Página 1 de 41234

Museus Ibram têm candidaturas aprovadas para o MoWBrasil

O Museu da República (Ibram/MinC) e o Museu Histórico Nacional (Ibram/MinC) estão entre as instituições que tiveram candidaturas aprovadas para o Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO.

Em reunião ocorrida nos dias 2 e 3 de outubro na Escola de Ciências da Informação da UFMG, em Belo Horizonte, o Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoWBrasil aprovou dez (10) das vinte e duas (22) candidaturas ao Edital MoWBrasil 2017 para serem inscritas no Registro Nacional do Programa.

A Coleção Família Passos, do Museu da República e Registros Iconográficos Da Revolta Da Armada (1893-1894), do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, Instituto Moreira Salles e Museu Histórico Nacional estão entre os aprovados.

Criado pela UNESCO em 1992, o Programa Memória do Mundo da UNESCO/Memory of the World – MoW reconhece como patrimônio da humanidade documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional, inscrevendo-os nos registros e conferindo-lhes certificados que os identificam. Tendo como objetivo estimular a preservação e a ampla difusão desse acervo, o MoW facilita a preservação desses documentos e seu acesso, contribuindo, assim, para despertar a consciência coletiva para o patrimônio documental da humanidade.

 A cerimônia de entrega dos Certificados de inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO ocorrerá em dezembro, na cidade do Rio de Janeiro.

Unesco: Programa Memória do Mundo reconhece mais oito acervos brasileiros

O acervo do pesquisador e etnógrafo brasileiro Arthur Ramos (1903-1949) recebeu ontem (6), o reconhecimento do Programa Memória do Mundo da Unesco por meio da Fundação Biblioteca Nacional (FBN) – ligada ao Ministério da Cultura (MinC).

Coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em parceria com MinC, o programa premiou ainda mais sete coleções documentais de diversas áreas culturais durante evento promovido em Brasília (DF).

Representante da FBN recebe reconhecimento da Unesco. Ao fundo, Marcelo Araujo, presidente do Ibram

A representante da FBN recebe reconhecimento da Unesco. Ao fundo, Marcelo Araujo, presidente do Ibram

Representante do MinC na cerimônia, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araújo, afirmou que a premiação é um dos mais significativos reconhecimentos para os acervos documentais e bibliográficos da memória brasileira.

“O registro dá luz à relevância desses acervos no âmbito da cultura nacional, permitindo que haja uma maior dinamização dessas coleções nas suas múltiplas vertentes institucionais, sejam eles sediados em museus, em arquivos ou em bibliotecas”, destacou.

Diversidade e vitalidade cultural
Na avaliação de Araújo, a premiação deste ano trouxe algumas surpresas, como o arquivo do Circo Garcia do Centro de Memória do Circo. “É a primeira vez que um acervo circense recebe uma homenagem como esta”, aponta. “Esse fato isolado já é, a meu ver, uma evidência da abrangência adequada do aspecto cultural que esses arquivos revelam em termos da diversidade e da vitalidade da cultura brasileira”, disse.

Os outros sete acervos premiados foram o de Jean-Pierre Chabloz, referente à Batalha da Borracha (Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará); o arquivo da Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos: 1983-2016 (Arquivo Público do Estado de São Paulo); a coleção de Obras Raras da Biblioteca Mineiriana do Instituto Cultural Amilcar Martins (Instituto Almicar Martins); o Conjunto Documental Companhia Empório Industrial do Norte: 1891-1973, do Arquivo Público do Estado da Bahia (Fundação Pedro Calmon); os Dissídios Trabalhistas do Conselho Nacional do Trabalho: um retrato da sociedade brasileira da Era Vargas (Tribunal Superior do Trabalho); e o Pensar o Brasil: a Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro: 1839-2011 (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro).

Anualmente, o Comitê do Programa lança um edital para candidaturas de acervos a serem reconhecidos como patrimônio para a memória brasileira por meio de sua inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo. Até o momento, foram registradas 91 coleções documentais no Brasil. Leia a matéria completa.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Janine Moraes/MinC

Presidente do Ibram participa na China de Fórum de Alto Nível da Unesco

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo,  está em viagem à China, entre os dias 5 e 14 de novembro, para participar do Fórum de Alto Nível da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) sobre museus.

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

O evento, que acontece em Shenzhen (China) de 9 a 12 deste mês, vai reunir especialistas em museus com o objetivo de contribuir com estratégias para implementar as orientações que constam na Recomendação Unesco sobre a Promoção e Proteção de Museus e Coleções.

Protagonismo brasileiro
A recomendação teve origem em uma proposta feita pelo Ibram em 2012 e aprovada em 2015, durante a 38ª Conferência Geral da Unesco. Ainda que não vinculante, a recomendação é um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas.

Seu foco é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos.

“Temos um interesse muito grande de prosseguir nesse protagonismo”, explica Araujo. “O fórum discute estratégias para essas diretrizes. A ida para a China tem objetivo de relatar a postura brasileira em face da recomendação, além de debater com outros profissionais as iniciativas levadas a cabo. O grande pano de fundo é o novo papel dos museus como instrumento de desenvolvimento”, ressalta o presidente do Ibram. Continue lendo no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Foto: Ascom/Ibram

Edital MOWBrasil Unesco recebe inscrições de candidaturas

Carlo Ferrario. Campo degli Aimoré.  Aquarela sobre papel, 1870. Cenário da primeira produção da ópera Il Guarany, no Teatro allla Scala, Milão

Carlo Ferrario. Campo degli Aimoré. Aquarela sobre papel, 1870. Cenário da primeira produção da ópera Il Guarany, no Teatro allla Scala, Milão

Já está aberto o Edital MoWBrasil 2016. As candidaturas deverão ser realizadas até o dia 31 de julho por entidades públicas ou privadas, bem como por pessoas físicas, detentoras de acervos de valor para a memória brasileira.

O programa tem como objeto, acervos de natureza arquivística ou bibliográfica, podendo ser textual (manuscrito ou impresso), audiovisual (filme, vídeo e registro sonoro), iconográfico (fotografia, gravura e desenho) ou cartográfico, em suporte convencional ou digital. Todos deverão ser custodiados em território nacional e ser de relevância para a memória coletiva da sociedade brasileira. Os acervos selecionados serão inscritos no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo.

Museu da República, Museu Nacional de Belas Artes, Museu Histórico Nacional, Museu da Inconfidência, Museu Villa-Lobos e Museu Imperial já foram contemplados em edições anteriores do Programa Memória do Mundo da UNESCO. Veja aqui os acervos contemplados e saiba mais sobre o programa.

Aprovada recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus

13.11 unescoA Comissão de Cultura da Unesco, reunida na 38ª Conferência Geral, em Paris, aprovou, na última sexta-feira (13), a recomendação sobre promoção e proteção de museus e coleções. A iniciativa do instrumento normativo foi apresentado inicialmente pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

A recomendação, ainda que não vinculante, vai se tornar um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas. Seu foco principal é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos.  Mais informações sobre o instrumento normativo estão disponíveis aqui.

Para Carlos Roberto Brandão, que representou o Ministro da Cultura Juca Ferreira na reunião,  “foi uma importante vitória diplomática do Brasil e um momento histórico para os museus, pois o último documento da Unesco exclusivo sobre museus é de 1960. O texto aprovado atualiza o papel social dos museus e será fundamental para orientar políticas públicas em países que não contam com leis de proteção do patrimônio.” Ele destacou ainda o apoio irrestrito dos mais de 30 países que pediram a palavra durante a discussão e o reconhecimento por parte de todos do papel positivo do Brasil.


Histórico

Durante o ano de 2011, o Ibram, juntamente com instituições culturais dos países iberoamericanos, e o apoio do Programa Ibermuseus, promoveu o debate de se construir um instrumento normativo internacional sobre patrimônio museológico e coleções. A última iniciativa internacional expressiva sobre o campo dos museus remonta à Mesa Redonda de Santiago do Chile, reunião promovida pela Unesco em maio de 1972.

O tema foi incluído na pauta do V Encontro Iberoamericano de Museus, em junho de 2011, no México, e também durante a XIV Conferência Iberoamericana de Cultura, em agosto de 2011, no Paraguai.  A proposta de resolução foi aprovada sob o título “Proteção e Promoção de Museus e Coleções”, sendo co-patrocinada por mais 25 países dos cinco continentes, e recebendo diversas manifestações de apoio de países presentes à Comissão de Cultura. No âmbito da Comissão de Cultura da Unesco, o tema foi discutido durante a 36ª Conferência Geral da Organização, em novembro daquele ano.

Como resultado, a Unesco convocou como primeira atividade uma reunião de especialistas realizada no Rio de Janeiro, de 11 a 14 de julho de 2012. O documento final da reunião de especialistas foi enviado à Unesco, para ser discutido durante a 190ª Sessão do Conselho Executivo da Organização, em outubro de 2012.

Em 2013, os estudos preliminares foram avaliados e aprovados durante a 191ª Sessão do Conselho Executivo da Unesco, em abril. A Unesco então, aprovou a Recomendação na 37ª Conferência Geral no segundo semestre do mesmo ano.

Em 28 de Maio de 2015, mais de 160 especialistas, vindos de 70 Estados-membros e 20 organizações de observadores, participaram da Reunião Intergovernamental de (Categoria II), que aprovou por unanimidade o texto do projeto de Recomendação sobre a Proteção e Promoção dos Museus e Coleções. Este foi mais um passo decisivo para a criação de um novo instrumento internacional de definição de normas sobre museus, tendo em conta as muitas mudanças que ocorreram no campo de museus, desde o único instrumento Unesco existente sobre o tema, que foi aprovado em 1960. Finalmente, na semana passada, a Asembleia Geral da Unesco aprovou, por aclamação, a Recomendação.

Recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus e Coleções será apresentada na Unesco

Entre os dias 12 e 14 de novembro acontece a reunião da Comissão de Cultura, no âmbito da 38º Conferência Geral da Unesco, que começou no dia 4 de novembro. O presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão representa o Brasil durante a reunião, que apresentará a nova recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus e Coleções, iniciativa brasileira, liderada pelo Instituto em 2011.

Se aprovada, a recomendação vai se tornar um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas. Seu foco principal é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos. Saiba mais.

Em 28 de Maio de 2015, mais de 160 especialistas, a partir de 70 Estados-membros e 20 organizações de observadores, que participaram da Reunião Intergovernamental de (Categoria II), que aprovou por unanimidade o projeto de Recomendação sobre a Proteção e Promoção dos Museus e Coleções. Este foi mais um passo decisivo para a criação de um novo instrumento internacional de definição de normas sobre museus, tendo em conta as muitas mudanças que ocorreram no campo de museus, desde o único instrumento Unesco existente sobre o tema, que foi aprovado em 1960.

 Conferência Geral

A Conferência Geral é constituída por representantes dos Estados Membros da Organização. Os Estados-Membros e Membros Associados, juntamente com observadores de Estados não membros, organizações intergovernamentais e organizações não-governamentais (ONGs) que se reúnem a cada dois anos.

A Conferência Geral determina as políticas e as principais linhas de trabalho da Organização. Seu dever é definir os programas e orçamento da UNESCO. Também elege os membros do Conselho Executivo e designa, a cada quatro anos, o Director-Geral. As línguas de trabalho da Conferência Geral são Árabe, Chinês, Inglês, Francês, Russo e Espanhol. O Brasil é membro fundador da UNESCO (1947).

Documentos do Museu Villa-Lobos são reconhecidos patrimônio pela Unesco

villa-lobos.gif-300x272Na última quarta-feira (14), foi publicada portaria do Ministério da Cultura que reconhece a inscrição dasPartituras – Obras de Heitor Villa-Lobos (1901-1959), apresentadas pelo Museu Villa-Lobos / IBRAM, no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Além das partituras, a Iconografia do Rio de Janeiro na Coleção Geyer (séculos XVI a XIX), apresentada pela Casa Geyer (Museu Imperial/Ibram) e outros documentos históricos foram selecionados. A lista com os 10 nominados, inscritos no edital de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União.

Criado em 1992, o Programa Memória do Mundo é uma iniciativa da Unesco e reconhece documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional. Entre os objetivos da iniciativa estão os de preservar e difundir esse acervo e impedir que o patrimônio da humanidade seja esquecido.

O museu

O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, em Botafogo, no Rio de Janeiro, e fica aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Instalado em um casarão tombado do século XIX, o museu reúne objetos e documentos referentes à vida e à obra do compositor e maestro Heitor Villa-Lobos. O acervo tem mais de 53 mil itens, entre partituras (manuscritas e impressas), correspondências, recortes de jornais, discos, filmes, livros, condecorações, instrumentos musicais e objetos de uso pessoal.

Ibram lança Primavera dos Museus durante Seminário Internacional

Nesta segunda-feira (21) começa a 9ª Primavera dos Museus, em todo o país. E, para dar início às atividades, o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, abrirá o evento, no Seminário Internacional Cultura e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro.

A Primavera acontece até o dia 27 e integrará mais de 800 instituições em 393 município em todo o país, que terão atividades diversas. O tema deste ano, Museus e Memórias Indígenas, foi escolhido em consonância com as políticas do Ministério da Cultura.

Para o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), os museus são espaços importantes para guarda e transmissão das histórias e memórias destes povos.  A diversidade sociocultural dos mais de 200 povos indígenas que vivem em nosso país, constitui-se como um dos maiores patrimônios existentes no território nacional.

Confira os mais de 2400 eventos no Guia da Programação.

Seminário Cultura e Desenvolvimento

Promovido pelo Ministério da Cultura e pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), o Seminário pretender ser um espaço para debater as conexões entre diversidade cultural e temas relevantes da atual agenda global. O evento acontece entre os dias 21 e 23 de setembro no Cine Odeon, Rio de Janeiro. A berto ao público e gratuito, contará com oito mesas de debates e trará especialistas nacionais e estrangeiros. As inscrições, sujeitas a lotação, podem ser feitas aqui.

Confira toda a programação e saiba mais sobre o Seminário.

Unesco aprova recomendação para proteção de museus e coleções

Nos dias 27 e 28, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) realizou em Paris (França), uma reunião de especialistas para a redação do pré-projeto da Recomendação Unesco sobre a Promoção e Proteção de Museus e Coleções. Mais de 70 países membros da entidade compareceram para discutir e votar o documento que foi aprovado por unanimidade.

A Recomendação, agora aprovada, será levada para aprovação na Conferência Geral da Unesco em novembro de 2015, na qual todos os países membros votarão para implementar o Documento.

O Brasil é o país líder da iniciativa e foi representado pelo presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Carlos Brandão e, pela diretora do Departamento de Processos Museais do Instituto, Manuelina Duarte.

A proposta é que a recomendação do organismo internacional reafirme a relevante função social dos museus e seu papel em prol da diversidade cultural, levando em conta a terminologia adotada pelo setor, sugerindo a promoção de convenções já existentes, entre outros aspectos.

Histórico
A última iniciativa internacional expressiva sobre o campo dos museus remonta à Mesa Redonda de Santiago do Chile, reunião promovida pela Unesco em maio de 1972.

Em 2011, debates no âmbito de instâncias decisórias dos países ibero-americanos, como o Encontro Iberoamericano de Museus e a Conferência Iberoamericana de Cultura, indicam a importância da constituição de um instrumento normativo internacional sobre patrimônio museológico e coleções – sob o título “Proteção e Promoção de Museus e Coleções”.

A proposta começou a ganhar corpo em 2012, quando o Brasil, por intermédio do Ibram, organizou, como primeira atividade, uma reunião de especialistas no Rio de Janeiro.

O documento final da reunião foi enviado à Unesco, tendo sido discutido durante a 190ª Sessão do Conselho Executivo da Organização, em outubro de 2012.

Os países presentes ao encontro acordaram que fosse realizado o estudo preliminar necessário à implementação de uma nova Recomendação pela organização. O estudo foi realizado, tendo sido avaliado e aprovado durante a 191ª Sessão do Conselho Executivo da Unesco, em abril de 2013. A proposta de recomendação foi aprovada na Conferência Geral da Unesco no segundo semestre do mesmo ano.

Para a realização desta iniciativa, o Ibram fez, ainda em 2013, um aporte financeiro de cerca de 200 mil dólares (cerca de R$ 435 mil em valores da época). Saiba mais sobre a reunião em Paris na página da Unesco (em inglês).

Texto: Geyzon Dantas (Ascom/Ibram)
Última atualização: 2.6.2015

Museu da Inconfidência recebe diploma da Unesco por coleção documental

Na quinta-feira (11), o Museu da Inconfidência/Ibram, de Ouro Preto (MG), recebeu o diploma de nominação da Coleção Francisco Curt Lange de Documentos Musicais no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo (MOW na sigla em inglês), da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco).

Angela Biason recebeu diploma de Mauricio Ferreira ontem (11) no Arquivo Nacional

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Junior, que participa do comitê brasileiro do programa, fez a entrega do título à representante do Museu da Inconfidência, a especialista em musicologia Mary Angela Biason. A cerimônia foi realizada no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro (RJ).

“Aproveito a oportunidade para convidar instituições a apresentarem candidaturas na edição 2015 do Programa MOW Brasil. Os museus do Ibram, por exemplo, possuem riquíssimos acervos arquivísticos e bibliográficos passíveis de premiação,” disse Maurício Ferreira durante a entrega do diploma.

Contribuição
O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, parabenizou o Museu da Inconfidência pelo reconhecimento da Coleção Curt Lange e ressaltou sua importância para a sociedade.

“Tive o privilégio de entregar o título de Cidadão Honorário de Ouro Preto a Curt Lange, no final da vida do grande musicólogo”, relembrou. “Sua contribuição à história da música brasileira é insuperável, e o acervo por ele constituído é um patrimônio de toda a humanidade”.

A coleção reúne mais de mil obras oriundas de várias cidades mineiras e se encontra no setor de Musicologia da Casa Setecentista do Pilar, anexo do museu em Ouro Preto, sendo resultado de pesquisas do musicólogo alemão Francisco Curt Lange (1903 – 1997), realizadas nas décadas de 1940 e 50.A coleção foi doada ao museu em 1983. Saiba mais.

O Programa Memória do Mundo foi criado pela Unesco em 1992 e tem como foco reconhecer documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor regional, nacional e internacional como patrimônio da humanidade.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Agnaldo Santos/Arquivo Nacional

Página 1 de 41234