, e trabalhos de 36 artistas contemporâneos.

A Dimensão Política de Victor Meirelles

Neste terceiro módulo do Projeto Victor em 4D ganha corpo a reflexão em torno da função social, cultural e política da arte, bem como a sua capacidade de representação, buscando sempre à disposição para dialogar com o público e a comunidade.

Victor Meirelles foi um dedicado aluno na Academia Imperial de Belas Artes e, mais tarde, um rigoroso professor, não menos dedicado, no Liceu de Artes e Ofícios. Além disso, se destacou por ser um habilidoso pintor de paisagens, panoramas e retratos.

Mas foi com suas pinturas históricas que Victor alcançou renome, guiado pelo compromisso do Império brasileiro em construir uma identidade nacional. Suas obras de arte contam histórias, engendram discursos, negociam estética e politicamente com as relações socioculturais da segunda metade do século XIX no Brasil.

As duas exposições, Acervo MVM em Perspectiva e Victor em 4D – A Dimensão Política, ficam em cartaz até o dia 9 de fevereiro de 2018. O Museu Victor Meirelles está funcionando em sua sede provisória, na Rua Rafael Bandeira, nº 41 – Centro, em Florianópolis. A entrada é gratuita.

——————————————————————-

 Acervo MVM em Perspectiva – Exposição
 A Dimensão Política – Exposição

Aberturas: dia 16 de novembro de 2017, às 18 horas
Museu Victor Meirelles
Rua Rafael Bandeira, 41 – Centro – Florianópolis/SC
Tel.: 48  3222-0692
Gratuito

Texto: Ascom MVM
Edição: Ascom Ibram

Museu Victor Meirelles celebra os 185 anos de nascimento do seu patrono

O Naufrágio da Medusa - Victor Meirelles (1857/1858) - óleo sobre papel colado em cartão - 35,9 x 52,5cm

O Naufrágio da Medusa: Victor Meirelles (1857/1858) – óleo sobre papel colado em cartão – 35,9 x 52,5cm / Divulgação: Museu Victor Meirelles/Ibram

O Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram), em Florianópolis (SC), comemora os 185 de nascimento do seu patrono nesta sexta-feira (18), com a abertura da exposição Victor em 4D – Segundo Módulo: A Dimensão Histórica, a partir das 19h.

A programação inclui a realização de uma mesa-redonda, às 16h, com o professor Mário César Coelho, do curso de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e com o curador Pedro Xexéo.

Mário César é graduado em Arquitetura e Urbanismo, com mestrado e doutorado em História Cultural pela UFSC, e falará sobre as coleções de Estudos de Embarcações de Victor Meirelles.

Pedro Xexéo é museólogo e crítico de arte, tendo integrado o corpo técnico do Museu da Inconfidência de Ouro Preto, em Minas Gerais, e atuado como coordenador técnico do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro. O tema do seu painel será A Batalha dos Guararapes de Victor Meirelles na 25ª Exposição Geral de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1879.

No mesmo dia, será realizada também a cerimônia da assinatura dos documentos de transferência definitiva de um conjunto de obras do Museu Nacional de Belas Artes, enviadas para o MVM em 1952, 1961 e 1983. As obras passarão a integrar o acervo permanente do Museu Victor Meirelles e farão parte da exposição em cartaz.

A exposição Victor em 4D – A Dimensão Histórica fica em cartaz até o dia 11 de novembro de 2017. O Museu Victor Meirelles está funcionando em sua sede provisória, na Rua Rafael Bandeira, nº 41 – Centro. A entrada é gratuita.

Texto: Ascom/Museu Victor Meirelles
Edição: Ascom Ibram