Página 1 de 3123

Nomeado o novo diretor do Museu Casa da Hera no RJ

casa da heraFoi nomeado na última sexta-feira (20) o novo diretor do Museu Casa da Hera, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e situado no município de Vassouras (RJ). Resultado de processo de seleção pública, a nomeação foi publicada através de portaria no Diário Oficial da União.

O historiador Marco Antonio Xavier (foto), nascido em São Paulo (SP), mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Museologia pela mesma instituição, foi o escolhido pela Comissão de Seleção para assumir a direção do museu em caráter de cargo comissionado, conforme definido pela Chamada Pública Nº 9, de 3 de novembro de 2014.

O novo diretor trabalhou em diversos museus e centros de preservação do patrimônio, sendo responsável pela curadoria de mais de 40 exposições e mostras, e tem trabalhos publicados sobre imigração e preservação de patrimônio urbano.

Sua trajetória profissional inclui passagens pelo Museu da Imigração e Museu da Língua Portuguesa, ambos em São Paulo (SP), e pelo Museu do Diamante, em Diamantina (MG), este último também vinculado ao Ibram.

Critérios
Para a seleção, foram considerados os critérios de formação acadêmica em nível superior; experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações do Governo ou entidades da sociedade em geral; e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu.

Os critérios foram aferidos através de apresentação de currículo, declaração de interesse e plano de trabalho. Além da apresentação da documentação, a comissão de seleção designada também realizou entrevista oral com o candidato.

Museus Ibram: publicadas novas chamadas públicas para diretores

Museu Casa da Hera (RJ)

Museu Casa da Hera em Vassouras (RJ)

Publicados hoje (4), no Diário Oficial da União (DOU), dois novos editais de Chamada Pública para seleção de candidatos a dirigentes de museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia do Ministério da Cultura (MinC): Museu Solar Monjardim, em Vitória (ES), e Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ).

No processo seletivo, serão levados em consideração critérios técnicos e objetivos de qualificação baseados na análise de currículo, Declaração de Interesse e de Plano de Trabalho.

Podem concorrer ao cargo servidores efetivos e não servidores que cumpram critérios como formação acadêmica em nível superior, experiência comprovada em gestão e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu.

Os candidatos devem enviar a documentação (Currículo, Declaração de Interesse e Plano de Trabalho) até às 23h59 (horário de Brasília) do dia 23 de novembro de 2014, para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, informando no Assunto a chamada pública a qual se refere. Dúvidas e outras questões também devem ser enviadas para o mesmo endereço eletrônico.

Acesse os Planos Museológicos do Museu Solar Monjardim e do Museu Casa da Hera (parte I e parte II) – documento essenciais para construir a proposta de Plano de Trabalho a ser apresentada. Confira todas as chamadas públicas já lançadas.

Museu Solar Monjardim (ES)

Museu Solar Monjardim em Vitória (ES)

Os museus
A Casa da Hera foi erguida na primeira metade do século XIX, onde residiu a família de Joaquim José Teixeira Leite, grande advogado e comissário de café. Em 1952, a construção foi tombada como patrimônio nacional.

Além de mobiliário, quadros e objetos de uso doméstico originais, o acervo inclui uma vasta biblioteca e uma importante coleção de trajes de origem francesa. A biblioteca possui 890 livros e três mil periódicos do século XIX.

O Museu Solar Monjardim foi criado em junho de 1939, no Quartel da Polícia Militar, com acervo multidisciplinar e eclético. Em 1952, foi transferido para a residência dos herdeiros do Barão de Monjardim e em 1966 recebeu acervo do Museu de Arte Religiosa.

Na década de 1980, a instituição foi requalificada e renomeada pela então Fundação Pró-Memória e passou a se chamar Museu Solar Monjardim.

Confira também a Chamada Pública para dirigente do Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro (RJ), cujas inscrições também terminam dia 23 de novembro.

Texto e fotos: Ascom/Ibram
Última edição: 18.11.2014

Matérias relacionadas
Ibram abre seleção para dirigente do Museu Histórico Nacional no RJ

Ibram abre seleção para escolha de novos diretores em seis museus

Mesmo em obras, visitante pode conhecer a Casa da Hera em Vassouras

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), está fechado para obras desde o dia 21 de julho, mas a partir de agora o visitante poderá conhecê-lo mesmo sem entrar no museu: foram instalados painéis em frente à fachada da casa com fotografias de cada cômodo e dos objetos de seu acervo permanente.

No jardim, painéis contam a história da casa - fechada para obras desde julho

No jardim, painéis contam a história da casa – fechada para obras desde julho

“Pensamos em como poderíamos transformar o fato da casa estar fechada ao público em uma opção diferente de visita, com acesso ao acervo existente”, explica o diretor interino, Cirom Duarte. “A proposta é que os funcionários realizem agora visitas mediadas por meio dos painéis, com fotos de todos os cômodos, objetos e indumentárias, contando com textos elucidativos”.

Uma maquete também foi feita para que os visitantes tenham uma ideia melhor da disposição dos cômodos da Casa da Hera, que hoje passa por obras em vários pontos em simultâneo – como a copa, o quarto menor, o salão amarelo e o salão vermelho. A reforma busca a recuperação elétrica, hidráulica e estrutural do casarão.

Ainda que o museu esteja temporariamente fechado, o acesso aos jardins da chácara está normal e lá têm sido desenvolvidas todas as atividades e projetos de cunho educativo do museu. Hoje, cerca de 80 pessoas visitam a Casa da Hera por dia. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Casa da Hera
Edição: Ascom/Ibram

Mesmo fechada para obras, Casa da Hera realiza Férias no Museu em Vassouras

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), estará fechado a partir de hoje (21) para visitação, devido a obras que transcorrem desde o início do ano no local. As atividades desenvolvidas pela Casa da Hera, entretanto, não param: pelo terceiro ano consecutivo, o museu dedicará o final do mês de julho às férias do público infantil.

Museu Casa da Hera (RJ)

Museu Casa da Hera (RJ)

Durante a semana, as crianças poderão aproveitar o espaço da chácara para brincar e aprender na série de atividades Férias no Museu.

A programação começa na terça-feira (22), com a ação Brincadeiras de Antigamente, que promete divertir os pequeninos com pipas, bolinhas de gude, amarelinhas, bambolês e outros brinquedos que marcaram a infância de várias gerações.

Na quarta-feira (23) a programação prossegue com a atividade Contar e Brincar Histórias, uma tarde de histórias e brincadeiras para despertar a curiosidade. Na quinta-feira (24), o cineclube exibirá um filme voltado ao público infantil, com debates e dinâmicas sobre o tema abordado.

Na sexta-feira (25), as crianças se transformarão em investigadores na brincadeira Detetives, explorando peças do acervo do museu. A programação chega ao fim no sábado (26), com o tradicional Ecoclube, dia dedicado à natureza com atividades voltadas à educação ambiental na horta da chácara.

Mesmo com o fechamento temporário da Casa da Hera, a chácara continuará aberta à visitação de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h. Todas as atividades educativas, a exemplo das Férias no Museu, continuarão a ser realizadas normalmente no jardim histórico do museu. Saiba mais.

Texto: Divulgação Casa da Hera
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Casa da Hera realiza atividades educativas durante 12ª Semana de Museus

EcoclubeO Museu Casa da Hera (Ibram/MinC), em Vassouras (RJ), promoveu uma série de atividades durante a 12ª Semana Nacional de Museus. Foram realizadas visitas mediadas especiais, com a apresentação de itens do acervo que normalmente não ficam expostos, além de uma exposição temporária.

Três ações educativas aconteceram no período: Detetives, que visa aguçar a curiosidade dos jovens e crianças que procuram descobrir por meio de pistas deixadas, a peça do acervo a qual se referem; Contar e Brincar Histórias, com a escritora Gilda Meirelles; e Ecoclube, destinado a alunos do ensino fundamental, que têm a oportunidade de vivenciar na chácara, atividades diversas, voltadas à educação ambiental para um futuro sustentável.

No mês de junho, em datas ainda a definir, serão realizados novamente os projetos educativos, além  do Clube de Leitura e Clube do Postal.

Texto e foto: Divulgação Casa da Hera

Acervo: Museu Casa da Hera recebe doação de itens do século 19

O Museu Casa da Hera/Ibram, em Vassouras (RJ), recebeu nos últimos dias um lote de doações com itens que ampliam o olhar sobre a vida profissional e doméstica de Eufrásia Teixeira Leite, sobre a história da casa em que viveu e da cidade fluminense durante o século 19.

Itens serão expostos durante Semana de Museus 2014

Novas peças serão expostos durante a Semana de Museus 2014

Entre os itens recebidos pelo museu estão moedas, uma cédula bancária  e ações de empresas nacionais e internacionais.

As peças foram doadas pela pesquisadora Mariana Ribeiro, graduada em Relações Internacionais pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP/SP), cujo trabalho de conclusão de curso teve como tema À Frente de seu tempo: atuação e legado de Eufrásia Teixeira Leite.

Negócios e chá
“Para o Museu Casa da Hera, dispor de tais peças como parte de seu acervo é muito importante, principalmente de objetos que fazem referência ao mundo dos negócios”, explica o diretor interino do museu, Cirom Duarte.

“Eufrásia Teixeira Leite ficou conhecida pelo talento e habilidade que possuía para desenvolver seus próprios negócios, multiplicando a herança deixada por seus pais”, enfatiza.

foram doadas ainda cópias de fotos do escravo e depois caseiro da Casa da Hera, Ramiro Bonfim, e de sua filha Cecília Bonfim, dama de companhia de Eufrásia na França e no Brasil, que esteve a seu lado até sua morte. Também integram o lote quatro mudas de jasmim da espécie Jasminum Sambac – que era plantada na propriedade e enviada a Paris, no período em que Eufrásia viveu na capital francesa, sendo usada para fazer chá.

As peças entrarão no circuito expositivo como mostra especial durante a 12ª Semana de Museus e ficarão também disponíveis para consultas e pesquisas.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Obras de requalificação avançam no Museu Casa da Hera no RJ

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), um dos nove museus vinculados ao Ibram que passam por obras, está em pleno processo de requalificação.

Museu Casa da Hera (RJ)

Museu Casa da Hera: obras seguem cronograma previsto

Vitimado por um incidente em julho de 2012, quando um curto-circuito levou o museu a suspender a utilização de energia elétrica por motivo de segurança, sem que tenha havido qualquer dano ao acervo, a instituição passa agora por uma obra de grandes proporções destinada a recuperar, além de sua rede elétrica, as instalações hidráulicas, de telefonia e internet e a estrutura predial do museu, com ênfase na recuperação de seu telhado.

Com recursos do orçamento do Ibram, num investimento de R$ 980 mil, as obras estão em curso desde novembro e seguem o cronograma previsto.

Estão previstos, ainda, R$ 2,8 milhões para o museu através do PAC Cidades Históricas. O recurso será destinado à conclusão do restauro da Casa da Hera, além de recuperação e paisagismo do parque da chácara.

“As obras seguem conforme esperado, diariamente realizamos o acompanhamento, e qualquer alteração no projeto aprovado necessita ser encaminhada ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), mas nada que impossibilite a tramitação normal”, explica o diretor interino do Museu Casa da Hera, Cirom Duarte.

Mesmo com obras, Casa da Hera segue aberto ao público

De acordo com o diretor, o museu segue funcionando normalmente no decorrer das obra de recuperação, que devem seguir durante todo o primeiro semestre. “Estamos em obras, porém o museu está com visitação normal, diversas atividades realizadas e as obras não atrapalham em nada”, explica.

Programa de Requalificação
A obra integra o Programa de Requalificação dos Museus do Ibram. Além do Museu Casa da Hera, estão sendo requalificados o Museu da Abolição, em Recife (PE), o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (MART), o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais, o Museu Casa dos Ottoni, na cidade do Serro (MG), o Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP), o Museu Casa de Benjamin Constant, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), o Museu de Arte Sacra de Paraty e o Museu Forte Defensor Perpétuo, ambos na mesma cidade fluminense.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Museu Casa da Hera convoca artistas e artesãos locais para exposição

Artistas e artesãos da região do Vale do Café (RJ) estão sendo convidados a exporem na tenda Inspiração e Expressão, montada no jardim do Museu Casa da Hera/Ibram, na cidade de Vassouras, durante a 6ª Primavera de Museus – entre os dias 24 e 30 de setembro.

A tenda pretende mostrar a produção artística da região inspirada pelas imagens, texturas e personagens do museu, uma oportunidade para que o público perceba de que forma o Museu da Hera influencia e inspira a comunidade artística Sul Fluminense.

Os artistas e artesãos que desejarem expor devem entrar em contato com o Museu Casa da Hera pelos telefones (24)2471.2930/2961 ou pelo endereço eletrônico casadahera@museus.gov.br.

A 6ª Primavera dos Museus é um evento nacional organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e realizado em instituições de todo o Brasil entre os dias 24 e 30 de setembro. O tema desse ano é “A Função Social dos Museus”, em homenagem aos 40 anos da Declaração da Mesa Redonda de Santiago do Chile. Saiba mais sobre a edição 2012 do evento e a programação completa.

Texto: Divulgação Casa da Hera

Representante do ICOM visita coleção de indumentária do Museu Casa da Hera

No dia 16 de maio, o Museu Casa da Hera/Ibram, em Vassouras (RJ), recebeu a visita técnica de Katia Johansen, Presidente do Comitê de Indumentária do Conselho Internacional de Museus (ICOM), Izabel Alvarado, curadora de vestuário do Museu Histórico Nacional de Santiago (Chile), e Rita Andrade, professora da Universidade Federal de Goiás e consultora de coleções de indumentária.

Peças de indumentária dos séculos XIX e XX são destaque na Casa da Hera

A visita teve por objetivo conhecer a Casa da Hera e, em especial, parte de sua coleção de indumentária, que conta com peças assinadas por grandes mestres do século XIX, como A. Felix Brevet, Rouff e Charles Worth – considerado o “pai da alta costura” e dos desfiles de moda com modelos.

A comitiva visitou o espaço de exposições de longa e curta duração e conheceu algumas peças da coleção de indumentária, selecionadas exclusivamente para a visita. Kátia Johansen deu sugestões sobre acondicionamento e dicas no auxílio da conservação das peças.

A visita vem ao encontro de atuais demandas do museu, como o estreitamento de laços com profissionais especializados nessa área de conhecimento, o incentivo à pesquisa, a maior divulgação e reconhecimento do acervo e o intercâmbio de técnicas e informações.

A coleção de indumentária da Casa da Hera é constituída por peças variadas, que vão desde trajes para passeio, montaria, festas e roupas para dormir a acessórios como sapatos, sombrinhas, chapéu e leques. Os trajes têm procedência francesa ou correspondem ao padrão de moda francês das últimas décadas do século XIX e primeiras do século XX. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Casa da Hera

Museu Casa da Hera (RJ) exibe Naturezas mortas, natureza viva

Em 2012, o Museu Casa da Hera/Ibram, em Vassouras (MG), completa 44 anos de abertura ao público. Com a intenção de celebrar a data, a artista Annie Luporini, que trabalha com materiais naturais da região e materiais recicláveis, foi convidada para expor seu trabalho no espaço para exposições temporárias.

Nos artefatos da exposição Naturezas mortas, natureza viva, em cartaz de 10 de maio a 29 de julho, estão presentes obras bidimensionais, através do trabalho elaborado ao longo de sua vida, com materiais que ela mesma denomina “guardados”, acrescidos daqueles coletados ao longo dos anos. A exposição conta também com obras tridimensionais. Como ceramista, artista plástica e paisagista, Annie adequa o vaso não só à planta, mas também ao seu uso como objeto de interior.

A exposição está aberta de terça a sexta, das 10 às 17 horas, e sábados, domingos e feriados, das 13 às 17 horas. A entrada é gratuita. Saiba mais.

Página 1 de 3123