Página 1 de 3123

Publicação para realização de parcerias ganha nova versão

Com as  inscrições abertas para a 16ª Semana de Museus, o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) lança uma versão atualizada de publicação com dicas para a realização de parcerias com empresas sem o repasse de recursos financeiros.

Parcerias_Capa_2018

Parcerias: a publicação do Ibram foi atualizada e revista

Segundo o Ibram, “os objetivos dessas parcerias são ampliar a divulgação dos museus brasileiros, incentivando a visitação e democratizando o acesso, e promover uma maior aproximação com a comunidade e seu entorno”.

No aspecto Participação é colocado a importância de se estabelecer conexões com a comunidade e o entorno do museu para o planejamento e a realização de ações. Ao falar de Comunicação, a cartilha dá dicas para a divulgação das atividades programadas. Na última parte é tratada a Legalização e Contrapartidas em relação as parcerias.

“O alinhamento com empresas, além de somar forças, é mais uma opção de reforçar a sustentabilidade das ações desenvolvidas pelos museus e processos museológicos”, reforça o Ibram. A publicação está disponível para download gratuito na página do Ibram.

Semana de Museus 2018
O formulário para a inscrição de atividades na 16ª Semana de Museus, que acontecerá entre os dias 14 e 20 de maio de 2018 em todo o Brasil, encontra-se aberto até 12 de março na página do Ibram.

Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos é o tema definido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom), e adotado a cada ano pelo Ibram, para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio).

Para participar, o museu ou instituição cultural interessada deve programar atividades em torno do tema (exposições, visitas mediadas, shows, palestras, exibição de filmes etc.). As atividades ocorrem exclusivamente sob a responsabilidade da instituição que as inscrever.

Ao Ibram cabe a mobilização do setor, a divulgação da temporada cultural, além da produção da identidade visual e kit de divulgação digital, texto de referência sobre o tema e o guia da programação nacional – onde o público pode encontrar informações sobre todos os eventos cadastrados.

Texto: Ascom/Ibram

Publicação reúne as memórias dos 10 anos do Programa Ibermuseus

O Programa Ibermuseus completou dez anos em julho deste ano e para marcar o trabalho dessa década, lançou a publicação Memória de 10 anos em edição trilíngue: português, espanhol e inglês. A publicação está disponível aqui.

O documento de mais de 50 páginas mostra o histórico de ações que Ibermuseus desenvolveu, além de apresentar reflexões de importantes atores da cooperação ibero-americana sobre as realizações e desafios do Programa.

Em 10 anos, o Programa Ibermuseus promoveu nove Encontros Ibero-americanos de Museus (EIM), 15 encontros técnicos e 12 reuniões intergovernamentais, que se converteram nos principais espaços de discussão e proposição de políticas para o desenvolvimento do setor museal na Ibero-América.

As convocatórias do Ibermuseus capacitaram diretamente a 188 profissionais, fomentaram 53 projetos educativos, apoiaram a recuperação do patrimônio afetado de sete instituições e promoveram noves projetos de circulação de bens entre 22 países.

Com o apoio do Ibermuseus, foram publicadas 14 pesquisas ou ensaios, incluindo importantes documentos como o Panorama de Museus Ibero-americanos, o Estudos de Públicos de Museus na Ibero-América e a reedição bilíngue do Programa para a Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

O Programa também promoveu o desenvolvimento de duas ferramentas fundamentais para o conhecimento da situação dos museus – e seu público – na região: o Registro de Museus Ibero-americanos e o Sistema de Coleta de Dados de Público de Museus.

A Memória de 10 anos do Ibermuseus traz em detalhes essas e outras realizações da década de atuação do Programa. O documento finaliza com o artigo coletivo “Que museus queremos para o futuro?”, no qual 18 gestores públicos e profissionais ibero-americanos contribuem para indicar o caminho para outros 10 anos de cooperação e desenvolvimento de políticas públicas para os museus da Ibero-América.

Ibram e Fundação Joaquim Nabuco lançam livro sobre memória feminina

Livro_Mulheres_Ibram_Fundaj

Publicação foi organizada pela antropóloga Maria Elisabete Arruda de Assis, diretora do Museu da Abolição, e pela museóloga Taís Valente dos Santos, também vinculada ao Ibram.

Será lançado em Recife (PE), na tarde desta sexta-feira (10), o livro Memória Feminina: Mulheres na história, história de mulheres. Resultado de uma parceria entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Fundação Joaquim Nabuco, a publicação homenageia mulheres que contribuíram e contribuem para a construção da história e cultura brasileiras.

A ideia de homenagear as mulheres envolvendo museus foi definida durante reunião do Comitê Intergovernamental do Programa Ibermuseus ocorrida em Lisboa (Portugal) em outubro de 2014.

A proposta resultou no catálogo virtual La memoria feminina – Mujeres en la historia, historia de mujeres, primeira iniciativa de museus da comunidade Iberoamericana voltada à criação de diálogos multidisciplinares e narrativos sobre o patrimônio cultural na perspectiva de gênero.

Memória Feminina: Mulheres na história, história de mulheres reúne uma seleção sobre 18 mulheres de diversas áreas (música, jornalismo, artes plásticas, ativismo político, ciências, proteção do patrimônio, luta pela igualdade de gênero), das mais variadas regiões do Brasil, cujas contribuições se encontram, em sua maioria, representadas em museus e espaços de memória.

Gênero e memória
“A atual publicação surgiu da necessidade de ampliar ainda mais o material produzido para o catálogo”, explica a antropóloga Maria Elisabete Arruda de Assis, diretora do Museu da Abolição, que organizou a publicação em parceria com a museóloga Taís Valente dos Santos, também vinculada ao Ibram. “Destacamos a importância deste projeto para o incremento do debate das questões de gênero no Brasil, sob a perspectiva da memória, com esse recorte significativo de representações femininas”.

Escritos por pesquisadores de diversas instituições, os textos selecionados buscam desconstruir preconceitos
que restringiram a presença das mulheres em nossa História, e retratam mulheres brasileiras com origens e trajetórias tão diversas quanto Lygia Pape, Lia de Itamaracá, Dona Santa e Mãe Biu.

Memória Feminina: Mulheres na história, história de mulheres será lançado na sede da Fundação Joaquim Nabuco (Avenida 17 de Agosto, 2187 – Casa Forte), em Recife (PE), a partir das 14h. A versão online da publicação está disponível gratuitamente para download em nossa seção de livros.

Revista Musas nº 7 está disponível para download gratuito

musas 7

Capa da nova edição da Revista Musas

A sétima edição da Musas – revista de Museus e Museologia, editada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), já está disponível para download gratuito.

Com caráter interdisciplinar e reunindo reflexões sobre museus e Museologia, experiências museais e cenário cultural, a revista tem papel de destaque na divulgação de textos, pesquisas e ações no campo museológico brasileiro, sendo considerada bibliografia de referência nesta área.

Nesta edição, lançada no fim do ano passado, Musas visita o Ecomuseu da Amazônia e entrevista o professor José Ribamar Bessa Freire, do Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Unirio), profundo conhecedor da região amazônica.

A revista também traz de volta a seção Ensaio Fotográfico e apresenta nove artigos inéditos, selecionados a partir de chamada pública, com abordagens diversificadas sobre temas do universo museal.

A publicação pode ser baixada em nossa seção de publicações. Para adquirir esta edição (sujeito à disponibilidade), envie um e-mail para editorialmusas@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram

Livro que traz metodologia dos Pontos de Memória está disponível para download

Referência para o desenvolvimento em âmbito brasileiro da Museologia Social – que preconiza a construção, por grupos sociais e comunidades, de suas próprias narrativas museais – a metodologia de trabalho do programa Pontos de Memória, do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), foi reunida em livro lançado em 2016.

Visitação ao Museu de Favela (MUF), um dos 12 pioneiros Pontos de Memória.

Visitação ao Museu de Favela (MUF), no Rio de Janeiro (RJ), um dos 12 pioneiros Pontos de Memória

Pontos de Memória: Metodologia e Práticas em Museologia Social apresenta o processo de implementação dos 12 primeiros Pontos de Memória, iniciado já no ano de criação do Ibram (2009), o qual lançaria as bases de uma metodologia que utiliza ferramentas da Museologia a serviço da memória social: identificação, qualificação, realização de inventários participativos, difusão de memórias, formação de redes.

Entre os resultados que os Pontos de Memória permitiram promover, de acordo com os relatos das comunidades que protagonizaram esta experiência inicial, são mencionados na publicação o conhecimento e valorização das memórias locais; fortalecimento de tradições, identidades e laços de pertencimento; valorização dos potenciais locais, com impulso ao turismo e economia nas regiões envolvidas; desenvolvimento sustentável das localidades; e melhoria da qualidade de vida, com redução da pobreza e violência.

Tendo despertado amplo interesse da comunidade museológica brasileira e internacional desde seu estágio embrionário, a metodologia do programa Pontos de Memória, agora sistematizada em livro, está disponível também nas versões em Inglês e Espanhol. Impressa e distribuída pelo Ibram aos Pontos de Memória brasileiros, a publicação pode ser baixada gratuitamente, por interessados em geral, em nossa seção de publicações.

Mais informações pelo endereço eletrônico pontosdememoria@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Com apoio do Ibram, ONG lança livro sobre memórias do movimento indígena

Capa da nova publicação da Thydewa: apoio do Ibram

Capa da nova publicação da Thydêwá: apoio do Ibram

Com suporte do Prêmio Ibram Memórias Brasileiras, a organização Thydêwá Memória Indígena lança este mês o livro Memórias do Movimento Indígena do Nordeste, no qual 16 indígenas compartilham suas ideias e opiniões sobre o tema. A edição digital já está disponível online para download gratuito.

“Este livro é um registro histórico que deixa na memória das futuras gerações a nossa forma de viver e as transformações pelas quais passamos, em sua grande parte, sem nosso consentimento. Por meio dele o povo poderá refletir e não deixar que o lado escuro da história se repita”, afirmou Alexsandro Potiguara, um dos autores do livro.

O livro é o 23° título da coleção, Índios na Visão dos índios, concebida pela ONG Thydêwá, que vem trabalhando desde 2001 com o emponderamento dos indígenas e promovendo o fortalecimento de suas vozes e expressões.

A publicação conta com a colaboração de indígenas Pankararu, Potiguara, Pataxó, Fulni-ô, Kariri-Xocó, Tupinambá, Quixelò, Pataxó Hãhãhãe, Kanindé, Karapoto Plaki-ô, Payayá e Xokó, que partilham através de escritos, fotografias e desenhos suas memórias, sentimentos e visões.

O livro ainda conta com fragmentos de um trabalho cartográfico protagonizado por indígenas de oito comunidades do Nordeste que mantêm Pontos de Cultura Indígena dentro de seus territórios.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação/Thydêwa

Museus e Turismo (2014)

O Instituto Brasileiro de Museus disponibiliza a publicação Museus e Turismo – estratégias de cooperação, atualizada em 2014, cuja elaboração teve em seu horizonte a interação das duas temáticas e as oportunidades de entrelaçamento dos setores para uma atuação cooperada.

O objetivo geral é facilitar a comunicação entre os profissionais que atuam na área dos museus e na área do turismo, de modo a construir uma relação dialógica, de trocas e aprendizagem benéficas a ambos os setores.

Acesse online ou faça download da publicação gratuitamente.

Encontros com o futuro (2014)

EncontrosFuturo_CapaA publicação Encontros com o futuro: prospecções do campo museal brasileiro no início do século XXI, lançada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em 2014, integra a coleção Museu, economia e sustentabilidade.

Fruto de uma iniciativa do Ibram em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a publicação tem como objetivo principal apontar tendências do campo museal brasileiro a respeito de temas variados, que permitam inferir possibilidades de atuação, sob diferentes cenários, num horizonte de dez anos.

Consulte online ou faça download gratuito da publicação.

Museus e a dimensão econômica (2014)

Museus_DimensaoEconomica_CapaMuseus e a dimensão econômica: da cadeia produtiva à gestão sustentável é uma publicação do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Lançada em 2014.

A publicação, que integra a coleção Museu, economia e sustentabilidade, apresenta os resultados do primeiro estudo sistêmico da cadeia produtiva dos museus brasileiros e está disponível gratuitamente para consulta e download.

Sexta edição celebra primeira década de existência da revista Musas

Capa_Musas6

Capa da mais recente edição da revista publicada pelo Ibram

A sexta edição da Musas – Revista de Museus e Museologia está disponível na página eletrônica do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e marca os 10 anos de existência da publicação.

Por ter caráter interdisciplinar e reunir reflexões sobre museus e museologia, experiências museais e cenário cultural, a revista tem papel de destaque na divulgação de textos, pesquisas e ações no campo museológico.

Nesta edição, pela primeira vez, foi realizada chamada pública com o intuito de democratizar o envio de material para a publicação. Antes, os textos eram escritos por convidados. Com o novo processo, um total de 52 textos foram recebidos e analisados por pareceristas de todo o país.

O resultado desse trabalho foi a seleção de 12 artigos e ensaios oriundos do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo para as sessões Artigos e Muselânea da revista.

Entrevista e nova seção
Outra novidade deste número é que a seção Museu Visitado abordou um museu da região Nordeste. A equipe editorial da revista visitou o Museu do Homem do Nordeste, localizado no Recife (PE), e entrevistou o pesquisador Raul Lody, autor do estudo O negro no museu brasileiro: construindo identidades, no Museu da Abolição (Ibram/MinC), situado no bairro da Madalena.

Para completar as inovações desta edição de Musas, foi inserida na revista uma nova seção: Resenhas. O objetivo é divulgar obras que tenham relevância para o campo museal, como as resenhas para os livros O Sol do Brasil, de Lilia Moritz Schwarcz, e Museu e Museologia, de Dominique Poulot, que compõem a atual edição. A partir do próximo número, essa seção também será preenchida por meio de textos oriundos de chamada pública.

Na seção Publicações e Documentos da página do Ibram estão disponíveis os números anteriores da revista Musas.

Texto: Ascom/Ibram

Página 1 de 3123