Museu do Amanhã recebe prêmio de Museu do Ano na América Latina

Na última sexta-feira (30), o Museu do Amanhã, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), recebeu, em Londres (Reino Unido), o Leading Culture Destinations Awards, premiação voltada para instituições, organizações artísticas e cidades que se tornaram destinos culturais e apresentaram contribuições exemplares para a vida cultural local.

MuseuAmanhaIniciativa da Prefeitura do Rio, realizado em conjunto com a Fundação Roberto Marinho e Banco Santander, com apoio do Ministério da Cultura via Lei Rouanet, o Museu do Amanhã foi premiado como Melhor Museu Do Ano da América do Sul e Central, que considera as instituições inauguradas e/ou reformadas nos últimos 15 meses; ficando ainda entre as três instituições com arquitetura mais inovadora do ano – pelo projeto idealizado pelo espanhol Santiago Calatrava.

Em sua terceira edição, o Leading Culture Destinations Awards premia ainda museus nas categorias Melhor Exposição, Melhor Restaurante, Melhor Loja e Melhor Museu Digital, premiando instituições nos cinco continentes.

Traveller´s Choice
A Pinacoteca de São Paulo foi considerada o melhor museu do Brasil e da América do Sul em votação de usuários do site TripAdvisor, plataforma de planejamento e reserva de viagens.

Segundo o Travellers’ Choice Museus 2016, o museu paulistano também ocupa a 19ª posição no ranking mundial. Outros museus brasileiros também estão entre os dez melhores da América do Sul, segundo os usuários: Inhotim, em Brumadinho (MG); o Instituto Ricardo Brennand, em Recife (PE); o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR); o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ); e o Museu do Futebol, em São Paulo (SP).

Texto: Ascom/Ibram

Obra do acervo do Museu Histórico Nacional integra mostra na Pinacoteca

Passagem do Chaco. Óleo sobre tela, de Pedro Américo de Figueiredo e Melo (1843-1905), de 1871, 1 980 x 2400 mm.

Passagem do Chaco. Óleo sobre tela, de Pedro Américo de Figueiredo e Melo (1843-1905), de 1871, 1 980 x 2400 mm.

A exposição Paisagem nas Américas: pinturas da Terra do Fogo ao Ártico, que entrou em exibição naPinacoteca do Estado de São Paulono último final de semana, conta com uma obra do acervo do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro. O quadro em questão é a obra Passagem do Chaco, realizado por Pedro Américo, em 1871.

Em cartaz até 29 de maio, a mostra reúne obras de 85 artistas, provenientes de 51 instituições em 11 países e nasceu de uma parceria firmada, entre a Pinacoteca, a Art Gallery of Ontario e a Terra Foundation for American Art.

Além da obra de Pedro Américo, podem ser vistos trabalhos de Tarsila do Amaral, de Félix Émile Taunay e de outros grandes artistas que retrataram paisagens do continente americano entre 1820 e 1940, como os mexicanos José Maria Velasco e Gerardo Murillo, os americanos Frederic Church e Georgia O’Keeffe, os canadenses Lawrren Harris e David Milne, do venezuelano Armando Reverón, do uruguaio Pedro Figari, entre outros.