Página 2 de 41234

Documentos do Museu Villa-Lobos são reconhecidos patrimônio pela Unesco

villa-lobos.gif-300x272Na última quarta-feira (14), foi publicada portaria do Ministério da Cultura que reconhece a inscrição dasPartituras – Obras de Heitor Villa-Lobos (1901-1959), apresentadas pelo Museu Villa-Lobos / IBRAM, no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Além das partituras, a Iconografia do Rio de Janeiro na Coleção Geyer (séculos XVI a XIX), apresentada pela Casa Geyer (Museu Imperial/Ibram) e outros documentos históricos foram selecionados. A lista com os 10 nominados, inscritos no edital de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União.

Criado em 1992, o Programa Memória do Mundo é uma iniciativa da Unesco e reconhece documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional. Entre os objetivos da iniciativa estão os de preservar e difundir esse acervo e impedir que o patrimônio da humanidade seja esquecido.

O museu

O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, em Botafogo, no Rio de Janeiro, e fica aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Instalado em um casarão tombado do século XIX, o museu reúne objetos e documentos referentes à vida e à obra do compositor e maestro Heitor Villa-Lobos. O acervo tem mais de 53 mil itens, entre partituras (manuscritas e impressas), correspondências, recortes de jornais, discos, filmes, livros, condecorações, instrumentos musicais e objetos de uso pessoal.

Ibram lança Primavera dos Museus durante Seminário Internacional

Nesta segunda-feira (21) começa a 9ª Primavera dos Museus, em todo o país. E, para dar início às atividades, o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, abrirá o evento, no Seminário Internacional Cultura e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro.

A Primavera acontece até o dia 27 e integrará mais de 800 instituições em 393 município em todo o país, que terão atividades diversas. O tema deste ano, Museus e Memórias Indígenas, foi escolhido em consonância com as políticas do Ministério da Cultura.

Para o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), os museus são espaços importantes para guarda e transmissão das histórias e memórias destes povos.  A diversidade sociocultural dos mais de 200 povos indígenas que vivem em nosso país, constitui-se como um dos maiores patrimônios existentes no território nacional.

Confira os mais de 2400 eventos no Guia da Programação.

Seminário Cultura e Desenvolvimento

Promovido pelo Ministério da Cultura e pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), o Seminário pretender ser um espaço para debater as conexões entre diversidade cultural e temas relevantes da atual agenda global. O evento acontece entre os dias 21 e 23 de setembro no Cine Odeon, Rio de Janeiro. A berto ao público e gratuito, contará com oito mesas de debates e trará especialistas nacionais e estrangeiros. As inscrições, sujeitas a lotação, podem ser feitas aqui.

Confira toda a programação e saiba mais sobre o Seminário.

Unesco aprova recomendação para proteção de museus e coleções

Nos dias 27 e 28, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) realizou em Paris (França), uma reunião de especialistas para a redação do pré-projeto da Recomendação Unesco sobre a Promoção e Proteção de Museus e Coleções. Mais de 70 países membros da entidade compareceram para discutir e votar o documento que foi aprovado por unanimidade.

A Recomendação, agora aprovada, será levada para aprovação na Conferência Geral da Unesco em novembro de 2015, na qual todos os países membros votarão para implementar o Documento.

O Brasil é o país líder da iniciativa e foi representado pelo presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Carlos Brandão e, pela diretora do Departamento de Processos Museais do Instituto, Manuelina Duarte.

A proposta é que a recomendação do organismo internacional reafirme a relevante função social dos museus e seu papel em prol da diversidade cultural, levando em conta a terminologia adotada pelo setor, sugerindo a promoção de convenções já existentes, entre outros aspectos.

Histórico
A última iniciativa internacional expressiva sobre o campo dos museus remonta à Mesa Redonda de Santiago do Chile, reunião promovida pela Unesco em maio de 1972.

Em 2011, debates no âmbito de instâncias decisórias dos países ibero-americanos, como o Encontro Iberoamericano de Museus e a Conferência Iberoamericana de Cultura, indicam a importância da constituição de um instrumento normativo internacional sobre patrimônio museológico e coleções – sob o título “Proteção e Promoção de Museus e Coleções”.

A proposta começou a ganhar corpo em 2012, quando o Brasil, por intermédio do Ibram, organizou, como primeira atividade, uma reunião de especialistas no Rio de Janeiro.

O documento final da reunião foi enviado à Unesco, tendo sido discutido durante a 190ª Sessão do Conselho Executivo da Organização, em outubro de 2012.

Os países presentes ao encontro acordaram que fosse realizado o estudo preliminar necessário à implementação de uma nova Recomendação pela organização. O estudo foi realizado, tendo sido avaliado e aprovado durante a 191ª Sessão do Conselho Executivo da Unesco, em abril de 2013. A proposta de recomendação foi aprovada na Conferência Geral da Unesco no segundo semestre do mesmo ano.

Para a realização desta iniciativa, o Ibram fez, ainda em 2013, um aporte financeiro de cerca de 200 mil dólares (cerca de R$ 435 mil em valores da época). Saiba mais sobre a reunião em Paris na página da Unesco (em inglês).

Texto: Geyzon Dantas (Ascom/Ibram)
Última atualização: 2.6.2015

Museu da Inconfidência recebe diploma da Unesco por coleção documental

Na quinta-feira (11), o Museu da Inconfidência/Ibram, de Ouro Preto (MG), recebeu o diploma de nominação da Coleção Francisco Curt Lange de Documentos Musicais no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo (MOW na sigla em inglês), da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco).

Angela Biason recebeu diploma de Mauricio Ferreira ontem (11) no Arquivo Nacional

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Junior, que participa do comitê brasileiro do programa, fez a entrega do título à representante do Museu da Inconfidência, a especialista em musicologia Mary Angela Biason. A cerimônia foi realizada no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro (RJ).

“Aproveito a oportunidade para convidar instituições a apresentarem candidaturas na edição 2015 do Programa MOW Brasil. Os museus do Ibram, por exemplo, possuem riquíssimos acervos arquivísticos e bibliográficos passíveis de premiação,” disse Maurício Ferreira durante a entrega do diploma.

Contribuição
O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, parabenizou o Museu da Inconfidência pelo reconhecimento da Coleção Curt Lange e ressaltou sua importância para a sociedade.

“Tive o privilégio de entregar o título de Cidadão Honorário de Ouro Preto a Curt Lange, no final da vida do grande musicólogo”, relembrou. “Sua contribuição à história da música brasileira é insuperável, e o acervo por ele constituído é um patrimônio de toda a humanidade”.

A coleção reúne mais de mil obras oriundas de várias cidades mineiras e se encontra no setor de Musicologia da Casa Setecentista do Pilar, anexo do museu em Ouro Preto, sendo resultado de pesquisas do musicólogo alemão Francisco Curt Lange (1903 – 1997), realizadas nas décadas de 1940 e 50.A coleção foi doada ao museu em 1983. Saiba mais.

O Programa Memória do Mundo foi criado pela Unesco em 1992 e tem como foco reconhecer documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor regional, nacional e internacional como patrimônio da humanidade.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Agnaldo Santos/Arquivo Nacional

Florianópolis recebe oficina sobre Programa Memória do Mundo da Unesco

Com o objetivo de ampliar a difusão do Programa Memória do Mundo da Unesco – Memory of the World (MOW) -  no Brasil, o Comitê Nacional do Brasil para o programa oferecerá na terça-feira (15), em Florianópolis (SC), a quarta e última oficina destinada à apresentação da iniciativa e ao treinamento para redação de propostas.

A oficina terá lugar no Laboratório de Memória, Acervos e Patrimônio da UFSC (Lamap) e será ministrada pela Professora Letícia Neder. O objetivo é diversificar o perfil das instituições que se candidatam ao Registro, aperfeiçoar as propostas apresentadas e colaborar para que estados e regiões ainda não representados no Registro Nacional possam submeter candidaturas qualificadas.

Instituições de gestão de patrimônio documental como arquivos, centros de documentação e memória, museus, universidades, secretarias de cultura e fundações são o público-alvo da oficina, para a qual serão oferecidas 30 vagas. Interessados podem se inscrever através do endereço eletrônico lamap.ufsc@gmail.com. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3721.8212.

Texto: Divulgação

Angelo Oswaldo participa de reunião e visita Museu das Missões no RS

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, participou ontem (9), de reunião da organização das Cidades Patrimônio Mundial da Unesco, em São Miguel das Missões (RS), que integra ampla programação que comemora os 30 anos do reconhecimento das Ruínas das Missões como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Oswaldo (esq.) acompanhado do coordenado do Ponto de Memória Missioneira, Valter Braga

Oswaldo (dir.) acompanhado do coordenado do Ponto de Memória Missioneira,Valter Braga

No domingo (8), Oswaldo visitou o Museu das Missões/Ibram, que reúne a maior coleção pública de imagens sacras e fragmentos missioneiros do Mercosul, o projeto Fonte Missioneira e a exposição A trajetória da arqueologia no Rio Grande do Sul, organizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC).

Aproveitou ainda a viagem até São Miguel para realizar visita técnica ao Ponto de Memória Missioneira, localizado no bairro Alegria, e que integra a rede do Programa Pontos de Memória/Ibram. Hoje (10), o presidente do Ibram está em Porto Alegre onde realiza visita técnica à Fundação Iberê Camargo.

Desde o dia 29 de novembro, a histórica cidade gaúcha celebra o título internacional da Unesco, único no estado, com discussões sobre pesquisa arqueológica, exposição fotográfica,  encontro de benzedeiros, rezadeiros e mateiros; shows regionais, sessão de cinema nas ruínas e outras atividades. Confira a programação que segue até sexta (13).

Nos dias 12 e 13 também acontece na cidade o Seminário Internacional Missões: patrimônio da humanidade, que propõe um diálogo entre turismo, patrimônio e preservação. Conheça os principais atrativos do sítio arqueológico de São Miguel Arcanjo e um pouco do trabalho do Museu das Missões.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Museu das Missões

Unesco aprova proposta do Ibram para proteção ao patrimônio museológico

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) aprovou, em caráter definitivo, proposta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) para a criação de instrumento normativo internacional voltado à Proteção e Promoção do Patrimônio Museológico e Coleções. A aprovação aconteceu durante a 37ª Conferência Geral da entidade, que se encerra amanhã (20), em Paris (França), quando da reunião da Comissão de Cultura, entre os dias 14 e 16.

Apresentada pela primeira vez durante a 36ª Conferência Geral, em novembro de 2011, discutida em encontro de especialistas, em julho de 2012, e aprovada em reunião do Comitê Executivo, em abril, a proposta tem por objetivo estabelecer diretrizes e orientações aos países membros da Unesco para a proteção e promoção de museus e coleções e a criação de políticas públicas nacionais para os museus.

Angelo Oswaldo durante reunião da Comissão de Cultura na 37ª Conferência Geral da Unesco

Angelo Oswaldo durante reunião da Comissão de Cultura na 37ª Conferência Geral da Unesco

Durante o debate que culminou na aprovação do documento, que aconteceu na sexta-feira (15), o presidente do Ibram, Ângelo Oswaldo, ressaltou que os estudos preliminares realizados por especialistas da área deixam claro que os instrumentos normativos existentes não são suficientes para dar respostas aos papéis e desafios dos museus no início do século XXI.

Instrumentos de proteção
Oswaldo lembrou que o último documento normativo da Unesco que trata especificamente de museus, a Recomendação sobre os Meios Mais Efetivos de Tornar os Museus Acessíveis a Todos, data de 1960, e que após mais de meio século os avanços observados pelo setor museal em todo o mundo demandam uma normativa atual e propositiva.

Aprovada por consenso, a resolução sobre o tema solicita à diretora geral da Unesco que elabore, em colaboração com o Conselho Internacional de Museus (Icom) e em consulta aos Estados membros, o texto preliminar do novo instrumento normativo. Com este objetivo, serão convocadas em breve reuniões com os países membros e com especialistas independentes.

A versão final do documento será apresentada na 38ª Conferência Geral da Unesco, que será realizada no segundo semestre de 2015.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matérias relacionadas
Conselho da Unesco aprova instrumento normativo de iniciativa brasileira
Unesco referenda proposta brasileira para proteção ao patrimônio musealizado
Especialistas em museus e coleções definem recomendações para Unesco

Memória do Mundo: Museu Imperial recebe Registro Regional da Unesco

Hoje (5), o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), recebeu, junto com outras oito instituições brasileiras, o Registro Regional do Programa Memória do Mundo – América Latina e Caribe (MOW-LAC), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O prêmio foi concedido ao conjunto documental A Guerra da Tríplice Aliança: representações iconográficas e cartográficas (na imagem acima, um mapa utilizado pelas tropas brasileiras).

O conjunto, que reúne uma vasta documentação sobre o conflito conhecido como Guerra do Paraguai, possui 402 documentos iconográficos e cartográficos do Museu Imperial, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional/MinC, Arquivo Histórico e Mapoteca Histórica do Itamaraty, Museu Histórico Nacional/Ibram, Museu Nacional de Belas Artes/Ibram, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha e Arquivo Histórico do Exército.

E os acervos ora reconhecidos pela Unesco foram produzidos pela Secretaria de Estado e Negócios da Guerra do Brasil, por técnicos, artistas e fotógrafos que participaram do evento.

Esforço coletivo
O Museu Imperial possui 51 documentos no conjunto – fotografias, mapas, plantas e uma gravura – pertencentes ao fundo Arquivo da Casa Imperial do Brasil, doado à instituição pelo príncipe d. Pedro Gastão de Orleans e Bragança, bisneto do imperador d. Pedro II, chefe do Estado brasileiro durante o conflito. A instituição foi a escolhida para representar, junto à Unesco, a rede de oito entidades públicas e uma privada que se submeteram à candidatura.

“A nominação da Unesco premia um esforço coletivo de nove instituições detentoras de documentação relativa à Guerra do Paraguai, que, juntas, qualificam seu trabalho de preservação, pesquisa e comunicação do patrimônio representativo da memória latino-americana”, afirma Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial.

Fotografia do acervo retrata o Conde d'Eu e oficiais no Paraguai (1870)

Fotografia do acervo retrata o Conde d’Eu e oficiais no Paraguai (1870)

Por isso, a acesso a essa documentação é livre e há instrumentos de pesquisa disponíveis em cada uma das instituições proponentes, tais como inventários, catálogos, fichários, bases de dados e sistemas online. A maior parte do acervo proposto para o registro está digitalizada ou em fase de digitalização.

No Museu Imperial, os pesquisadores podem ter acesso aos documentos no Arquivo Histórico. As consultas devem ser agendadas com, no mínimo, dois dias de antecedência pelo e-mail mimp.arq.historico@museus.gov.br ou pelos telefones (24) 2233.0327 e 2233.0315.

Saiba mais sobre a Guerra da Tríplice Aliança e o Programa Memória do Mundo na página do Museu Imperial.

Texto e imagens: Divulgação Museu Imperial

Memória do Mundo: Museu Imperial tem conjunto documental reconhecido

O Conjunto relativo às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo, do acervo do Museu Imperial/Ibram, foi aprovado no Registro Memória do Mundo da Unesco (MOW) pela diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura, Irina Bokova, após a recomendação do Comitê Internacional Consultivo do Programa Memória do Mundo da Unesco – reunido em Gwangiu, República da Coreia, entre os dias 18 e 21 de junho.

A documentação faz parte da série Viagens do Imperador e integra o fundo Arquivo da Casa Imperial do Brasil

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, comemorou: “a partir da decisão de buscar o reconhecimento internacional do nosso patrimônio, obtivemos também os títulos do Rio de Janeiro como Patrimônio Cultural da Humanidade e do Frevo como Patrimônio Imaterial. Estamos no caminho certo. Precisamos continuar trabalhando pela valorização da cultura brasileira”, expressou.

Documentação
O conjunto documental é formado por 44 diários de d. Pedro II e 10 diários da imperatriz d. Teresa Cristina, além de diários de viagem de Luísa Margarida de Barros Portugal, a condessa de Barral, e de Luís Pedreira do Couto Ferraz, o barão do Bom Retiro, que integravam habitualmente a comitiva do imperador.

É composto ainda por correspondências, itinerários de viagem, livros de visitas e registros de contatos do imperador, relatórios de despesas da Mordomia da Casa Imperial do Brasil, jornais e outros periódicos, panfletos, programas, saudações e homenagens, convites, desenhos e fotografias, totalizando 2.210 documentos.

Conjunto é composto por mais de dois mil documentos

A documentação faz parte da série Viagens do Imperador – 1840-1913, que integra o fundo Arquivo da Casa Imperial do Brasil, doado ao Museu Imperial em 1948 pelo príncipe d. Pedro Gastão de Orelans e Bragança, bisneto de d. Pedro II.

Os registros são fontes primárias produzidas e recebidas por d. Pedro II em um momento de profundas transformações históricas que tratam dos referenciais culturais da modernidade a partir da perspectiva de um observador privilegiado – o imperador do Brasil – e de seus interlocutores: Victor Hugo, Alessandro Manzoni, Alfred Nobel, Louis Pasteur, Henry Longfellow, Richard Wagner, Louis Agassiz, etc.

Com a premiação, o Museu Imperial passa a ser a primeira dentre as unidades museológicas do Instituto Brasileiro de Museus, do Ministério da Cultura, a receber a importante chancela da Unesco.

Memória do Mundo
O Programa Memória do Mundo foi criado em 1992 com o objetivo de identificar documentos ou conjuntos documentais que apresentem valor de patrimônio da humanidade. Esta nominação, focada na salvaguarda e difusão de registros textuais, iconográficos, cartográficos e audiovisuais, visa chamar a atenção para a importância da preservação, divulgação e acessibilidade dos acervos documentais e equivale à conferida pela Unesco aos bens culturais arquitetônicos, paisagísticos e artísticos.

Texto e fotos: Divulgação Museu Imperial

Conselho da Unesco aprova instrumento normativo de iniciativa brasileira

Acontece em Paris (França), até o dia 26 de abril, a 191ª Sessão do Conselho Executivo da Unesco. Em reunião realizada no dia 19 de abril, os membros do Conselho Executivo aprovaram a iniciativa apresentada pelo Brasil, e apoiada pelos países ibero-americanos, para o estabelecimento de um novo instrumento normativo internacional para a proteção e promoção de museus e coleções.

Os países avaliaram os estudos preliminares sobre os aspectos técnicos, museológicos e jurídicos, previamente encomendados pela Unesco, e a maioria dos países presentes votou pela inserção do tema na agenda da Conferência Geral da Unesco, em novembro de 2013.

Se for aprovado, o documento dará início ao processo de redação do novo instrumento, com o objetivo de normatizar e ampliar a proteção conferida a museus e coleções no plano internacional.

Histórico
O debate sobre um novo instrumento normativo foi iniciado em encontros ibero-americanos de museus e reuniões do Comitê Intergovernamental do Programa Ibermuseus.

Em 2011, a iniciativa foi levada à Unesco pelo Brasil durante a última Conferência Geral da organização. Na ocasião, a Unesco autorizou uma reunião de especialistas de museus para debater o tema – organizada ano passado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), no Rio de Janeiro. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

 

Página 2 de 41234