MHN apresenta exposição ´Cartazes de viagem, 1910-1970 Coleção Berardo´

O Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), exibe, até 17 de janeiro de 2016, a mostra Cartazes de viagem, 1910-1970 Coleção Berardo. Com curadoria de Marcio Alves Roiter, do Instituto Art Déco Brasil, e de Paulo Knauss, diretor do MHN, a exposição faz parte do evento Rio como Destino.

Divulgação www.riocomodestino.com.br

Divulgação www.riocomodestino.com.br

A mostra traz 40 cartazes, que levaram 40 anos para serem reunidos. Encontrados em leilões e galerias de arte de diversos pontos do mundo, sobretudo Paris, Londres e Nova York, os exemplares pertencem à Coleção Berardo e retratam o período em que o Rio de Janeiro foi porta de entrada da América Latina para os viajantes que vinham da Europa e dos Estados Unidos.

Para conquistar cada vez mais novos turistas, as companhias marítimas e aéreas usavam a beleza da cidade como artifício: contratavam artistas para pintar paisagens maravilhosas em cartazes divulgados mundo afora.

Nas primeiras décadas do século 20, muitos cartazes e cartões-postais foram produzidos para levar o espírito do Rio para outras cidades e países.  “Eram companhias estrangeiras, na maioria, com a exceção da Panair e da Varig, vendendo o Rio para viajantes. Isso fica claro nos diferentes idiomas utilizados nos cartazes, que nem sempre acompanham a origem da companhia aérea ou marítima”, explicou Marcio Alves Roiter, curador da mostra.

Especialistas de 50 países discutem Proteção e Promoção de Museus e Coleções

Especialistas de 50 países reúnem-se entre 11 e 13 de julho, no Rio de Janeiro (RJ), para realizar estudo preliminar sobre a Proteção e Promoção de Museus e Coleções.

Organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em parceria com a Unesco, o evento conta ainda com o apoio do Programa Ibermuseus e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Um dos objetivos do encontro será discutir a viabilidade de se adotar um instrumento normativo internacional que minimize a vulnerabilidade dos museus e das coleções a situações de risco em todo o mundo. Haverá transmissão em tempo real pela internet aqui.

Esta é a primeira vez que uma reunião deste porte é realizada para discutir o tema. A necessidade de promover o debate internacional sobre a proteção do patrimônio museológico e das coleções surgiu a partir da percepção de que há um ‘descompasso’ entre a relevância dos museus para a educação, ciência, cultura e desenvolvimento, e a ‘fragilidade’ das medidas para protegê-los. Estão disponíveis os documentos da Unesco (em inglês) e do Ibram (em português) que serão objeto de discussão.

Participantes
Diretores de museus nacionais e internacionais, representantes governamentais dos países, organismos internacionais e intelectuais da área de museus foram convidados como observadores e especialistas.

Indicados pelo Secretariado da Unesco, os especialistas participantes foram divididos de acordo com os cinco grupos regionais da Organização das Nações Unidas (ONU). Até três representantes por grupo regional estarão presentes, totalizando 15 especialistas. Veja aqui a programação.

Esta reunião é resultado da aprovação da proposta de resolução incluída, pelo governo brasileiro, na pauta da Comissão de Cultura da 36ª Conferência Geral da Unesco, que aconteceu em novembro de 2011. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação