Ibram recebe a Caravana Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural

- Cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, na apresentação da plataforma

– Cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, na apresentação da plataforma

Na terça-feira (18), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a plataforma Benfeitoria realizaram a apresentação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural. O evento, que aconteceu no auditório do Ibram, reuniu cerca de 30 participantes relacionados ao setor cultural.

O programa vai selecionar projetos que envolvam patrimônios federal, estadual ou municipal de bens móveis e imóveis; processo de tombamento de bens móveis e imóveis aprovado, pelo menos, no nível do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) regional; premiação ou menção honrosa pelo Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Iphan; premiação nos editais Pontos de Memória do Ibram; registro como “Memória do Mundo” da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) nos níveis mundial, nacional ou regional; listagem do acervo bibliográfico de obras raras no Catálogo do Patrimônio Bibliográfico Nacional gerido pela Biblioteca Nacional; declaração do acervo arquivístico privado como de interesse público e social do Conselho Nacional de Arquivos (Conarq) e acervos memoriais pertencentes a museus públicos federais ou a arquivos públicos federais, estaduais ou municipais.

Como pré-requisito, as iniciativas precisam se enquadrar em pelos menos uma das categorias abaixo:

Promoção e Inclusão: ações de promoção de um patrimônio e transmissão de conhecimentos tradicionais a um novo público; benfeitorias ou ações de inclusão que tornem o patrimônio mais acessível e democrático e ações de impacto perene voltadas ao turismo ligado ao patrimônio cultural brasileiro.
Inovação e Tecnologia: instalações, aplicativos e jogos digitais, novas tecnologias ou conteúdos que melhorem a experiência e o engajamento do público com o patrimônio ou que o torne ainda mais atraente, contemporâneo e/ou com mais valor turístico.
Educação e Inspiração: cursos, oficinas e/ou eventos de formação (online ou presencial) de profissionais que trabalhem com patrimônio; ações e conteúdos educativos que promovam o engajamento do público com o patrimônio.
Preservação e Memória: restauros, reformas, ações de conservação e cuidado do patrimônio; iniciativas de registro e reconhecimento que preservem a memória do patrimônio, como documentários, prêmios e cartografias.

Orçamento e prazo de execução
Serão aceitas iniciativas com meta de arrecadação entre R$ 30 mil e R$ 300 mil, considerando tanto os recursos do financiamento coletivo como os do BNDES. O valor do aporte (match) do BNDES por projeto será sempre equivalente a ⅔ do valor da meta mínima a ser arrecadado via financiamento coletivo, independente do valor total captado na campanha.

- Maria Parreiras, do BNDES, durante a explicação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural

– Maria Parreiras, do BNDES, durante a explicação do programa Macthfunding BNDES + Patrimônio Cultural

A expectativa é que a iniciativa apoie até 80 projetos selecionados ao longo de 2019 e 2020 por meio do edital. De acordo com a Maria Parreiras, do Departamento de Educação e Cultura do BNDES, um dos méritos da iniciativa é alcançar projetos pequenos, a partir de R$ 30 mil, em que o BNDES diretamente não teria capacidade de aportar. Para ela, a ideia é que a operação de apoio financeiro seja organizadora e catalizadora de investimentos com capacidade de atender a um espectro maior de público.

Na apresentação do programa, a cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, mencionou que a cada ano, vão ocorrer cinco ondas de seleção com a expectativa de oito projetos selecionados em cada uma. Segundo ela, os responsáveis pelos projetos escolhidos receberão treinamento mais aprofundado com foco nas campanhas de arrecadação de forma que consigam captar os recursos necessários à execução das propostas. Após passar por essa fase, os projetos serão apresentados na plataforma do programa, hospedada no site Benfeitoria, para que o público possa conhecê-los e efetuar doações àqueles que acharem mais interessantes.

Na ocasião, a também cofundadora da Benfeitoria, Yasmin Youssef, informou que as iniciativas precisam ser executadas no prazo máximo de 9 meses contados da data de realização do primeiro repasse financeiro. Na hipótese de as iniciativas não utilizarem o total do apoio do BNDES, os valores não utilizados voltarão para o fundo Matchfunding BNDES+ e poderão ser reinvestidos posteriormente.

Como participar
Para participar do programa, os proponentes devem ser pessoas jurídicas brasileiras, de direito privado, sem fins lucrativos que tenham legitimidade e direito legal para implementar a proposta; articulação ou ação na cadeia produtiva de cultura e capacidade de realização, prestação de contas e mobilização de redes.

No período de 02 de abril de 2019 a 15 de junho de 2019, as entidades proponentes deverão enviar por meio do formulário online disponível  as propostas que serão avaliadas nos aspectos técnicos e administrativos. A seleção das iniciativas caberá ao Comitê de Seleção, composto por funcionários, convidados e/ou contratados da SITAWI, organização civil que atua no campo das finanças sociais, e da Benfeitoria. O BNDES poderá, a seu critério, indicar até dois funcionários ou especialistas para compor o Comitê de Seleção.

Depois de passar por Brasília, a Caravana Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural passará por Belém (26/06), Recife (04/07), Porto Alegre (08/07) e Rio de Janeiro (18/07).

Outra matéria sobre o tema: Ibram, BNDES e Benfeitoria apresentam, no Museu da República, o programa Matchfunding BNDES + Patrimônio.

Ibram, BNDES e Benfeitoria apresentam, no Museu da República, o programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio

2019_junho_Ibram e Benfeitoria_Matchfunding BNDES_foto1O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), a SITAWI e a plataforma Benfeitoria realizaram, na terça (4), um workshop gratuito para a apresentação do programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural. O objetivo da oficina foi divulgar e explicar a nova modalidade de financiamento do BNDES que pretende triplicar a arrecadação de projetos de financiamento coletivo (conhecido como crowdfunding).

Voltado para projetos que deixem legados para o patrimônio cultural brasileiro, o programa prevê o aporte do BNDES em R$ 2, para cada R$ 1 doado pela sociedade, observando o valor máximo de aporte do banco de R$ 200 mil para cada projeto. Podem participar iniciativas de promoção e acesso do patrimônio para novos públicos, tecnologias que melhorem sua experiência, projetos que capacitem profissionais do setor ou projetos de preservação à memória.

2019_junho_Ibram e Benfeitoria_Matchfunding BNDES_foto2O evento aconteceu no auditório do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro, e reuniu cerca de 40 participantes. A cofundadora da Benfeitoria, Tatiana Leite, fez uma apresentação sobre a relevância do financiamento coletivo para o setor, apresentou o edital e tirou dúvidas dos participantes. No final da manhã, os participantes fizeram, ainda, exercícios de cocriação de projetos, deixando clara a potência de se criar legado para Patrimônio através de projetos inovadores de pequeno e médio porte.

O coordenador da área de Financiamento e Fomento do Ibram, Rodrigo Marques, explicou que o Ibram pretende apoiar os demais eventos que serão realizados pelo Brasil para disseminar o edital pela oportunidade que ele representa de financiamento e inovação para o setor museal. Estão previstos encontros em São Paulo, Brasília, Belém, Recife e Porto Alegre.

No próximo dia 18, o programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural será apresentado na sede do Ibram, em Brasília. O evento será aberto ao público e as inscrições podem ser feitas aqui.*

Sobre o Matchfunding BNDES+
Com R$ 4 milhões de fundo, o Matchfunding BNDES+ é o primeiro edital do setor público a adotar um modelo de financiamento combinado, unindo o aporte direto do BNDES ao financiamento coletivo. Para receber os recursos efetivamente, as iniciativas deverão atingir suas metas de arrecadação, que serão informadas ao público. Serão apoiadas as ações que apresentarem um índice mínimo de pulverização de recursos. A ideia, com isso, é que sejam efetivamente realizados os projetos que contem com amplo engajamento do público.

Sobre a Benfeitoria
Lançada em 2011, a Benfeitoria é uma plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) para projetos de impacto cultural, social, econômico e ambiental. Já mobilizou R$ 40 milhões de quase 300 mil colaboradores para dar vida a mais de 2 mil projetos. A plataforma não cobra comissão obrigatória de quem arrecada, foi a primeira do Brasil a lançar crowdfunding recorrente e é a única a trabalhar com editais de grande porte via Matchfunding. Saiba mais em: www.benfeitoria.com

Sobre a SITAWI Finanças do Bem
A SITAWI é uma organização pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto social. Em mais de 10 anos de história, mobilizou R$ 26 milhões, apoiando mais de 100 organizações e negócios de impacto que alcançaram mais de 650 mil pessoas. Saiba mais em: www.sitawi.net

*matéria atualizada em 14/06/2019.

Inscrições para Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade vão até 15 de maio

Foi prorrogado o prazo para inscrições para a 28ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concurso de caráter nacional promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em reconhecimento a ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro, que este ano terá como tema “Rio 450 anos – Patrimônio Mundial Paisagem Cultural Urbana”. Os interessados ganharam mais 15 dias e, assim, têm até 15 de maio para enviar trabalhos.

Ao todo, serão selecionadas oito iniciativas representativas, divididas em duas grandes categorias. A primeira delas premiará ações de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural. O objetivo é valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação e salvaguarda, envolvendo identificação, reconhecimento e salvaguarda; pesquisas; projetos, obras e medidas de conservação e restauro.

Já a segunda categoria reconhecerá iniciativas de excelência em promoção e gestão compartilhada do Patrimônio Cultural. A ideia é valorizar e promover iniciativas referenciais que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação do patrimônio cultural brasileiro, envolvendo todos os campos da preservação e oriundas do setor público, do setor privado e das comunidades.

Serão escolhidas as ações que se destaquem pela originalidade, vulto ou caráter exemplar. O edital divulgado no Diário Oficial da União tem premiação no valor de R$ 30 mil como estímulo e forma de reconhecimento aos projetos selecionados. Confira o edital.

Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail premio.prmfa@iphan.gov.br ou pelos telefones (61) 2024 5462 e 2024 5465.

Patrimônio Cultural Comum: Países Baixos vão apoiar projetos brasileiros

A Embaixada do Reino dos Países Baixos no Brasil, que fica em Brasília (DF), dispõe de orçamento para apoiar iniciativas brasileiras na área do Patrimônio Cultural Comum entre o Brasil e os Países Baixos.

O objetivo é trabalhar em conjunto na conservação, uso, administração e visibilidade do patrimônio partilhado entre os países. O programa visa a incentivar o intercâmbio nacional e internacional e a troca de conhecimento entre cientistas, historiadores, pessoas de arquivos, etc. sobre a presença neerlandesa no Brasil.

Países Baixos:

Países Baixos: incentivo a projetos brasileiros com foco no Patrimônio Cultural Comum

As inscrições para projetos, com início em 2015, estão abertas. Uma primeira avaliação dos projetos será feita a partir do dia 6 de fevereiro de 2015. Confira manual com diretrizes para a apresentação de propostas de maneira a tornar mais eficiente o processo de avaliação.

Na seleção serão levados em conta os critérios técnicos sobre o conteúdo do projeto como mencionado no manual. Os projetos devem ser apresentados e executados, de preferência, por organizações brasileiras, com valores entre R$ 30 mil e R$ 150 mil no total para 12 meses, dependendo do projeto.

A duração do projeto pode ser entre 12 a 24 meses. A decisão de apoiar um projeto cabe somente à representação do Reino dos Países Baixos no Brasil. Saiba mais.

Texto: Divulgação Embaixada dos Países Baixos

Angelo Oswaldo participa de reunião e visita Museu das Missões no RS

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, participou ontem (9), de reunião da organização das Cidades Patrimônio Mundial da Unesco, em São Miguel das Missões (RS), que integra ampla programação que comemora os 30 anos do reconhecimento das Ruínas das Missões como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Oswaldo (esq.) acompanhado do coordenado do Ponto de Memória Missioneira, Valter Braga

Oswaldo (dir.) acompanhado do coordenado do Ponto de Memória Missioneira,Valter Braga

No domingo (8), Oswaldo visitou o Museu das Missões/Ibram, que reúne a maior coleção pública de imagens sacras e fragmentos missioneiros do Mercosul, o projeto Fonte Missioneira e a exposição A trajetória da arqueologia no Rio Grande do Sul, organizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC).

Aproveitou ainda a viagem até São Miguel para realizar visita técnica ao Ponto de Memória Missioneira, localizado no bairro Alegria, e que integra a rede do Programa Pontos de Memória/Ibram. Hoje (10), o presidente do Ibram está em Porto Alegre onde realiza visita técnica à Fundação Iberê Camargo.

Desde o dia 29 de novembro, a histórica cidade gaúcha celebra o título internacional da Unesco, único no estado, com discussões sobre pesquisa arqueológica, exposição fotográfica,  encontro de benzedeiros, rezadeiros e mateiros; shows regionais, sessão de cinema nas ruínas e outras atividades. Confira a programação que segue até sexta (13).

Nos dias 12 e 13 também acontece na cidade o Seminário Internacional Missões: patrimônio da humanidade, que propõe um diálogo entre turismo, patrimônio e preservação. Conheça os principais atrativos do sítio arqueológico de São Miguel Arcanjo e um pouco do trabalho do Museu das Missões.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Museu das Missões

Ibram integra Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

O Diário Oficial da União (DOU), no dia 8 de novembro, publicou portaria do Ministério da Cultura (MinC) com a relação dos membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural para mandato de quatros anos, contatos a partir de 5 de outubro de 2013.

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural avalia os processos de tombamento e registro no País. Além da Presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC), o Conselho é formado por especialistas de diversas áreas.

São representantes de Ministérios, de organismos não governamentais e da sociedade civil. São eles: Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (Icomos/Brasil) Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) – representado por Angelo Oswaldo, atual presidente da instituição – Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e os Ministérios da Educação, das Cidades e do Turismo. Os especialistas são historiadores, antropólogos, arquitetos, engenheiros, entre outros.

Confira a lista dos bens reconhecidos pelo Conselho Consultivo nos anos de 2010 a 2013

Texto: Divulgação Iphan

Seminário discute Gestão de Risco ao Patrimônio Cultural no Rio de Janeiro

Especialistas em museus e segurança se reuniram esta semana no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) para participar do Seminário-oficina Preservação e Segurança em Museus: Introdução de Gestão de Riscos para Acervos Musealizados, promovido pelo Ibram/MinC, em parceria com o Ibermuseus e a Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI).

Menegazzi durante oficina no Museu Nacional de Belas Artes

O evento, que começou na quarta-feira (13) e será encerrado nesta sexta-feira (15), é ministrado pela técnica italiana especialista em gestão de risco ao patrimônio cultural Cristina Menegazzi.

Participam do seminário cerca de 50 pessoas, entre técnicos dos museus que integram a rede do Ibram e representantes das secretarias de Cultura dos estados, da Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC).

Durante os dois primeiros dias, foram discutidas questões fundamentais que os museus precisam observar, refletir e definir para subsidiar a elaboração de um plano de gestão de riscos a seus acervos. A especialista convidada apresentou conceitos já consolidados na área de gestão e realizou exercícios e simulações de situações de emergência e de uso de equipamentos, de maneira a unir teoria e prática e interagir com os participantes.

Mesa de Debate
O seminário-oficina foi precedido da mesa de debate Gestão de Risco ao Patrimônio Cultura, aberta ao público e realizada na terça-feira (12). A mesa teve como debatedores, além de Cristina Menegazzi, o titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio-Ambiente e o Patrimônio Histórico (Delemaph), da Polícia Federal (PF), Fabio Scliar; o diretor-geral do Serviço Técnico do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), e  a chefe da divisão de Preservação e Segurança do Ibram, Jacqueline Assis.

Plateia durante mesa de debate no dia 12 de março

Menegazzi revelou um dado preocupante: o patrimônio cultural é cada vez mais vulnerável devido às mudanças climáticas no mundo, mesmo assim, o patrimônio cultural continua fora do rol de prejuízos das catástrofes naturais.

O delegado Scliar ressaltou o estreitamento crescente da cooperação entre o Ibram e a PF, citando exemplos como a apreensão do álbum Jazz, do artista suíço Matisse, agora sob guarda do MNBA. Ele também mencionou a escolta que seu grupamento realizou para a obra A Primeira Missa no Brasil,  de Cândido Portinari, recentemente adquirida pelo Ibram e que foi escoltada no trajeto entre o banco Bradesco, na Candelária (região do centro do Rio de Janeiro),  e o MNBA.

Jacqueline Assis detalhou as funções e a estrutura do Instituto e lembrou a assistência dada a entidades que passaram por situações de dano ou perda do seu patrimônio. Ela citou os exemplos do apoio ao artista Helio Oiticica, cujo acervo foi atingido por incêndio, e ao governo do Haiti, cuja capital, Porto Príncipe, foi abalada, em 2010, por um terremoto que destruiu o Museu de Arte Haitiana do Colégio de Saint-Pierre. A equipe do Ibram desenvolveu o projeto de reconstrução do Museu e fará ações de qualificação para os profissionais de museus daquele país.

A mesa de debate atraiu cerca de 70 pessoas entre representantes de museus e instituições culturais e estudantes.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Educação Patrimonial e Inclusão Digital do M. das Reduções (MG)

O Projeto de Educação Patrimonial e Inclusão Digital idealizado pelo Museu das Reduções completou um ano de atividades. Nesses primeiros doze meses, o projeto já beneficiou mais de 2.400 estudantes do ensino fundamental das escolas públicas municipais de Ouro Preto, Mariana, Itabirito e Nova Lima.

Com o projeto, os jovens estudantes têm uma visão ampliada do patrimônio cultural brasileiro, além de acesso às tecnologias da informação. Tudo isso porque o Museu das Reduções possui em seu acervo um rico conteúdo pedagógico, no qual é possível aplicar conceitos de diversas disciplinas como Ciências, História, Matemática e Geografia por meio da informática, em um laboratório instalado ao lado da instituição.

As visitas monitoradas acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, quando os estudantes têm a oportunidade de conhecer a história de cada réplica do Museu.

O Museu das Reduções funciona diariamente (exceto às terças-feiras), das 9h às 17h e fica no Distrito de Amarantina, em Ouro Preto. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (31) 3553-5182 e/ou pelo e-mail museudasreducoes@gmail.com.

Fonte: Museu das Reduções
Foto: Lícia Ribeiro

Espanha disponibiliza patrimônio cultural na internet

O Ministério da Cultura da Espanha acaba de inaugurar um espaço online dedicado aos Dicionários do Patrimônio Cultural Espanhol. A ferramenta, que integra o portal Coleções em Rede, torna acessível um acervo com mais de 5.800 definições utilizadas para a descrição de bens culturais. 

O objetivo do site é tornar pública a riqueza deste patrimônio divulgando o vocabulário utilizado para a sua identificação e classificação. A definição dos vocabulários garante um intercâmbio ágil e extenso da informação, contribuindo para o incremento de conteúdos digitais de qualidade para o setor. 

Nesta primeira versão, estão disponíveis para consulta todos os vocabulários utilizados para a descrição de mobiliário, numismática e materiais cerâmicos.  A previsão é de que, nos próximos meses, seja agregado o vocabulário utilizado para descrever objetos associados a ritos, cultos e crenças, além de informações geográficas.

Prêmio Reina Sofía de Conservação e Restauração do Patrimônio Cultural

Estão abertas as inscrições para nova convocatória do Prêmio Internacional Reina Sofía de Conservação e Restauração do Patrimônio Cultural.
Promovido desde 2001 pelo Ministério de Assuntos Exteriores e da Cooperação da Espanha, por meio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid), o prêmio reconhece uma obra, iniciativa o trajetória profissional que se destaque pela qualidade ou por seu impacto benéfico no desenvolvimento da região em que tenha sido realizada. A premiação será distribuída em duas categorias: Patrimônio Material e Patrimônio Imaterial. Cada categoria recebe prêmio no valor de 30 mil euros.

Podem candidatar-se pessoas físicas ou jurídicas dos países da comunidade ibero-americana, com exceção da Espanha, Portugal e Andorra. Para consultar os requisitos e obter os documentos de inscrição, acesse as bases da convocatória. Mais informações estão disponíveis no site da Aecid