Museu comunitário de Belo Horizonte leva exposição para a Itália

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, visitou na segunda-feira (16) duas iniciativas de museologia social em Belo Horizonte (MG): Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (Muquifu) e o Ponto de Memória Museu do Taquaril. Oswaldo foi acompanhado do vereador Arnaldo Godoy (PT), ex-secretário de Cultura de Belo Horizonte, que propôs a visita.

Muquifu impressionou o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo (dir.)

O trabalho realizado pelo Museu de Favelas e Quilombos Urbanos será conhecido também fora do Brasil: sua Primeira Mostra Itinerante chegará até a cidade de Pádua (Itália), entre 15 de janeiro a 28 de fevereiro de 2014.

A mostra reunirá imagens de moradores das comunidades do Aglomerado Santa Lúcia (Vila Esperança e Vila São Bento) e tem como curador um dos fundadores do Muquifu, o Padre Mauro, que além de pároco da favela é museólogo formado pela Universidade de Pádua.

Localizado na comunidade da Barragem Santa Lúcia, o Muquifu impressionou o presidente do Ibram por seu trabalho de museografia, coleta de objetos e resgate da memória local. “É um museu admirável”, reconheceu.

Memória social
Angelo Oswaldo conheceu também as exposições concebidas pelo museu por ocasião da 7ª Primavera dos Museus (2013), cujo tema foi Museus, Memória e Cultura Afro-Brasileira.

A montagem das exposições envolveu a comunidade, através da doação de objetos, fotografias e histórias que fizeram parte do acervo ali exposto, além dos alunos do 5º período do curso de Museologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que tiveram a oportunidade de realizar um trabalho de campo na área da museologia social.

Já no Ponto de Memória Museu do Taquaril, o presidente do Ibram, acompanhado de lideranças da comunidade, teve contato com o trabalho de memória social realizado no maior bairro da periferia de Belo Horizonte. O Museu do Taquaril é uma das doze iniciativas pioneiras do Programa Pontos de Memória, desenvolvido pelo Ibram. “O trabalho deles tem um grande impacto na autoestima da comunidade”, avaliou Angelo Oswaldo.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Taquaril – BH se articula para criação de Ponto de Memória

Moradores discutem a importância do museu para a comunidade
Identidade, território, pertencimento, conquista, história, memória e museu foram alguns dos assuntos discutidos nas oficinas do seminário realizado pelas lideranças do bairro Taquaril, em Belo Horizonte, no último sábado (20), para criação do Ponto de Memória Museu do Taquaril.

O evento, realizado na Escola Municipal Alcida Torres, reuniu cerca de 60 pessoas, dentre representantes de associações, ONG’s, grupos culturais, idosos, estudantes, universitários, profissionais das áreas da saúde e educação e da equipe do projeto Pontos de Memória, do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram. A abertura contou com a apresentação dos grupos de dança afro Calanga e de percussão Alto Batuque, que se apresentaram no último carnaval na Colômbia e oferecem aulas gratuitas aos moradores do bairro.

Na mesa de abertura, a presidente da ONG Cem por cento Taquaril, Maria Thereza de Oliveira, disse ser um desejo da comunidade a criação do Ponto de Memória. “O museu será um espaço de relação dos moradores com o bairro. Temos os idosos com a história e o jovens com a crítica. E nossa história de participação é forte, somos incubadores de projetos sociais.”

Em seguida, o rapper e líder comunitário Wdois enfatizou a satisfação em participar de uma proposta criada a partir da comunidade e a favor da identidade local. “Estamos aqui para garantir e fiscalizar que este projeto não será apropriado e manipulado por partidos políticos. Com o museu, teremos a capacidade de construir um bairro melhor. A identidade do Taquaril precisa ser mostrada na comunidade, porque a mídia não sabe expressar nossa realidade.”

A coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, Marcelle Pereira, falou sobre a proposta do Instituto voltada às comunidades por meio do projeto Pontos de Memória. “Estamos trabalhando para que os museus cheguem às comunidades e sejam por elas apropriados. E é por isso que são vocês que decidirão como será este museu.”

Na ocasião, a socióloga e líder comunitária Leila Regina da Silva lembrou da história do bairro marcada pela discriminação e luta pela conquista de território. “O Taquaril era considerado o lugar que tinha tudo de ruim e, por isso, os moradores carregavam esse estigma. Hoje estamos dando outra dimensão para a comunidade. Nossa identidade é marcada pela conquista do espaço. A luta é nosso patrimônio e deve fazer parte de nosso museu”.

Uma das ideias sugeridas para o museu é a criação de um acervo digital a partir do registro das histórias dos moradores. Segundo a museóloga Hélvia Vorcara, que tem apoiado a proposta, “Também seria interessante que o museu abrigasse uma escola de fotografia e cinema, para formação de jovens, e um ateliê de conservação de acervos, com a produção de embalagens de arquivos, para fornecer às bibliotecas e museus da cidade”.

A partir de seis reuniões, a comunidade já está articulando um terreno para construção do museu e pensando em organizar um “chá de museu”, para aquisição de acervo.

Ao final do seminário, houve a eleição dos membros do conselho deliberativo que dará andamento ao projeto de criação doPonto de Memória Museu do Taquaril.

Taquaril - Com 25 anos de existência, o bairro é considerado a maior periferia de Belo Horizonte, fazendo fronteira com o município de Sabará. Sua formação é marcada por lutas pela moradia e pelo engajamento da população em movimentos sociais. O bairro agrega muitos trabalhadores, associações, ONGs e grupos culturais.

Pontos de Memória – O projeto tem como objetivo apoiar a criação de museus comunitários, orientando e mobilizando as comunidades no sentido de apóias-las na valorização e proteção da memória social e coletiva a partir de seus moradores, suas origens, histórias e valores. A expectativa é de que a iniciativa se transforme numa referência para a comunidade e num ponto de dinamização das atividades culturais e socioeducativas locais. A iniciativa é resultado de parceria entre os Programas Mais Cultura, do Ministério da Cultura, através do Ibram, e do Pronasci, do Ministério da Justiça, com apoio da Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI.

Mais informações com Sara Couto, Pontos de Memória – Departamento de Processos Museais – Ibram, no (61) 2024 6211

Comunidade de Taquaril – BH vai criar Museu

Moradores do bairro de Taquaril, em Belo Horizonte, vão realizar neste sábado, 20 de fevereiro, o Seminário de Apresentação e Criação do Ponto de Memória Museu do Taquaril, com a participação de lideranças comunitárias, autoridades e representantes do Programa Pontos de Memória. O evento vai ocorrer das 13h30 às 18h30, na Escola Municipal Professora Alcidas Torres (Rua Alvares Fernandes, 186, Bairro Taquaril, Belo Horizonte-MG.

O Museu do Taquaril tem como meta agregar e fortalecer a cultura local, através da preservação e valorização da memória e cultura de seus moradores. De acordo com a coordenadora do projeto, a muséologa Hélvia Vorcara, uma das ideias para o museu é a criação de uma vídeo-cabine, onde serão registradas histórias de moradores da comunidade para a criação de um acervo digital. “Também pretendemos abrigar no museu uma escola de fotografia e cinema, para formação de jovens, e ainda um ateliê de conservação de acervos, com a produção de embalagens arquivísticas, para fornecer às bibliotecas e museus da cidade”, diz.

Após seis reuniões, a comunidade já conseguiu um lote no Taquaril para a construção do ponto de memória, contratou um arquiteto e também vai organizar um “chá de museu”, para aquisição de acervo.

Além da apresentação do projeto à comunidade, durante o evento haverá eleição de um conselho e oficinas sobre os temas Memória e Identidade; Território e Pertencimento; e Museologia Social.

Pontos de Memória – O Museu de Taquaril integra o Programa Pontos de Memória, que tem como objetivo apoiar a criação de museus comunitários em regiões metropolitanas do país, orientando e mobilizando as comunidades no sentido de apóiá-las na proteção e potencialização da memória social e coletiva a partir de seus moradores, suas origens, histórias e valores. A expectativa é de que a iniciativa se transforme numa referência para a comunidade e num ponto de dinamização das atividades culturais e socioeducativas locais.
O Programa é resultado da parceria entre os Programas Mais Cultura, do Ministério da Cultura, através do Ibram, e do Pronasci, do Ministério da Justiça, com apoio da Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI.

Taquaril – O Conjunto Taquaril está localizado na região leste de Belo Horizonte e faz divisa com o município de Sabará. A ocupação do local teve início em 1981, numa área que pertencia a CODEURB – Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado de Minas Gerais e parcelada em sítios. A população é de 7,7 mil pessoas. Atualmente, projetos, movimentos e grupos culturais vêm promovendo uma efervescência local e conquistando a comunidade, tais como o grupo Juventude Hip Hop, que promove o Nós do Morro: A cultura da massa brasileira, um evento que tem como objetivo reunir manifestações artísticas da comunidade, numa mostra de música e dança voltada a toda a cidade.