Página 1 de 41234

Museu da República realizará seminário sobre função educacional dos museus

O Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ), abriu na última quarta-feira (29) inscrições para o seminário “A função educacional dos museus: 60 anos depois”, que a instituição promove de 18 a 21 de setembro.

Seminário tem como objetivo realizar um balanço da educação em museus no Brasil, debater o cenário atual e traçar perspectivas para o setor.

Seminário tem como objetivo realizar um balanço da educação em museus no Brasil, debater o cenário atual e traçar perspectivas para o setor.

O seminário tem como objetivo realizar um balanço da educação em museus seis décadas após o Seminário Regional da Unesco, sobre este tema, ocorrido em 1958 na cidade do Rio de Janeiro – considerado um marco internacional neste campo. Objetiva também debater o cenário atual da educação museal e traçar perspectivas para o setor.

A programação contará com falas de representantes de museus e especialistas convidados sobre vários aspectos relacionados ao tema e debates com participação direta do público. O seminário contará com a participação de representantes da Unesco e do Conselho Internacional de Museus (ICOM) no Brasil, além do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

As atividades programadas serão espalhadas pelo Museu da República, Palácio Rio Negro, Museu Histórico Nacional, Museu Imperial, Fundação Casa de Rui Barbosa, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) e Museu das Remoções. A organização do seminário oferecerá transporte para os deslocamentos mais longos aos primeiros inscritos que desejarem o serviço.

Confira a programação completa do seminário “A função educacional dos museus: 60 anos depois” e garanta sua inscrição online.

MinC e Itaú Cultural promovem seminário sobre combate ao tráfico de bens culturais

Evento reunirá especialistas para compartilhar experiências e discutir formas de regulação, afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

Evento reunirá especialistas afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

O Ministério da Cultura (MinC) e o Instituto Itaú Cultural promovem nos dias 4 e 5 de junho, em São Paulo (SP), o seminário “Proteção e circulação de bens culturais: combate ao tráfico ilícito”.

O evento reunirá especialistas e representantes de órgãos federais do Brasil e de países sul-americanos com o objetivo de compartilhar experiências e discutir formas de regulação, afim de subsidiar a elaboração de uma política de prevenção e repressão a esse tipo de crime no Brasil.

O seminário conta com a cooperação da Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus (ICOM), além do apoio do Ministério das Relações Exteriores, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

Estarão presentes no seminário, além de representantes do mercado das artes, autoridades, especialistas e técnicos. Participarão também representantes da Polícia Federal, da Receita Federal, do Ministério Público, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Agência Nacional de Mineração, e do Instituto Itaú Cultural, além de órgãos vinculados ao MinC, como o Iphan, o Ibram e a Biblioteca Nacional. Saiba mais.

UNESCO Brasil lança nova edição da Recomendação sobre Museus

Como celebração ao Dia Internacional de Museus, a Representação da UNESCO no Brasil disponibilizou em seu site uma nova edição da Recomendação referente à Proteção e Promoção dos Museus e Coleções, sua Diversidade e seu Papel na Sociedade.

Aprovada na 38ª sessão da Conferência Geral da UNESCO, em novembro de 2015, a partir de iniciativa brasileira, a Recomendação tem agora a sua versão em português diagramada. Disponível para download gratuito, a publicação também será distribuída, em versão impressa, nos eventos brasileiros realizados sobre esta temática.

O documento lista uma série de recomendações para os Estados-membros da UNESCO com vistas a destacar a importância da proteção e da promoção dos museus e coleções para o desenvolvimento sustentável.

As recomendações perpassam assuntos como promoção e proteção do patrimônio, diversidade cultural, conhecimento científico, políticas educacionais, educação continuada, coesão social, indústrias criativas e economia do turismo.

Mais três acervos brasileiros recebem registro no Programa Memória do Mundo

Amanhã (22) acontece a cerimônia de entrega dos certificados de inscrição de três acervos documentais brasileiros no Registro Internacional do Programa Memória do Mundo da Unesco de 2017. O evento será no auditório do Arquivo Nacional (Praça da República, 173 – Centro), no Rio de Janeiro (RJ), às 18h.

Cenário da ópera Il Guarany, de Carlos Gomes, pintado por Carlo Ferrario (1870), está no acervo do Museu Imperial/Ibram em Petrópolis (RJ)

O acervo Antonio Carlos Gomes: compositor de dois mundos é custodiado por oito instituições, entre elas o Museu Histórico Nacional e o Museu Imperial – ambos integrantes da rede de museus Ibram no Rio.

Já o Arquivo Pessoal de Nise da Silveira é custodiado pela Sociedade de Amigos do Museu do Inconsciente e a Coleção Educador Paulo Freire pela sua viúva e o Instituto Paulo Freire.

Criado em 1992, o Programa Memória do Mundo da Unesco reconhece como patrimônio da humanidade documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional, inscrevendo-os nos registros e conferindo-lhes certificados que os identificam.

Tendo como objetivo estimular a preservação e a ampla difusão desse acervo, o programa facilita a preservação desses documentos e seu acesso, contribuindo, assim, para despertar a consciência coletiva para o patrimônio documental da humanidade. Conheça o programa e os acervos nacionais já reconhecidos.

Prêmio Jikji
Estão abertas, até 30 de março, as inscrições para o Prêmio Jikji – que apoia projetos de preservação e acesso ao patrimônio documental. A cada dois anos, a República da Coreia oferece 30 mil dólares a países, comissões nacionais e organizações não-governamentais que mantém relações oficiais com a Unesco.

Cada projeto deve enfocar o impacto da contribuição do candidato à preservação e à oferta de acesso do patrimônio documental, por meio das atividades desenvolvidas ou gerenciadas, inovações, liderança, publicações, etc; e quaisquer dificuldades incomuns que o candidato tenha tido que superar em suas atividades para preservar e dar acesso ao patrimônio documental. Saiba mais.

Texto e imagem: Arquivo Nacional/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

 

Museus Ibram têm candidaturas aprovadas para o MoWBrasil

O Museu da República (Ibram/MinC) e o Museu Histórico Nacional (Ibram/MinC) estão entre as instituições que tiveram candidaturas aprovadas para o Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO.

Em reunião ocorrida nos dias 2 e 3 de outubro na Escola de Ciências da Informação da UFMG, em Belo Horizonte, o Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO – MoWBrasil aprovou dez (10) das vinte e duas (22) candidaturas ao Edital MoWBrasil 2017 para serem inscritas no Registro Nacional do Programa.

A Coleção Família Passos, do Museu da República e Registros Iconográficos Da Revolta Da Armada (1893-1894), do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, Instituto Moreira Salles e Museu Histórico Nacional estão entre os aprovados.

Criado pela UNESCO em 1992, o Programa Memória do Mundo da UNESCO/Memory of the World – MoW reconhece como patrimônio da humanidade documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional, inscrevendo-os nos registros e conferindo-lhes certificados que os identificam. Tendo como objetivo estimular a preservação e a ampla difusão desse acervo, o MoW facilita a preservação desses documentos e seu acesso, contribuindo, assim, para despertar a consciência coletiva para o patrimônio documental da humanidade.

 A cerimônia de entrega dos Certificados de inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO ocorrerá em dezembro, na cidade do Rio de Janeiro.

Unesco: Programa Memória do Mundo reconhece mais oito acervos brasileiros

O acervo do pesquisador e etnógrafo brasileiro Arthur Ramos (1903-1949) recebeu ontem (6), o reconhecimento do Programa Memória do Mundo da Unesco por meio da Fundação Biblioteca Nacional (FBN) – ligada ao Ministério da Cultura (MinC).

Coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em parceria com MinC, o programa premiou ainda mais sete coleções documentais de diversas áreas culturais durante evento promovido em Brasília (DF).

Representante da FBN recebe reconhecimento da Unesco. Ao fundo, Marcelo Araujo, presidente do Ibram

A representante da FBN recebe reconhecimento da Unesco. Ao fundo, Marcelo Araujo, presidente do Ibram

Representante do MinC na cerimônia, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araújo, afirmou que a premiação é um dos mais significativos reconhecimentos para os acervos documentais e bibliográficos da memória brasileira.

“O registro dá luz à relevância desses acervos no âmbito da cultura nacional, permitindo que haja uma maior dinamização dessas coleções nas suas múltiplas vertentes institucionais, sejam eles sediados em museus, em arquivos ou em bibliotecas”, destacou.

Diversidade e vitalidade cultural
Na avaliação de Araújo, a premiação deste ano trouxe algumas surpresas, como o arquivo do Circo Garcia do Centro de Memória do Circo. “É a primeira vez que um acervo circense recebe uma homenagem como esta”, aponta. “Esse fato isolado já é, a meu ver, uma evidência da abrangência adequada do aspecto cultural que esses arquivos revelam em termos da diversidade e da vitalidade da cultura brasileira”, disse.

Os outros sete acervos premiados foram o de Jean-Pierre Chabloz, referente à Batalha da Borracha (Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará); o arquivo da Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos: 1983-2016 (Arquivo Público do Estado de São Paulo); a coleção de Obras Raras da Biblioteca Mineiriana do Instituto Cultural Amilcar Martins (Instituto Almicar Martins); o Conjunto Documental Companhia Empório Industrial do Norte: 1891-1973, do Arquivo Público do Estado da Bahia (Fundação Pedro Calmon); os Dissídios Trabalhistas do Conselho Nacional do Trabalho: um retrato da sociedade brasileira da Era Vargas (Tribunal Superior do Trabalho); e o Pensar o Brasil: a Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro: 1839-2011 (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro).

Anualmente, o Comitê do Programa lança um edital para candidaturas de acervos a serem reconhecidos como patrimônio para a memória brasileira por meio de sua inscrição no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo. Até o momento, foram registradas 91 coleções documentais no Brasil. Leia a matéria completa.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Janine Moraes/MinC

Presidente do Ibram participa na China de Fórum de Alto Nível da Unesco

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo,  está em viagem à China, entre os dias 5 e 14 de novembro, para participar do Fórum de Alto Nível da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) sobre museus.

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

Marcelo Araujo é presidente do Instituto Brasileiro de Museus

O evento, que acontece em Shenzhen (China) de 9 a 12 deste mês, vai reunir especialistas em museus com o objetivo de contribuir com estratégias para implementar as orientações que constam na Recomendação Unesco sobre a Promoção e Proteção de Museus e Coleções.

Protagonismo brasileiro
A recomendação teve origem em uma proposta feita pelo Ibram em 2012 e aprovada em 2015, durante a 38ª Conferência Geral da Unesco. Ainda que não vinculante, a recomendação é um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas.

Seu foco é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos.

“Temos um interesse muito grande de prosseguir nesse protagonismo”, explica Araujo. “O fórum discute estratégias para essas diretrizes. A ida para a China tem objetivo de relatar a postura brasileira em face da recomendação, além de debater com outros profissionais as iniciativas levadas a cabo. O grande pano de fundo é o novo papel dos museus como instrumento de desenvolvimento”, ressalta o presidente do Ibram. Continue lendo no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Foto: Ascom/Ibram

Edital MOWBrasil Unesco recebe inscrições de candidaturas

Carlo Ferrario. Campo degli Aimoré.  Aquarela sobre papel, 1870. Cenário da primeira produção da ópera Il Guarany, no Teatro allla Scala, Milão

Carlo Ferrario. Campo degli Aimoré. Aquarela sobre papel, 1870. Cenário da primeira produção da ópera Il Guarany, no Teatro allla Scala, Milão

Já está aberto o Edital MoWBrasil 2016. As candidaturas deverão ser realizadas até o dia 31 de julho por entidades públicas ou privadas, bem como por pessoas físicas, detentoras de acervos de valor para a memória brasileira.

O programa tem como objeto, acervos de natureza arquivística ou bibliográfica, podendo ser textual (manuscrito ou impresso), audiovisual (filme, vídeo e registro sonoro), iconográfico (fotografia, gravura e desenho) ou cartográfico, em suporte convencional ou digital. Todos deverão ser custodiados em território nacional e ser de relevância para a memória coletiva da sociedade brasileira. Os acervos selecionados serão inscritos no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo.

Museu da República, Museu Nacional de Belas Artes, Museu Histórico Nacional, Museu da Inconfidência, Museu Villa-Lobos e Museu Imperial já foram contemplados em edições anteriores do Programa Memória do Mundo da UNESCO. Veja aqui os acervos contemplados e saiba mais sobre o programa.

Aprovada recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus

13.11 unescoA Comissão de Cultura da Unesco, reunida na 38ª Conferência Geral, em Paris, aprovou, na última sexta-feira (13), a recomendação sobre promoção e proteção de museus e coleções. A iniciativa do instrumento normativo foi apresentado inicialmente pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram.

A recomendação, ainda que não vinculante, vai se tornar um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas. Seu foco principal é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos.  Mais informações sobre o instrumento normativo estão disponíveis aqui.

Para Carlos Roberto Brandão, que representou o Ministro da Cultura Juca Ferreira na reunião,  “foi uma importante vitória diplomática do Brasil e um momento histórico para os museus, pois o último documento da Unesco exclusivo sobre museus é de 1960. O texto aprovado atualiza o papel social dos museus e será fundamental para orientar políticas públicas em países que não contam com leis de proteção do patrimônio.” Ele destacou ainda o apoio irrestrito dos mais de 30 países que pediram a palavra durante a discussão e o reconhecimento por parte de todos do papel positivo do Brasil.


Histórico

Durante o ano de 2011, o Ibram, juntamente com instituições culturais dos países iberoamericanos, e o apoio do Programa Ibermuseus, promoveu o debate de se construir um instrumento normativo internacional sobre patrimônio museológico e coleções. A última iniciativa internacional expressiva sobre o campo dos museus remonta à Mesa Redonda de Santiago do Chile, reunião promovida pela Unesco em maio de 1972.

O tema foi incluído na pauta do V Encontro Iberoamericano de Museus, em junho de 2011, no México, e também durante a XIV Conferência Iberoamericana de Cultura, em agosto de 2011, no Paraguai.  A proposta de resolução foi aprovada sob o título “Proteção e Promoção de Museus e Coleções”, sendo co-patrocinada por mais 25 países dos cinco continentes, e recebendo diversas manifestações de apoio de países presentes à Comissão de Cultura. No âmbito da Comissão de Cultura da Unesco, o tema foi discutido durante a 36ª Conferência Geral da Organização, em novembro daquele ano.

Como resultado, a Unesco convocou como primeira atividade uma reunião de especialistas realizada no Rio de Janeiro, de 11 a 14 de julho de 2012. O documento final da reunião de especialistas foi enviado à Unesco, para ser discutido durante a 190ª Sessão do Conselho Executivo da Organização, em outubro de 2012.

Em 2013, os estudos preliminares foram avaliados e aprovados durante a 191ª Sessão do Conselho Executivo da Unesco, em abril. A Unesco então, aprovou a Recomendação na 37ª Conferência Geral no segundo semestre do mesmo ano.

Em 28 de Maio de 2015, mais de 160 especialistas, vindos de 70 Estados-membros e 20 organizações de observadores, participaram da Reunião Intergovernamental de (Categoria II), que aprovou por unanimidade o texto do projeto de Recomendação sobre a Proteção e Promoção dos Museus e Coleções. Este foi mais um passo decisivo para a criação de um novo instrumento internacional de definição de normas sobre museus, tendo em conta as muitas mudanças que ocorreram no campo de museus, desde o único instrumento Unesco existente sobre o tema, que foi aprovado em 1960. Finalmente, na semana passada, a Asembleia Geral da Unesco aprovou, por aclamação, a Recomendação.

Recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus e Coleções será apresentada na Unesco

Entre os dias 12 e 14 de novembro acontece a reunião da Comissão de Cultura, no âmbito da 38º Conferência Geral da Unesco, que começou no dia 4 de novembro. O presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão representa o Brasil durante a reunião, que apresentará a nova recomendação sobre Promoção e Proteção de Museus e Coleções, iniciativa brasileira, liderada pelo Instituto em 2011.

Se aprovada, a recomendação vai se tornar um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas. Seu foco principal é o reforço das práticas existentes para manter a integridade das coleções, e o fornecimento de orientação para as funções de museus, adaptando os seus objetivos para resolver os urgentes desafios contemporâneos. Saiba mais.

Em 28 de Maio de 2015, mais de 160 especialistas, a partir de 70 Estados-membros e 20 organizações de observadores, que participaram da Reunião Intergovernamental de (Categoria II), que aprovou por unanimidade o projeto de Recomendação sobre a Proteção e Promoção dos Museus e Coleções. Este foi mais um passo decisivo para a criação de um novo instrumento internacional de definição de normas sobre museus, tendo em conta as muitas mudanças que ocorreram no campo de museus, desde o único instrumento Unesco existente sobre o tema, que foi aprovado em 1960.

 Conferência Geral

A Conferência Geral é constituída por representantes dos Estados Membros da Organização. Os Estados-Membros e Membros Associados, juntamente com observadores de Estados não membros, organizações intergovernamentais e organizações não-governamentais (ONGs) que se reúnem a cada dois anos.

A Conferência Geral determina as políticas e as principais linhas de trabalho da Organização. Seu dever é definir os programas e orçamento da UNESCO. Também elege os membros do Conselho Executivo e designa, a cada quatro anos, o Director-Geral. As línguas de trabalho da Conferência Geral são Árabe, Chinês, Inglês, Francês, Russo e Espanhol. O Brasil é membro fundador da UNESCO (1947).

Página 1 de 41234