NOTA: Ibram repudia tentativa de censura

O Instituto Brasileiro de Museus, como Coordenador do Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus, expressa sua preocupação diante dos últimos acontecimentos relacionados a manifestações de repúdio e tentativas de censura a trabalhos de artistas, curadores e exposições de arte contemporânea.

O Ibram repudia qualquer tipo de censura em torno da produção artística, mesmo que trate de temas ainda sensíveis para nossa sociedade, e reforça ser indispensável numa democracia a liberdade de expressão, produção e fruição artística.

Matérias veiculadas na imprensa sobre o ocorrido:

O Globo

Veja

Jornal do Brasil

Em nota, Ibram esclarece reportagem publicada na revista Carta Capital

Ibram_logo_baixaTendo em vista a reportagem Agonia dos museus, publicada na edição 943 da revista Carta Capital (15 de março de 2017), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), vem a público esclarecer alguns tópicos da referida reportagem:

1. Em 2016, o número atualizado de público nos 30 museus que compõem a rede do Ibram foi de 1.005.893 visitantes;

2. O Ibram investe no restauro e requalificação de sua rede de museus desde sua criação em 2009. Todos esses museus ocupam edificações históricas, o que acarreta complexidade de conservação e intervenção. Atualmente, oito deles encontram-se com obras de restauro em andamento – metade delas de restauro integral. Outros sete museus da rede estão com projetos em desenvolvimento e passarão por intervenções físicas nos próximos meses;

3. Conforme informado ao repórter Jotabê Medeiros, em e-mail de 8 de fevereiro último, a Declaração de Interesse Público, instrumento criado com a publicação do Decreto 8.124/13, ainda está em fase de regulamentação devido a sua complexidade. Esse instrumento propõe o reconhecimento dos acervos das instituições, não havendo qualquer relação direta entre os pedidos de declaração e a obtenção de recursos e/ou patrocínios por parte dos museus;

4. Sobre a execução orçamentária do Ibram, em 2016 foi empenhado 86% do orçamento autorizado pelo MinC;

5. Os editais Ibram são ações da Política Nacional de Museus e fazem parte do Programa de Fomento Ibram. Quatro editais que estavam pendentes foram pagos no ano passado: Prêmio Darcy Ribeiro para educação museal, Prêmio Modernização de Museus-Microprojetos, Prêmio Pontos de Memória e Edital de Implantação e Fortalecimento de Sistemas de Museus. Por questões relacionadas a recursos orçamentários, o edital Modernização de Museus 2015 ainda está em andamento – atualmente na fase de admissibilidade de propostas. Portanto, não há ainda resultado final a ser anunciado aos participantes do edital;

6. A parceria entre o Ibram e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para o projeto ‘Conhecendo museus” foi renovada, no final do ano passado, para a produção de 30 novos episódios do programa ainda em 2017;

7. O 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) acontecerá entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017 em Porto Alegre (RS) – capital de um Estado que tem forte presença de museus e instituições de memória. A escolha da cidade foi definida em plenária pelos participantes da 6ª edição do FNM em Belém (PA), em novembro de 2014;

8. Quanto à informação de que “a maior parte dos museus federais não possui licenciamento do Corpo de Bombeiros”, o Ibram esclarece que está empenhado em adequar os 30 museus sob sua administração aos requisitos de segurança. Com este objetivo firmou Acordo de Cooperação Técnica com o Corpo de Bombeiros do Estado Rio de Janeiro, onde possui a maioria de seus museus, além de garantir a inclusão de dotação orçamentária voltada a esta finalidade no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2017. O esforço é parte do Programa de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

Estamos à disposição para outros esclarecimentos que se fizerem necessários.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

Nota de esclarecimento sobre seleção para diretor do Museu Villa-Lobos

Ibram_logo_baixaSobre questões levantadas no artigo Falando de música – misérias cariocas, escrito por Leandro Oliveira e publicado no blog Estado da Arte/Cultura Estadão, no dia 2 de março de 2017, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) vem a público esclarecer que:

1. Criado em 2009, o Ibram iniciou, a partir de 2011, a seleção de dirigentes para os museus federais que compõem sua rede por meio de editais públicos. O modelo, democrático e transparente, garante ampla concorrência aos profissionais da área interessados e capacitados para os respectivos cargos;

2. Com uma rede formada por 30 unidades museológicas, sete museus já tiveram novos gestores selecionados via editais públicos – todas as etapas dos processos estão disponíveis na página do Ibram;

3. O mais recente dos processos de seleção finalizados refere-se ao Museu Villa-Lobos/Ibram, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), que teve início em meados de 2016 e cujo resultado final foi publicado em fevereiro de 2017;

4. O referido edital de seleção, assim como os anteriores já realizados, não traz a obrigatoriedade da apresentação de currículos de candidatos no modelo Lattes. O currículo apresentado pela candidata citada no artigo guarda estrita coerência com os documentos comprobatórios apresentados;

5. A escolha dos nomes para compor a comissão de seleção avaliadora de candidatos à direção do Museu Villa-Lobos pautou-se pela relevância profissional, conhecimento do setor museal e perfis diferenciados para uma avaliação mais equânime. A comissão de três integrantes foi formada pelos diretores do Museu de Arte Contemporânea da USP e Museus Castro Maya e um representante do corpo diretivo do Ibram;

6. Um dos principais pontos de análise pela comissão de seleção é o Plano de Trabalho elaborado pelos candidatos, exigido no edital, que necessariamente deve prezar pela sua estrutura, coerência e viabilidade de execução – além da aderência à Política Nacional de Museus. No caso do Museu Villa-Lobos, a análise dos Planos de Trabalho foi fator preponderante na classificação final dos candidatos;

7. Cópia da dissertação da candidata Cláudia Nunes Castro, intitulada An analysis and performance practices of Jacques Ibert’s Flute Concerto: Second movement, citada no texto encontra-se depositada no Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), na sede do Ibram em Brasília, e disponível para consulta pública;

8. A comprovação de cumprimento de mestrado profissional em Administração das Artes da referida candidata, assim como os demais documentos comprovatórios, encontra-se no processo administrativo relativo à seleção de dirigente para o Museu Villa-Lobos/Ibram, estando à disposição para consulta dos interessados.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

Nota em solidariedade ao Museu da Língua Portuguesa

O presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão, lamentou o incêndio que atingiu o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo e emitiu nota de solidariedade pública à instituição:

“Reconhecendo a importância do Museu da Língua Portuguesa na preservação e valorização da nossa cultura, o Instituto Brasileiro de Museus acompanha com pesar o incêndio que atinge a instituição. Esperamos que a situação seja resolvida com máxima brevidade, ao tempo em que colocamos nosso corpo técnico à disposição do Museu e da Secretaria do Estado da Cultura de São Paulo. Confiamos que o Museu da Língua Portuguesa se reorganizará de forma a manter sua sólida atuação, que torna a instituição referência em todo o Brasil.”

Ibram comunica empresa sobre publicidade negativa para museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) enviou hoje (7), comunicado para a a empresa responsável no Brasil pelo analgésico Anador, devido a uma peça publicitária, lançada no dia 27 de junho, na rede social Facebook.

A peça traz a frase Quem fica parado no tempo é museu – eu vou em frente, incluindo ainda setas para trás, e remete à ideia de retrocesso, sendo considerada de “cunho inadequado” pelo instituto, “cumprindo um desserviço para a cultura brasileira”.

Cada vez mais os museus cumprem papel fundamental no meio social, político, econômico e, principalmente, educacional e cultural. Pode-se perceber, ao se visitar museus físicos e virtuais, ou mesmo Pontos de Memória – que valorizam o protagonismo comunitário e concebem o museu como instrumento de mudança social –, que seus acervos são memórias vivas e, ainda, manifestações atualizadas de seus artistas, sempre em troca com o público. Confira o comunicado na íntegra.

Texto: Ascom/Ibram

Ibram e secretarias de cultura de SP divulgam nota conjunta sobre Masp

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, e os secretários de Cultura do Estado de São Paulo, Marcelo Mattos Araújo, e do Município da Prefeitura de São Paulo, Juca Ferreira, divulgaram hoje (15), uma nota conjunta de apoio ao Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), onde reiteram o propósito de apoiar o museu na busca de soluções para seus eventuais problemas. Nos últimos dias, a imprensa tem noticiado que o Masp enfrenta grave crise financeira e administrativa.

Governos apoiam Masp em momento de crise

Governos apoiam Masp em momento de crise

Segundo a nota, as três esferas governamentais sempre reconheceram a importância singular do Masp e respeitaram a autonomia e as decisões do seu conselho de administração e diretoria, na visão de que sejam cumpridos, parte a parte, os papeis de cada ente.

“Preconceitos contra a participação do poder público não conseguirão desestimular os organismos federal, estadual e municipal da missão de contribuírem para o aprimoramento das instituições museológicas de todo o país”, diz o comunicado.

Chamados pela atual diretoria do museu paulistano para a análise da situação e busca de soluções, o Ibram e as secretarias estadual e municipal de São Paulo “esperam que tenha pleno êxito a soma de esforços e vontades que positivamente se estabelece em favor de uma causa de São Paulo, do Brasil e do patrimônio cultural da humanidade”, ressaltam. Confira a nota na íntegra  no sítio web da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de São Paulo.

Texto: Divulgação
Foto: Masp/divulgação