Ibram promove oficina sobre Redes e mídias sociais: os museus na web

Nos dias 16 e 17 de novembro, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) promove o segundo módulo da oficina Cultura digital, museus, acervo em rede.

O módulo trata sobre o tema Redes e mídias sociais: os museus na web, onde serão apresentadas diferentes formas que os museus pelo mundo estão usando redes sociais, e como isso tem produzido novas formas de relacionamento com seu público, de disponibilização e circulação do acervo.

A oficina é resultado da parceria do Ibram com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e visa analisar o cenário atual da cultura digital com foco nos fenômenos de rede e, em diálogo com a área de museus, promover a reflexão sobre as oportunidades de produção de acervos digitais e suas formas de articulação em rede.

Inteligência coletiva nas redes
No primeiro módulo, Inteligência coletiva e inteligência de redes: novos cenários da cultura digital, realizado nos dias 8 e 9, foram apresentados alguns conceitos de cultura digital, a partir de sua relação com os modos de sociabilidade em rede e os fenômenos de participação social que levam ao desenvolvimento de novas formas de inteligência coletiva.

Dalton Martins_Oficina CGSIM_08nov16

Dalton Martins, professor da UFG, durante o primeiro módulo da oficina

Dalton Martins, mediador da oficina e professor da UFG, também apresentou um histórico da Internet, do seu surgimento até os dias atuais, mostrando como surgiram diferentes serviços e formas de apropriação social, apresentando casos de manifestação da inteligência coletiva com foco no universo da cultura. Confira os slides apresentados pelos ministrantes (parte 1 e parte 2).

A oficina será realizada no auditório do Ibram em Brasília (Setor Bancário Norte, Quadra 2 Bloco N – Edifício CNC III – Sobreloja).

As inscrições para o módulo já foram encerradas. Interessados em participar na modalidade Ouvinte podem comparecer, não havendo emissão de certificado.

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico cgsim@museus.gov.br  ou pelo telefone (61) 3521.4307.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Cultura digital, museus, acervo em rede é tema de oficina do Ibram

Cultura digital, museus, acervo em rede é tema de oficina do Ibram

BannerCursoIntranetO Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) realizam, em novembro, a oficina Cultura digital, museus, acervo em rede.

A formação tem por objetivo apresentar o cenário atual da cultura digital com foco nos fenômenos de rede e em diálogo com a área de museus, refletindo sobre as oportunidades de produção de acervos digitais e suas formas de articulação em rede.

A Oficina será dividida em duas partes e acontece no Auditório do Ibram Sede, em Brasília. O módulo 1 acontece nos dias 8 e 9 de novembro com o tema Inteligência coletiva e inteligência de redes: novos cenários da cultura digital. E, entre os dias 16 e 17, o módulo 2 tratará do tema Redes e mídias sociais: os museus na web.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas entre os dias 26 de outubro e 4º de novembro de 2016 neste link. As vagas são limitadas e haverá emissão de certificado para os participantes que cumprirem a carga horária total (32h/aula). Mais informações aqui.

Oficina Cultura digital, museus e acervos em rede

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Universidade Federal de Goiás (UFG) realizam a oficina Cultura digital, museus, acervos em rede.

A formação tem por objetivo apresentar o cenário atual da cultura digital com foco nos fenômenos de rede e em diálogo com a área de museus, refletindo sobre as oportunidades de produção de acervos digitais e suas formas de articulação em rede.

A Oficina está dividida em duas partes:

Módulo 1 “Inteligência coletiva e inteligência de redes: novos cenários da cultura digital”
Dias: 8 e 9 de novembro de 2016
Horário: 9h às 12h e 14h às 18h,
Carga horária: 16h/aula

Módulo 2 “Redes e mídias sociais: os museus na web”
Dias: 16 e 17 de novembro de 2016
Horário: 9h às 12h e 14h às 18h,
Carga horária: 16h/aula

Local: Auditório Ibram Sede (SBN Quadra 2, Bloco N, Sobreloja – Brasília/DF)

Ementa da oficina

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas entre os dias 26 de outubro e 4 de novembro de 2016. Haverá emissão de certificado para os participantes que cumprirem a carga horária total (32h/aula). As vagas são limitadas.

Ficha de Inscrição

Informações podem ser obtidas também pelo endereço eletrônico cgsim@museus.gov.br  ou pelo telefone (61) 3521.4307.

Projeto Tainacan é apresentado a museus cariocas

Tainacan RioTécnicos do Ibram, da Secretaria de Políticas Culturais do MinC e da Universidade Federal de Goiás participaram, na última semana, no Rio de Janeiro, de reuniões de trabalho e palestras com foco na digitalização e disponibilização de acervos de museus na internet.

A comitiva se reuniu com as equipes do Museu Histórico Nacional, Museu de Astronomia e Ciências Afins, Fundação Casa de Rui Barbosa e Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, que serão pilotos do projeto Tainacan Museu.

Resultado da parceria entre SPC e UFG, o Tainacan é uma ferramenta de código aberto, voltada para a gestão de acervos culturais de arquivos, bibliotecas e cinematecas, trazendo ainda uma camada voltada para a colaboração de usuários. Com a parceria do Ibram a solução passará também a possibilitar o inventário a gestão e a difusão de acervos museológicos.

Dentre os encaminhamentos das reuniões, foram propostos acordos de cooperação técnica e uma agenda comum sobre documentação nos museus entre as instituições.  A Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro também irá avaliar a possibilidade de integração da Rede Web de Museus ao Tainacan. Fazem parte desta rede, cerca de 20 museus do Estado.

Para a Coordenadora-Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, “este projeto é essencial para colocar a documentação museológica na agenda política. A solução Tainacan Museu poderá ser gratuitamente utilizada pelas instituições museológicas para identificarem suas coleções de acordo com as normas do Inventário Nacional de Bens Culturais Musealizados”. Além disto, a solução permitirá a gestão das coleções, a publicação de conteúdos nas redes sociais, muitas facilidades advindas da web2.0, e o aumento da interconexão com outras instituições de memória.

Tainacan: museus cariocas preparam-se para testar solução para acervos digitais

Museu Histórico Nacional (RJ)

Museu Histórico Nacional (RJ)

Entre os dias 9 e 12 de maio, uma missão formada por representantes da Secretaria de Políticas Culturais (SPC), Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), ambos ligados ao Ministério da Cultura (MinC), e Universidade Federal de Goiás (UFG) estará na cidade do Rio de Janeiro em reuniões de trabalho e palestras com foco na digitalização e disponibilização de acervos de museus cariocas na internet.

Resultado da parceria entre SPC e UFG, será apresentada às instituições a ferramenta de código aberto Tainacan – batizada a partir de lenda indígena oriunda dos povos Carajás – voltada para a gestão de acervos culturais de arquivos, museus, bibliotecas e cinematecas, trazendo ainda uma camada voltada para a colaboração de usuários, e que entra em fase final de testes após um ano de pesquisas.

O Ibram, por meio do seu programa  Acervo em Rede, voltado a  promover, via internet, o acesso aos bens culturais preservados nos museus, tornou-se parceiro prioritário da iniciativa no Sistema MinC, e já se prepara para também testar a Tainacan.

Agenda

No dia 9, acontece visita técnica a Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro. Responsável por uma rede web com mais de 20 museus no estado, a proposta é que a ferramenta possa ser testada pelo Museu Antonio Parreiras (MAP), em Niterói, que possui coleções que vão do século XVI ao XX.

No dia 10, após acompanhar o lançamento  do projeto Biblioteca Digital Luso-Brasileira, resultado de parceria entre as bibliotecas nacionais do Brasil e Portugal, a missão realiza visita técnica ao Museu Histórico Nacional (MHN), que pertence à rede de museus do Ibram e cujo acervo alcança 348 mil itens.

“A intenção é aprofundar informações referentes à documentação museológica do MHN, recursos e equipamentos informáticos existentes, além de tratarmos de questões relativas ao desenvolvimento do projeto”, explica Rose Miranda, coordenadora-geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, organizadora da missão.

No próprio MHN, às 10h do dia 11 de maio, acontece palestra sobre o projeto na Sala de Cursos do museu.

A parte da tarde deste dia será dedicada ao Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência,Tecnologia e Inovação (MCTI), que lida com preservação de acervos, divulgação e história da ciência e da tecnologia no Brasil e também deverá testar a ferramenta Tainacan.

O dia termina com a participação no seminário “Curadoria digital”, que acontece na UniRio (Avenida Pasteur, 458 – Urca), a partir das 18h. O evento é aberto ao público e está com inscrições abertas.

A quinta-feira (12), último dia da missão, será dedicada à Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), que integra o Sistema MinC. Além de preservar o legado de seu patrono, a instituição lida com formação, preservação e difusão do acervo bibliográfico e documental nacionais e tem interesse em testar a ferramenta em algumas de suas coleções.

Conheça um poucoda ferramenta Tainacan na plataforma culturadigital.br. Outras informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico culturadigital@cultura.gov.br.

Texto: SPC/MinC