Página 30 de 37« Primeira...1020...2829303132...Última »

Museu Casa da Hera (RJ) dedica programação ao público infantil

O Museu Casa da Hera/Ibram, localizado no município de Vassouras (RJ), oferece programação especial para o público infantil durante as férias de janeiro.

Todos os projetos educativos regulares do museu ocorrerão no período como parte do projeto Férias no Museu, que acontece entre os dias 24 e 27 de janeiro. Exibição de filme, Contação de Histórias, Ecoclube e Clube de Leitura integram a programação.

Mais informações pelos telefones (24) 2471.2961/2930 ou pelo endereço eletrônico casadahera@museus.gov.br.

Texto e foto: Divulgação Museu Casa da Hera

Site internacional divulga história e exposições do MNBA

Especializado na divulgação de grandes exposições em cartaz pelo mundo, o site Artknowledgenews publicou ampla matéria sobre o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que integra a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Assinada por Juanita Solerno, a matéria cita a história do museu, inaugurado em 1938 por Gustavo Capanema, então ministro da educação do governo Getúlio Vargas. De acordo com o site Artknowledgenews, “o MNBA é uma das mais importantes instituições culturais do País, assim como um dos mais importantes museus de arte brasileira, particularmente rico na sua coleção de pinturas e esculturas do século 19”.

A abrangência do acervo, cujas primeiras peças chegaram ao Brasil com a corte portuguesa em 1808, também aparece como destaque na publicação.  Hoje são mais de 70 mil itens entre pinturas, esculturas, instalações, gravuras, fotos, mobiliário, entre outros.

Exposições
Estão em cartaz atualmente no MNBA as mostras Circo dos Sonhos (até 29 dez);  a retrospectiva de Monica Barki (Arquivo Sensível);  1978 – Desenhos de Claudio Valerio Teixeira; e a mostra coletiva Guilda de São Francisco

Em janeiro, quando o museu completa seus 75 anos, será inaugurada a exposição Modigliani: imagens de uma vida, que terá pinturas a óleo, esculturas, desenhos e fotografias do mestre italiano. A abertura está prevista para 31 de janeiro.

Atualmente, o museu está sendo divulgado na estação da Cinelândia, no metrô do Rio de Janeiro (foto), onde há uma grande  imagem da famosa galeria de Moldagens do MNBA. Segundo a empresa que administra o metrô,  cerca de 90 mil pessoas passam pela estação Cineländia todos os dias.

O Museu Nacional de Belas Artes localiza-se na Av. Rio Branco, 199, na Cinelândia (Rio de Janeiro, RJ), e está aberto à visitação de terça a sexta, das 10h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. Excepcionalmente, nos dias 30 e 31 de dezembro e 1ª de janeiro, o MNBA estará fechado. O ingresso custa R$ 8, sendo que aos domingos a entrada é franca.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA/Ibram

Museus da rede Ibram levam atividades culturais à população carcerária

O Museu Regional de Caeté/Ibram iniciou uma parceria inédita com o presídio da cidade mineira de Caeté.

O objetivo é levar à população carcerária atividades educativas e culturais por meio de uma programação especial que está sendo desenvolvida pelo museu.

A parceria teve início com uma visita musicada, na qual os detentos aprenderam sobre cinco diferentes instrumentos musicais e ouviram diferentes estilos de músicas, incluindo peças musicais do século XVIII. Além de proporcionar um momento de cultura e lazer, a iniciativa visa configura-se ainda como uma ferramenta de reinserção social para os detentos. Saiba mais.

Nossa História
No âmbito do Programa de Exposições Itinerantes do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), desenvolvido numa parceria dos setores de Museografia, Projetos Sociais e Educativa, a exposição Brasil Nossa História chega a 160 internos da Penitenciária Vieira Ferreira Neto, localizada no Fonseca, em Niterói (RJ).

A exposição, aberta dia 7 de dezembro, poderá ser vista pelos funcionários, apenados e seus familiares até o dia 22 de dezembro e pretende criar interesse para os que frequentam a escola da penitenciária. A exposição conta ainda com monitores locais treinados pela equipe do MHN/Ibram para dar suporte aos visitantes. Mais informações sobre o Museu Histórico Nacional aqui.

Fonte: Divulgação Museu Regional de Caeté e MHN/Ibram
Foto: Museu Regional de Caeté/divulgação

Museu Histórico Nacional (RJ) exibe Água e Tristeza do Infinito

Com curadoria artística de Marcello Dantas e curadoria científica de Gustavo Accacio e Mário Domingos, O Museu Histórico Nacional/Ibram recebe a exposição Água, que trata da relação entre a água e o planeta, aliando ciência, arte e tecnologia. A exposição estará aberta ao público de 23 de novembro a 22 de março de 2012.

Serão apresentadas instalações interativas, obras de arte, peças de acervo museológico, aquários virtuais e instalações audiovisuais, que ocuparão os 1mil m² de galerias ao redor do Pátio dos Canhões.

A exposição ficou em cartaz seis meses em São Paulo e atraiu 240 mil visitantes. Entre as principais atrações, está a simulação de uma enchente de grandes proporções numa casa, podendo mo público nela entrar em pleno temporal.

Idealizada e realizada pelo Instituto Sangari, Água tem patrocínio da IBM e o co-patrocínio da AMIL e do Movimento Cyan da AMBEV. A exposição tem ingresso em separado, com direito a visitar as exposições do Museu. Quem não quiser visitar a exposição, continua adquirindo o ingresso normal do MHN. Saiba mais.

Óleo sobre tela
Segue em cartaz a exposição Tristeza do Infinito, realizada com o apoio da Associação de Amigos do Museu Histórico Nacional, reunindo trinta telas à óleo do artista plástico e restaurador Luiz Fernando de Carvalho Abreu.

Sob a inspiração da leitura de textos poéticos de Cruz e Souza, o artista transformou a leitura em ação, criando desenhos, composições, transparências e figuras que “falam, sentem e transmitem ao expectador a tristeza do infinito”. A exposição estará em cartaz até 26 de fevereiro de 2012.

Luiz Fernando de Carvalho Abreu é carioca, formado pela Escola de Belas Artes/UFRJ com especialidade em restauração. Com exposições individuais e coletivas, realizadas no Rio de Janeiro e em Barcelona, Luiz Fernando é responsável pela Oficina de Pintura do Laboratório de Restauração do Museu Histórico Nacional desde 1985.

Textos e fotos: Divulgação Museu Histórico Nacional

Museus Ibram/MinC comemoram Dia Internacional dos Direitos Humanos

Dois museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) têm programação gratuita em torno do Dia Internacional dos Direitos Humanos. 10 de dezembro foi a data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1950 para lembrar a importância da Declaração Universal do Direitos Humanos como marco regulador das relações entre governos e pessoas.

O Museu da Abolição/Ibram, localizado no Recife (PE), promove no próprio dia 10 de dezembro, uma mostra de música que celebra a data: Abolisound. Haverá shows das 10h às 22h, com a apresentação de bandas que utilizam o Laboratório de Experimentação Musical do Museu da Abolição – projeto que oferece espaço gratuito para músicos criarem e compartilharem suas composições.

As exposições do museu também estarão abertas ao público. Haverá ainda uma feira de artesanato das 15h às 22h.  O Museu da Abolição localiza-se à Rua Benfica, n° 1150, Madalena. Saiba mais.

 

Tradições populares
Já em Vassouras (RJ), o Museu Casa da Hera/Ibram, nos dias 9 e 10 de dezembro, organiza atividades em torno do tema Igualdade de Direitos – cujo intuito é ampliar o debate acerca da luta contra o preconceito a partir da valorização das manifestações culturais.

No dia 9 apresentam-se grupos que cultivam tradições que remontam ao século XIX no Vale do Paraíba fluminense, como jongo (foto), maculelê e capoeira. E no dia 10 acontecem palestras com representantes da Universidade Severino Sombra, Memorial Judaico de Vassouras e Conselho Estadual dos Direitos dos Negros. O evento conta ainda com apoio da prefeitura local. Veja a programação completa.

Texto: Divulgação museus Casa da Hera e Abolição
Foto: Casa da Hera/divulgação

Museu de Belas Artes (RJ) abre retrospectiva de Monica Barki

Os 30 anos de trajetória da artista plástica carioca Monica Barki serão comemorados com uma exposição retrospectiva no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram e no livro homônimo Monica Barki – Arquivo Sensível, que será lançado também este mês. A abertura acontece no dia 8 de dezembro, às 18h30. A exposição pode ser visitada de 9 de dezembro de 2011 a 29 de janeiro de 2012.

Com Curadoria de Luiza Interlenghi e organização do produtor de arte Paulo Branquinho, a mostra contará com 127 trabalhos abrangendo todas as fases da carreira de Monica Barki: desenhos, estudos com colagem, gravuras, pinturas, assemblages, ensaios fotográficos, vídeos e máquinas em diferentes técnicas e dimensões.

Junto a trabalhos conhecidos somam-se seis desenhos inéditos que integram a série mais recente de Monica, iniciada em agosto de 2009. “Continuo trabalhando o tema das mulheres. Hoje elas estão mais preocupadas em se fortalecer… até fisicamente”, diz a artista.

 Nascida no Rio de Janeiro, Monica Barki entrou para o mundo das artes aos 12 anos, matriculada no Ateliê Infantil de Ivan Serpa. Desde então apresentou suas obras em 29 mostras individuais e cerca de 100 coletivas, no país e no exterior, incluindo participação na Bienal Internacional de São Paulo, em 1991. Suas obras encontram-se em coleções de vários museu brasileiros. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA/MinC

Mostra Especialmente Arte no MART em Cabo Frio (RJ)

A III Mostra Especialmente Arte acontece no Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART/Ibram), em Cabo Frio (RJ), entre 9 e 11 de dezembro. A mostra é uma parceria com a Prefeitura Municipal de Cabo Frio e a Secretaria de Assistência Social, através do Departamento de Apoio à Deficiência.

As peças foram elaboradas pelos jovens portadores de deficiência da Oficina de Mosaico do CPED (Centro de Profissionalização para Pessoas com Deficiência). A exposição tem o propósito de divulgar o trabalho realizado na oficina, bem como promover a integração do público com o universo criativo destes artistas.

A abertura acontece às 19h do dia 8. Na sexta (9), estará aberta das 10h às 17h, e no fim de semana, das 13h às 17h. A entrada é franca.

Fonte: Divulgação MART/Ibram

Museu da República ganha edição na série Museus Brasileiros

O Museu da República/Ibram, localizado no Rio de Janeiro (RJ), é o tema da 30ª edição da série de livros Museus Brasileiros, produzida pelo Instituto Cultural Safra desde 1982. A publicação foi lançada na terça-feira (22), na sede da instituição.

Financiado com o apoio do Ministério da Cultura (Lei Rouanet), o livro traz informações sobre a história e acervo da instituição, instalada no antigo Palácio do Catete – sede da Presidência da República de 1897 até a transferência da capital federal para Brasília, em 1960.

Nas 360 páginas da publicação estão reproduzidos, em fotos, alguns dos mais representativos objetos, documentos e ambientes que remetem à história da República. Entre os destaques estão o Arquivo Histórico, que reúne cerca de 90 mil documentos relacionados à história da República, o famoso jardim do Palácio e o quarto que reproduz o ambiente em que Getúlio Vargas cometeu suicídio em 1954.

Fonte: Divulgação Instituto Cultural Safra

Projeto mensal prevê visita aos bastidores do Museu Imperial (RJ)

Os participantes do projeto O Museu Que Não Se Vê, desenvolvido pelo Museu Imperial/Ibram, tiveram a oportunidade de conhecer um acervo diferente no dia 18 de novembro: os itens relacionados à fotografia guardados nos setores técnicos.

A atividade fez parte do festival de fotografia Clic! Petrópolis, que acontece na cidade até 27 de novembro, e esteve integrada ao projeto mensal que revela os bastidores do Museu Imperial, apresentando os setores técnicos e o acervo que não fica exposto no palácio.

A edição especial apresentou ao público livros sobre fotografia, periódicos, álbuns, câmeras antigas e imagens capturadas com diversas técnicas fotográficas, como daguerreótipo e ambrótipo. Os participantes tiveram até mesmo a oportunidade experimentar um estereoscópico, técnica do início do século XX que permite visualizar fotografias em três dimensões.

Além do acervo da Biblioteca, do Arquivo Histórico e do Setor de Museologia, os visitantes conheceram o Laboratório de Conservação e Restauração, que preserva todo esse acervo, e o Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Projeto DAMI), que digitaliza e disponibiliza no site do Museu as coleções guardadas na instituição.

A participação no projeto é gratuita e pode ser agendada pelo telefone (24) 2245-4668 ou pelo e-mail mimp.someluz@museus.gov.br. São realizadas visitas toda última quarta-feira do mês, das 9h e das 14h. Mais informações aqui.

Texto e fotos: Divulgação Museu Imperial

Página 30 de 37« Primeira...1020...2829303132...Última »