Ibram e SP assinam acordo para operação do Registro de Museus

O presidente do Ibram, Marcelo Araujo, e o Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, Romildo Campello, na assinatura do termo de convênio para a operação do Registro de Museus no estado.

O presidente do Ibram, Marcelo Araujo, e o Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, Romildo Campello, na assinatura do termo de convênio para a operação do Registro de Museus no estado.

O Instituto Brasileiro de Museus firmou hoje (18), o termo de convênio com a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (SEC-SP) para a operação do Registro de Museus naquele estado.

O acordo visa a melhoria da qualidade da gestão da política dos museus, a partir da habilitação da SEC-SP como entidade registradora para a realização do Registro de Museus, o que facilitará a troca de informações sobre os museus localizados naquele estado e promoverá a integração das informações da Plataforma Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC) com o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP).

A assinatura do acordo aconteceu entre o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, e o Secretário de Estado da Cultura, Romildo Campello, na abertura do 10º Encontro Paulista de Museus. O evento que acontece até o dia 20 de julho, ainda terá em sua programação, uma reunião da Rede de Sistemas de Museus (Rede SIMUS) em que as técnicas Rafaela Lima e Alessandra do Carmo Garcia, da Coordenação Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM/Ibram), apresentarão o fluxo integrado do processo de Registro com o estado.

Esse é o segundo acordo firmado pelo Ibram para a operação descentralizada do Registro de Museus. O primeiro foi assinado em maio, com o Espírito Santo.

O Registro de Museus

O Registro de Museus é um instrumento da Política Nacional de Museus previsto pelo Estatuto de Museus (Lei 11.904/2009) e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013 e Resolução Normativa nº 1/2016, e visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais. Também intenciona estimular a formalização dos museus a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.

Texto: Ascom Ibram
Foto: Divulgação SISEM-SP

Ibram e ES firmam parceria para incremento do Registro de Museus no estado

Plano de trabalho a integração das Plataformas Mapa Cultural ES (Secult-ES), Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC).

Plano de trabalho contempla a integração das Plataformas Mapa Cultural ES (Secult-ES), Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC).

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo assinaram na última sexta-feira (25), em Vitória (ES), Termo de Reciprocidade voltado à melhoria da qualidade da gestão da política dos museus no Estado. Um dos objetivos será o desenvolvimento de uma ação conjunta para operação do Registro de Museus em território capixaba.

Assinaram o termo o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, e o secretário de Estado da Cultura do Espírito Santo, João Gualberto Vasconcellos. Também estiveram presentes a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa; e a superintendente do Iphan-ES, Elisa Taveira.

O Registro de Museus é um instrumento da Política Nacional de Museus previsto pelo Estatuto de Museus (Lei 11.904/2009) e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013 e Resolução Normativa nº 1/2016, e visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais. Também intenciona estimular a formalização dos museus a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.

O plano de trabalho que acompanha o termo assinado contempla a estruturação de processos de trabalho compartilhados nas plataformas Mapa Cultural ES (Secult-ES), Museusbr (Ibram/MinC) e Mapa da Cultura (SNIIC/MinC), visando atuar de maneira colaborativa na gestão integrada das informações.

“Este foi o primeiro Termo de Reciprocidade firmado para operação do Registro de Museus em âmbito local. Esperamos avançar com os demais estados que já demonstraram interesse”, explica a coordenadora de Produção e Análise da Informação do Ibram, Rafaela Gueiros. “Na medida em que firmamos esses acordos, aumentamos a capilaridade do Ibram, descentralizando suas ações e cumprindo o pacto federativo”, avalia.

Ibram oferece 775 obras de arte para doação a museus brasileiros

Gravura de Alfredo Volpi (1896-1988), uma das obras oferecidas para doação a museus brasileiros.

Gravura de Alfredo Volpi (1896-1988), uma das 775 obras oferecidas pelo Itaú Cultural para doação a museus brasileiros interessados.

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) divulga nesta segunda-feira (21) uma lista de 775 obras de arte (veja abaixo) disponíveis para doação a museus brasileiros interessados. Os bens culturais estão sendo oferecidos ao setor, com intermediação do Ibram, pelo Instituto Itaú Cultural.

O lote oferecido inclui gravuras, serigrafias, litografias e óleos sobre tela assinados por artistas brasileiros renomados como Emanoel Araújo, Maria Bonomi, Roberto Burle Marx, Amilcar de Castro, Renina Katz, Tomie Ohtake e Alfredo Volpi, entre outros, além de reproduções de artistas internacionais como Van Gogh, Picasso, Miró, Kandinsky e Klee.

Como funciona

Qualquer museu brasileiro, público ou privado, poderá manifestar interesse pelas peças, não havendo limite quanto ao número de itens pleiteados. As manifestações devem ser feitas através de formulário disponibilizado pelo Ibram e enviadas ao endereço eletrônico camus@museus.gov.br. As solicitações serão recebidas até o próximo dia 8 de junho.

Confira a lista completa de bens culturais oferecidos para doação.

Baixe o Formulário para Manifestação de Interesse.

Os pedidos serão analisados por ordem de manifestação. Caso mais de uma instituição demonstre interesse pelo mesmo item, o desempate se dará pela apresentação de Registro do Museu, Plano Museológico e Política de Aquisição e Descarte conforme a Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009 – que instituiu o Estatuto de Museus.

Pertinência

O Ibram orienta que diretoras e diretores de museus avaliem a pertinência de incorporação de itens da listagem oferecida a seus acervos considerando a caracterização destes e a missão dos museus. O Instituto Itaú Cultural entrará em contato com os museus para formalizar as doações e providenciar seu envio.

Informações sobre o Registro de Museus podem ser acessadas neste link ou ainda pelo endereço eletrônico registro@museus.gov.br e pelos telefones (61) 3521-4329/4330/4291/4334.

Criado há 8 anos, Ibram investe no mapeamento e requalificação de museus

Criado pela Lei 11.906, de 20 de janeiro de 2009, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) comemora oito anos nesta sexta-feira (20).

Ibram_logo_baixaA autarquia é vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), sendo responsável pela consolidação da Política Nacional de Museus (PNM) e pela elaboração de políticas públicas para o desenvolvimento do setor museológico.

O Ibram também administra diretamente 30 museus federais  em nove estados: Espírito Santo (ES), Goiás (GO), Maranhão (MA), Minas Gerais (MG), Pernambuco (PE), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC) e São Paulo (SP).

Sempre considerando a diversidade museal brasileira, o Ibram tem buscado estabelecer um diálogo com os cerca de 3,6 mil museus do país, número resultante de mapeamento contínuo realizado pelo instituto, levando à cabo ações de fomento e financiamento, aquisição e preservação de acervos, bem como de integração entre os diversos públicos que compõem o setor.

O que está por vir
Para 2017, três ações são consideradas prioritárias para o Ibram: a requalificação dos museus de sua rede, o novo Registro de Museus e a realização do Fórum Nacional de Museus.

A requalificação dos museus Ibram é uma ação permanente de preservação do patrimônio histórico e cultural. Atualmente, há obras em andamento em oito museus da rede Ibram. Também estão em andamento processos licitatórios para requalificação de mais sete museus.

Logo-RegMuseus-300x86O Registro de Museus, lançado em dezembro de 2016, é uma importante ferramenta da Política Nacional de Museus e foi construído de forma colaborativa, no intuito de espelhar a realidade museológica brasileira da melhor forma possível.

Sua implementação traz benefícios como a maior confiabilidade das informações e maior visibilidade dos museus. Saiba mais.

Já o Fórum Nacional de Museus (FNM) é um evento que congrega a comunidade museológica, reunindo profissionais de museus, professores e estudantes de todo o país, para discutirem políticas públicas e outros temas relevantes para os museus brasileiros. Em sua 7ª edição, este ano o FNM acontecerá na cidade de Porto Alegre (RS).

Texto: Ascom/Ibram

Publicada a Resolução que estabelece os procedimentos do Registro de Museus

Logo Registro de Museus JPEG(horizontal)Foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (15) a Resolução Normativa Nº 1 que estabelece os procedimentos e critérios relativos ao Registro de Museus junto ao Instituto Brasileiro de Museus e demais órgãos públicos competentes.

O Registro de Museus é um instrumento da Política Nacional, previsto pelo Estatuto de Museus, Lei 11.904/2009 e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013, que visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais.

Além disso, ele estimulará a formalização dos museus, a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.

Ele é um produto da Rede Nacional de Identificação de Museus  (Renin) e resultado do trabalho conjunto do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e dos Sistemas Estaduais de Museus, e possibilitará o trabalho em rede em torno de uma plataforma colaborativa que irá reunir e compartilhar informações com todo o país.

Para o presidente do Ibram, Marcelo Araujo, o Registro será um ponto de partida de informação qualificada sobre o setor que vai possibilitar o levantamento de dados, facilitando o monitoramento e a avaliação das políticas públicas, tanto nacionais quanto locais. “O Ibram cumpre o seu papel de estimular que os estados tenham as suas políticas locais e o Registro será mais uma ferramenta desse trabalho cooperativo e colaborativo”, concluiu Araujo.

O Registro de Museus é obrigatório para todos os museus brasileiros e poderá ser feito a partir do dia 3 de janeiro de 2017. Mais informações através da plataforma Museusbr, pelo e-mail registro@museus.gov.br ou pelos telefones 3521-4329/4330.

Texto: Ascom/Ibram

Ibram apresenta Registro de Museus ao Comitê Gestor do SBM

O Registro de Museus foi apresentado nesta terça-feira, 10 de maio, para o Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus/Colegiado Setorial de Museus.

Conforme apresentado pela Coordenadora-Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, Rose Miranda, “o Registro visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais e estimulará a formalização dos museus, a partir do acompanhamento das dinâmicas de criação, fusão, incorporação, cisão ou extinção de museus.”

O Registro Museus é um instrumento da Política Nacional, previsto pelo Estatuto de Museus, Lei 11.904/2009 e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013.

O Registro será feito por meio de uma plataforma única, MuseusBr, que é integrada aos principais sistemas de informações culturais do País – com destaque para o Sistema Nacional de Informação e Indicadores Culturais – SNIIC do Ministério da Cultura – e aos sistemas de informações de museus em nível internacional, como o Registro dos Museus Ibero-Americanos do Programa Ibermuseus.

A integração garante aos museus uma ampliação da divulgação institucional em nível local e internacional. Além disto, poupa esforços e minimiza o perigo de desatualização informacional, já que a atualização de dados na plataforma Museusbr é digitalmente integrada a diversos sistemas de informação.

Sua arquitetura permite ainda a cartografia colaborativa, ou seja, a identificação de novos museus pelos órgãos públicos e por qualquer ator da sociedade, favorecendo maior alcance no mapeamento territorial, aprimoramento da qualidade dos dados da Rede Nacional de Identificação de Museus, e facilitando a inclusão e participação cidadã na Política Nacional de Museus – PNM.

A expectativa é que a Resolução Normativa sobre o Registro de Museus seja publicada em julho e, que, entre agosto e outubro sejam assinados os Termos de Reciprocidade com os Sistemas de Museus locais e órgãos públicos gestores de políticas setoriais de museus, para que sejam reconhecidos como entidades registradoras, a partir dessas ações será iniciada à operação nacional do Registro de Museus.