Especialistas de 50 países discutem Proteção e Promoção de Museus e Coleções

Especialistas de 50 países reúnem-se entre 11 e 13 de julho, no Rio de Janeiro (RJ), para realizar estudo preliminar sobre a Proteção e Promoção de Museus e Coleções.

Organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em parceria com a Unesco, o evento conta ainda com o apoio do Programa Ibermuseus e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Um dos objetivos do encontro será discutir a viabilidade de se adotar um instrumento normativo internacional que minimize a vulnerabilidade dos museus e das coleções a situações de risco em todo o mundo. Haverá transmissão em tempo real pela internet aqui.

Esta é a primeira vez que uma reunião deste porte é realizada para discutir o tema. A necessidade de promover o debate internacional sobre a proteção do patrimônio museológico e das coleções surgiu a partir da percepção de que há um ‘descompasso’ entre a relevância dos museus para a educação, ciência, cultura e desenvolvimento, e a ‘fragilidade’ das medidas para protegê-los. Estão disponíveis os documentos da Unesco (em inglês) e do Ibram (em português) que serão objeto de discussão.

Participantes
Diretores de museus nacionais e internacionais, representantes governamentais dos países, organismos internacionais e intelectuais da área de museus foram convidados como observadores e especialistas.

Indicados pelo Secretariado da Unesco, os especialistas participantes foram divididos de acordo com os cinco grupos regionais da Organização das Nações Unidas (ONU). Até três representantes por grupo regional estarão presentes, totalizando 15 especialistas. Veja aqui a programação.

Esta reunião é resultado da aprovação da proposta de resolução incluída, pelo governo brasileiro, na pauta da Comissão de Cultura da 36ª Conferência Geral da Unesco, que aconteceu em novembro de 2011. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação

Paraty relembra memória africana no Dia Internacional dos Museus

No ano definido pelas Nações Unidas como Ano Internacional Para os Povos Afrodescendentes, o Museu Forte Defensor Perpétuo de Paraty apresenta na Semana dos Museus a exposição “O Quilombo Campinho da Independência e a Memória Africana em Paraty”.

Até o dia 29 de maio, o museu exibe em seu salão uma exposição de artesanato, fotografias e cartazes que contam a história da comunidade do quilombo. Compõe também a mostra um conjunto de três tambores de jongo do Século XVIII, feitos de madeira lavrada e couro, parte do acervo do museu.

A abertura da exposição, no último dia 18 (Dia Internacional dos museus), foi marcada por uma apresentação do grupo de jongueiros-mirins do Campinho da Independência na praça de armas do museu.  O evento, que contou com a presença da comunidade e de visitantes, teve apoio logístico da prefeitura da cidade na divulgação local e no traslado da comunidade ao museu. O Museu Forte Defensor Perpétuo em Paraty integra a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Fonte: Museu Forte Defensor Perpétuo