Página 1 de 3123

MHN conclui pesquisas sobre Casa do Trem e carruagens na literatura

Sob a orientação do Núcleo de Pesquisa do Museu Histórico Nacional (MHN), que integra a rede Ibram no Rio de Janeiro (RJ), duas pesquisas de iniciação científica foram concluídas recentemente com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

“Estudo sobre as carruagens e sua presença em obras literárias de José de Alencar e Machado de Assis” trouxe um novo recorte para obras de escritores consagrados desde o século XIX.

“Na coleção do Museu Histórico Nacional estão presentes algumas carruagens que aparecem nas histórias contadas por José de Alencar e Machado de Assis”, explica o bolsista Adilson da Silva Santos Junior, autor da pesquisa orientada por Álvaro Marins.

A Vitória é um modelo de carruagem citado em obra de José de Alencar

A Vitória é um modelo de carruagem citado em obra de José de Alencar

“A última seção da coleção contém carros do século XIX até o século XX. As primeiras carruagens expostas na coleção são as vitórias, veículo que aparece parado no início d’a Pata da Gazela” – obra escrita por Alencar em 1870″, revela o bolsista.

“Seja na estrutura da classe senhorial, simbolizada através do Romantismo de Alencar, ou nas formas irônicas presentes nos textos de Machado, as representações literárias desses autores mostram com eficiência as carruagens do século XIX e, sobretudo, a sua função social”, conclui Adilson Santos Junior.

Arquitetura em pauta
A Casa do Trem, um dos edifícios que compõe o complexo arquitetônico do MHN, também foi tema de pesquisa recente. “Valoração e autenticidade histórica na restauração de bens imóveis coloniais: um estudo sobre a Casa do Trem” foi realizada por Fernanda Pinheiro Pereira da Silva sob a orientação de Rafael Zamorano.

O edifício, cuja construção foi iniciada em meados do século XVIII, ficou pronto em 1762. Com a finalidade de guardar armamentos destinados a tropas que seriam enviadas de Portugal para reforçar a defesa da cidade, constantemente ameaçada por corsários, o prédio foi integrado ao MHN em 1922 – ano de criação do museu como parte das celebrações do Centenário da Independência do Brasil.

“A Casa do Trem é testemunha não apenas da história da ocupação do Rio de Janeiro, mas guarda em sua trajetória os embates sobre a autenticidade dos edifícios antigos da cidade, onde houve claramente uma apagamento da intervenções neocoloniais buscando uma suposta autenticidade colonial”, aponta Fernanda Pinheiro em seu relatório final.

As duas pesquisas serão publicadas nos Anais do MHN, assim como ficarão disponíveis para consulta na biblioteca do museu.Saiba mais sobre o Museu Histórico Nacional.

Texto e foto: Ascom MHN

Ibram discute práticas de pesquisa durante a 15ª Semana de Museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realiza, como atividade da 15ª Semana de Museus, a Jornada Técnica “Objetos controversos: a prática da pesquisa nos museus”.

A Jornada surgiu a partir da intenção dos diretores dos museus da rede Ibram em discutir uma série de temas. A atividade, gratuita e aberta ao público, acontece no dia 17 de maio,  de 9h às 18h, no Museu da República/Ibram no Rio de Janeiro (RJ).

As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas pelo telefone (21) 2127.0342 ou pelo e-mail mr.marketing@museus.gov.br.

Serão quatro painéis mediados por diretores de museus Ibram. O painel de abertura “A atribuição dos museus no contexto nacional e internacional” terá a participação de Maria Inês Mantovani Franco, Presidente Icom Brasil, e Marcelo Mattos Araujo, Presidente do Ibram.

Em seguida, Christina Penna, historiadora de arte, Rafael Zamorano, do Museu Histórico Nacional, e Alejandra Saladino, do Museu da República, discutem as teorias e práticas de pesquisa.

À tarde serão dois painéis: “Informação e público”,  com Marcelo Bortolloti, jornalista da Revista Época; Mário Chagas, do Museu da República, e Simone Bibian, do Museu Nacional de Belas Artes. “Usos da tecnologia” traz Larissa Long, do Museu Nacional de Belas Artes,  Eliane Zanatta, do Museu Imperial, e Ivan Coelho, da UniRio.

Do pó ao pó e Fa Pianger e Sospirare

O Museu da República também recebe duas mostras temporárias em comemoração à Semana de Museus 2017. As exposições, que serão abertas neste sábado (13), guardam em comum o fato de ambas remeterem, de alguma forma, à história do lugar.

Em Do pó ao pó, o artista Zé Carlos Garcia lança, na Galeria do Lago, um questionamento sobre a importância dos bustos que “povoam” os corredores do museu, com suas montagens de pedras sedimentares que se assemelham a figuras humanas sem rosto.

Já o artista visual Alessandro Sartore propõe com sua instalação Fa Pianger e Sospirare, montada no Coreto, uma volta a sua função regressa. A curadoria é assinada por Isabel Sanson Portella. Saiba mais

Ibram divulga resultados da pesquisa sobre a Semana de Museus 2016

As instituições que participaram da 14ª Semana de Museus tiveram um aumento de 79% no número de visitantes entre os dias 16 e 22 de maio.

Cartaz da Semana de Museus 2016

Cartaz da Semana de Museus 2016

Este é um dos resultados apresentados na pesquisa sobre a Semana de Museus 2016, a partir da resposta de 482 museus de todo o país, lançada hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

O objetivo é avaliar o impacto da temporada nacional de eventos, que acontece no primeiro semestre de cada ano para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio).

34% dos museus brasileiros cadastrados juntos ao Ibram (3.646 até julho) desenvolveram no período da Semana de Museus deste ano atividades sob o tema Museus e Paisagens Culturais. A maior participação foi de museus municipais (39%), seguida por museus privados (26%).

Em relação ao impacto econômico, houve um crescimento de 21% na geração de emprego e renda no campo museal, especialmente no quesito contratação de recursos humanos. Confira a pesquisa na íntegra.

Além dos números, os resultados da pesquisa, realizada desde 2011, também permitem avaliar o direcionamento dado pelo Ibram para a atividade anual, assim como permitem a gestores municipais, estaduais e federais ajustarem suas ações em prol do desenvolvimento e consolidação do setor de museus no país. Conheça as pesquisas anteriores da Semana de Museus realizadas pelo Ibram.

15ª Semana de Museus
“Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus” (Museums and contested histories: saying the unspeakable in museums, em inglês) é o tema definido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom) para o Dia Internacional de Museus 2017 – celebrado em 18 de maio.

Nas próximas semanas, o Ibram definirá o período de realização da Semana de Museus 2017, assim como dará início ao processo de inscrições de atividades por parte das instituições interessadas em participar.

Texto: Ascom/Ibram

Tese de pesquisador do Ibram sobre arte e loucura é premiada pela CAPES

euripedes

Tese é resultado de nove anos de pesquisa do museólogo, que é responsável pelo setor de esculturas do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA).

Berço de Arthur Bispo do Rosário (1909-1989) – interno durante mais de 50 anos na Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro (RJ), cuja obra vanguardista desperta amplo interesse internacional – e Nise da Silveira (1905-1999), psiquiatra pioneira na utilização da arte como recurso terapêutico, o Brasil detém o maior acervo mundial de obras produzidas por pacientes internados em hospitais psiquiátricos.

O assunto é tema central da tese “Do asilo ao museu: ciência e arte nas coleções da loucura”, defendida em 2015 pelo museólogo Eurípedes Gomes da Cruz Jr., que acaba de ser reconhecida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) com a outorga de Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2016, na área de Ciências Sociais Aplicadas.

A tese é resultado de nove anos de pesquisa, entre mestrado e doutorado, do também compositor, arranjador e maestro, que é responsável pelo setor de esculturas do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Antes disso, o autor trabalhou durante 30 anos no Museu de Imagens do Inconsciente, criado por iniciativa de Nise da Silveira, onde foi vice-diretor por 10 anos.

Pioneirismo
Realizado junto ao Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), o trabalho, considerado pioneiro nesta seara, destaca o papel da Museologia para integrar à História da Arte parcela significativa de criadores dela excluídos, em âmbito brasileiro, por conta de marginalização social causada por diversos motivos.

“Meu foco situa-se mais nas coleções que abrigam obras de pessoas rotuladas como loucas, mas também abre indagações sobre as questões éticas trazidas pela exposição desses trabalhos e seus autores que são estendidas a outras categorias de artistas que não pertencem aos círculos estabelecidos pelo campo tradicional da arte”, explica o pesquisador.

Com extensa revisão bibliográfica – fruto de oito meses de pesquisa em bibliotecas e museus no exterior – sobre o que foi produzido acerca do assunto nos campos da Ciência e da Arte, o trabalho, que também abarca a história das primeiras exposições com esta temática realizadas no Brasil, tenciona servir de referência na indicação de pistas e fontes para os pesquisadores do campo.

A entrega do prêmio acontecerá em cerimônia na sede da CAPES, em Brasília (DF), no dia 14 de dezembro. Durante o evento, os outorgados com menção honrosa serão destacados. A tese de Eurípedes Gomes da Cruz Jr. pode ser baixada e lida, na integra, na página do Programa de Pós-Graduação em Museologia da Unirio/MAST.

Investimentos públicos federais em museus bateram recorde em 2014

Levantamento dos Investimentos Públicos Federais em Instituições Museais em 2014 acaba de ser disponibilizado pelo Ibram. Desde 2010, o Instituto realiza o estudo, que tem como objetivo identificar todos os empenhos realizados pelas unidades orçamentárias do Sistema MinC em cada exercício, no campo museal.

Os projetos foram financiados com alocação de recursos orçamentários do Tesouro e do Programa Nacional de Apoio à Cultura – Pronac, que compreende o Fundo Nacional de Cultura – FNC e Incentivo Fiscal.

Em 2014, houve um aumento dos investimentos, que pela primeira vez ultrapassaram R$300 milhões. O Ibram empenhou cerca de 16,5% deste valor, sendo os outros 83,5% empenhados pelas demais unidades orçamentárias do Sistema MinC.

A maior parte dos investimentos foi nas áreas de artes visuais e patrimônio cultural, cerca de 88%. O restante se dividiu nas áreas de audiovisual, humanidades, artes integradas, artes cênicas e música.

A pesquisa completa está disponível na página do Ibram. O levantamento de 2015 começa a ser feito em abril deste ano, para conclusão no segundo semestre.

Participe da Pesquisa Anual de Museus

PAM Ainda está em tempo de responder à Pesquisa Anual de Museus – edição 2015 (PAM 2015). Todos os museus brasileiros devem participar deste levantamento, realizado on-line, através do site do Ibram . Na Pesquisa, o museu fornecerá informações sobre características, serviços, atividades e outras temáticas relevantes para o campo museal.

O compartilhamento de informações por parte dos museus em pesquisas periódicas como a PAM é fundamental para o monitoramento e a avaliação das políticas públicas de cultura, como o Plano Nacional de Cultura (PNC) e o Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM).

Além disso, com a PAM é possível produzir diagnósticos atualizados do campo, estabelecer indicadores, construir séries históricas para o setor e manter atualizadas as informações dos museus brasileiros na base de dados do Cadastro Nacional de Museus.

Semana Nacional de Museus dobra o público das instituições participantes

Realizada entre os dias 18 e 24 de maio de 2015, a 13ª edição da Semana Nacional de Museus teve um aumento de público de 92% no período – ponto alto dos resultados de pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Veja a pesquisa na íntegra.

De acordo com o estudo realizado pela Coordenação de Estudos Socioeconômicos e Sustentabilidade do Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus do Ibram, elaborado a partir de amostragem de 669 das 1.380 instituições participantes, a Semana Nacional de Museus 2015, que teve como tema Museus para uma sociedade sustentável, também foi responsável por um aumento de 21,9% na visitação com relação ao mês anterior à ação.

Todos os estados participantes tiveram respondentes da pesquisa. Destaque para Rondônia, onde  80% das instituições participantes responderam ao questionário.

A contratação de profissionais para a realização de atividades também foi expressiva: a pesquisa revela que 1.349 profissionais foram contratados pelas instituições participantes no período, entre monitores, palestrantes, músicos, educadores e outros. O número de voluntários é ainda mais expressivo. Mais de 3 mil pessoas se mobilizaram para trabalhar voluntariamente durante o período.

Outra parceria bastante significativa ocorreu entre os museus e agentes culturais que, em troca da experiência promovida pela ação, trabalham voluntariamente auxiliando os museus na realização de sua programação. Em 2015, a Semana Nacional de Museus mobilizou mais de três mil voluntários.

Texto: Ascom/Ibram

Ibram divulga os resultados da aplicação do Formulário de Visitação Anual – 2014

24.853.648. Este foi o número de visitas recebidas em 2014 pelos 883 museus que participaram da aplicação do Formulário de Visitação Anual (FAV) pelo Ibram. A pesquisa, aplicada pela primeira vez, é destinada a colher dados confiáveis e abrangentes sobre a frequência de público aos museus brasileiros e faz parte do projeto Museus&Público: Contagem.

Todas as regiões tiveram pelo menos um museu dentre os 100 mais visitados em 2014. Os resultados da pesquisa estão disponíveis na página do Ibram.

Previstos pelo do Decreto 8.124/2013, a coleta e o envio ao Ibram de dados anuais sobre visitação são considerados estratégicos para o desenvolvimento do setor de museus. Mais do que aferir o fluxo de visitação, a contagem de público pode indicar a necessidade de adequação dos serviços oferecidos e a ampliação da ação educativa, entre outras possibilidades.

A contagem de público é também essencial para o acompanhamento e o monitoramento de diretrizes, estratégias, ações e metas estabelecidas em políticas públicas, como as que constam no Plano Nacional de Cultura, Estatuto dos Museus e Plano Nacional Setorial de Museus.

O levantamento dos dados de 2015 já tem data definida. O FAV será aplicado de 1º de fevereiro a 29 de abril de 2016. É importante que o museu saiba antecipadamente quais serão as perguntas, organize as informações e esteja preparado para contribuir também com essa iniciativa. Leia mais sobre o Projeto Museus & Público.

Página 1 de 3123