Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Reunião entre MinC, GDF e Ibram tratou da transferência do Museu Nacional da República para o governo federal

A pedido da presidenta Dilma Rousseff, o Museu Nacional da República, que fica na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), passará a ser gerido pelo Ministério da Cultura (MinC).

O anúncio foi feito na tarde de quinta-feira (16), durante reunião que a ministra Marta Suplicy teve com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o secretário de Cultura do DF, Hamilton Pereira. Participaram também a presidente substituta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Eneida Braga, e Angelo Oswaldo – indicado pela ministra para assumir a presidência do Ibram.

Atualmente, a gestão do Museu é feita pelo Governo do Distrito Federal. O governador se reuniu com a ministra para discutir como o processo de cessão pode ser feito. Ficou decidido no encontro que o GDF e o MinC vão analisar as possibilidades do ponto de vista jurídico. A formalização da transferência será feita em breve.

A ministra explica que a ideia de trazer o Museu para a gestão do MinC consiste em tornar acessível aos cidadãos grandes obras de arte que fazem parte do acervo de empresas estatais. “A intenção é que o Museu passe a contar com um acervo fixo e exposições itinerantes, além de uma gama de possibilidades que está sendo definida junto com a equipe do Ibram”, explicou Marta.

Segundo o governador, a federalização proporcionará maior dinamismo ao Museu. “Temos muita coisa guardada em instituições como o Banco Central, por exemplo, que o público não tem acesso. Não adianta termos obras maravilhosas se o cidadão não puder usufruir”, afirmou o governador. Continue lendo.

Texto: Rosiene Assunção, Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Elisabete Alves, Ascom/MinC

Painel de Portinari adquirido pelo Ibram já está no Museu de Belas Artes

Preparativos para a transferênca da tela de Portinari para o MNBA/Ibram

Aconteceu no último sábado, 26 de janeiro, a transferência do painel A Primeira Missa no Brasil, de Cândido Portinari, do Banco Bradesco, antiga sede do Banco Boa Vista -localizado no centro do Rio de Janeiro – para o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), que fica na Cinelândia.

A transferência, que contou com o apoio da Polícia Federal, envolveu cerca de 50 pessoas. O presidente do Ibram, José do Nascimento Jr. e a Diretora de Difusão, Fomento e Economia de Museus, Eneida Braga, acompanharam todo o processo, que durou cerca de quatro horas.

A Primeira Missa no Brasil foi adquirida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) no final de 2012. A obra de Portinari, um painel datado de 1948, com dimensões de 271 cm X 501 cm e realizado em têmpera sobre tela, representa a primeira missa realizada no Brasil.

Painel de Portinari já no MNBA: exposição deve acontecer em março

A previsão é que o público possa ver a tela a partir de março. Será feita uma exposição do quadro de Portinari e de A Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, realizada em 1860, junto com os estudos realizados pelos artistas na criação e execução das telas.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Ibram adquire quadro de Candido Portinari A Primeira Missa no Brasil