Página 2 de 912345...Última »

Casa de Cláudio de Souza recebe Semana da Cultura do Japão

Oficina da Semana da Cultura do Japão em 2014

Oficina da Semana da Cultura do Japão em 2014

A Casa de Cláudio de Souza (Museu Imperial/Ibram) recebe, na próxima semana, a Semana da Cultura do Japão. O evento acontece de 11 a 15 de agosto e faz parte do Bunka-Sai – Festival da Cultura Japonesa de Petrópolis, organizado pela Associação Nikkei de Petrópolis.

Durante a semana, interessados poderão desfrutar, gratuitamente, de uma programação extensa e dinâmica, que abrange todos os aspectos da cultura japonesa. São palestras, oficinas, concerto de violinos, dentre outras atividades.

O evento tem apoio do Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, Museu Imperial, Casa de Cláudio de Souza, Academia Petropolitana de Educação, Academia Brasileira de Poesia e Centro de Estudos de Jovens e Adultos de Petrópolis.

A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247, Centro, Petrópolis. Para mais informações, entre em contato pelos telefones (24) 2231-5156 e (24) 2231-4722 ou pelo e-mail mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br.

Museu Imperial recebe doação de caderno de viajante inglês do século 19

Páginas do caderno de viagem de William Collett no Brasil (1848)

Páginas do caderno de viagem de William Collett no Brasil (1848)

Nesta sexta-feira ( 3), às 16h, o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), recebe de Deirdre Atmore e George Andrews, descendentes do viajante inglês William Rickford Collett (1810-1882), a caderneta (travel-log) com anotações sobre a viagem do aventureiro entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais – realizada de fevereiro a abril de 1848.

Com o título Journey  from Rio de Janeiro to the Mines (Viagem do Rio de Janeiro para as Minas, em tradução livre) o volume com encadernação de couro e fecho de metal contém 70 páginas com apontamentos manuscritos e aquarelas de próprio punho do viajante, e que permaneceu em poder dos descendentes de William Collett até hoje.

Viajantes pelo Brasil
A obra de Collett se inscreve no rol dos registros de viagem comuns no século 19, especialmente os produzidos por súditos da coroa britânica, seja por artistas profissionais e/ou artistas diletantes conhecidos a partir dos exemplares preservados na Coleção Geyer, que pertence ao Museu Imperial.

Assim, o diário de William Collett se junta a outros, igualmente produzidos na primeira metade do século 19, como os Diários do almirante Graham Eden Hamond (1825-1838) e os Sketches do tenente William Smyth (1831-1834), complementando tematicamente a categoria “literatura de viagem” sob a guarda do Museu Imperial.

Dentre os destaques do caderno de viagem encontram-se duas imagens raras: uma que documenta os primórdios da construção do Palácio Imperial de Petrópolis, hoje Museu Imperial, e outra da Fazenda do Padre Correa, comunidade rural anterior a chegada da família imperial.

Assim, a incorporação da obra contribui para o estudo da ocupação da região petropolitana e do registro de seu cotidiano. Saiba mais sobre o Museu Imperial e faça uma visita virtual.

Texto e imagem: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

 

Visitas ao Museu Imperial crescem 60% no feriado de Corpus Christi em 2015

O feriado prolongado de Corpus Christi neste ano, entre os dias 4 e 7 de junho, fez com que o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), tivesse um aumento expressivo em sua visitação: o público total no período contabilizou 10.677 visitantes.

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

O número, que engloba visitas ao palácio e audiência ao espetáculo Som e Luz e a dramatização Um Sarau Imperial, representou um aumento de 60% com relação ao mesmo período do ano de 2014, quando o Palácio Imperial de Petrópolis recebeu 6.669 pessoas.

“O incremento da visitação ao museu é o resultado do trabalho de divulgação dos serviços oferecidos pela instituição e de sensibilização do público sobre a importância dos acervos históricos e artísticos preservados na casa favorita do imperador d. Pedro II”, esclarece Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial.

“Isso é a prova de que os museus podem e devem formar novos públicos interessados em conhecer um pouco mais da história nacional”, conclui.

Já o número de estudantes atendidos pelo Setor de Educação do museu foi de 249 alunos. Durante os quatro dias do feriado, somente o Palácio Imperial de Petrópolis recebeu 9.300 visitantes.

O espetáculo Som e Luz foi visto por 1.090 espectadores neste período de 2015. Já as modinhas da dramatização Um Sarau Imperial foram acompanhadas por 287 pessoas. Conheça mais sobre o Museu imperial e faça uma visita virtual.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Semana e Museus no Museu Imperial tem uma vasta programação

Museu ImperialO Museu Imperial/Ibram realiza uma série de atividades durante esta semana. Na segunda (18), o Museu estará fechado para visitação, porém, será realizada a sétima edição do Curso de Atualização para Guias de Turismo, que vai até o dia 20, e é destinado a guias com registro na Embratur. Seu objetivo é capacitar os profissionais para atuarem nos pontos turísticos de Petrópolis, de modo a proporcionar atendimento de qualidade aos turistas que visitam a cidade. Na programação do curso, estão previstas palestras e visitas guiadas no Museu Imperial e outros pontos turísticos da cidade. Também será realizada uma visita técnica aos bastidores do Museu Imperial, na qual os participantes conhecerão os acervos arquivístico, bibliográfico e museológico que não estão expostos no palácio. Os guias serão convidados ainda a assistir aos espetáculos Som e Luz e Um Sarau Imperial gratuitamente.

Ainda na segunda-feira, às 10 horas, haverá uma mesa redonda sobre o tema da Semana, “Museus para uma sociedade Sustentável”. O palestrante Carlos Fernando de Moura Delphim falará sobre “Sustentabilidade ambiental e patrimônio cultural”; Evany Noel abordará o tema “Sustentabilidade econômica, o potencial dos museus como geradores de emprego e renda e Turismo e Desenvolvimento Econômico de Petrópolis”; já Antônio Carlos Dias Pastori, exporá a questão da “Sustentabilidade sociocultural, o projeto de reativação da Estrada de Ferro Príncipe do Grão Pará e seu potencial para a recuperação ambiental, social e cultural da região do Meio da Serra e os seus benefícios para a cidade de Petrópolis”. A mesa redonda terá como mediadores a Mestre em Filosofia da Educação, Lara Sayão, e o Diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr.

Além disso, estará acontecendo a II Feira de Livros, na Biblioteca do Museu, das 09h às 12h e das 14h às 18h. Este evento irá até o dia 22 de maio. Para participar, os interessados deverão trazer os livros para serem trocados, caso não exista nenhum livro de interesse, será dado um vale livro que poderá ser utilizado durante o período do evento. Os amantes da leitura poderão se deliciar escolhendo exemplares de artes, história, infantil, infantojuvenil, filosofia dentre outros. Dicionários, enciclopédias não serão aceitos.

No segundo dia, 19 de maio, o Museu Imperial terá visitação gratuita a todos, em celebração ao Dia Internacional de Museus. A partir desta data, até o dia 24 de maio, interessados poderão visitar a Exposição “Iconografia Petropolitana”, na Galeria Petrópolis, dentro do Palácio. Para este, a entrada franca será para moradores de Petrópolis mediante comprovação de residência.

Ainda no dia 19, a Biblioteca Rocambole terá contação de história do livro “O Livro do Planeta Terra”, das 14h30 às 15h30. A participação é gratuita mediante inscrição prévia junto ao setor de Educação, porém restrita a grupos escolares.

Na quarta-feira, dia 20 de maio, todos os interessados poderão desfrutar das edições promocionais do “Um Sarau Imperial”, às 18h30, e do “Espetáculo Som e Luz”, às 20 horas, com o valor de R$5,00. Também na quinta, sexta-feira e sábado os mesmos serão realizados a este preço.

Ainda na quarta-feira, o livro “Água Viva” será a leitura da Biblioteca Rocambole, às 14h30 e, mais tarde, às 15h30, o Museu Imperial receberá 30 adolescentes em conflito com a Lei, amparados pelo Departamento de Proteção Especial da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania de Petrópolis, para participar do Projeto Petrópolis e fazer uma visita ao Palácio. O Projeto será apresentado para escolas, na sexta-feira, dia 22, às 11h e 15h30.

No dia 21 de maio, quinta-feira, “O Livro das Origens” fará parte da Hora do Conto na Biblioteca Rocambole, seguido de oficina criativa, às 14h30.

No sábado, dia 23 de maio, assim como acontece tradicionalmente, Miguel Berredo irá guiar a prática de meditação no Museu Imperial, às 10 horas, gratuitamente. Enquanto isso, com início às 09 horas, estará sendo realizada a I Jornada Artística, com palestra sobre criação artística, no Cineteatro, com o artista plástico, Luiz Áquila. Ao término da Jornada, às 10 horas, começará a Oficina de Aquarela – “O Museu Imperial e seu entorno”, com Beatriz Pena, nos jardins. Interessados devem se inscrever gratuitamente no site do Museu Imperial.

Para encerrar a Semana Nacional de Museus, haverá a prática de Yoga, às 9h30 no pátio do Museu e, mais tarde, às 16 horas, o Conjunto anima e Cuore e a Orquestra e Coro da Universidade Católica de Petrópolis se apresentam no Cineteatro no III Concerto da Temporada 2015. Os ingressos serão gratuitos mediante retirada antecipada na bilheteria do Museu Imperial.

Texto: Ascom Museu Imperial

Museu Imperial oferece online diário de viagem de d. Pedro II

Retrato do imperador tirado em Nova Iorque em 1876

Retrato do imperador tirado em Nova Iorque em 1876

A partir do dia 29 de abril, o Museu Imperial irá disponibilizar diariamente, em seu portal da internet e na página web do Consulado dos Estados Unidos, o conteúdo do diário de d. Pedro II, relativo à viagem feita ao território estadunidense, de abril a julho de 1876. São 43 cadernetas manuscritas que fazem parte do acervo do Museu.

Entre abril e junho de 1876, o então imperador do Brasil d. Pedro II protagonizou uma histórica viagem aos Estados Unidos da América, onde participou da Exposição Universal daquele ano, comemorativa ao centenário da independência estadunidense.

As cadernetas, que integram o acervo do museu e receberam o Prêmio Memória do Mundo da Unesco, terão seu conteúdo disponibilizado em posts diários que serão publicados até 7 de julho nas páginas eletrônicas do Museu Imperial e do Consulado dos Estados Unidos.

A data escolhida para iniciar as postagens não foi ao acaso: no dia 29 de abril foi escrita a primeira anotação do imperador. “Vamos seguir a lógica do diário, trabalhando com textos adequados a linguagem atual e incluindo imagens de época para acompanhar”, explica o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr. Conheça o Museu Imperial.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Imperial/divulgação

Casa de Cláudio de Souza realiza encontro Contando a gente se entende

Cotado para ser realizado uma vez por mês na Casa de Cláudio de Souza (unidade do Museu Imperial/Ibram),o encontro “Contando a gente se entende” já tem dia e horário marcados para começar sua edição 2015: dia 27 de março, das 16 horas às 18 horas, com a educadora Perses Canellas e a arte terapeuta Dulce Eugênia. O evento possui entrada gratuita e limite de 30 vagas.

Segundo as promotoras do projeto, o objetivo é que contadores de histórias e mediadores de leitura de Petrópolis troquem experiências que façam com que cada um amplie seu repertório de contos, além de trocar bibliografias e compartilhar suas vivências como contador. “Iremos refletir sobre a importância dos contos no mundo atual, já que estaremos reunidos com colegas que já desenvolvem o trabalho de contação na cidade, ou, até mesmo, avôs e avós que acreditam no poder das histórias”, explica Dulce Eugênia, conhecida como Tia Dulce do Mundo Verde.

AS EDUCADORAS – Dulce Eugênia é Arte Terapeuta, Assistente Social e Voluntária do Viva e Deixe Viver. Contando histórias, ela busca promover a leitura através de atividades em bibliotecas, escolas, hospitais e instituições para terceira idade. Tia Dulce também organiza cursos de contação de história, ministrados por ela, em ONG’s, escolas e casas religiosas.

Já Perses Canellas é mestre em educação e especialista em questões raciais. Também atua como contadora de histórias africanas e é voluntária do Viva e Deixe Viver. Atualmente, cursa pós graduação em Literatura Infanto-juvenil (Letras/UFF). Perses idealizou e colocou em prática o Projeto de Leitura Griot, que conta e reconta histórias africanas no Instituto de Educação de Niterói e, hoje, desenvolve o projeto “Um Palácio de Histórias”, no Museu do Ingá (Niterói/RJ).

A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247, Centro, Petrópolis. O espaço, doado ao Museu Imperial pelo escritor e teatrólogo Cláudio de Souza, recebe eventos artísticos e culturais, além de abrigar exposições sobre seu titular. A casa também está aberta à visitação de terça a sexta-feira, das 11h às 18h, com entrada franca.

Texto: Ascom Museu Imperial

Museu Imperial estuda mudança das tradicionais pantufas

pantufasMarca registrada de uma das casas de memória mais visitadas do Brasil, as famosas pantufas do Museu Imperial, em Petrópolis (RJ), podem sair de cena em breve.

O museu, que é vinculado ao Ibram, estuda a possibilidade de mudar o modelo dos famosos chinelos, que chegaram a figurar nas páginas do jornal norte-americano The New York Times e ajudam a conservar os pisos históricos daquela que um dia foi a residência de verão preferida do imperador D. Pedro II e sua família.

Por questões de higiene, conforto e praticidade, a direção do museu avalia abolir, ao menos em parte, o uso das pantufas – utilizadas desde a criação do museu, em 1940 – e adotar algo parecido com uma sapatilha descartável. Não há previsão de data para mudança definitiva.

“A intenção é aperfeiçoar nosso serviço de forma a deixar os visitantes mais confortáveis ao passear pelas alas e também terem a possibilidade de levar um ‘pedaço’ do Museu para casa, já que o objeto não será reutilizado”, explica o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr.

Turistas que visitaram o antigo Palácio Imperial esta semana puderam fazer o primeiro teste com as novas “proteções” e aprovaram. “Estão aprovadíssimas. Deslizam bem no chão e são muito práticas, ficam bem presas aos nossos pés”, relataram as amigas Rosani e Danielle, de Santa Catarina, que visitavam o Museu Imperial pela primeira vez e testaram as novas sapatilhas.

Elas mesmas uma espécie de patrimônio do museu, as atuais pantufas, no entanto, não serão completamente descartadas caso o novo modelo seja adotado. De acordo com a direção da instituição, elas poderão voltar a deslizar pelos pisos do palácio em dias chuvosos, por exemplo.

Palácio Rio Negro fechará ao público excepcionalmente nesta sexta (9)

palacio_rio_negroA

Mudança na expografia motiva suspensão temporária da visitação

Localizado em Petrópolis (RJ) e vinculado ao Museu da República/Ibram, o Palácio Rio Negro estará fechado ao público, em caráter excepcional, nesta sexta-feira (9).

O motivo do fechamento é a mudança na expografia dos quartos principais do palácio, que será realizada pela equipe do museu.

Construído em 1889 para ser a residência do Barão do Rio Negro, rico comerciante de café, o Palácio Rio Negro foi incorporado pelo Governo Federal em 1903 e passou a ser a residência oficial de verão dos presidentes da República em Petrópolis. Além desta função, o espaço é dedicado à memória da República na antiga “cidade imperial”.

O museu, que funciona de terça a sábado, das 10h às 17h, reabre para visitação normal no sábado (10).

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Programe-se: confira o funcionamento do Museu Imperial em 2015

O Museu Imperial, unidade do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Petrópolis (RJ), divulgou seu calendário de funcionamento em 2015. O objetivo é facilitar o deslocamento e acesso de visitantes ao museu fluminense, especialmente durante feriados nacionais e feriados prolongados.

No período do Carnaval (entre os dias 14 e 17 de fevereiro), como de costume, o museu funciona das 10h às 16h30. Na Quarta-feira de Cinzas (18), o museu não abre.

Museu Imperial

Fachada do Museu Imperial em Petrópolis (RJ)

No mês de março, o museu abrirá no aniversário da cidade de Petrópolis (16 de março) com entrada gratuita. Já no dia 17, o museu fecha suas portas. No dia 29, aniversário do Museu Imperial, a programação será normal.

Feriado prolongado
Em abril, mês que conta com vários feriados em 2015, o Museu Imperial funciona na Sexta-Feira da Paixão (3), no  Domingo de Páscoa (5),  e nos dias 20, 21 (Tiradentes) e 23 (São Jorge). No dia 22 de abril o museu não funcionará.

No dia 1º de maio, em homenagem aos trabalhadores, o Museu Imperial mantém sua programação normal. Já no dia 13 de maio, o museu abre normalmente com entrada gratuita. Em junho, o museu mantém seus horários nos feriados do dia 4 (Corpus Christi) e 29 (Dia do Colono).

No dia 7 de setembro, feriado da Independência, o museu fica aberto, fechando no dia 8. No Dia Mundial do Turismo (27) a entrada será gratuita aos visitantes. Em outubro, o museu abre nos dias 12 ( feriado de Nossa Senhora de Aparecida) e 28 (Dia do Servidor Público).

No dia 2 de novembro (dia de Finados),  o museu abre, permanecendo fechado no dia 3.  Já no dia 5, Dia Nacional da Cultura, o Museu Imperial abre com entrada gratuita.  No dia 15 (Proclamação da República) e no dia 20 (Dia da Consciência Negra) o funcionamento será normal.

No mês de dezembro, o Museu Imperial estará aberto nos dias 24 e 31, das 11h às 14h, fechando apenas no dia 25 de dezembro e 1º de janeiro de 2016. Visite a página do Museu Imperial para outras informações.

Texto: Divulgação Museu Imperial
Edição e foto: Ascom/Ibram

Sociedade de Amigos doa pintura rara ao Museu Imperial em Petrópolis

A pintura

A pintura em óleo, produzida por volta de 1805, é adornada com madeiras raras do Brasil

A pintura Retrato equestre do príncipe Regente d. João, do artista português João Tomás da Fonseca (1752-1835), integra agora o acervo do Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), após ser adquirida pela Sociedade de Amigos do Museu Imperial aos herdeiros do colecionador Newton Carneiro.

A peça, que custou R$ 53 mil, tem como modelo a estampa de número LVIII da obra A Luz da Liberal e Nobre Arte da Cavallaria offerecida ao Senhor D. João Príncipe do Brasil, da autoria de Manuel Carlos de Andrade (1755-1817), publicada em Lisboa pela Regia Officina Typografica, em 1790.

A publicação é reconhecida como um dos mais completos tratados de cavalaria do período e, para muitos, a principal obra do gênero em toda a Europa.

Antes de ser adquirido para o museu brasileiro, o quadro pertenceu à coleção do banqueiro e mecenas português Ricardo Ribeiro do Espírito Santo Silva (1900-1955) e, antes dele, à Coleção Real Portuguesa, no Palácio de Queluz – localizado no Distrito de Lisboa.

A doação complementa o acervo do Museu Imperial, uma vez que a instituição já possui o chapéu bicorne que o então príncipe regente ostenta na pintura. Agora quadro e chapéu serão peças de destaque durante as comemorações dos 200 anos da elevação do Brasil à categoria de Reino, que o museu prepara para o ano de 2015.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Página 2 de 912345...Última »