Página 1 de 212

Museu da Inconfidência disponibiliza online documentos musicais raros

O Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG), deu início a um processo de difusão via internet de um importante acervo musical histórico brasileiro.

Com cerca de 1,3 mil obras musicais de autores nacionais e europeus, datadas do século XVIII ao início do século XX, a base de dados de documentos musicais do Museu da Inconfidência Musicologia (MIMus) já começou a ser aberta ao público.

Base de dados com arquivos musicais do Museu da Inconfidência (MG)

Base de dados com arquivos musicais do Museu da Inconfidência (MG)

Até o momento, podem ser pesquisados dados históricos e detalhes dos verbetes das coleções Francisco Curt Lange, registrado como Memória do Mundo no Brasil pela Unesco; Arquivo Público Mineiro, Anália Esteves Ribas e José Luiz Pompeu da Silva, presentes no acervo do museu. Para pesquisar conteúdos, basta buscar por palavras-chave ou números.

O sistema MicroIsis, software de armazenamento desenvolvido pela Unesco, foi usado para recuperar os dados. A organização do material foi feita pela musicóloga Mary Angela Biason.

O preparo para a internet foi responsabilidade do doutor em Ciência da Informação pela ECI-UFMG, Agnaldo Lopes Martins, e das bibliotecárias especialistas em MicroIsis Ana Maria de Mendonça, Mariângela Macedo Cunha Poni e Lúcia Maria Alves.

A consolidação da base de dados foi financiada pelo Instituto Brasileiro de Museus com apoio da Fundação Vitae e da Caixa Econômica Federal.

A expectativa é que, em breve, as demais coleções depositadas no acervo do Museu da Inconfidência, que ainda não passaram por tratamento técnico, sejam disponibilizadas, a exemplo das Coleções Cacilda Coeli Clímaco, Joaquim Nunes de Carvalho e Família Gesteira. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Acesso: primeiro volume da coleção Museus do Ibram está disponível

Museu de Arqueologia de Itaipu (RJ)

MAI é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI), também chamado Museu Socioambiental de Itaipu, é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram. A instituição integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus e localiza-se em Niterói (RJ).

Disponível online para consulta ou download, em versão de menor resolução, o livreto apresenta a história do museu e a sua temática, contextualiza-o em relação à localidade e à comunidade em que está inserido.

A coleção, que prevê a publicação de 19 volumes no total, é destinada a um público diverso. Por isso, seus livros utilizam linguagem simples, trazem fotos, plantas dos museus e áreas que ocupam. Possíveis percursos de visita e lugares relacionados com as instituições também estão incluídos.

A ideia é que o grande público se familiarize com as unidades museológicas do Ibram e que tal conhecimento contribua para ações que promovam o estudo, a preservação, a valorização e a divulgação do patrimônio cultural sob a guarda dessas instituições.

O MAI é um museu que documenta vestígios da ocupação humana pré-histórica da região, e está instalado nas ruínas de um dos primeiros conventos erguidos no litoral fluminense, o antigo Recolhimento de Santa Teresa.

Criado em 1977, o museu tem a missão ainda de comunicar aos seus visitantes o valor do patrimônio cultural e ambiental da região, os costumes e tradições das comunidades pesqueiras que vivem em seu entorno. Conheça outros museus do Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Revista do Professor já pode ser lida na página do Museu da República

A Revista do Professor, editada anualmente pelo setor de Educação do Museu da República (MR), no Rio de Janeiro (RJ), já se encontra disponível para leitura online no sítio do museu na internet. A publicação contabiliza cinco números, sendo os dois últimos apenas no formato virtual. Em breve, contudo, estarão também disponíveis na forma impressa.

As cinco edições da Revista do Professor

As cinco edições estão disponíveis para leitura na página do MR

De acordo com Normanda Freitas, assessora técnica e coordenadora de Educação do Museu da República, a Revista do Professor é fruto de um projeto pedagógico, iniciado em 2008, voltado para educadores de forma geral, incluindo aqueles que trabalham em museus.

A publicação surgiu da necessidade de mostrar aos professores a forma como o MR trabalha no processo educativo multidisciplinar com os alunos e todo o universo da comunidade educacional, abordando a história republicana, o patrimônio e a cidadania.

Dentre os assuntos focados, destacam-se a exposição A Res publica brasileira, que narra a trajetória do período republicano em suas várias conjunturas político-sociais. Os textos trazem ainda o desdobramento do pensamento republicano nas áreas de educação, arquitetura, literatura, astronomia, artes plásticas, patrimônio cultural e ambiental, entre outros.

Participação
Normanda informou que a publicação, com uma linguagem clara e direta, contribui para suprir a carência de publicações que abordem tais assuntos na formação das pessoas que atuam no magistério, em todos os níveis.

Como ferramenta para instrumentalizar a ação em sala de aula e nas visitas ao museu, a revista busca mostrar a abrangência do acervo do MR e sua relação com o trabalho do educador junto aos estudantes. Um detalhe importante é que a publicação está aberta aos professores que desejarem contribuir com suas análises sobre a conjuntura educacional do país e suas experiências na relação museu-educação.

A coordenadora de Educação acrescentou que a revista é alimentada por outro projeto do Museu da República, denominado República dos Professores, onde especialistas de diversas áreas expõem seus artigos a partir de oficinas e palestras proferidas. Saiba mais sobre o MR.

Texto e foto: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram

Guia de programação da 8ª Primavera dos museus já está disponível

O guia com a programação completa da 8ª Primavera dos Museus já está disponível para consulta online ou download. Entre os dias 22 e 28 de setembro, 761 instituições culturais brasileiras, espalhadas em 389 cidades, irão desenvolver 2.436 atividades das mais diversas tipologias – exposições, debates, exibição de filmes, oficinas, visitas monitoradas, dentre outras.

Atividade da Primavera dos Museus em Cabo Frio (RJ): apresentação de Jongo com o grupo Griôt

Atividade da Primavera dos Museus em Cabo Frio(RJ) em edição anterior: apresentação de Jongo com o grupo Griot

Em 2014, 26 unidades da federação participam da Primavera dos Museus. A região Sudeste foi a que teve maior número de participantes (319), seguida pelas regiões Nordeste (179), Sul (196), Centro-Oeste (39) e Norte (28).

O guia, com 175 páginas, é de fácil navegação e está organizado por regiões, cidades e instituições participantes, que têm a responsabilidade direta pelo desenvolvimento das atividades inscritas.

O tema da edição deste ano, Museus Criativos, tem a intenção de estimular a manutenção e desenvolvimento de cada museu na exploração de sua capacidade de inovar – seja por meio da modernização da gestão, diversidade de iniciativas ou ampliação da presença no território em que se acha inserido, garantindo assim um maior acesso das populações à cultura.

A proposta temática Museus Criativos se expande para o 6º Fórum Nacional de Museus, que terá lugar em Belém (PA), entre os dias 24 e 28 de novembro. Saiba mais.

Duvidas ou outras questões sobre a edição 2014 da Primavera dos Museus devem ser enviadas para o endereço eletrônico primavera@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Tatiana Bion Dias/divulgação

Acesso: Museu Imperial já pode ser visitado a partir da internet

Com público médio de mais de 340 mil visitantes por ano, sendo um dos museus mais visitados do Brasil, o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), também pode, desde a semana passada, ter seu acervo conferido por qualquer pessoa via internet.

A Coroa Imperial está no acervo do museu em Petrópolis (RJ)

O novo recurso é resultado de uma parceria com o projeto Era Virtual Museus, lançado em 2010 e especializado em visitas imersivas a instituições museais. Mais do que visualizar as obras, os visitantes irão sentir como se caminhassem dentro do espaço, já que a ferramenta permite visualização em 360°. Além disso, a visita reserva possibilidades que vão além da visitação real. Conheça.

“Ao entrar n página do projeto, o visitante tem a mesma experiência imersiva que um jogador de vídeo game. Através de setas se pode caminhar por salas, ter informações detalhadas dos objetos e arquitetura, tem auxílio de um áudio guia, mapa e, com algumas peças, a pessoa pode até movê-las”, explica Carla Sandim, coordenadora do projeto.

Detentor de um dos mais importantes acervos históricos do Brasil, o Museu Imperial é o mais novo dos 14 projetos de visitas online já desenvolvidos pelo projeto Era Virtual. Considerando que 78,9% dos municípios brasileiros não possuem museus, a ferramenta possibilita maior difusão do patrimônio cultural musealizado nacional via acesso digital.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Ibram lança tema e abre inscrições para a 12ª Semana de Museus

Atividade do Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG) durante a 10ª Semana de Museus (2012)

Estão abertas a partir desta sexta-feira (29), as inscrições para museus e centros culturais interessados em participar da 12ª Semana de Museus.

A temporada de eventos, que celebra o Dia Internacional dos Museus (18 de maio), acontecerá de 12 a 18 de maio de 2014, com o tema Museus: as coleções criam conexões.

Como de costume, o tema da edição do próximo segue o mote do Dia Internacional dos Museus, definido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom). A escolha para 2014 lembra que os museus são instituições vivas que ajudam a criar vínculos entre visitantes, gerações e culturas ao redor do mundo.

Exposições, seminários, oficinas, debates, visitas mediadas, exibição de filmes, espetáculos de teatro, dança e música são alguns exemplos de eventos que podem ser promovidos pelos museus participantes durante o período. As inscrições podem ser feitas pela internet, até o dia 7 de fevereiro, na plataforma criada pelo Ibram.

Criado em 1977 pelo Icom, o Dia Internacional de Museus tem como objetivo sensibilizar sobre o papel dos museus no desenvolvimento da sociedade. O Brasil é considerado um dos países que mais celebram a data.

A edição 2013 da Semana Nacional de Museus envolveu mais de 1,2 mil museus e contou com 3.910 eventos em 535 municípios brasileiros. Saiba dos resultados em pesquisa realizada pelo Ibram.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Google apresentou ao Ibram plataforma para acervos online

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) recebeu em Brasília (DF), no dia 20 de novembro, a visita de três representantes da multinacional Google no Brasil. Mariana Macário, Helena Martins e Marcelo Lacerda apresentaram ao presidente e diretores do Ibram, a plataforma Google Cultural Institute, que oferece ferramentas para que museus exibam seus acervos online.

O Google já fechou parcerias com centenas de museus, instituições culturais e acervos históricos de todo o mundo para hospedar online seus patrimônios culturais, e deu início a entendimentos com o Ibram como mesmo objetivo.

Durante missão em Paris (França) este mês, para a  37ª  Conferência Geral da Unesco, o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, já havia sido apresentado à equipe do Google Cultural Institute e às tecnologias que a empresa tem utilizado com o objetivo de disponibilizar acervos digitalizados na internet.

“É uma ótima ferramenta que facilita o estudo da história da arte, da obra de arte em si, o estudo da conservação e possibilita a democratização do aceso à cultura”, disse o presidente após a reunião em Brasília. “Para o Ibram, é uma possibilidade de difusão muito interessante, mas que precisa ser analisada com muito critério, sob a luz das questões normativas do Instituto”.

Com o objetivo de verificar as questões sensíveis na legislação brasileira relacionadas ao setor, como os direitos autorais e as obras nos museus, por exemplo, o Ibram pretende analisar as experiências já realizadas entre o Google e outras instituições para avaliar a possibilidade de também consolidar uma parceria.

Texto: Ascom/Ibram

Cadastro Nacional de Museus já está novamente disponível para consulta online

Após suspensão temporária do serviço para atualização da plataforma, já está disponível para consulta do público a base de dados online do Cadastro Nacional de Museus, que tem por objetivo conhecer e integrar os museus brasileiros por meio da coleta, registro e disseminação de informações sobre o setor.

A ferramenta permite a busca de museus por nome, unidade da federação (UF), município, natureza administrativa e tipologia de acervo. Possibilita ainda identificar a quantidade de museus por UF e região, podendo ser utilizada por profissionais de museus, gestores, pesquisadores e público em geral. Com base nas informações do Cadastro Nacional de Museus, lançado em 2006, sabe-se hoje que o Brasil possui mais de 3.200 instituições museológicas. A base de dados é atualizada de forma permanente e subsidia a produção de publicações como Museus em Números e Guia dos Museus Brasileiros.

Para cadastrar um museu, é necessário preencher um questionário e enviar para o endereço eletrônico cnm@museus.gov.br.

Última atualização: 4.7.2014

Cadernos Museológicos: livro Acessibilidade a Museus já está disponível online

Já está disponível para consulta e download na página do Ibram, o volume 2 da série Cadernos Museológicos, publicado pelo instituto no final de abril.

Com o tema Acessibilidade a Museus, a publicação é uma contribuição para a adaptação das práticas, das instituições e dos espaços museais brasileiros de forma a torná-los acessíveis a todos – com destaque para pessoas com deficiência.

Tem ainda o intuito de suprir a carência de informações sobre o tema e contribuir para o processo de democratização do acesso à cultura. Baixe o livro em versão PDF.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O primeiro volume da série Cadernos Museológicos teve como tema Segurança em Museus, que também se encontra disponível para baixar.

Texto: Ascom/MinC

Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial entra em nova fase

O Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Projeto DAMI) entra em uma nova fase com a digitalização das coleções Museu Histórico de Petrópolis e José Kopke Fróes, contabilizando 3.612 itens de natureza arquivística, bibliográfica e museológica.

A partir de agora, o projeto conta com recursos recebidos através da assinatura de um termo de parceria com o Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (CFDD), órgão colegiado, no âmbito da estrutura organizacional do Ministério da Justiça.

Além da digitalização das imagens em um banco de dados online , os itens recebem um tratamento técnico de catalogação e organização, com o objetivo de disponibilizar todo o acervo do Museu Imperial. A metá é, em aproximadamente dez anos, digitalizar todos os cerca de 300 mil itens do acervo, o que deve gerar o número estimado de 8 milhões de imagens.

A importância do projeto foi reconhecida recentemente pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM) que ressaltou que projetos como esse têm como objetivo promover maior acessibilidade ao acervo relacionado ao Brasil na monarquia dos Bragança, ressaltando o nascimento da cidade e o ambiente do Palácio durante o período imperial.

 

 

Página 1 de 212