Página 1 de 812345...Última »

Livro que traz metodologia dos Pontos de Memória está disponível para download

Referência para o desenvolvimento em âmbito brasileiro da Museologia Social – que preconiza a construção, por grupos sociais e comunidades, de suas próprias narrativas museais – a metodologia de trabalho do programa Pontos de Memória, do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), foi reunida em livro lançado em 2016.

Visitação ao Museu de Favela (MUF), um dos 12 pioneiros Pontos de Memória.

Visitação ao Museu de Favela (MUF), no Rio de Janeiro (RJ), um dos 12 pioneiros Pontos de Memória

Pontos de Memória: Metodologia e Práticas em Museologia Social apresenta o processo de implementação dos 12 primeiros Pontos de Memória, iniciado já no ano de criação do Ibram (2009), o qual lançaria as bases de uma metodologia que utiliza ferramentas da Museologia a serviço da memória social: identificação, qualificação, realização de inventários participativos, difusão de memórias, formação de redes.

Entre os resultados que os Pontos de Memória permitiram promover, de acordo com os relatos das comunidades que protagonizaram esta experiência inicial, são mencionados na publicação o conhecimento e valorização das memórias locais; fortalecimento de tradições, identidades e laços de pertencimento; valorização dos potenciais locais, com impulso ao turismo e economia nas regiões envolvidas; desenvolvimento sustentável das localidades; e melhoria da qualidade de vida, com redução da pobreza e violência.

Tendo despertado amplo interesse da comunidade museológica brasileira e internacional desde seu estágio embrionário, a metodologia do programa Pontos de Memória, agora sistematizada em livro, está disponível também nas versões em Inglês e Espanhol. Impressa e distribuída pelo Ibram aos Pontos de Memória brasileiros, a publicação pode ser baixada gratuitamente, por interessados em geral, em nossa seção de publicações.

Mais informações pelo endereço eletrônico pontosdememoria@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Exposição exibe resultado de curso sobre memória afro-brasileira em SC

MAT_134352vozes_que_pulsam

Exposição é resultado de curso que utilizou, em caráter experimental, a plataforma virtual de aprendizagem Saber Museu, desenvolvida pelo Ibram

Será aberta nesta sexta-feira (18), no Museu Histórico de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), a exposição Vozes que pulsam – Memória e cultura afro-brasileira em Santa Catarina.

A exposição é resultado do curso Museu, Memória e Cultura Afro-brasileira, iniciado em agosto pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), numa parceria com o Sistema Estadual de Museus catarinense, o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

O curso utilizou pela primeira vez, em caráter experimental, a plataforma virtual de aprendizagem Saber Museu, desenvolvida pelo Ibram, e foi voltado a 30 profissionais atuantes em museus, Pontos de Memória e Pontos de Cultura, além de pesquisadores na área do Patrimônio Cultural. As atividades a distância possibilitadas pela ferramenta foram complementadas por encontros presenciais mensais.

Participação e mesa-redonda
A exposição Vozes que pulsam foi elaborada num processo de curadoria compartilhada e educação colaborativa entre os participantes do curso. A partir de metodologias como o inventário participativo, o grupo reuniu pesquisas e registros que preservam e difundem iniciativas culturais sobre o patrimônio afro-brasileiro em território catarinense.

Referências culturais e patrimônios afro-brasileiros foram inventariados nas sete regiões museológicas do estado e serão apresentados em forma de imagens, fotos e vídeos. O conteúdo foi dividido em quatro módulos: Objetos e saberes, Formas de expressão, Lugares e Celebrações.

Para a abertura da exposição, estão programadas mesa-redonda sobre o tema Políticas Públicas e os negros no Brasil, a partir das 14h, e apresentação do Grupo de Capoeira Projeto Social do Mont Serrat, a partir das 15h30.

A mostra fica em cartaz no Palácio Cruz e Sousa, que abriga o Museu Histórico de Santa Catarina, até o próximo dia 25. A ideia é que, ao final deste período, torne-se itinerante, percorrendo diversos municípios catarinenses. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Ibram abre edital para iniciativas de museologia social no RJ

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) abriu, na última quinta-feira (27), edital destinado à premiação de seis iniciativas de memória e museologia social desenvolvidas no Rio de Janeiro.

O chamamento público em âmbito estadual objetiva apoiar ações da Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro com o aporte financeiro de R$ 180 mil, incluídas as despesas administrativas. Serão distribuídos seis prêmios no valor de R$ 30 mil.

Podem participar pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos com atuação comprovada na área cultural e social, com ações de memória e museologia social e/ou junto a museus comunitários, ecomuseus e afins nos últimos três anos.

As inscrições poderão ser feitas até as 23h30 do dia 12 de dezembro próximo (horário de Brasília) por meio do sistema SalicWeb. O manual para inscrição de editais também encontra-se disponível.

As iniciativas cujas inscrições forem admitidas serão apreciadas por Comissão de Seleção, que avaliará se foi promovida a difusão e valorização da memória local de grupos, povos e comunidades representativos da diversidade cultural brasileira; e se a iniciativa contribuiu para gerar outras ações de memória e museologia social a partir de seus resultados. Confira o edital na íntegra.

Ibram divulga consultores selecionados para programa Pontos de Memória

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) já tem os resultados finais de duas seleções públicas, realizadas em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), destinadas à contratação de consultores, na modalidade produto, para atuação junto ao programa Pontos de Memória.

O Edital 34/2016 destina-se à contratação de profissional com formação de nível superior em qualquer área e experiência mínima de cinco anos em Gestão Estratégica e Avaliação Estratégica de Projetos de Cooperação Internacional, além de desejável experiência em Gestão e Avaliação em Projetos com finalidade comunitária. O objetivo da consultoria é desenvolver sistemática de avaliação aplicável à gestão dos Pontos de Memória.

Já o Edital 35/2016 tem como objetivo a elaboração de projetos gráficos de manuais instrucionais e livros, na versão impressa e e-book, e foi aberto à participação de profissionais com formação de nível superior em qualquer área, sendo exigida experiência mínima de cinco anos como editor e designer gráfico, com domínio do pacote Adobe Creative Cloud (Indesign, Ilustrator, Photoshop), além de experiência em ministrar oficinas e cursos sobre design gráfico.

Em ambos os casos, a pontuação máxima atingida seria de 20 pontos e a avaliação foi realizada com base nos critérios de análise de currículo, de caráter eliminatório e classificatório, e entrevista oral, de caráter classificatório. A Coordenação de Museologia Social e Educação do Ibram entrará em contato com os selecionados. Confira os resultados das duas seleções, conforme pontuação e classificação:

Seleção para consultor em Avaliação Estratégica

Classificação

Candidato

Pontuação

Mariângela Ribeiro

18,5

Sérgio Henrique Cantuária Ferreira

18

Ana Virgínia Cardoso

13

Sérgio Costa

13

Sonia Regina Freitas Prota

12

 

Seleção para consultor em Edição/Design Gráfico

Classificação

Candidato

Pontuação

César Valente

20

Raimundo Alves Ferreira Neto

19

Anderson Moreira Lima

17

Gabriela Alves Coimbra

14

Marco Lúcius Freitas

14

Ibram seleciona consultor em design gráfico

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) abriu nesta sexta-feira (7) mais um edital para a contratação de consultor técnico em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). Desta vez, a oportunidade é voltada a profissionais da área de design gráfico. A vaga se destina a atuação no programa Pontos de Memória.

O objetivo da contratação é elaborar projetos gráficos de manuais instrucionais e livros, na versão impressa e e-book. Poderão participar da seleção profissionais com formação de nível superior em qualquer área, sendo exigida experiência mínima de cinco anos como editor e designer gráfico, com domínio do pacote Adobe Creative Cloud (Indesign, Ilustrator, Photoshop), além de experiência em ministrar oficinas e cursos sobre design gráfico.

O trabalho vai integrar o Projeto “Desenvolvimento Institucional e Técnico-operacional para ampliação e consolidação de projetos relacionados à memória social no Brasil”, cujo objetivo é atualizar e aperfeiçoar instrumentos gerenciais e técnico-operacionais voltados para a ampliação e consolidação das estruturas de apoio cognitivo e metodológico relativos ao campo museal, para as comunidades que atuam com memória social no Brasil.

Interessados na vaga devem encaminhar currículo para o endereço eletrônico comuse@museus.gov.br, indicando no assunto nome e código do edital (Nº035/2016), até a próxima quarta-feira (12).

Confira o edital e seu Termo de Referência.

Ibram seleciona consultor para programa Pontos de Memória

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) abriu nesta quarta-feira (5) edital para a contratação de consultor técnico especializado em gestão e avaliação de projetos de cooperação técnica internacional. A oportunidade se destina à atuação junto ao programa Pontos de Memória.

Lançado em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), o edital tem como foco o Desenvolvimento Institucional e Técnico-Operacional para a Ampliação e Consolidação de Projetos Relacionados à Memória Social no Brasil.

O objetivo da consultoria, na modalidade produto, é desenvolver sistemática de avaliação aplicável à gestão dos Pontos de Memória. São esperados como resultados metodologias e instrumentos de planejamento, avaliação e apoio aplicados, em amostra de comunidades, para elaboração de projetos de instalação de Pontos de Memória nas áreas de gestão, infraestrutura, museológica e museográfica. Confira o edital.

A oportunidade é aberta a profissionais com formação de nível superior em qualquer área e experiência mínima de cinco anos em Gestão Estratégica e Avaliação Estratégica de Projetos de Cooperação Internacional, além de desejável experiência em Gestão e Avaliação em Projetos com finalidade comunitária.

Os interessados devem encaminhar currículo para o endereço eletrônico comuse@museus.gov.br, indicando no assunto nome e código do edital (Nº034/2016C), até a próxima segunda-feira (10).

Publicação retrata experiência pioneira dos pontos de memória

Ibram e Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI) acabam de disponibilizar, em versão eletrônica, o livro Pontos de Memória: metodologia e práticas em museologia social. A publicação retrata a experiência dos 12 pontos de memória que participaram da concepção, implementação e do projeto Pontos de Memória, que teve, entre seus idealizadores, o professor e servidor do Ibram, Mário Chagas, Diretor de Processos Museais do Instituto à época.

O livro apresenta a experiência dos Conselhos Gestores dos Pontos de Memória em diferentes etapas da metodologia.  Passo a passo, o desejo de cada uma dessas comunidades de registrar, proteger e difundir/compartilhar suas memórias transformou-se em ação, em ações museais e, em alguns casos, em museus. O conceito do livro respeita os princípios estruturantes da própria metodologia descrita e representa um deles, o protagonismo das comunidades.

A publicação está disponível no site do Ibram, em Publicações.

Pontos de Memória promove oficina sobre Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira

O Programa Pontos de Memória promoveu na última semana, em Brasília (DF), a oficina Museu, Memória e Cultura Afro-Brasileira. Voltada para iniciativas de museologia social focadas nesta temática, a oficina, que aconteceu no auditório do edifício-sede do Ibram, teve como objetivo abordar questões contemporâneas com ênfase na função social dos museus e sua interface com a história e cultura africanas e de sua diáspora.

Com carga horária de 32 horas, a programação foi desenvolvida entre a última terça-feira (26) e  sexta-feira (29) e contou com conferência de abertura sobre o tema central, ministrada pelo Prof. Dr. Marcelo Bernardo da Cunha, do Departamento de Museologia da UFBA, e mesa redonda sobre o tema Patrimônio Cultural Afro-brasileiro, com a participação de representantes da Fundação Palmares, Iphan, Colegiado Setorial de Culturas Afro-brasileiras do MinC e do curso de Museologia da Universidade de Brasília (UnB).

Ministrada pela museóloga Maristela Simão, a oficina abordou temas como História, Cultura e Patrimônio Afro-Brasileiro, Políticas Públicas, Fomentos e População Negra no Brasil e Inventário Participativo, além de exercícios voltados à elaboração de planos de ação e projetos de expografia. Também foi discutida na oportunidade a construção de Rede de Memória Afro.

Memória e especificidades - Para Giane Vargas Escobar, idealizadora do Museu Comunitário Treze de Maio, em Santa Maria (RS), a oficina contribuiu para o fortalecimento de uma política pública de memória voltada às especificidades das comunidades afro-brasileiras.

“A memória tem importância essencial para a construção e reconstrução das identidades negras no Brasil e esse encontro é de extrema riqueza para que as iniciativas que atuam neste campo possam se reconhecer e ter dimensão do significado do trabalho que realizam no cenário nacional”, explica.

De acordo com a coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, Cinthia Oliveira, a ideia é que os conteúdos abordados na oficina continuem a ser desenvolvidos em ambiente virtual através da recém-criada plataforma de formação Saber Museu. O Programa Pontos de Memória já tem outra oficina agendada, para o final de maio, com o tema Museu Memória, e Cultura Indígena.

Ibram dá pontapé inicial para a construção do Saber Museu

O Ibram iniciou, neste segundo semestre, a reformulação do seu programa de formação, capacitação e qualificação. O Saber Museu está em fase de construção e tem como proposta integrar os diferentes esforços de formação já empreendidos pelo Instituto. Para tanto, foi desenvolvido um ambiente virtual de aprendizagem – Moodle, com o propósito de expandir o acesso aos conteúdos instrucionais que serão produzidos e disponibilizados online, para além da oferta direta e pontual de oficinas presenciais, que deverão ser retomadas e redesenhadas nesse novo projeto.

Nesta primeira etapa, está sendo realizado um projeto piloto com servidores do Instituto e Pontos de Memória. Serão testados os recursos da plataforma virtual a partir de dois cursos iniciais – Museu, Memória e Cidadania na Diversidade Cultural e Inventário Participativo de Referências Patrimoniais. O objetivo é que essas primeiras turmas avaliem, proponham e validem o conteúdo dos cursos, para que, em uma segunda etapa, estes cursos sejam ofertados amplamente para o setor museal.

Os servidores e Pontos de Memória interessados em participarem do piloto têm até o dia 09/10 para se inscrever, através do email comuse@museus.gov.br. Os cursos se iniciam no dia 19/10/15. A previsão é que os cursos comecem a ser ofertados para a comunidade museal no próximo ano.

Publicado o resultado final do Prêmio Pontos de Memória 2014

Nesta segunda-feira (31), foi publicado no Diário Oficial da União, o resultado final do Prêmio Pontos de Memória 2014. O Prêmio visa selecionar ações desenvolvidas por iniciativas de memória e museologia social, que buscam reconhecer, incentivar e fomentar a continuidade e sustentabilidade na perspectiva do Programa Pontos de Memória.

Serão premiadas as instituições classificadas até a 44ª (quadragésima quarta) colocação na categoria Brasil e os concorrentes classificados até a 3ª (terceira) colocação na categoria Exterior. Os classificados dentro das colocações indicadas devem encaminhar a documentação complementar conforme disposto no item 9 do Edital de abertura, com vistas a premiação em espécie. O resultado da seleção será comunicado por meio eletrônico aos selecionados, sem prejuízo do início da contagem dos prazos, a partir desta publicação no DOU. Os participantes vencedores que não apresentarem a documentação no prazo definido serão incorporados ao final da lista dos classificados.

A data a ser considerada para recebimento da documentação complementar será a data da postagem do envelope, cabendo ao participante vencedor o rastreamento da entrega junto a Empresa Brasileira de Correios – ECT.

Ocorrendo desistência ou impossibilidade de recebimento do prêmio pelo participante vencedor, os recursos serão destinados aos participantes constantes da lista de classificação, observada a ordem decrescente de pontuação, o prazo de vigência do edital e a disponibilidade de recursos.

Aos que não foram selecionados, cabe recurso da decisão da comissão de seleção, no prazo de cinco dias consecutivos contados a partir da publicação do resultado final, conforme Formulário de Recurso (Anexo V).

Confira o edital, anexos e mais informações sobre o certame.

Página 1 de 812345...Última »