Página 1 de 41234

Espetáculo de bonecos conta a história do Museu das Missões

Cartaz da Semana Missioneira

Cartaz da Semana Missioneira

Em comemoração dos 80 anos de sua inauguração, o Museu das Missões (Ibram/MinC) proverá na próxima dia terça-feira (05) a apresentação da peça teatral Escultórias Fascinantes, às 15h e às 19h30min no auditório da Escola Estadual Antônio Sepp.

A peça aborda a importância das esculturas nas Missões Jesuíticas do Paraguai, faz uma diferenciação entre seus estilos e narra o processo de formação do acervo do Museu das Missões. A montagem destaca a atuação do primeiro Zelador da unidade, Sr. João Hugo Machado, responsável pela coleta da maior parte do acervo de imagens missioneiras em madeira policromada dos séculos XVII e XVIII que hoje está sob a guarda do museu.

Segundo o diretor da peça, Jerson Fontana: “As Missões Jesuítico-Guarani do Paraguai se desenvolveram no sul da América, nos séculos XVII e XVIII e consistiam da formação de povoados de índios majoritariamente da etnia guarani. Teve início por volta de 1609, a partir de um projeto colonial do Reino de Espanha e da Igreja Católica, e eram coordenadas por religiosos da Companhia de Jesus, denominados de jesuítas. O procedimento consistia em reduzir os índios, desde centenas até milhares, em um local no qual era edificada uma pequena cidade, modelo que facilitava o projeto hispano-religioso que previa a conversão dos nativos à fé católica e a sua formação para o trabalho dentro dos conceitos europeus.”

A apresentação vespertina será voltada ao público estudantil e aos estudantes indígenas Mbyá Guarani matriculados na rede pública de ensino de São Miguel das Missões. Já a apresentação noturna será aberta à comunidade em geral, incluindo convite aos moradores da Aldeia Alvorecer (Tekoá Koenju), local de moradia das famílias Guarani.O evento faz parte da programação da Semana Missioneira, evento anual que comemora a inscrição de “As Reduções Jesuítico-Guarani – Ruínas de São Miguel das Missões” na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade (UNESCO-1983). Este é o único Patrimônio Cultural da Humanidade do Sul do Brasil reconhecido pela UNESCO.

História oral resgata memória institucional do Museu das Missões

Museu das Missões/Ibram integra complexo do Sítio Arqueológico de São Miguel das MIssões (RS)

Museu das Missões/Ibram integra Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo (RS)

Instituição com papel fundamental na preservação da memória de um importante capítulo da história do Brasil, o Museu das Missões/Ibram também tem trabalhado em prol de sua memória institucional – que se conecta ao tema Museus e suas memórias abordado pela 11ª Primavera dos Museus.

Localizado na antiga região dos Sete Povos das Missões, o museu, criado em 1940, integra o Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco, em São Miguel das Missões (RS).

Responsável pela preservação de acervo relacionado às reduções missionais, um dos objetivos do setor de Pesquisa Histórica e Arquivo do museu tem sido também investigar, documentar, preservar e divulgar a trajetória da unidade museológica Ibram.

“Reconhecemos a sua historicidade e buscamos transformar a própria memória institucional em objeto de conhecimento crítico”, explica Diego Luiz Vivian, diretor do Museu das Missões.

Vozes da memória
Entre os anos de 2010 e 2013, por exemplo, desenvolveu-se o Projeto de História Oral do museu. A partir de orientações técnicas e procedimentos metodológicos do campo da história, o objetivo foi tornar acessível as entrevistas realizadas.

A formação e o gerenciamento do acervo museológico foram temas abordados. “A aquisição de acervo ocorreu, especialmente, através da coleta de peças realizada pelo primeiro zelador do museu”, conta Vivian.

Colocação das telhas no Museu das Missões (1939-40)/Arquivo Iphan

Colocação das telhas no Museu das Missões (1939-40)/Arquivo Iphan RJ

A construção de um “repertório biográfico” sobre o museu, entre os anos de 1937 e 1987, revelou informações sobre ‘personagens’ que fizeram parte da sua história: da família do primeiro e inesquecível zelador, que viveu em anexo ao museu por cerca de 60 anos, a técnicos, arquitetos e engenheiros envolvidos nas obras de construção – cujo projeto foi do arquiteto Lucio Costa (1902-1998).

“O museu possui uma trajetória de quase oito décadas na preservação do legado missioneiro”, aponta o diretor, acrescentando que a realização do trabalho de pesquisa também atende demandas de documentação do próprio museu.

Diego Vivian, que é historiador de formação, publicou em 2015 o artigo Estudo sobre a trajetória do Museu das Missões Ibram/MinC, em publicação do Observatório Missioneiro de Atividades Criativas e Culturais.

No mesmo ano, o museu foi tema de um dos volumes da Coleção Museus Ibram, que busca levar ao público o trabalho desenvolvido pelos museus federais que compõem a sua rede. A publicação está disponível para download gratuito.

Assista também episódio da série Conhecendo Museus sobre o Museu das Missões.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu das Missões/Divulgação

Matérias relacionadas
Livros e filmes abordam a memória institucional dos Museus Castro Maya
Conheça o projeto de memória institucional do Museu da República no RJ

GTs no 7º FNM focam no alinhamento entre instrumentos de gestão

Com o objetivo de aprofundar discussões sobre as políticas públicas voltadas para o setor de museus no Brasil, o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) terá oito Grupos de Trabalho (GTs) nesta edição.

A partir da Recomendação Unesco 2015, que trata da proteção e promoção dos museus e coleções, tema do FNM, os GTs se propõem a refletir sobre esse instrumento internacional, que traça diretrizes para promover o desenvolvimento do setor, em relação aos principais instrumentos brasileiros – Política Nacional de Museus (PNM) e Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Grupo de Trabalho durante o 6º FNM em Belém (2014)

Grupo de Trabalho durante o 6º FNM em Belém (2014)

Preservação, pesquisa, comunicação, educação, função social e acessibilidade, museus como agentes econômicos, novas tecnologias, financiamento e cooperação são os temas dos GTs – que acontecem nos dias 2 e 3 de junho.

Subsídios para políticas públicas
Temas transversais observados no documento da Unesco – como a elaboração de políticas públicas, a valorização da diversidade e a busca por padrões de excelência – também permeiam todas as discussões no âmbito dos GTs.

Como resultado, espera-se a identificação de possíveis lacunas existentes na elaboração da PNM e PNSM. Para tanto, os participantes farão apontamentos cujas conclusões serão apresentadas na sessão Plenária Final do 7º FNM. Tais indicações também serão basilares para a futura revisão da PNM e a elaboração do PNSM para o decênio 2020–2030.

Os documentos que serão utilizados nos GTs já estão disponíveis para acesso no blogue do Fórum Nacional de Museus. As inscrições para essa atividade serão feitas, a partir do dia 30 de maio, durante o credenciamento no Centro de Eventos da PUC-RS.

O 7º FNM é uma realização do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), e acontece de 30 e maio a 4 de junho em Porto Alegre (RS). Conheça a programação.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Experiências de museus do RS serão apresentadas no 7º FNM

Os museus gaúchos têm lugar garantido no 7º Fórum Nacional de Museus (FNM). Diferentes experiências regionais (cases) de instituições e profissionais da área de museus no Rio Grande do Sul (RS) serão apresentadas durante o FNM 2017.

Museu de Território em Caxias do Sul (RS)

Museu de Território em Caxias do Sul (RS)

O Museu do Pão, localizado na cidade de Ilópolis (189 km de Porto Alegre), foi inaugurado em 2008 e tem foco na memória da cultura do pão trazida por imigrantes italianos. Além do museu, com projeto arquitetônico contemporâneo, há uma oficina de panificação e um moinho. A apresentação será feita por Ismael Rosset, diretor do museu.

O Museu do Sport Club Internacional, o “Museu do Inter”, será apresentado pela sua gerente geral, Mariana Rutenberg. Com 1,2 mil metros quadrados de exposição, o museu apresenta documentos históricos da trajetória do time porto-alegrense de 1909 até hoje.

De Caxias do Sul (128 km da capital), a museóloga e curadora Tânia Tonet traz a experiência do Museu de Território. Mantido pelo Instituto Hercules Galló, o museu ocupa duas edificações, além de jardim, e traz conceitos de exposição e ambiência com o objetivo de valorizar o patrimônio cultural da região e envolver a comunidade.

O Museu do Doce, ligado à Universidade Federal de Pelotas (261 km de Porto Alegre), tem como missão salvaguardar os suportes de memória da tradição doceira de Pelotas e região. Criado em 2011, o case será apresentado por Carla Gastaud, diretora Pró-tempore do museu.

Atividade no Museu das Ilhas em Porto Alegre (RS)

Atividade no Museu das Ilhas em Porto Alegre (RS)

Meio ambiente e cultura afro-brasileira
O projeto Territórios Negros: afro-brasileiros em Porto Alegre será o tema de Leonardo Rosa, coordenador da iniciativa da Companhia Carris. O projeto busca valorizar a história da população afro-brasileira na capital gaúcha por meio de um circuito urbano.

Em 2012, uma parceria entre a Universidade Federal do RS e uma associação cultural da Ilha da Pintada gerou o projeto Museu das Ilhas em Porto Alegre. Localizado em área de preservação ambiental, o ecomuseu se propõe a registrar o patrimônio cultural da comunidade. A apresentação será feita pela diretora do museu, Terezinha Carvalho.

Outra experiência de museu comunitário, desta vez em Santa Maria (290 km da capital), é o mote da apresentação de João Heitor da Silva Macedo, coordenador do Núcleo de Acervos e Exposições do Museu Comunitário Treze de Maio. A iniciativa busca integrar ações em prol da memória e da cultura negras na cidade.

O Roteiro Caminhos de Pedra, desenvolvido pela Associação Caminhos de Pedra em Bento Gonçalves (109 km de Porto Alegre), tem como foco resgatar, preservar e dinamizar a cultura trazida pelos imigrantes italianos à serra gaúcha a partir de 1875. Maristela Pastorello Lerin, que integra a diretoria da associação, apresenta o case.

Arquitetura europeia no Caminho das Pedras

Arquitetura europeia no Caminho das Pedras em Bento Gonçalves (RS)

Já o Coletivo Afetivo de Mulheres do Campo da Museologia (C.A.MU.CA.MU.) será apresentado por Marcelle Pereira, integrante do grupo.

A proposta, surgida no ano passado, reúne mulheres do campo da museologia no Brasil e tem, entre seus objetivos, “estimular o protagonismo feminino e a visibilidade das mulheres na sociedade e no campo da museologia” – como indica o manifesto do coletivo.

Os cases serão apresentados na sessão Painéis do 7º FNM entre os dias 31 de maio e 2 de junho, a partir das 10h. Confira a programação completa.

O 7º Fórum Nacional de Museus, organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece no Centro de Eventos da PUC-RS, em Porto Alegre, entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017. As inscrições online estão abertas até o dia 26 de maio.

Texto: Ascom/Ibram
fotos: Divulgação

Painéis durante o 7º FNM abordam temas contemporâneos

Mila_Chiovatto_7FNM

Mila Chiovatto  da Pinacoteca (SP)

Educação, criatividade, propriedade intelectual, comunicação e financiamento sob a perspectiva da área de museus são alguns dos temas abordados nos nove painéis programados para o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM).

O relevante papel dos programas educacionais em museus é tema do primeiro painel, que reúne Helena Quadros (Museu Emilio Goeldi/Ponto de Memória Terra Firme – PA), Janaína Melo (Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar – RJ) e Mila Chiovatto (Pinacoteca de São Paulo – SP).

A comunicação digital, e sua contribuição para os museus, será abordada em dois painéis: no primeiro participam Muna Durans (Museu Imperial – RJ), Rafael Veras (Museu do Amanhã – RJ) e Daniela Alfonsi (Museu do Futebol – SP).

No segundo, cujo foco está na preservação digital e acesso, participam José Murilo (Ibram – DF), Wellington Pedro da Silva (Ponto de Memória Taquaril – MG) e Daniel Flores (Universidade Federal de Santa Maria – RS).

O museu como lugar de produção de conhecimento, por meio da divulgação das pesquisas realizadas nas instituições de memória, também é tema de painel. Simone Flores (Museu de Ciência e Tecnologia da PUC – RS), Henrique Ribeiro (Museu do Homem do Nordeste – PE) e Fernando Oliva (Museu de Arte de São Paulo – SP) abordam o tema.

Mario Chagas (RJ)

Mario Chagas do Museu da República (RJ)

Um dos assuntos mais discutidos atualmente em todo o mundo, a gestão de propriedade intelectual será tratada sob a perspectiva dos acervos em instituições.

Os painelistas serão Rafael Vasquez (Organização Mundial da Propriedade Intelectual – Brasil), Cláudia Porto (Comitê Internacional Icom para o Desenvolvimento de Coleções – Brasil) e Gabriela Augustini (Universidade Candido Mendes – RJ).

Função social e financiamento
A função social dos museus, especialmente diante de um cenário de rápidas transformações, reúne mais três painelistas: Desirée Reis (Museu do Samba – RJ), Cida Vieira (Museu do Sexo das Putas – MG) e Suzenalson Santos (Museu Indígena Kanindé – CE).

O sétimo painel do FNM 2017 aponta reflexões e desafios sobre a primeira década de existência do Programa Ibermuseus. São convidados Mario Chagas (Museu da República – RJ), Miguel Suela (Ministério da Educação, Cultura e Esporte – Espanha) e Javier Royer (Sistema Nacional de Museus – Uruguai).

Simone Flores (RS)

Simone Flores (RS) do MCT/PUC (RS)

O penúltimo painel traz à baila as relações entre museus, economia e a qualidade de vida das comunidades locais. Participam Sérgio Rodrigo Reis (Museu de Congonhas – MG), Maria da Abadia Teixeira (Ponto de Memória da Estrutural – DF) e Alemberg Quindins (Memorial Homem Kariri – CE).

O financiamento para museus públicos e privados, por meio de cooperações e parcerias, será o último dos painéis do 7º FNM. Ricardo Levisky (Levisky Negócios e Cultura – SP), Marlene Velasco (Museu Cora Coralina – GO) e Sergio Freitas (Museu Catavento – SP) são os convidados para tratar do tema.

Os painéis acontecem entre os dias 31 de maio e 2 de junho no turno da manhã. Conferências, minicursos e mostra de trabalhos também fazem parte da programação: acesse todas as atividades programadas para o 7º FNM.

O Fórum Nacional de Museus acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre (RS) e é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Acervos pessoais/divulgação

Conheça os convidados internacionais para as conferências do 7º FNM

François Mairesse abre as conferências do 7º FNM em Porto Alegre

François Mairesse abre as conferências do 7º FNM em Porto Alegre

Com o tema Recomendação Unesco: caminhos para museus e coleções, o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre (RS).

Para as três conferências programadas, entre os dias 31 maio e 2 de junho, chegam convidados da França, Chile e Holanda.

O tema do FNM 2017 será abordado na conferência Recomendação Unesco 2015 para proteção e promoção dos museus e coleções no dia 31 de maio.

O conferencista é François Mairesse, professor de Museologia e Economia da Cultura da Universidade Sorbonne Nouvelle e na Escola do Louvre (França), e atual presidente do Comitê Internacional para a Museologia (Icofom/Icom).

Autor de livros na área da museologia, Mairesse foi redator do estudo preparatório sobre a importância de um novo instrumento internacional para museus, que embasou a aprovação da Recomendação Unesco 2015.

Na conferência ele vai abordar desafios, avanços e caminhos para a adoção de medidas que levem à elaboração de políticas públicas para a implementação da Recomendação – como a adesão dos países ao projeto de apoio e desenvolvimento dos museus e seus profissionais.

Cooperação e novos públicos

Alan Trampe falará sobre museus e cooperação ibero-americana

Alan Trampe falará sobre museus e cooperação ibero-americana

Já no dia 1º de junho, os avanços alcançados pelos museus Ibero-americanos na última década será o mote da conferência Valorização dos museus por meio da cooperação internacional: 10 anos da Declaração de Salvador.

Alan Trampe, desde o ano 2000 subdiretor Nacional de Museus da Diretoria de Bibliotecas, Arquivos e Museus do Chile, será o conferencista da noite.

O foco da comunicação será as possibilidades de desenvolvimento do campo por meio da articulação entre instituições públicas e privadas, bem como o intercâmbio de experiências, práticas e do conhecimento produzido no âmbito do Programa Ibermuseus.

A última conferência do 7º Fórum Nacional de Museus, no dia 2 de junho, traz Jill Cousins, diretora executiva da Fundação Europeana – que é responsável por integrar coleções digitais de 180 instituições de 27 países da Europa, entre museus, arquivos, bibliotecas e cinematecas.

Jill Cousins aborda aspectos das relações em rede

Jill Cousins aborda aspectos das relações em rede

Sob o tema Museus no século 21: comunicação e formação de novos públicos, Cousins dará destaque para as políticas de comunicação de museus, capazes de contribuir, de forma participativa, para a integração, o acesso e a inclusão social.

A participação nas atividades do FNM é gratuita mediante inscrição. O formulário está disponível online até 26 de maio. Confira as atividades programadas para o 7º FNM.

O Fórum Nacional de Museus é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico forumnacionaldemuseus@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Arquivos pessoais/Divulgação

Votação pela internet definirá identidade visual do 7º Fórum Nacional de Museus

Entre os dias 3 e 13 de abril, qualquer pessoa poderá votar pela internet para definir a identidade visual do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM).

Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o evento nacional está programado para acontecer entre os dias 30 de maio e 4 de junho em Porto Alegre (RS) – cidade escolhida pelos participantes no 6º FNM em Belém (2014).

Porto Alegre foi escolhida para sediar o 7º FNM na 6ª edição do evento (2014)

Porto Alegre foi escolhida para sediar o FNM durante a 6ª edição do evento em 2014

Após edital do Ibram, museus da capital gaúcha enviaram 12 imagens de peças de acervo para concorrer à seleção.

O presidente do Ibram, Marcelo Araujo, o curador e gestor cultural gaúcho Cezar Prestes e dois representantes de áreas técnicas do instituto formaram a comissão de seleção que optou por cinco imagens.

De uma vista de Porto Alegre no século XIX a pinturas de Iberê Camargo (1914-1994), as imagens pertencem ao Memorial da Câmara Municipal de Porto Alegre, ao Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo e à Fundação Iberê Camargo. Confira as imagens selecionadas.

agora será a vez do público escolher a melhor delas. Apenas uma imagem poderá ser votada. A escolhida poderá ser adaptada às necessidades das peças que integram a identidade visual do evento. A enquete ficará disponível no portal do Ibram.

Sobre o FNM
O Fórum Nacional de Museus reúne os diversos atores da área de museus do Brasil. Palestras, oficinas, grupos de trabalho, debates, entre outras atividades, compõem a programação. Saiba mais.

A cada edição, uma cidade brasileira é escolhida para sediar o FNM. Esta será a segunda vez que a região Sul recebe o evento: em 2008, Florianópolis (SC) sediou o 3º FNM.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Edital do Ibram seleciona imagem para compor a identidade visual do 7º FNM

Principal evento do setor museológico brasileiro, o Fórum Nacional de Museus (FNM) chega a sua 7ª edição neste ano. E pela primeira vez, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) seleciona, por meio de edital público, uma imagem para compor a identidade visual do FNM 2017.

Abertura do 6º FNM em Belém (2014)

Abertura do 6º FNM em Belém (2014): encontro reúne o campo museal brasileiro

Entre os dias 10 e 24 de fevereiro, museus de Porto Alegre (RS) podem inscrever imagens de peças de acervo para concorrer à seleção. Segundo o Mapa de Museus do Ibram, a cidade possui atualmente 79 museus mapeados.

A capital gaúcha, que sediará o evento no mês de junho, foi escolhida pelos participantes no 6º FNM – que teve lugar na cidade de Belém (PA) em 2014.

Processo seletivo
A seleção é aberta a todos os museus públicos e privados de Porto Alegre, que podem enviar até três imagens de obras de acervo consideradas representativas da cidade e que façam ainda relação com o tema Museus ou com os objetivos do Fórum Nacional de Museus.

O processo seletivo acontece em duas etapas: na primeira, uma comissão escolherá cinco imagens dentre as inscritas. Na segunda etapa, as cinco imagens serão colocadas para votação popular entre os dias 17 e 27 de março: a mais votada pelo público será a escolhida.

Não será realizado nenhum repasse financeiro para a instituição selecionada, para o proprietário da imagem ou titular dos direitos autorais e de imagem do objeto retratado. Acesse o edital e seus anexos.

Sobre o FNM
O Fórum Nacional de Museus é organizado pelo Ibram e reúne, a cada dois anos, os diversos atores da área de museus do Brasil. Palestras, oficinas, grupos de trabalho, debates, entre outras atividades, compõem a programação. O tema deste ano será divulgado nas próximas semanas.

Cada edição também acontece em uma cidade diferente do país. Esta será a segunda vez que a região Sul recebe o Fórum Nacional de Museus: em 2008, Florianópolis (SC) recebeu o 3º FNM. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Nomeado o novo diretor do Museu das Missões no RS

Nesta terça-feira (31), foi publicada no Diário Oficial da União a portaria de nomeação do novo diretor do Museu das Missões, unidade do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em São Miguel das Missões (RS). Diego Luiz Vivian foi selecionado entre os candidatos inscritos na Chamada Pública nº 8, de 30 de setembro de 2015.

Diego Luiz Vivian

O historiador Diego Luiz Vivian é o novo diretor do Museu das Missões/Ibram no RS

Historiador com mestrado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Diego ingressou no Ibram após sua aprovação em concurso, realizado em 2010, e atua no Museu das Missões desde outubro daquele ano.

Lá, ele já foi responsável pelo Setor de Pesquisa Histórica e Arquivo do Museu das Missões, fazendo atendimentos especializados a pesquisadores e realizando pesquisas em arquivos e entrevistas de História Oral sobre a trajetória do museu e a formação do acervo museológico institucional.

Atuou ainda como Coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Museus e Comunidades no âmbito do Programa de Educação Museal (PNEM).

Nova gestão
Entre os desafios que ele enfrentará em sua gestão, estão a recuperação das edificações e do acervo museológico, danificados após um tornado atingir o museu em abril de 2016; revisar o Plano Museológico da unidade e consolidar a aproximação do museu com a comunidade de São Miguel das Missões.

“Trata-se do primeiro museu criado pelo Iphan, cujo projeto arquitetônico é de autoria do eminente arquiteto Lucio Costa”, conta Diego. “O Museu guarda a maior coleção pública de imagens missioneiras em madeira policromada dos séculos XVII e XVIII de todo o Mercosul e possui 75 anos de trabalho permanente com o patrimônio cultural. Espero estar à altura dos desafios dessa importante instituição museológica e contribuir para que o museu continue prestando relevantes serviços à sociedade”, afirma.

Atualmente o museu está em obras de recuperação das estrutura danificada pelo tornado. Apesar do sinistro, foi montada uma exposição temporária com doze imagens missioneiras em madeira policromada dos séculos XVII e XVIII, para visitação dos milhares de turistas e excursionistas que vão anualmente o museu que recebeu, em 2016, um público de 27. 425 pessoas.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Acervo pessoal

Matérias relacionadas
Museus da rede Ibram em três estados iniciam obras de requalificação
Nota pública sobre danos ao Museu das Missões provocados por temporal

Museus da rede Ibram em três estados iniciam obras de requalificação

Tiveram início nesta semana as obras de recuperação emergencial do Museu das Missões, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em São Miguel das Missões (RS), após tornado que atingiu o Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo no primeiro semestre deste ano – causando danos à estrutura e acervo do museu.

Operários cercam área do Museu das Missões onde haverá obras emergenciais

Operários cercam área do Museu das Missões para obras emergenciais

Na parte arquitetônica, a empresa responsável pela obra iniciou a montagem de tapumes para isolar o Pavilhão Lucio Costa e a Casa do Zelador durante as obras. A cobertura da Sacristia Velha também será restaurada.

Com recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na ordem de R$ 1,6 milhão, o prazo para a conclusão dos trabalhos das obras emergenciais é de aproximadamente três meses, com possibilidade de prorrogação, caso seja necessário, para a devolução do museu ao seu projeto original.

Projetado em 1940 pelo arquiteto Lucio Costa (1902-1998), o Museu das Missões é parte de sítio arqueológico considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

Reunindo representativa coleção pública de imagens sacras e fragmentos missioneiros do Mercosul, exibe ao público uma coleção da arte barroca elaborada pelos índios guarani nas reduções jesuíticas (séculos XVI e XVII).

Obras em MG e RJ
Outro museu da rede do Instituto Brasileiro de Museus que iniciou esta semana um processo de restauração integral foi o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais (MG).

A diretora do museu B.Constant com o presidente do Ibram em recente visita

A diretora do museu B.Constant, Eliane Carrilho, com Marcelo Araujo, presidente do Ibram, em recente visita ao museu antes do início das obras

A intervenção física será realizada com o intuito de preservar as características estruturais, formais e estéticas do museu, situado em antigo sobrado de fins do século XVIII, na cidade de Caeté, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1950.

O prazo previsto para a execução dos serviços será de 12 meses e o custo é de aproximadamente R$ 2,7 milhões. Saiba mais.

Já a primeira fase das obras de restauração no Museu Casa de Benjamin Constant, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), também já iniciadas, envolvem dois prédios históricos: a casa onde morou Benjamin Constant e a sede administrativa, a “casa amarela” – construídos nos séculos XIX e XX, respectivamente. Para esta primeira fase estão sendo investidos recursos de R$ 2,1 milhões por parte do Ibram.

O museu, que fica no bairro carioca de Santa Teresa, estará aberto ao público até o dia 30 de dezembro e sem data prevista para a reabertura.

Além desses museus, há atualmente obras em andamento no Museu Victor Meirelles, em Florianópolis (SC), e processos licitatórios para requalificação do Museu Regional de São João del-Rei (MG), Museu Casa Histórica de Alcântara (MA) e Museu Casa da Hera (RJ).

Atualmente, o Ibram conta com 29 museus federais sob sua gestão. Conheça os museus da rede Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Museu das Missões e Museu Casa de Benjamin Constant/Divulgação

Página 1 de 41234