Retrato de D. João VI do acervo MHN é reproduzido em selo comemorativo

200 anos da Independência do Brasil: selo integra série de seis emissões dos Correios até 2022

200 anos da Independência do Brasil: selo integra série de seis emissões dos Correios até 2022

Nesta semana, os Correios lançaram um selo comemorativo pelo Bicentenário da Aclamação de D. João VI (1767-1826) como rei do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.

A imagem que estampa o selo é a reprodução de uma pintura de José Leandro de Carvalho (1770-1834), que se encontra no acervo do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), desde 1924.

O pintor foi o principal retratista da corte de dom João VI entre 1808 e 1820. Além do rei, retratou outros membros da família imperial, como dom Pedro I, princesa Leopoldina e dona Maria I, tendo sido comparado pela crítica a “um pequeno Velásquez da elite imperial”.

200 anos da Independência
Este segundo selo, de uma série de seis, é resultado de parceria entre a Câmara dos Deputados e os Correios que se estenderá até 2022, quando se celebram os 200 anos da Independência do Brasil.

A arte do selo é de Ely Borges e Isabel Flecha de Lima. Foram utilizados recursos de tinta calcográfica e computação gráfica. Com valor de R$ 2,05 e tiragem de 180 mil unidades, o selo pode ser adquirido nos Correios.

O quadro pode ser visto na exposição de longa duração Portugueses no Mundo, que integra o circuito do Museu Histórico Nacional. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Correios/Divulgação

Museu Histórico Nacional completa 90 anos com programação especial no RJ

Sediado no Rio de Janeiro (RJ) e vinculado ao Ibram/MinC, o Museu Histórico Nacional (MHN) completa 90 anos de existência no dia 2 de agosto.

Para celebrar a data, o MHN preparou uma programação especial que inclui exposição temática e o lançamento de selo e carimbo comemorativos, além de aplicativo multimídia.

Museu Histórico Nacional – 90 Anos de Histórias, será aberta no dia 2, às 18h30, com a participação da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, do presidente do Ibram, José do Nascimento Jr., e da diretora do MHN, Vera Tostes.

A exposição revela a trajetória da instituição, criada em 2 de agosto de 1922, pelo Presidente Epitácio Pessoa, no âmbito da Exposição Internacional Comemorativa do Centenário da Independência do Brasil.

Dividida em módulos temáticos, a mostra apresenta 350 peças representativas do acervo do museu, incluindo a primeira peça incorporada à coleção – uma casaca de senador da época do imperador D. Pedro II – e a mais recente, um uniforme de gari doado pela Comlurb.

A partir da exposição, o visitante terá a oportunidade de conhecer melhor a trajetória do MHN: a formação do acervo, que hoje reúne cerca de 350 mil itens, e as iniciativas pioneiras – como a criação da primeira escola de Museologia do país e do primeiro serviço federal de proteção ao patrimônio nacional.

Selo e aplicativo

Fotografia da Capela da Jaqueira em Recife (PE)

No dia 2 de agosto, também parte da programação dos 90 anos do MHN/Ibram,  a exposição Arte Barroca e Rococó no Brasil – fotografias de Alex Salim será aberta ao público. O fotógrafo mineiro selecionou 42 imagens para a exposição que representam uma síntese da produção artística brasileira do ciclo barroco-rococó.

Durante a abertura, serão lançados o selo e o carimbo comemorativos dos 90 anos do MHN produzidos pelos Correios. Foram produzidos, sob encomenda, 12 mil exemplares, que estarão à venda na loja do museu.

O MHN vai lançar ainda aplicativo gratuito e disponível para iPhone, iPad e iPod Touch, com vasto conteúdo multimídia (áudio, fotos e vídeos). O aplicativo estará disponível para download via internet. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação MHN
Última atualização: 1º de agosto de 2012