Página 5 de 37« Primeira...34567...102030...Última »

Outubro das crianças: confira atividades de museus Ibram no Rio e Minas

Outubro é o mês em que se comemora o dia das crianças (12) e museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no Rio de Janeiro e Minas Gerais, prepararam atividades especiais para os pequenos.

Atividade de leitura na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial

Atividades na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial atraem crianças de Petrópolis

Nos dias 15 e 29, de 10h às 13h, tem ensaio aberto da Orquestra Filarmônica e Orquestra Villa Lobos e as Crianças no Museu da República no Rio.

A Jaca e a Jaqueira, a árvore que virou vilã é uma peça teatral que conta de forma bem humorada a história da vinda da jaqueira para o Brasil e de como, ao longo do tempo, transformou-se em problema, e A Praça, apresentação teatral do Coletivo Sem Ribalta. A peça será encenada nos dias 16, 26 e 30, sempre às 11h.

Em Petrópolis, A Biblioteca Rocambole, do Museu Imperial, também tem programação especial.  No dia 11, das 14h às 15h,  acontece leitura do livro As crianças vão ficar doidas!, de Tino Freitas, seguida de interação com jogos e fantoches da Biblioteca.

Livros e filmes
No dia 13, a comemoração do Dia das Crianças continua das 14h às 15h. A leitura dessa vez será do livro Toda criança gosta…, de Bia Hetzel e Mariana Massarani. Posteriormente será proposta uma oficina criativa sobre o tema. As atividades continuam ao longo do mês: confira a programação completa.

Já em Ouro Preto (MG), o Museu da Inconfidência realiza, de 10 a 14 de outubro, a oficina Cinema, brincadeira do criança!, que tem como objetivo aproximar crianças, de 9 a 12 anos, do cinema, através de oficinas, atividades de arte, exibição de filmes e bate-papo.

E o Museu Regional de São João del-Rei abre, no dia 11, a exposição Memórias da Infância, com brinquedos feitos de materiais como barro e papel, uma coleção de pipas e fotografias. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Imperial/divulgação

Museu do Amanhã recebe prêmio de Museu do Ano na América Latina

Na última sexta-feira (30), o Museu do Amanhã, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), recebeu, em Londres (Reino Unido), o Leading Culture Destinations Awards, premiação voltada para instituições, organizações artísticas e cidades que se tornaram destinos culturais e apresentaram contribuições exemplares para a vida cultural local.

MuseuAmanhaIniciativa da Prefeitura do Rio, realizado em conjunto com a Fundação Roberto Marinho e Banco Santander, com apoio do Ministério da Cultura via Lei Rouanet, o Museu do Amanhã foi premiado como Melhor Museu Do Ano da América do Sul e Central, que considera as instituições inauguradas e/ou reformadas nos últimos 15 meses; ficando ainda entre as três instituições com arquitetura mais inovadora do ano – pelo projeto idealizado pelo espanhol Santiago Calatrava.

Em sua terceira edição, o Leading Culture Destinations Awards premia ainda museus nas categorias Melhor Exposição, Melhor Restaurante, Melhor Loja e Melhor Museu Digital, premiando instituições nos cinco continentes.

Traveller´s Choice
A Pinacoteca de São Paulo foi considerada o melhor museu do Brasil e da América do Sul em votação de usuários do site TripAdvisor, plataforma de planejamento e reserva de viagens.

Segundo o Travellers’ Choice Museus 2016, o museu paulistano também ocupa a 19ª posição no ranking mundial. Outros museus brasileiros também estão entre os dez melhores da América do Sul, segundo os usuários: Inhotim, em Brumadinho (MG); o Instituto Ricardo Brennand, em Recife (PE); o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR); o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ); e o Museu do Futebol, em São Paulo (SP).

Texto: Ascom/Ibram

Museu da República inaugura mostra temporária O Olimpo é Aqui

O Museu da República/Ibram recebe, a partir do dia 4 de outubro, a exposição temporária O Olimpo é Aqui, com imagens reproduzidas de espaços da sua própria arquitetura.

O Palácio do Catete, nome pelo qual o Museu é conhecido, guarda em sua história resquícios de tempos mais antigos. O visitante com olhar atento percebe a grande influência da mitologia greco-romana na decoração do palácio. Essa foi a impressão de muitos cronistas do século XIX, que chamaram o palácio de “quase romano”.

No Brasil do século XIX, dominado pelo neoclassicismo na arquitetura e nas artes, o Império buscava construir uma identidade nacional com olhos na Europa, não na diversidade de seu povo e nas tradições da época da Colônia. O Palácio do Catete não foi exceção: os deuses que ornam os salões tinham como objetivo passar mensagens para todos aqueles que pudessem compreender esses símbolos.

A mostra fica em cartaz até 30 de janeiro de 2017. O Museu da República funciona de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h.

Raimundo Cela ganha exposição retrospectiva no MNBA

Imagem: Raimundo Cela, A Virada (1943) - óleo sobre madeira, 99 x 132 cm

Imagem: Raimundo Cela, A Virada (1943) – óleo sobre madeira, 99 x 132 cm

O Museu Nacional de Bela Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ),  abriu nesta quarta-feira (28), a exposição Raimundo Cela – um mestre brasileiro. Trata-se de uma retrospectiva do artista cearense, falecido em 1954,  na qual se apresenta um recorte expressivo da sua produção artística.

Raimundo Cela fez sua primeira exposição individual em 1945, no MNBA, durante a gestão de Oswaldo Teixeira.

Como lembra a atual diretora do museu, Monica Xexéo, “Cela, cujo trabalho é rigoroso, refinado e vibrante, possui uma trajetória própria e diferenciada de seus contemporâneos, como Antonio Bandeira e Aldemir Martins”, explica. “Exímio gravador, autor de escrita própria, suas obras, formalmente inovadoras, ultrapassam o tempo em que foram criadas”.

A exposição busca resgatar a obra de um realizador muito respeitado entre os estudiosos, mas pouco conhecido do público em geral.

Academicismo e abolição
São apresentadas cerca de 50 obras. Com curadoria de Denise Mattar, a mostra inicia com os primeiros trabalhos do artista, marcados pela influência do academicismo. Nessa fase, destaca-se a obra Último diálogo de Sócrates (1917), premiada no Salão Nacional de Belas Artes e que garantiu ao artista uma viagem a Paris, na França.

Um dos grandes destaques da exposição, o painel Abolição (1938), estará reproduzido na mostra em seu tamanho original. Primeiro estado brasileiro a abolir a escravatura, em 25 de março de 1884, o Ceará, também é retratado pelo artista através dos tipos da sua terra natal, representando pescadores, vaqueiros, rendeiras e os jangadeiros, como numa série de obras criadas entre 1940 e 1946.

A exposição Raimundo Cela – um mestre brasileiro fica em cartaz até o dia 20 de novembro de 2016 no MNBA (Av. Rio Branco, 199 – Cinelândia). Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação MNBA

ArtRio 2016: jardim do Museu da República recebe arte contemporânea

A edição 2016 da ArtRio, feira que reúne galerias nacionais e internacionais desde 2011 na capital fluminense, terá, pelo segundo ano consecutivo, o projeto Intervenções Bradesco ArtRio ocupando, com arte contemporânea, os jardins históricos do Museu da República/Ibram, no bairro do Catete.

Jose Bechara_MiniOxy

José Bechara expõe MiniOxy, da série Esculturas Gráficas (2007-2016)

Com curadoria da museóloga Isabel Portella, 14 artistas irão propor, entre os dias 27 de setembro e 2 de outubro, um diálogo entre as obras e a natureza local. A abertura acontece neste dia 27 (terça-feira), às 14h, e tem entrada franca.

“A ‘arte sem paredes’ como suporte, sem limites, sem portas de entrada, ganhando jardins e parques, proporciona diferentes e incontáveis leituras”, explica a curadora, “traduzindo o pensamento artístico do nosso tempo”.

Tombado em 1938, o jardim do antigo Palácio do Catete, que se espalha por uma área de 12 mil m², já passou por reformas, mas mantém o projeto original criado pelo paisagista francês Paul Villon (1841-1905), responsável por outros projetos na cidade do Rio de Janeiro, quando o palácio tornou-se sede da Presidência da República (1896).

Aproveitando o momento da ArtRio, no dia 27, a Galeria do Lago do Museu da República, dedicada a divulgar arte contemporânea, abre a exposição “Objetos Notáveis”, onde a artista visual Carla Chaim apresenta o resultado de um ano de pesquisa no museu, como parte do prêmio Foco Bradesco ArtRio 2015.

No dia 29, às 11h, acontece um encontro com a curadora Isabel Portella e a artista. A exposição pode ser visitada gratuitamente até o dia 27 de novembro. Saiba mais sobre o museu e como chegar.

Outros circuitos
Além do Museu da República, outros museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus integram os Circuitos Artísticos da ArtRio, que levam o público a conhecer roteiros de arte que estão em locais de visitação pública.

Intervenção de Adrianna Eu, Barco de cada um, no jardim do MR

Intervenção de Adrianna Eu, Barco de cada um, no jardim do Museu da República

O Museu da Chácara do Céu, em Santa Teresa, integra o circuito Museus e Espaços Culturais, com foco em arte moderna, popular e contemporânea.

O Museu do Açude, no Alto da Boa Vista, faz parte de dois roteiros: Circuito Tim Blue Man Group, com a azulejaria portuguesa presente no museu, e Circuito de Arquitetura – museus tombados, locais considerados “fundamentais na história da cidade e dos cariocas”. Neste circuito, inclui-se ainda o Museu Villa-Lobos/Ibram em Botafogo.

Já o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), na Cinelândia, integra o Circuito Artístico O Meu Rio. Para o curador Marcos Veloso o Rio é “repleto de lugares, de pequenas ‘quebradas’, de pontos quase imperceptíveis no mapa e de intensos e mutantes fluxos e trechos”.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Flávio Leão/Museu da República
Foto destaque: Trabalho de Flávio Cerqueira (Casa Triângulo) na intervenção 2015/Divulgação ArtRio

MNBA abre mostra Mostra Ver e Sentir através do Toque nessa sexta (9)

Divulgação MNBA

Divulgação MNBA

A mostra Ver e Sentir através do toque será aberta nesta sexta-feira (9) no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram, no Rio de Janeiro. A exposição possibilita uma apreciação estética de representações de quatro obras de arte do acervo do MNBA para pessoas cegas, com baixa visão e videntes. A mostra privilegia a subjetividade, para além da deficiência, incentivando a inclusão social.

A exibição integra o projeto “Ver e Sentir Através do Toque”, iniciado em 2007 e que se volta para a acessibilidade, a experimentação do objeto artístico e a leitura da obra de arte (utilizando o acervo do MNBA) às pessoas cegas, de baixa de visão, entre outras.

Compõem a mostra placas táteis em baixo relevo, maquetes e placas em EVA (material emborrachado) que possibilitam a apreciação estética para as pessoas cegas. As placas de gesso em alto relevo foram produzidas nos ateliers da UFRJ.

As obras que estarão expostas foram selecionadas tendo em vista gêneros diferentes dentro do Modernismo brasileiro e foram realizadas por: José Borges da Costa, Tarsila do Amaral, Manabu Mabe e Francisco Rebolo.

Para facilitar a visitação, as equipes do receptivo e de segurança foram capacitadas para o acolhimento e orientação dos visitantes. O material em braile da exposição contou com apoio da Secretaria de Pessoa com Deficiência, da prefeitura do Rio de Janeiro. A exposição fica em cartaz até 25 de setembro.

Caminhada Republicana ganha edição especial para as Olimpíadas

caminhadaolO Museu Casa de Benjamin Constant/Ibram, em parceria com o Museu da República/Ibram preparou duas edições da Caminhada Republicana para o período dos Jogos Olímpicos Rio 2016.  A atividade acontece nos dias 9 e 16 de agosto e os participantes passarão por diversos locais que marcam o Circuito Sítios Históricos da República, na cidade do Rio de Janeiro.

A atividade tem início da Estação do Bonde de Santa Teresa, com um passeio pelo bairro, seguido de visita ao Museu Casa de Benjamin Constant, Templo da Humanidade e Museu da República.

Serão distribuídas 30 senhas por dia, a partir das 7h30 na Estação do Bonde de Santa Teresa. Os telefones para informação são (21) 3970-1177 / 3970-1168.

Durante olimpíadas, exposição no MHN traz mostra da cultura popular brasileira

mhnPara o período dos Jogos Olímpicos Rio 2016, que terão abertura oficial nesta sexta-feira (5), o Museu Histórico Nacional (MHN), no Rio de Janeiro, programa exposição que oferece a brasileiros e estrangeiros a oportunidade de conhecer melhor a riquíssima cultura popular do país sede.

O Brasil na Arte Popular – 40 anos do Museu Casa do Pontal traz ao público parte do acervo exclusivo daquele que é considerado o maior museu de arte popular brasileiro, resultado de mais de 40 anos de viagens e pesquisas por todo o país do designer francês Jacques Van de Beuque.

A exposição conta com 150 esculturas que expressam a arte popular brasileira das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, que poderão ser visitadas de 12 de agosto a 30 de outubro.

Contestado – Oferecendo aos visitantes a oportunidade de conhecer melhor também detalhes da história brasileira, o MHN exibe, desde a última quarta-feira (3), a exposição Guerra do Contestado, Arte e História por Hassis: Em homenagem a Heidy de Assis.

Realizada em parceria com a Fundação Hassis e Museu do Contestado, a exposição, que aborda o conflito armado (1912-1916) travado entre Santa Catarina e Paraná, traz uma série de 78 desenhos feitos a nanquim, além de um documentário produzido pela Fundação Cultural de Santa Catarina e um vídeo do próprio artista.

Museu do Açude retoma Brunch Cultural neste domingo

Museu do Açude (RJ)

Museu do Açude (RJ)

Tradição incorporada ao circuito cultural carioca, o Brunch Cultural do Museu do Açude, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), retoma sua programação no próximo domingo (17).

Como de costume, a ação traz uma agenda repleta de artistas renomados para preencher com boa música as próximas tardes dominicais do Rio de Janeiro, abarcando o período dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

A primeira edição da nova temporada traz o músico, compositor e ensaísta José Miguel Wisnik. Com entrada gratuita, a apresentação acontece a partir das 13h30. Será oferecido buffet opcional, para o qual podem ser feitas reservas até a véspera através do e-mail reservabrunch@gmail.com.

Outras três edições do Brunch Cultural, sempre com entrada gratuita, estão agendadas para os dias 7/8, 21/8 e 11/9, quando se apresentarão no Museu do Açude, respectivamente, as cantoras Mart’nália e Leila Pinheiro e o cantor Zé Renato.

O Museu do Açude está localizado na Estrada do Açude, 764, no Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro (RJ). Mais informações pelo telefone (21) 3433-4990.

Museu da República comemora Dia Mundial do Meio Ambiente

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro, vai comemorar a Semana Mundial do Meio Ambiente com várias atividades para crianças e adultos. No dia o6 de junho, segunda-feira, o Museu recebe mais de 100 alunos da escola Vital Brasil que irão participar, junto com os visitantes do Museu, de atividades ligadas à preservação do meio ambiente.

Na programação os alunos e os visitantes do Museu vão conhecer o processo de compostagem, o controle de vetores (dengue, ratos e pombos), participar de uma oficina de reciclagem com garrafas pet e assistir a apresentação do grupo de teatro Chegando de Surpresa, da COMLURB.

Além disso, serão distribuídas mudas aos presentes, que farão também uma visita mediada pelo Jardim Histórico do Museu da República. As atividades começam às 9:30 da manhã no pátio interno do Palácio do Catete.

Página 5 de 37« Primeira...34567...102030...Última »