Página 1 de 3123

Ministro da Cultura participa de reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

Ministro da Cultura (centro), durante reunião do Comitê de Gestão do Ibram

O ministro da Cultura, Roberto Freire, reiterou, nesta quinta-feira (8), sua disposição para o diálogo e para o fomento das ações a serem desenvolvidas pelas instituições museológicas.

Freire esteve presente à reunião do Comitê de Gestão do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), reunido nos dia 7 e 8, na sede do Ibram, em Brasília, que é formado por diretores de departamentos e diretores dos 29 museus diretamente vinculados à instituição.

Nesta primeira reunião, realizada sob a presidência de Marcelo Araujo, os participantes discutiram o planejamento estratégico e orçamentário do Ibram para 2017. Foram ainda apresentadas e avaliadas propostas para a gestão interna e políticas públicas voltadas ao setor de museus.

Roberto Freire defendeu a valorização de ações que sejam mais duradouras. “O Ibram cuida do que há de mais permanente, que é a memória, a história nacional”, ressaltou.

Ele afirmou que sua gestão irá respeitar a “excelência técnica” dos órgãos vinculados ao MinC, na tomada das decisões referentes a cada área. “Minha gestão não irá discriminar nenhuma pessoa por suas convicções políticas. Nossa preocupação é com o desenvolvimento do País naquilo que nos compete”, afirmou. Leia mais.

Patrimônio museológico
Na terça-feira (6), também no Ibram, aconteceu mais uma reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico – a primeira na atual gestão.

Pauta do CCPM Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Declaração de interesse público para bens culturais é uma das atribuições do CCPM

Integrado por 21 representantes do governo e sociedade civil, o conselho tem a atribuição, entre outras, de definir bens culturais e coleções que deverão ser declarados de interesse público, ampliando assim suas garantias de preservação e manutenção.

A pauta do encontro incluiu apresentação dos projetos e diretrizes da atual presidência do Ibram, que também preside o conselho, além de deliberações sobre propostas e ações ligados ao tema.

Marcelo Araújo relembrou que o Ibram é uma instituição recente, criada em 2009 a partir de um desmembramento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Desde então, compartilhamos com o Iphan essa missão de preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro”, disse.

“O Ibram tem uma dupla função, uma vez que é responsável pela gestão dos 29 museus e pelo Sistema Nacional de Museus, que engloba cerca de 3.500 instituições museológicas em todo Brasil”, concluiu o presidente do Ibram.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Fotos; (1) Janine Moraes-MinC/(2): Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

 

Integrantes da nova gestão do SBM participam de primeira reunião em Brasília

Reunião aconteceu na sede do Ibram em Brasília

A atual gestão do Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) reuniu-se nos dias 1º e 2 de dezembro na Sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília (DF).

Em pauta, a apresentação do presidente do Ibram, Marcelo Araujo, das perspectivas para sua gestão; uma apresentação do panorama orçamentário e financeiro do Ibram; a organização do 7º Fórum Nacional de Museus, em 2017; a apresentação de estudo sobre o papel do Comitê Gestor do SBM e o processo de adesão ao SBM por meio do Registro de Museus, instrumento lançado pelo Ibram.

O Comitê, que tem como papel propor diretrizes e ações, apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro.

É presidido pelo Presidente do Ibram e tem como membros representantes de sistemas de museus, conselhos e associações de classe, museus privados e comunitários, além de universidades, ministérios e autarquias vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC). Saiba mais sobre o SBM.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Impressão 3D é tema de encontro no Museu Victor Meirelles

10.11lunaticosO Museu Victor Meirelles/Ibram, em Florianópolis, recebe na próxima terça-feira, dia 10 de novembro, às 19 horas, mais uma reunião aberta do grupo Os Lunáticos de palestras e debates científicos. O tema desta reunião é Impressão 3D – Potencialidades de uma Revolução Tecnológica, que abordará as potencialidades de uso desta tecnologia não só pela indústria, mas também pela medicina e nas artes. A atividade faz parte do projeto Agenda Cultural do museu e tem entrada gratuita.

Na reunião, três expositores falarão sobre o tema. Os convidados desta edição são Eduardo Beltrame, Thomaz Borges e Diego de los Campos, todos ligados de diversas maneiras ao tema da impressão 3D, cada um na sua área de atuação. Eduardo Beltrame é técnico em eletrônica pelo Instituto Federal de SC e aluno de química da UFSC, onde trabalhou com matemática, biologia molecular e química computacional. Estudou por um ano na Brandeis University, nos EUA, onde trabalhou com neurociência e biofísica. Eduardo falará sobre a sua experiência naquela universidade, onde foi presidente do Clube de Impressão 3D da instituição.

Thomaz Borges é engenheiro mecânico com doutorado em energias renováveis. Desde 1991 trabalha como pesquisador e empresário no desenvolvimento tecnológico de equipamentos para aproveitamento de energia renovável e conservação de energia. Diego de los Campos é formado pela Faculdade de Artes da Universidade da República, no Uruguai. Desde 1999 no Brasil, participa de exposições de arte contemporânea com trabalhos em vídeo, animação, desenho e arte sonora. Sua área de atuação é animação, fotografia e instalação cinética, cujos trabalhos compõem atualmente uma exposição itinerante em Santa Catarina, em parceria com a rede Sesc.

O encontro acontecerá na Sala Multiuso, no terceiro andar do prédio anexo do Museu Victor Meirelles. Informações: (48) 3222-0692 ou pelo e-mail mvm@museus.gov.br

Os Lunáticos

O grupo foi fundado com inspiração na Sociedade Lunar, uma espécie de confraria criada na cidade de Birmingham, na Inglaterra. O então clube de discussão e sociedade científica informal era composto por importantes industrialistas, filósofos naturais e intelectuais que se reuniam regularmente naquela cidade inglesa, entre os anos de 1765 e 1813. Inicialmente o nome do clube era Círculo Lunar até que, em 1775, adotou-se o nome de Sociedade Lunar devido ao fato de seus membros reunirem-se somente nos períodos de lua cheia, quando a maior luminosidade tornava o regresso para casa mais fácil e seguro na ausência de iluminação pública.

Texto: ASCOM Museu Victor Meirelles

Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico se reúne em Brasília

000conselhoO Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) reuniu-se nestas quarta e quinta-feira (14 e 15), na sede do instituto em Brasília. É a quarta reunião desta formação do Conselho.

Na pauta, a conjuntura política e seus impactos no Ibram, bem como apresentações de projetos em andamento no Instituto pelos seus departamentos. A Dra. Eliana Sartori, Procurada Chefe no Ibram, discorreu sobre possibilidades de parcerias e mecanismos que podem ser utilizados pelos museus para conseguirem recursos para projetos, destacando o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), como solicitado por conselheiros na reunião passada do Conselho.

O Presidente do Ibram, Dr. Carlos Roberto Brandão, informou que o Ibram está se planejando para enfrentar a realidade orçamentária prevista para os próximos períodos, prevendo revisões em contratos, objetivando economia de até 20%. O presidente do Instituto também reforçou o crescente papel do Ibram no cenário da cultura nacional e afirmou que o órgão já está institucionalizado e tem o reconhecimento do Ministério da Cultura. Os conselheiros membros da sociedade civil prepararam carta, entregue em mãos ao Ministro da Cultura, Juca Ferreira, pelo Presidente do Ibram, que reforça essa concepção.

Durante a reunião foram discutidos aspectos importantes da gestão do instituto, dos 29 museus sob sua administração e sobre os programas que o Ibram desenvolve nas diversas áreas que integram sua missão institucional.

Estiveram presentes os conselheiros Maria Célia T. Moura Santos, Andrey Schelee, Angela Gutierrez, Antônio Motta, Elisa Martinez, João Cândido Portinari, João Maurício Pinho, Maria Eugênia Saturni, Marcelo Mattos Araújo, Maria Ignez Mantovani Franco e Mariza Dias.

Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico se reúne em Brasília

IMG_5603O Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) reuniu-se nestas segunda e terça-feira (18 e 19), na sede do instituto em Brasília. É a terceira reunião desta formação do Conselho, sendo a primeira sob a presidência de Carlos Roberto Brandão.

Na pauta, o plano de gestão para o Ibram e situação atual do instituto; a discussão sobre a aplicação da Lei 12.840/13, sobre a destinação dos bens de valor cultural, artístico ou histórico aos museus; a revisão do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM); o Programa Pontos de Memória e os editais do Programa de Fomento do Ibram para 2015.

Após a apresentação dos membros e da nova equipe do Ibram, foram tratados assuntos diversos de interesse do Conselho. Dentre eles, a situação da Casa Daros, no Rio de Janeiro (RJ), que anunciou, na última semana, que encerrará suas atividades. Diante disso, os Conselheiros emitiram uma nota, que solicita que o imóvel seja cedido ao Ibram, para que seja dado prosseguimento a sua utilização para ações culturais.

Confira a nota na íntegra:
Reconhecendo a importância da Casa Daros para a cultura brasileira, o Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico sugere que a Fundação Daros, na impossibilidade de dar continuidade às suas atividades no Brasil, ceda o imóvel ao Ibram, de maneira a permitir o prosseguimento de sua utilização para ações culturais, em especial no reforço aos museus nacionais no Rio de Janeiro.

Saiba mais sobre o Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Museus de Belém vão integrar programação do 6º FNM em novembro

Desde o dia 24, uma equipe do Ibram está em Belém (PA) ajustando a realização do 6º Fórum Nacional de Museus (FNM), que acontece entre os dias 24 e 28 de novembro com o tema Museus Criativos.

Encontros com o Sistema Integrado de Museus (SIM) do Pará, a coordenação do Curso de Museologia da Universidade Federal do estado (UFPA), a Companhia Paraense de Turismo (Paratur), o Memorial do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, entre outros parceiros institucionais e privados, tiveram como foco a infraestrutura do evento, a recepção de participantes e a montagem de atividades de programação.

Reunião ontem (25) no Museu de Arte Sacra de Belém. Na foto, a coordenadora do SIM, Camem Cal

Reunião ontem (25) no Museu de Arte Sacra de Belém. Ao fundo, a coordenadora do SIM Pará, Carmem Cal

A equipe também está realizando visitas técnicas a museus da cidade: Museu Goeldi, Museu de Arte de Belém, Museu de Arte Sacra do Pará e Museu do Estado do Pará.

A proposta é que os espaços possam sediam atividades da programação do Fórum Nacional de Museus, como minicursos e exposições. Existe a ainda a expectativa de outras adesões, como o do Museu do Tribunal de Justiça do Estado.

Artesanato e Teia da Memória
“Há um grande interesse local na realização de um encontro de museus da região Norte durante o FNM”, conta Ana Lourdes Costa, que integra a equipe do Ibram que está na capital paraense. “A razão principal é dar início à formação de redes que possibilitem uma maior articulação entre os estados”.

Lourdes lembra ainda que a realização do Encontro Regional do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) em Belém, durante o mês de outubro, servirá para mobilizar museus e educadores antes do fórum nacional. Saiba mais sobre o PNEM.

Hoje (26), última dia da equipe do Ibram no Pará, as reuniões giram em torno da organização de uma feira de artesanato com artistas locais, como forma de promover o trabalho dos artesãos para um público vindo de todas as regiões do Brasil. Ainda se encontram com a equipe do Ponto de Memória Terra Firme, tendo em vista que a Teia da Memória também acontecerá durante o 6º Fórum Nacional de Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: CPGII/Ibram

Matérias relacionadas
6º FNM: tema dá sequência a debate sobre museus e comunidades
6º Fórum Nacional de Museus vai acontecer em novembro no Pará

Financiamento: CNIC aprovou captação de recursos para 20 projetos na área museal

A 224ª Reunião da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), que teve lugar em Paulínea (SP), entre os dias 2 e 4 de setembro, aprovou 20 projetos na área de museus, sendo autorizado o valor total de R$ 46.656.067,82 a ser captado via mecanismo de renúncia fiscal da Lei Rouanet.

Os projetos da área museal foram analisados tanto pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) quanto por outras instituições vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC).

Além de planos anuais de manutenção de museus, foram aprovados projetos como a construção e instalação do Museu Histórico e Cultural de Rio Claro (SP); a preservação da memória da dança brasileira, através do portal Museu da Dança; a produção de um livro, em três volumes, sobre os 10 anos do Instituto Inhotim (MG); assim como uma proposta de criação de espaços culturais dentro das escolas ou áreas afins no Estado do Rio de Janeiro (RJ).

Dentre as exposições aprovadas para captar recursos estão duas itinerantes: a evolução da informática no Brasil e no mundo, feita pelo Museu do Computador (SP), e outra com 22 obras do artista Aldemir Martins (1922-2006) sobre futebol.

Há mostras ainda sobre o poeta baiano Gregório de Matos Guerra (1636-1696), no Museu da Língua Portuguesa (SP), e uma exposição fotográfica sobre os hábitos e costumes dos brasileiros nos últimos 100 anos, a ser realizada pelo Museu das Comunicações Hipólito José da Costa (RS), dentre outras.

Confira todos os projetos aprovados na reunião da CNIC de setembro. No mês de outubro, ela irá acontecer em Brasília (DF), entre os dias 7 e 9. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Comissão sobre a obra de Aleijadinho teve primeiro encontro em MG

Criada no dia 18 de agosto, com a publicação da Portaria Institucional Nº 1, de 14 de agosto de 2014, a Comissão Especial de Assessoramento sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, foi instalada oficialmente na última quinta-feira (28), durante encontro em Belo Horizonte (MG).

Selo_Aleijadinho

Selo lançado pelos Correios em 1964 homenageia o mestre barroco

Participaram do encontro o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, e especialistas designados para compor a comissão.

Durante a primeira reunião de trabalho, foram traçadas as linhas gerais de atuação da comissão, que terá como atribuição subsidiar as instituições federais sobre medidas a ser adotadas para consolidar e promover o conhecimento e a proteção da obra de Aleijadinho – considerado o maior expoente da arte colonial no Brasil.

Os resultados esperados do trabalho da comissão incluem a atualização e consolidação da biografia e das fontes documentais existentes sobre Aleijadinho; a proposição de metodologia para a produção de catálogo geral da obra arquitetônica, monumental e escultórica do artista; e orientações sobre o alcance jurídico dos estudos e das medidas sugeridas.

Levantamento
Na primeira etapa, o trabalho da comissão será concentrado em promover o levantamento de todas as informações e documentos disponíveis sobre a obra de Aleijadinho.

“Já determinei ao nosso Departamento de Processos Museais que promova o levantamento de todas as obras musealizadas de Antônio Francisco Lisboa, que se encontram em museus de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo”, explicou o presidente do Ibram , Angelo Oswaldo.

As atividades da comissão serão monitoradas pelo Departamento de Processos Museais do Ibram e pelo Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Iphan. Os resultados serão reportados ao Conselho Consultivo do Iphan e ao Conselho do Patrimônio Museológico do Ibram.

Composto por três profissionais de notório reconhecimento na temática que será objeto de trabalho da comissão e tendo a historiadora da arte Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira como consultora ad hoc, o grupo poderá solicitar o apoio de especialistas para o atendimento de seus objetivos.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação/Internet

Matéria relacionada
Portaria interinstitucional cria comissão especial para a obra de Aleijadinho

Governos buscam saída para pedido de desocupação do Museu da Maré

Na tarde de ontem (27), representantes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro e do Instituto Pereira Passos, ligado à Prefeitura do Rio, estiveram no Museu da Maré, localizado no Complexo da Maré, na capital fluminense.

Representantes das três esferas do executivo em reunião com direção do Museu da Maré

Representantes das três esferas do executivo em reunião com a direção do Museu da Maré

A visita teve por objetivo encontrar uma solução para o pedido de desocupação do galpão industrial que o museu ocupa desde 2006, devido ao fim de comodato estabelecido com a Companhia Paulista de Comércio Marítimo – proprietária do espaço antes utilizado para o reparo de peças navais.

Considerado referência internacional para a Museologia Social, por lidar com o registro, preservação e divulgação da história das comunidades da Maré, o museu mantém uma exposição permanente, além de desenvolver atividades lúdico-educativas, oficinas e outras ações em torno da memória social.

Ação conjunta
Para o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, que esteve no local, “a reunião foi positiva: estamos propondo uma ação integrada entre os executivos federal, estadual e municipal para que possamos encontrar um espaço de diálogo com os proprietários do imóvel”, acredita. “O Museu da Maré é uma conquista e atraí a atenção de pesquisadores e frequentadores de museus de todo o mundo”.

A preparação de nota técnica pelo professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e Museólogo do Museu da República Mário Chagas, sobre o papel relevante do “museu de favela” para a memória social da cidade, assim como um pedido de encontro entre os proprietários do imóvel e os representantes do poder público, a ser feito pela direção do museu, foram alguns dos encaminhamentos do encontro. Saiba mais sobre o Museu da Maré.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Representação Ibram Rio
Última atualização: 1º.10.2014

Comitê Gestor do SBM se reúne pela primeira vez após nomeação

Comitê Gestor do SBM

Reunião do Comitê Gestor do SBM

A primeira reunião do novo Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM) aconteceu na quinta-feira (29), na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Brasília.

Nomeado no dia 16 de abril por portaria da Ministra da Cultura (MinC), o comitê é composto por 23 representantes de ministérios, autarquias vinculadas ao MinC, sistemas de museus, conselhos e associações de classe, museus privados e comunitários, além de universidades.

Os membros possuem mandato de dois anos, sendo permitida uma recondução. O SBM tem suas finalidades previstas na lei nº 11.904/2009, que instituiu o Ibram, tendo sido regulamentado pelo decreto nº 8.124/2013, que esclarece que o comitê gestor tem o papel de propor diretrizes e ações, apoiar e acompanhar o desenvolvimento do setor museológico brasileiro e aprovar a inclusão no sistema de participantes que não sejam museus.

Nesta primeira reunião, os membros se apresentaram e conheceram um pouco mais sobre o trabalho do Ibram, através da fala dos diretores do instituto. Também foram formados grupos para trabalharem os temas pertinentes ao Comitê: o decreto 8.124/2013 e Regimento Interno do Comitê Gestor; Registro e Cadastro Nacional de Museus; Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro e Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Servidores em greve compareceram à reunião, solicitando apoio do Comitê, e os membros do colegiado votaram uma moção favorável às reivindicações e à valorização da carreira do Ministério da Cultura. A próxima reunião do Comitê acontecerá durante o Fórum Nacional de Museus (FNM), em data a ser definida.  Na ocasião, serão apresentadas as discussões realizadas pelos GT’s, bem como novas deliberações.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Página 1 de 3123