Página 55 de 55« Primeira...102030...5152535455

Paraty relembra memória africana no Dia Internacional dos Museus

No ano definido pelas Nações Unidas como Ano Internacional Para os Povos Afrodescendentes, o Museu Forte Defensor Perpétuo de Paraty apresenta na Semana dos Museus a exposição “O Quilombo Campinho da Independência e a Memória Africana em Paraty”.

Até o dia 29 de maio, o museu exibe em seu salão uma exposição de artesanato, fotografias e cartazes que contam a história da comunidade do quilombo. Compõe também a mostra um conjunto de três tambores de jongo do Século XVIII, feitos de madeira lavrada e couro, parte do acervo do museu.

A abertura da exposição, no último dia 18 (Dia Internacional dos museus), foi marcada por uma apresentação do grupo de jongueiros-mirins do Campinho da Independência na praça de armas do museu.  O evento, que contou com a presença da comunidade e de visitantes, teve apoio logístico da prefeitura da cidade na divulgação local e no traslado da comunidade ao museu. O Museu Forte Defensor Perpétuo em Paraty integra a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Fonte: Museu Forte Defensor Perpétuo

Horário de funcionamento dos Museus Ibram no Carnaval 2011

A partir dessa sexta-feira, dia 4/3, os museus integrantes do Ibram terão seu horário de funcionamento alterado, devido ao Carnaval. Confira abaixo a programação:

Museu da República – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sábado a quarta-feira. Reabre na quinta, a partir das 10h.
Museu Histórico Nacional – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sábado a quarta-feira. Reabre na quinta, a partir das 10h.
Museu Nacional de Belas Artes – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sexta a quarta-feira. Reabre na quinta, a partir das 10h
Museu Imperial – Petrópolis (RJ): aberto todos os dias das 11h às 16h, fechado na quarta-feira
Museu Casa Benjamin Constant – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta-feira (9), a partir das 14h
Museu Villa-Lobos - Rio de Janeiro (RJ): fecha de sexta a quarta-feira. Reabre na quinta
Museu de Arte Sacra e Forte Defensor Perpétuo de Paraty (RJ): fechados de sábado a terça-feira. Reabrem na quarta-feira, a partir das 14h
Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (RJ): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta-feira, a partir das 13h
Museu Casa da Hera – Vassouras (RJ): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, a partir das 13h
Museu Chácara do Céu – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, a partir das 12h.
Museu do Açude – Rio de Janeiro (RJ): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, a partir das 12h.
Museu Socioambiental de Itaipu – Niterói (RJ): fechado de sexta a quarta-feira. Reabre na quinta, a partir das 10h
Museu Lasar Segall - São Paulo (SP): fecha de sexta a terça-feira. Reabre na quarta, às 14h
Museu do Diamante – Diamantina (MG): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, dia 9, a partir das 14h
Museu do Ouro/Casa de Borba Gato – Sabará (MG): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, dia 9, a partir das 14h
Museu Regional de São João del Rei (MG): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, dia 9, a partir das 14h
Museu Regional Casa dos Ottoni – Serro (MG): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, dia 9, a partir das 14h
Museu Regional de Caeté – Caeté (MG): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, dia 9, a partir das 14h
Museu Victor Meirelles – Florianópolis (SC): fechado de sábado a terça-feira. Reabre na quarta, a partir das 12h.
Museu de Biologia Professor Mello Leitão – Santa Teresa (ES): aberto todos os dias de 8h às 17h
Museu das Missões – São Miguel das Missões (RS): aberto todos os dias das 9h às 12h e das 14h às 18h
Museu das Bandeiras e Museu de Arte Sacra da Boa Morte, em Cidade de Goiás, e Casa da Princesa, em Pilar de Goiás (GO): abre todos os dias de Carnaval das 9h às 17h, e na quarta-feira a partir das 14h
Museu da Inconfidência – Ouro Preto (MG): abre no sábado e domingo, das 12h às 18h, e fecha na segunda e na terça. Reabre na quarta-feira às 12h
Museu Casa Histórica de Alcântara (MA): funcionamento normal das 9h às 17h. Só fecha na segunda-feira, 7
Solar Monjardim – Vitória (ES): está temporariamente fechado

Museus: bom programa na volta às aulas

Na volta às aulas, os museus do Ibram matam a saudade de um de seus maiores públicos: os visitantes escolares. E, para atender a esse público especial, as instituições preparam diversas atividades que potencializam a sua dimensão educativa, abrindo-se à curiosidade dos estudantes e aliando conhecimento e diversão.

O ambiente estimulante dos museus propicia o desenvolvimento de habilidades, a experimentação, a argumentação crítica e a discussão de temas relevantes para a sociedade. Neste período de início de ano letivo, as visitas e as atividades oferecidas pelos museus são boas opções para explorar os espaços museais e todo o seu potencial criativo, ampliar o exercício da cidadania, conhecer novos temas e assuntos interessantes.

 São várias as possibilidades educativas dos espaços museais. Os profissionais de museus e os professores sabem reconhecer este universo e fazem com que a tão esperada visita se transforme em divertimento e proporcione a aprendizagem. Além de contribuir para a interação dos estudantes e a ampliação de possibilidades pedagógicas, a visita ao museu também pode ser um estímulo para levar a prática museológica para as escolas e fazer dessa experiência algo ainda mais vivo e em movimento.

Encontro define ações para o Plano Estadual de Museus

Com o propósito de debater e definir as diretrizes para a consolidação da Política Estadual de Museus do Rio de Janeiro, foi realizado nesta terça-feira, 19, encontro no Palácio Capanema (RJ). O presidente do Ibram/MinC, José do Nascimento Junior, participou da mesa de abertura.

Durante o evento, a superintendente de Museus da Secretaria de Estado de Cultura, Márcia Bibiani, destacou que o setor vive um momento especial. “Vivemos uma fase de virada, marcada, principalmente, pela criação do Instituto Brasileiro de Museus. No Estado, a gestão atual vem demonstrando apoio constante ao trabalho que estamos desenvolvendo para a construção de uma política estadual de museus”, destacou.
O presidente do Ibram/MinC afirmou que o objetivo do governo federal é contribuir para que cada município do Rio de Janeiro tenha a sua unidade museológica. “Trabalhar para que cada cidade tenha o seu museu é fundamental para garantir à população o direito à memória. Para isso, precisamos ter um plano nacional de museus, para que, de posse dele, possamos defender o setor”, afirmou. Ele ressaltou que outra preocupação do instituto é preparar o Rio de Janeiro para as Olimpíadas e a Copa do Mundo.  “Os museus devem estar qualificados e ter boa programação para oferecer aos turistas nacionais e internacionais e que, além disso, dê orgulho aos fluminenses e ao País”, declarou.

Nascimento revelou, ainda, que várias comunidades vêm demonstrando interesse em ter unidade museológica nos moldes da que existe na comunidade da Maré. “Toda semana uma comunidade reivindica o seu próprio museu. Isso demonstra um amadurecimento da sociedade, que já reconhece o museu como uma instituição que atua na construção da identidade do local. A ideia é democratizarmos essa tecnologia social que existe para ser instrumento da sociedade”, finalizou.

O encontro contou, também, com a participação da coordenadora de Museus da Secretaria Municipal de Cultura do Rio, Cláudia Mesquita; do assessor-chefe da Assessoria de Estudos e Pesquisa da SEC, Renato Dantas; e da assessora-chefe do Sistema Estadual de Museus, Lucienne Figueiredo.

Representantes de todo Brasil elaboraram estratégias dos museus para II CNC

O último final de semana de fevereiro foi o ponto de partida para um momento histórico no setor museológico. Representantes de todos os estados brasileiros se reuniram para debater políticas públicas culturais para o segmento de museus e memórias e encaminhar estratégias à II Conferência Nacional de Cultura.

A Pré-Conferência de Museus e Memórias foi iniciada na sexta-feira, 26 de fevereiro, na cidade do Rio de Janeiro. A mesa de abertura do evento foi formada por oito participantes que apresentaram algumas considerações iniciais e a condução da cerimônia ficou por conta do professor Mário Chagas, diretor do departamento de processos museais do Instituto Brasileiro de Museus.

O coordenador geral da Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura, Maurício Dantas, destacou que a comunidade museológica atingiu o maior número de inscritos nas assembleias estaduais, etapa da II Conferência Nacional de Cultura. Dantas também explicou que a Pré-Conferência de Museus e Memórias tem dois objetivos principais: formulação de estratégias e diretrizes para a II CNC e também a eleição dos delegados regionais e da lista tríplice para o Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC).

Segundo o presidente da Fundação Cultural Palmares, Zulu Araújo, a representação do afro-descendentes nos museus brasileiros é um importante ponto de reflexão e debate no evento. “É impossível constituir a história do Brasil sem a presença negra”, afirmou Zulu.

O assessor especial da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Pedro Pontual, lembrou que a memória pode ser considerada argumento e destacou a importância da verdade na consolidação da história do País.

Refletindo sobre os principais pontos do debate, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus, José do Nascimento Junior, destacou o papel que a Política Nacional dos Museus já exerce ao viabilizar o desejo de expressão e de memória. Ele lembrou que é importante construir e não demolir o que já foi feito, evitando um retrocesso no caminho. Nascimento lembrou que a Pré-Conferência proporciona a construção coletiva de uma política cultural, partindo das diferenças e chegando a algo comum para o setor.

Também compuseram a mesa a coordenadora executiva da Pré-Conferência Setorial de Museus e Memórias, Margarete Moraes, a presidente do Conselho Federal de Museologia, Maria Olímpia Dutzman, o presidente da Associação Brasileira de Museus, Antonio Carlos Vieira, o Diretor Presidente do Conselho Internacional de Museus (ICOM) no Brasil, Carlos Roberto Brandão.

Ainda na abertura do evento, delegados, observadores e convidados participaram da discussão e aprovação do Regimento Interno da Pré-Conferência Setorial de Museus e Memórias.

Elaboração de estratégias

Os eixos da II Conferência Nacional de Cultura pautaram os debates no dia 27. Participantes se dividiram em grupos de trabalho e optaram por debater um dos eixos: Produção Simbólica e Diversidade Cultural; Cultura, Cidade e Cidadania; Cultura e Desenvolvimento Sustentável; Cultura e Economia Criativa e Gestão e Institucionalidade da Cultura. Após o debate, cada grupo escolheu três propostas a serem apresentadas a todos participantes.

Durante a plenária geral, as estratégias escolhidas pelos grupos foram debatidas e uma de cada eixo foi eleita para compor o conjunto de estratégias encaminhadas à II CNC.

Confira as estratégias aprovadas

Processos eleitorais

O último dia de evento foi reservado para a eleição de dez delegados, dois de cada região do País, para representar o segmento Museus e Memórias na II CNC. Foi realizada também a eleição para o Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC): cada delegado da sociedade civil votou em um candidato e a lista tríplice para este conselho foi composta pelos três mais votados.

Todos delegados regionais eleitos e também os três integrantes da lista tríplice para o CNPC foram aclamados durante o encerramento da Pré-Conferência de Museus e Memórias.

Veja os delegados eleitos

Fazendo um balanço do evento, a professora aposentada da Universidade Federal da Bahia, Maria Célia Teixeira Moura, destacou que o momento proporciona a visualização das diferentes realidades do Brasil. Para ela o debate leva ao crescimento e amadurecimento das políticas culturais.

Na visão de Átila Tolentino, delegado pela Paraíba, todo processo da II Conferência Nacional de Cultura foi democrático e transparente, um exemplo disto seriam as assembleias realizadas nos estados antes da Pré-Conferência.

Para a delegada e indígena, Joana Munduruku, representante de Tocantins, a aproximação proporcionada pela Pré-Conferência fortalece o debate e também dá visibilidade para questões específicas de cada local.

A II Conferência Nacional de Cultura será realizada em Brasília, do dia 11 ao dia 14 de março de 2010.

Página 55 de 55« Primeira...102030...5152535455