Página 1 de 212

Financiamento: CNIC aprovou captação de recursos para 20 projetos na área museal

A 224ª Reunião da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), que teve lugar em Paulínea (SP), entre os dias 2 e 4 de setembro, aprovou 20 projetos na área de museus, sendo autorizado o valor total de R$ 46.656.067,82 a ser captado via mecanismo de renúncia fiscal da Lei Rouanet.

Os projetos da área museal foram analisados tanto pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) quanto por outras instituições vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC).

Além de planos anuais de manutenção de museus, foram aprovados projetos como a construção e instalação do Museu Histórico e Cultural de Rio Claro (SP); a preservação da memória da dança brasileira, através do portal Museu da Dança; a produção de um livro, em três volumes, sobre os 10 anos do Instituto Inhotim (MG); assim como uma proposta de criação de espaços culturais dentro das escolas ou áreas afins no Estado do Rio de Janeiro (RJ).

Dentre as exposições aprovadas para captar recursos estão duas itinerantes: a evolução da informática no Brasil e no mundo, feita pelo Museu do Computador (SP), e outra com 22 obras do artista Aldemir Martins (1922-2006) sobre futebol.

Há mostras ainda sobre o poeta baiano Gregório de Matos Guerra (1636-1696), no Museu da Língua Portuguesa (SP), e uma exposição fotográfica sobre os hábitos e costumes dos brasileiros nos últimos 100 anos, a ser realizada pelo Museu das Comunicações Hipólito José da Costa (RS), dentre outras.

Confira todos os projetos aprovados na reunião da CNIC de setembro. No mês de outubro, ela irá acontecer em Brasília (DF), entre os dias 7 e 9. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Comissão sobre a obra de Aleijadinho teve primeiro encontro em MG

Criada no dia 18 de agosto, com a publicação da Portaria Institucional Nº 1, de 14 de agosto de 2014, a Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi instalada oficialmente na última quinta-feira (28), durante encontro em Belo Horizonte (MG).

Selo_Aleijadinho

Selo lançado pelos Correios em 1964 homenageia o mestre barroco

Participaram do encontro o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, e especialistas designados para compor a comissão.

Durante a primeira reunião de trabalho, foram traçadas as linhas gerais de atuação da comissão, que terá como atribuição subsidiar as instituições federais sobre medidas a ser adotadas para consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra de Aleijadinho – considerado o maior expoente da arte colonial no Brasil.

Os resultados esperados do trabalho da comissão incluem a atualização e consolidação da biografia e das fontes documentais existentes sobre Aleijadinho; a proposição de metodologia para a produção de catálogo geral da obra arquitetônica, monumental e escultórica do artista; e orientações sobre o alcance jurídico dos estudos e das medidas sugeridas.

Levantamento
Na primeira etapa, o trabalho da comissão será concentrado em promover o levantamento de todas as informações e documentos disponíveis sobre a obra de Aleijadinho.

“Já determinei ao nosso Departamento de Processos Museais que promova o levantamento de todas as obras musealizadas de Antônio Francisco Lisboa, que se encontram em museus de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo”, explicou o presidente do Ibram , Angelo Oswaldo.

As atividades da comissão serão monitoradas pelo Departamento de Processos Museais do Ibram e pelo Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Iphan. Os resultados serão reportados ao Conselho Consultivo do Iphan e ao Conselho do Patrimônio Museológico do Ibram.

Composto por três profissionais de notório reconhecimento na temática que será objeto de trabalho da comissão e tendo a historiadora da arte Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira como consultora ad hoc, o grupo poderá solicitar o apoio de especialistas para o atendimento de seus objetivos.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação/Internet

Matéria relacionada
Portaria interinstitucional cria comissão especial para a obra de Aleijadinho

Governos buscam saída para pedido de desocupação do Museu da Maré

Na tarde de ontem (27), representantes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro e do Instituto Pereira Passos, ligado à Prefeitura do Rio, estiveram no Museu da Maré, localizado no Complexo da Maré, na capital fluminense.

Representantes das três esferas do executivo em reunião com direção do Museu da Maré

Representantes das três esferas do executivo em reunião com a direção do Museu da Maré

A visita teve por objetivo encontrar uma solução para o pedido de desocupação do galpão industrial que o museu ocupa desde 2006, devido ao fim de comodato estabelecido com a Companhia Libra de Navegação – proprietária do espaço antes utilizado para o reparo de peças navais.

Considerado referência internacional para a Museologia Social, por lidar com o registro, preservação e divulgação da história das comunidades da Maré, o museu mantém uma exposição permanente, além de desenvolver atividades lúdico-educativas, oficinas e outras ações em torno da memória social.

Ação conjunta
Para o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, que esteve no local, “a reunião foi positiva: estamos propondo uma ação integrada entre os executivos federal, estadual e municipal para que possamos encontrar um espaço de diálogo com os proprietários do imóvel”, acredita. “O Museu da Maré é uma conquista e atraí a atenção de pesquisadores e frequentadores de museus de todo o mundo”.

A preparação de nota técnica pelo professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e Museólogo do Museu da República Mário Chagas, sobre o papel relevante do “museu de favela” para a memória social da cidade, assim como um pedido de encontro entre os proprietários do imóvel e os representantes do poder público, a ser feito pela direção do museu, foram alguns dos encaminhamentos do encontro. Saiba mais sobre o Museu da Maré.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Representação Ibram Rio

Comitê Gestor do SBM se reúne pela primeira vez após nomeação

Comitê Gestor do SBM

Reunião do Comitê Gestor do SBM

A primeira reunião do novo Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) aconteceu na quinta-feira (29), na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília.

Nomeado no dia 16 de abril por portaria da Ministra da Cultura (MinC), o comitê é composto por 23 representantes de ministérios, autarquias vinculadas ao MinC, sistemas de museus, conselhos e associações de classe, museus privados e comunitários, além de universidades.

Os membros possuem mandato de dois anos, sendo permitida uma recondução. O SBM tem suas finalidades previstas na lei nº 11.904/2009, que instituiu o Ibram, tendo sido regulamentado pelo decreto nº 8.124/2013, que esclarece que o comitê gestor tem o papel de propor diretrizes e ações, apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro e aprovar a inclusão no sistema de participantes que não sejam museus.

Nesta primeira reunião, os membros se apresentaram e conheceram um pouco mais sobre o trabalho do Ibram, através da fala dos diretores do instituto. Também foram formados grupos para trabalharem os temas pertinentes ao Comitê: o decreto 8.124/2013 e Regimento Interno do Comitê Gestor; Registro e Cadastro Nacional de Museus; Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro e Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Servidores em greve compareceram à reunião, solicitando apoio do Comitê, e os membros do colegiado votaram uma moção favorável às reivindicações e à valorização da carreira do Ministério da Cultura. A próxima reunião do Comitê acontecerá durante o Fórum Nacional de Museus (FNM), em data a ser definida.  Na ocasião, serão apresentadas as discussões realizadas pelos GT’s, bem como novas deliberações.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico divulga nota após reunião

A primeira reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram, que aconteceu após a posse dos novos conselheiros no dia 11 de abril, em Brasília (DF), teve como resultado uma nota assinada por todos os representantes presentes e pelo presidente do Instituto Brasileiro de Museus, também presidente do conselho, Angelo Oswaldo.

Conselho teve primeira reunião após a posse dos novos membros

Conselho teve primeira reunião após a posse dos novos membros

Tendo em conta a importância do Estatuto de Museus como “instrumento fundamental para a valorização do patrimônio museológico brasileiro”, a nota registra o interesse dos membros “no aperfeiçoamento dos dispositivos legais do Decreto nº 8124″, que regulamenta o Estatuto de Museus, “visando instrumentalizar o instituto para o cumprimento de sua missão”.

Por se tratar de um conselho formado por representantes de entidades culturais assim como da sociedade civil, o documento reconhece ainda ” a importância estratégica do colecionismo privado para o desenvolvimento da cultura brasileira” e destaca que serão feitos esforços para que o colecionismo seja valorizado “inclusive por parte dos poderes públicos”.

No último aspecto, o conselho garante que serão feitas sugestões para o “aprimoramento da Declaração de Interesse Público e de seus consequentes direitos, nos quais se inclui o de preferência”. Leia o documento na íntegra.

A próxima reunião ordinária deve acontecer durante o 6º Fórum Nacional de Museus, programado para o segundo semestre.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico tomou posse em Brasília

CNIC 2014: projetos na área de museus poderão captar mais de R$ 18 milhões

Realizada em Brasília (DF) entre os dias 11 e 13 deste mês, a 217ª reunião da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) – a primeira realizada em 2014 – autorizou a captação de mais de R$ 18,2 milhões para projetos na área de museus.

Foram analisados 20 projetos com foco no setor, dos quais 16 foram aprovados. Sete deles foram analisados pelo Ibram, que aprovou cinco ações: Museu do Torcedor, Exposição do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim, Alfredo Volpi – catalogação completa das obras, Memorial da Segurança do Transporte no Brasil e Museu de Arte do Rio – Plano Anual 2014.

Os demais projetos foram aprovados por outras autarquias vinculadas ao MinC e incluem ações para obras de restauro e acessibilidade, manutenção, digitalização de acervos, além da realização de exposições e outros eventos. O valor total autorizado para captação foi de R$ R$ 18.209.117,71.

Formada por representantes da sociedade civil e do Estado, a CNIC é o órgão colegiado que tem a missão de subsidiar as decisões do Ministério da Cultura (MinC) na aprovação dos projetos culturais, com vistas a captação via renúncia fiscal.

A próxima reunião será realizada em São Luis (MA) entre os dias 18 e 20 de Março, dando continuidade à itinerância dos encontros, com o objetivo de incorporar a diversidade brasileira na pauta.

Texto: Ascom/Ibram

Em Brasília, Pontos de Memória fizeram avaliação conjunta de ações

Representantes de 12 Pontos de Memória de todas as regiões do Brasil estiveram reunidos durante esta semana na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em Brasília (DF).

Formado pelas iniciativas pioneiras que integraram o chamado Projeto Piloto do Programa, iniciado em 2009, o grupo realizou entre os dias 10 e 12 uma avaliação conjunta de seu desenvolvimento junto às comunidades envolvidas.

Avaliação dos Pontos de Memória pelos próprios participantes do projeto

Avaliação dos Pontos de Memória pelos próprios participantes do projeto

Durante os três dias de debates, que contaram com a participação de servidores do Ibram e consultores, foram levantadas as conquistas obtidas pelo Pontos de Memória nos últimos anos e os principais desafios a serem enfrentados.

Os avanços mencionados pelo coletivo incluem a valorização e afirmação das comunidades em seus territórios, o aumento da mobilização comunitária e o amadurecimento das iniciativas de memória locais.

Dentre os desafios, foram listados a falta de recursos financeiros e humanos, a carência de comunicação e intercâmbio entre as iniciativas com o Ibram,  assim como a rotatividade de servidores no instituto, e a necessidade de melhor sistematização das informações sobre o programa.

“Essa avaliação também se projeta para o futuro, para a construção e gestão compartilhada dos Pontos de Memória. Queremos a melhoria e continuidade dos pontos”, reforçou a representante do Museu do Taquaril, de Belo Horizonte (MG), Leila da Silva.

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, que ouviu do grupo a demanda para que os Pontos de Memória se tornem uma política de Estado, reafirmou, no encerramento do encontro, seu compromisso com o programa. “Os Pontos de Memória despertaram a compreensão nas comunidades do papel iluminador que a memória possui”, lembrou.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Presidente do Ibram vai debater no Rio decreto que protege coleções

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, estará nesta sexta-feira (13), às 14h30, no Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), com o objetivo de discutir e esclarecer dúvidas sobre o recém aprovado Decreto 8.124/2013, que regulamenta o Estatuto de Museus.

O encontro que vai acontecer no auditório do museu, no bairro do Catete, é o segundo que o órgão promove para tratar do assunto e deve reunir especialmente colecionadores, diretores de museus e outros representantes do setor.

Museu da República (RJ)

Encontro acontece no Museu da República (RJ)

No dia 29 de novembro, Angelo Oswaldo esteve em São Paulo (SP) com um grupo de artistas, galeristas e colecionadores para esclarecer sobre pontos do decreto que têm despertado dúvidas, especialmente o que trata da Declaração de Interesse Público.

“A declaração de interesse público visa preservar a memória de acervos e de bens, sem afetar sua comercialização e localização. O objetivo é proteger o patrimônio cultural, integrado ou não aos museus”, explica o presidente do Ibram, que solicitou ao grupo a construção de um documento com as principais dúvidas em relação ao decreto. Saiba mais.

Para o diretor do instituto Itaú Cultural, Eduardo Saron, que participou do encontro e será responsável por formatar o documento, a reunião foi muito produtiva. “Conseguimos nos entender e abrir um importante canal de diálogo com o governo”, disse. Para outras informações escreva para faleconosco@museus.gov.br.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Colegiado do setor de museus se reúne para debater propostas da III CNC

Participantes da III Conferência Nacional de Cultura (CNC) pelo setor de Museus e Memória, dentre delegados, convidados e observadores, estão reunidos nesta quarta-feira (27) para debater as propostas do setor para o evento, que tem abertura hoje a noite em Brasília. O encontro acontece ao longo do dia na sede do Ibram e teve, na abertura, a participação do presidente do instituto, Angelo Oswaldo, e de representantes dos departamentos do instituto.

Reunião sobre os museus na Conferência de Museus acontece no Ibram

Reunião sobre os museus na Conferência de Museus acontece no Ibram

Oswaldo destacou a necessidade de demarcar a presença  do setor de museus e memória na conferência. “Precisamos ocupar os espaços e garantir para os museus uma posição de ponta de lança” enfatizou.

Ele destacou ainda que o Ibram vive um momento de fortalecimento a partir da publicação do decreto 8.124/2013, já que essa norma dá conteúdo aos princípios já colocados no Estatuto de Museus e possibilita sua efetiva implantação. Saiba mais.

O colegiado vai debater um panorama dos eixos temáticos da III CNC e também analisar as propostas e os principais pontos a serem tratados nos Grupos de Trabalho e plenárias durante o evento. Acompanhe as últimas notícias da III CNC na página do Ministério da Cultura.

Texto e foto: Ascom/Ibram

CNIC em agosto aprovou captação de R$ 9,4 milhões para projetos em museus

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) aprovou em sua 212ª reunião, que aconteceu em Brasília (DF), no dia 7 de agosto, a captação via renúncia fiscal de cerca de R$ 9,4 milhões para projetos na área de museus.

Foram aprovados 14 projetos, além de terem sido apreciados recursos e readequações. Os projetos aprovados destinam-se a ações de construção, reforma, manutenção e virtualização de museus, além da realização de exposições, produção de publicações e organização de eventos culturais.

A 212ª Reunião Ordinária da CNIC analisou um total de 369 projetos culturais que pleitearam a autorização para captação de recursos com apoio na Lei Rouanet. Foram aprovados 326 deles, que somam um valor total superior a R$ 252, 5 milhões. Os projetos são nas áreas de Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Humanidades, Música e Patrimônio. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Página 1 de 212