Música no Museu de Arte Sacra de Paraty no próximo final de semana

Cerca de 80 músicos, entre cantores e instrumentistas, se apresentarão nesse final de semana no Museu de Arte Sacra de Paraty (MAS/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

Sob a regência dos professores Julio Moretzsohn e Guilherme Bernestein, o evento reunirá a Orquestra e o Coro Juvenil da UNIRIO, no sábado (3), às 20h30.

Museu de Arte Sacra de Paraty (RJ)

Museu de Arte Sacra de Paraty (RJ)

No programa serão apresentadas as obras Missa Paratiana, de autor desconhecido, Abertura da ópera Medéia, de Luigi Cherubini, Abertura em Ré, de José Maurício Nunes Garcia, e Missa em Dó M, de Mozart.

No domingo (4), às 10h, será realizada uma oficina didática acompanhada de vários instrumentos para orquestra e piano, voltada para estudantes de 10 a 15 anos. Tais atividades darão início à série Música no Museu no Museu de Arte Sacra de Paraty, que fica na Igreja de Santa Rita, no centro histórico da cidade.

Missa Paratiana
A partitura do manuscrito da Missa Paratiana foi encontrada pelo musicólogo Régis Duprat, em pesquisa realizada na década de 1960.

A obra fazia parte do acervo da família de Randolpho José de Lorena, de Aparecida do Norte (SP). Duprat acredita tratar-se de uma peça escrita na cidade de Paraty, no século XIX. A primeira cópia moderna da Missa Paratiana foi feita à mão pelo próprio Duprat, com o objetivo de preparar um material que viabilizasse sua execução, sob a regência do Maestro Jonas Christensen, em um concerto no Festival de Paraty, na década de 1980.

Em 2010, a obra foi reeditada, em formato digital, por William Storti. Esta nova edição foi cedida ao Maestro Julio Moretzsohn, responsável pelo Projeto de Extensão: Coro Juvenil UNIRIO. Os alunos deste projeto trouxeram uma nova contribuição ao material de performance desta missa confeccionando a parte do Coro com redução de orquestra para piano e extraindo as partes cavadas da orquestra, material este que será doado ao Museu de Arte Sacra de Paraty.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Ibram

Museu da Maré recebe título de Destino Turístico Prioritário do Rio

Neste sábado (20), o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, e o Secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro (Setur-RJ), Cláudio Magnavita, estarão no Museu da Maré, na Zona Norte da capital fluminense, para participar da entrega do título de Destino Turístico Prioritário aos representantes do museu comunitário.

“Esse reconhecimento pelo Conselho Estadual de Turismo, como destino prioritário do Estado do Rio de Janeiro, valoriza a importância do equipamento e promove sua inserção no setor no turismo”, aposta Claúdio Magnavita. “O museu da Maré é um equipamento importante para a percepção mundial da vida e do aspecto cotidiano da comunidade”, acredita

Título de destino turístico para o Museu da Maré (RJ)

Para o presidente do Ibram, o museu “sintetiza muito bem aquilo que entendemos por museologia social, por ser um museu concebido com inteira participação dos moradores das comunidades, que cuidaram para que todas as narrativas ali apresentadas fossem muito bem alinhavadas”, explica.

Programação
A partir do meio-dia será servida uma feijoada no Museu da Maré para os representantes do trade turístico nacional – como a Agência Brasileira de Agências de Viagem (Abav), Associação Brasileira da Indústria e de Hotéis (ABIH), Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet), além de agentes e operadoras locais. Na ocasião será apresentado o folder turístico desenvolvido para o museu.

Na programação consta ainda o lançamento da publicação do Ibram Museus e Turismo – estratégias de cooperação, que se debruça nas relações entre museus e turismo, com o objetivo de orientar os setores para o gerenciamento dos espaços museológicos com foco na recepção do turista, além do estabelecimento de estratégias conjuntas de promoção dos museus e do turismo cultural.

Integrando umas das últimas atividades do ano do projeto Música no Museu, um concerto da Orquestra de Cellos das Comunidades Pacificadas, às 14h, acontece nas dependências do Museu da Maré.

Permanência
O encontro deste sábado, resultado da inclusão do museu do Complexo da Maré como destino turístico fluminense, marca ainda a resolução temporária de impasse relacionado ao pedido de desapropriação dos galpões ocupados pela instituição, cuja data final seria 9 de dezembro.

Com a intervenção da Setur, os proprietários aceitaram o pedido de prorrogação do prazo, até 10 de março de 2015, dando assim tempo hábil para que sejam estudadas medidas jurídicas para a manutenção do museu onde se encontra.

Considerado referência internacional para a museologia social, por lidar com o registro, preservação e divulgação da história das comunidades da Maré, o museu mantém uma exposição permanente, além de desenvolver atividades lúdico-educativas, oficinas e outras ações em torno da memória social.

O Museu da Maré fica na Rua Guilherme Maxwell, nº 26, próximo à Avenida Brasil, e funciona de terça a sábado, das 9h às 18h, por meio de agendamento. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu da Maré/divulgação
Última atualização: 22.12.2014

Ampla programação marca o mês de dezembro no Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), programou uma série de atividades para o mês de dezembro.

mesa_MHN

A exposição Isto é uma Mesa fica em cartaz até 31 de janeiro de 2014

No dia 12 (quinta), acontece a abertura da mostra Isto é uma mesa. Primeira exposição de uma série programada para ocupar o museu no ano que vem com design contemporâneo, a exposição reúne mesas de seis expoentes das novas gerações de designers e segue em cartaz até 31 de janeiro de 2014.

Com curadoria de Marcelo Vasconcellos e Zanini de Zanine, e realização de MeMo e  Olhares,  a exposição apresenta obras de  Leo Capote, Carol Gay, Alê Jordão, Katharina Welper e Oficina Ethos (Guilherme Saas e Rodrigo Calixto), designers que, apesar do uso de materiais e técnicas diversos, têm em comum a marca autoral.

Circulando cultura
O MHN também faz parte do Programa Circulando Cultura, que promove um passeio diferente no sábado (14). Quatro ônibus com ar condicionados irão transportar, gratuitamente, o público entre as seis instituições participantes do programa: Monumento aos Pracinhas, Forte de Copacabana, Forte do Leme, Museu de Arte do Rio, Centro Cultural Banco do Brasil e Museu Histórico Nacional. Todas as entradas neste dia serão gratuitas e com programação especifica.

Para participar, os passageiros poderão embarcar e desembarcar em qualquer ponto do roteiro, que será sinalizado com placa do evento, visitando os pontos que desejarem por quanto tempo quiser.

A partir de 18 de dezembro, o MHN abre a exposição Japão: reino dos personagens. Promovida pelo Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e a Fundação Japão, a mostra itinerante examina as circunstâncias culturais e históricas por trás da afeição do povo japonês por personagens, e tece caminhos acerca do futuro dos personagens no Japão contemporâneo. O público pode conferir a exposição até o dia 12 de janeiro de 2014.

E para fechar o ano, o museu recebe a última edição do projeto Música no Museu 2013. O evento será no dia 27, às 12h30, com o Quarteto Sol de Violão. No repertório, Clássicos Brasileiros. Saiba mais sobre o Museu Histórico Nacional.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MHN

Grupo Cantada faz apresentação musical no Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), recebe o projeto Música no Museu nessa sexta-feira, 22 de março. O evento começa às 12h30 e tem entrada franca. Nesta edição, o grupo Cantada apresenta seu repertório composto por bossa nova e MPB..

O Cantada formou-se em outubro de 2009, quando um grupo de amigos resolveu colocar em prática a crença de que cantar é uma forma de “expressar a amizade”. A proposta inicial era criar uma rotina para que esses cantadores pudessem se encontrar, bater papo, aproveitar umas comidinhas e praticar o canto de que tanto gostam.

O grupo, com regência e arranjos de Bianca Malafaia, é composto por Gorete de Sousa (1º Soprano), Cláudia Furtado (1º Soprano), Lulu Domenech (2º Soprano), Rita Andrade (2º Soprano), Wanda Saavedra (1º Contralto), Mônica Castro (1º Contralto), Elisa Castro (2º Contralto), Dininha Morgado (2º Contralto). Saiba mais sobre o MHN.

Texto: Divulgação MHN

Maio é mês de RioHarpFestival – Música no Museu

O RioHarpFestival/Música no Museu chega a sua sexta edição neste ano, trazendo ao Rio de Janeiro harpistas de mais de 20 países para apresentações em diversos pontos da cidade, de 1º a 31 de maio.

Todos os concertos são gratuitos. Além dos locais habituais de Música no Museu, as apresentações ocorrerão nos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro, como Ilha Fiscal, Corcovado, Academia Brasileira de Letras, Real Gabinete Português de Leitura, Arquivo Nacional e estações do Metrô, com cerca de 60 concertos. O Museu Histórico Nacional, o Museu Nacional de Belas Artes e o Museu da República (todos integrantes do Ibram/MinC) também serão sede do festival.

O encerramento do RioHarpFestival será com o lançamento da Orquestra Jovem Música no Museu. Veja a programação completa em www.musicanomuseu.com.br e www.rioharpfestival.com.br