Página 2 de 3123

Ibram recebe Museu das Bandeiras após reforma do Iphan

Após a reforma, Museu das Bandeiras ganhará nova expografia

Após a reforma, Museu das Bandeiras ganhará nova expografia

Fechado ao público há nove meses, por conta de obras de restauração, o Museu das Bandeiras, localizado em Goiás (GO), será reentregue ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no domingo (2), pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A intervenção incluiu a execução de ações emergenciais (cobertura e drenagem), essenciais (estabilização e revisão estrutural, revisão das instalações, adequação das instalações de detecção e combate ao incêndio, substituição de reboco e repintura) e serviços estratégicos como a elaboração de projetos executivos de restauração.

As obras, que proporcionaram ao museu condições adequadas para a guarda do acervo e atendimento ao público, foram realizadas pela empresa Marsou Engenharia e contratadas pelo valor de R$ 798.750,92. Antes de ser reaberto à visitação do público, o museu ainda passará por revisão expográfica a cargo do Ibram.

Criado em 1954, o Museu das Bandeiras está situado no edifício que sediava a Casa de Câmara e Cadeia da antiga Vila Boa de Goyaz. Construído em 1766, o prédio foi tombado pelo Iphan ainda em 1951, como exemplo da arquitetura civil portuguesa.

Museu de Arte Sacra também será reformado pelo Ibram em parceria com Iphan

“A entrega desta obra representa o compromisso do Ibram, do Iphan e do Ministério da Cultura com a cidade de Goiás, que é um patrimônio nacional”, esclarece o presidente do Ibram, Ângelo Oswaldo.

Boa Morte
Finalizada a intervenção física no Museu das Bandeiras, será a vez de o Museu de Arte Sacra, localizado na Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, entrar em obras.

O Ibram e o Iphan já assinaram termo para a execução de serviços que incluem ações tanto emergenciais quanto serviços essenciais. Será ainda contemplada a elaboração de projeto executivo de restauração.

A Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte foi construída em 1779 e tombada pelo Iphan em 1950. Com elementos característicos do barroco, passou a sediar o Museu de Arte Sacra da Boa Morte em 1968. O museu abriga mais de 900 peças de origem portuguesa e telas com temas religiosos.

Texto: Divulgação Iphan
Edição: Ascom/Ibram
Fotos: Iphan (foto 1) e divulgação (foto 2)

Matéria relacionada
Museu das Bandeiras: presidente do Ibram participa de oficina em Goiás

Museu Nacional de Belas Artes recebe recursos do PAC para modernização

No dia 29 (quarta-feira), às 11h, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) no Rio de Janeiro (RJ), realiza uma cerimônia para o lançamento do Projeto de Modernização do MNBA – fase 2.

Restauração da obra de Pallière no MNBA

Participam da solenidade o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, a presidenta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, dentre outras autoridades.

Com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas (PACCH), o projeto abarca 10 ações que somam recursos no valor total de R$ 20 milhões. O prazo de execução das obras, que deverão empregar cerca de 500 pessoas, é de três anos.

Entre os destaques estão a restauração da fachada da rua Heitor de Mello e “adoção” da via; a requalificação e ocupação das cúpulas do quinto andar do museu, com instalação de área para arte contemporânea e bistrô; e a decapagem do hall de entrada, voltando a exibir a pintura original.

Entre as obras já em andamento está a restauração da tela Alegoria às Artes, de Léon Pallière (1823-1887). Considerada a obra-prima do pintor,  realizada em 1855, tem dimensões de 2,97m X 4,10m e adornava o teto da antiga Academia Imperial de Belas Artes, que antecedeu a Escola Nacional de Belas Artes e o atual MNBA.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA

Mesmo em obras, visitante pode conhecer a Casa da Hera em Vassouras

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), está fechado para obras desde o dia 21 de julho, mas a partir de agora o visitante poderá conhecê-lo mesmo sem entrar no museu: foram instalados painéis em frente à fachada da casa com fotografias de cada cômodo e dos objetos de seu acervo permanente.

No jardim, painéis contam a história da casa - fechada para obras desde julho

No jardim, painéis contam a história da casa – fechada para obras desde julho

“Pensamos em como poderíamos transformar o fato da casa estar fechada ao público em uma opção diferente de visita, com acesso ao acervo existente”, explica o diretor interino, Cirom Duarte. “A proposta é que os funcionários realizem agora visitas mediadas por meio dos painéis, com fotos de todos os cômodos, objetos e indumentárias, contando com textos elucidativos”.

Uma maquete também foi feita para que os visitantes tenham uma ideia melhor da disposição dos cômodos da Casa da Hera, que hoje passa por obras em vários pontos em simultâneo – como a copa, o quarto menor, o salão amarelo e o salão vermelho. A reforma busca a recuperação elétrica, hidráulica e estrutural do casarão.

Ainda que o museu esteja temporariamente fechado, o acesso aos jardins da chácara está normal e lá têm sido desenvolvidas todas as atividades e projetos de cunho educativo do museu. Hoje, cerca de 80 pessoas visitam a Casa da Hera por dia. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Casa da Hera
Edição: Ascom/Ibram

Mesmo fechada para obras, Casa da Hera realiza Férias no Museu em Vassouras

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), estará fechado a partir de hoje (21) para visitação, devido a obras que transcorrem desde o início do ano no local. As atividades desenvolvidas pela Casa da Hera, entretanto, não param: pelo terceiro ano consecutivo, o museu dedicará o final do mês de julho às férias do público infantil.

Museu Casa da Hera (RJ)

Museu Casa da Hera (RJ)

Durante a semana, as crianças poderão aproveitar o espaço da chácara para brincar e aprender na série de atividades Férias no Museu.

A programação começa na terça-feira (22), com a ação Brincadeiras de Antigamente, que promete divertir os pequeninos com pipas, bolinhas de gude, amarelinhas, bambolês e outros brinquedos que marcaram a infância de várias gerações.

Na quarta-feira (23) a programação prossegue com a atividade Contar e Brincar Histórias, uma tarde de histórias e brincadeiras para despertar a curiosidade. Na quinta-feira (24), o cineclube exibirá um filme voltado ao público infantil, com debates e dinâmicas sobre o tema abordado.

Na sexta-feira (25), as crianças se transformarão em investigadores na brincadeira Detetives, explorando peças do acervo do museu. A programação chega ao fim no sábado (26), com o tradicional Ecoclube, dia dedicado à natureza com atividades voltadas à educação ambiental na horta da chácara.

Mesmo com o fechamento temporário da Casa da Hera, a chácara continuará aberta à visitação de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h. Todas as atividades educativas, a exemplo das Férias no Museu, continuarão a ser realizadas normalmente no jardim histórico do museu. Saiba mais.

Texto: Divulgação Casa da Hera
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Obras de requalificação dos museus Ibram em Paraty (RJ) estão adiantadas

As obras de requalificação dos museus Arte Sacra de Paraty e Forte Defensor Perpétuo, ambos na mesma cidade fluminense, já estão avançadas. Vinculados ao Ibram/MinC, os museus estão entre os nove da rede que tiveram serviços de intervenção em seu espaço físico contratados no final do ano passado.

Museu Forte Defensor Perpétuo encontra-se parcialmente fechado ao público. Na foto, atividade realizada ano passado em Paraty

Situado na antiga Igreja de Santa Rita – construída em 1722 e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1962 – o Museu de Arte Sacra de Paraty já havia dado início, em abril de 2012, à reforma de seu telhado e rede elétrica, através de parceria privada.

Desde o início deste ano, o edifício passa também por intervenções estruturais contratadas pelo Ibram, que seguem em ritmo acelerado.

Os serviços incluem a recuperação da fachada externa da igreja, da nave e da torre sineira, com reparo de todo o reboco e pintura. Os recursos do Ibram também garantirão ao monumento a conclusão da já iniciada atualização de sua rede elétrica, assim como das redes de lógica (telefonia) e segurança.

Sem cimento
“O reboco das paredes externas e internas está sendo feito com argamassa de cal e areia, sem adição de cimento”, explica Henrique Milen Vizeu, Técnico em Assuntos Culturais.

“Está sendo removida toda a antiga argamassa que continha cimento, material que retém muita umidade, extremamente prejudicial ao acervo. Visando também prevenir danos por infiltrações e vazamentos, a caixa d’água do telhado da capela-mor foi transferida para a parte inferior do edifício, concentrada no atual Consistório”, completa o técnico.

No Museu Forte Defensor Perpétuo, a aguardada reforma na estrutura do telhado já está sendo realizada também com a liberação dos recursos do Ibram/MinC. O contrato prevê também a realização de serviços especializados de arqueologia para realizar pesquisa prospectiva no Morro da Vila Velha, área tombada em nível federal sobre a qual o museu está situado. O museu continua parcialmente aberto ao público, apesar das intervenções, que estão sendo feitas de forma escalonada.

A conclusão das obras nos dois museus está prevista para julho. Conheça os museus Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matéria relacionada
Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus

Museu Regional Casa dos Ottoni fecha para obras a partir do dia 12

O Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), localizado na cidade de Serro (MG), fecha parcialmente a partir do dia 12 de março para execução de serviços para recuperação da cobertura do edifício. A obra está inserida no projeto de revitalização dos museus Ibram, iniciado no final de 2013.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

O museu mineiro ficará parcialmente  fechado para obras de revitalização

Em reunião realizada entre a diretoria do museu, arquitetas do Ibram e o engenheiro representante da empresa licitada para a execução dos serviços, foi definido que para garantir a segurança de funcionários, visitantes, acervos e equipamentos, o segundo pavimento do museu e o jardim serão fechados no período de execuções das obras ou até quando não oferecerem riscos.

Os serviços administrativos internos não serão interrompidos. A previsão para conclusão das obras é de quatro meses.

O MRCO ocupa uma construção do século XVIII, na cidade do Serro. Sua origem está ligada aos Ottoni, descendentes de um ramo da família do bandeirante paulista Fernão Dias Paes Leme. Criado em 1949, o museu abriga acervo formado, principalmente, por imagens de arte católica.

Semana de Museus 2014
Durante a temporada nacional de eventos, entre os dias 12 e 18 de maio, o MRCO desenvolverá atividades fora do espaço do museu, aos moldes de outros museus Ibram que, também em obras de modernização, têm realizado ações com entidades culturais parceiras.

No dia 15 de maio, na Praça João Pinheiro, no Serro, acontece show musical, das 20h às 21h30. No dia 16 será aberta a exposição itinerante Além dos muros, no Centro Cultural do Distrito de Milho Verde, e acontece ainda uma oficina em torno da exposição, voltada para crianças, das 14h às 17h, e apresentação musical no Largo da Igrejinha do distrito, das 18h às 19h30.

Encerrando as atividades durante a 12ª Semana de Museus, no dia 17 de maio é a vez da Associação do Distrito São Gonçalo do Rio das Pedras receber a exposição itinerante, a oficina para crianças e show, das 18h às 19h30, no Largo do Comércio do distrito.

Para outras informações, o Museu Regional Casa dos Ottoni pode ser contatado pelo telefone (38) 3541.1440 ou pelo endereço eletrônico mrco@museus.gov.br.

Texto: Divulgação MRCO
Edição e foto: Ascom/Ibram

Finep doa obras de Portinari para o Museu Nacional de Belas Artes no RJ

Museu Nacional de Belas Artes (RJ)

Novas obras de Portinari para o Museu Nacional de Belas Artes

Publicado na sexta (20), no Diário Oficial na União (DOU), Extrato de Termo de Doação de bens móveis do artista brasileiro Candido Portinari (1903-1962) feito pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para o acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

Assinado por Glauco Antonio Truzzi Arbix, presidente da Finep, e Monica Xexéo, diretora do MNBA, no último dia 13, o museu deverá utilizar os bens em suas exposições e atividades culturais, conforme o instrumento contratual acordado entre as partes.

A cerimônia oficial de entrega das obras está programada para acontecer no dia 13 de janeiro de 2014 e terá a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy, e do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo.

As obras
A Finep possuia em seu patrimônio acervo composto por 212 obras do pintor Cândido Portinari, entre pinturas, gravuras e desenhos.

As obras foram agregadas ao patrimônio da empresa como parte do pagamento de empréstimo tomado para a constituição do Projeto Portinari, que consistia na digitalização da obra do artista e a compilação de Catálogo Raisonné - resumo da obra do artista, num total de 4.991 itens descritos por tema, suporte, técnica e data.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: divulgação
Última atualização: 23.12.2013

Museu Lasar Segall fecha para obras a partir do dia 20 em SP

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), encerra amanhã (20) suas atividades de atendimento ao público para cumprir cronograma de obras de requalificação do museu até o próximo ano. O projeto de modernização será executado com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) e Petrobras, totalizando R$ 2,5 milhões.

Museu em São Paulo encerra atividades para obras de modernização

Museu em São Paulo encerra atividades para obras de modernização

Do FNC, o museu receberá R$ 1,5 milhão e da Petrobras será R$ 1 milhão. Além da infraestrutura – telhado, instalações elétricas, climatização e sistema de segurança – o projeto pretende ainda dar tratamento à ampla biblioteca especializada na arte dos espetáculos e fotografia.

As atividades do espaço cultural paulistano, como cursos, oficinas, ação educativa e exposições, serão realizadas externamente, em parceria com outras instituições culturais, e serão divulgadas no sítio web do museu.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matérias relacionadas
Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus
Copa 2014: patrocínio da Petrobras para museus será de R$ 20 milhões

Saiba como foi a cerimônia de doação de obras ao Museu Lasar Segall em SP

110 obras de Segall foram incorporadas ao acervo do museu em SP

110 obras de Segall foram incorporadas ao acervo do museu em SP

O acervo do Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP), vinculado ao Ibram/MinC e dedicado à obra do pintor, escultor e gravurista brasileiro nascido na Lituânia, recebeu uma contribuição expressiva na  sexta-feira (29). Por iniciativa do neto do artista, Mario Segall, 110 obras de um dos pioneiros da arte moderna no país foram doados à instituição.

A cerimônia de doação das obras contou com a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy, do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, do diretor do Museu Lasar Segall, Jorge Schwartz, e de Maurício Segall, filho do artista, entre outros convidados.

O evento foi marcado pela emoção. A ministra Marta ressaltou a grandeza da doação e o inestimável valor artístico do conjunto doado, com parte dele já aberto à fruição de toda a população. “Esse gesto demonstra a importância de se aprender com a família o valor da Cultura”, declarou.

Marta Suplicy e Angelo Oswaldo visitam o museu durante cerimônia de doação

Marta Suplicy e Angelo Oswaldo visitam o museu durante cerimônia de doação

Pertencentes à coleção particular de Mario Segall, as obras doadas incluem 12 pinturas – sendo quatro sobre tela e oito sobre papel –, 18 gravuras e 80 desenhos.

“De minha parte, não fiz nada a mais do que faria meu pai, com quem aprendi que arte só vale se for compartilhada, dividida com potencial para sensibilizar, bem como mexer com os seres humanos a ponto de fazê-los refletir e atuar ativa e criticamente sobre seu mundo”, disse o neto do artista. Mário comentou, ainda, que seu avô tinha o hábito de doar as obras que criava.

As obras agora se somam aos mais de três mil bens preservados pela instituição fundada em 1967 – entre documentos, fotografias, objetos, matrizes de gravuras e mobiliário. Veja mais fotos da cerimônia no canal de imagens do MinC.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Luiz Carlos Murauskas/MinC

Museu de Arte Religiosa e Tradicional reabre parcialmente para visitação

A partir do dia 2 de outubro, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (MART/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ),  será reaberto para visitação. O local poderá ser visitado de terça a sexta, das 10 às 16 horas.

A reabertura parcial do museu atende aos moradores e visitantes da região que, desde o final de janeiro de 2012, tiveram acesso à casa somente em eventos.

Os visitantes terão acesso à Igreja Conventual, onde se localizam os altares em madeira policromada do século XVII, e também ao antigo claustro, onde estão as ruínas da cozinha dos frades franciscanos que viveram no Convento Nossa Senhora dos Anjos, sede do Museu.

Obras
Afetado por um curto-circuito em 28 de janeiro deste ano, o MART está sem energia elétrica. Os projetos para o início das obras de recuperação da rede elétrica foram contratados e já se encontram disponíveis para avaliação por parte do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) e IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

A recuperação do telhado está em fase de elaboração de orçamento visando sua execução por parte de empresa que presta serviços ao Ministério da Cultura. O Ibram pretende aproveitar o processo licitatório já realizado pelo MinC para a contratação de empresa de manutenção predial.

O MART está localizado no antigo Convento Nossa Senhora dos Anjos, no Largo de Santo Antônio, s/nº, no centro de Cabo Frio.

Texto e Foto: MART/Ibram

Página 2 de 3123