Página 30 de 53« Primeira...1020...2829303132...4050...Última »

Correção: Ibram republica resultado do Prêmio Pontos de Memória 2012

O resultado do Edital de Concurso Prêmio Pontos de Memória 2012, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), foi republicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (2), contento tanto iniciativas premiadas quanto classificadas no certame.

No total, foram classificadas 64 iniciativas na categoria Brasil, das quais as 50 primeiras serão premiadas. Na categoria Exterior, 20 iniciativas foram classificadas, sendo 10 premiadas.

Foram recebidas um total de 123 propostas. A lista das propostas desclassificadas está disponível na página do Ibram.

Com a nova publicação, voltam a contar os prazos do edital. As 50 instituições selecionadas na categoria Brasil e as 10 da categoria Exterior devem encaminhar documentação complementar, conforme disposto no item 9 do edital, com vistas a premiação em espécie, no prazo de dez dias. O resultado da seleção será comunicado por meio eletrônico aos selecionados, sem prejuízo do início da contagem dos prazos, a partir da publicação no DOU.

Aos que não foram selecionados, cabe recurso da decisão da comissão de seleção, no prazo de cinco dias úteis contados a partir da publicação do resultado final, conforme Formulário de Recurso (Anexo V do Edital).

O recurso deve ser enviado, exclusivamente via e-mail, para o endereço eletrônico recurso.selecao@museus.gov.br, identificado com o Assunto Recurso de Seleção Prêmio Pontos de Memória 2012. Saiba mais sobre a edição 2012 do Prêmio Pontos de Memória.

Texto: Ascom/Ibram

Ibram presta homenagem à museóloga Radha Abramo e ao artista León Ferrari

A Ministra da Cultura, Marta Suplicy, divulgou nota de pesar pelo falecimento ontem (24), aos 85 anos, da históriadora, museóloga e crítica de arte, Radha Abramo, que “deixou sua marca no panorama das artes brasileiras”. “Lamento a doença e a perda de Radha e me solidarizo com sua família neste momento de dor”, disse a ministra.

Associando-se à manifestação de Marta Suplicy, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, expressou solidariedade à família de Abramo.

Radha Abramo foi membro da Comissão Teotônio Vilela, Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), Internacional Council of Monuments and Sites (Icomos/Brasil) e do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Atuou destacadamente em São Paulo e trabalhou na organização e conservação dos acervos dos palácios do governo estadual, entre outras realizações no campo da cultura.

León Ferrari
O Ibram lamenta também a morte do artista plástico argentino León Ferrari, que faleceu hoje (25), aos 92 anos, em Buenos Aires (Argentina).

Ferrari ficou reconhecido em todo o mundo por sua atitude irreverente e por suas denúncias contra o poder e a intolerância. Exilou-se no Brasil durante a ditadura militar argentina. Entre suas obras mais conhecidas estão Homenaje a Vietnam (1966), Palabras ajenas (1966), Tucumán arde (1968) e Malvenido Rockefeller (1969).

Texto: Ascom/Ibram

Ibram lança novos editais: Mais Museus e Modernização de Museus 2013

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) lança hoje (24), os editais Mais Museus e Modernização de Museus 2013. Os extratos foram publicados no Diário Oficial da União (DOU), na Seção 3 (páginas 14 e 16).

O edital Mais Museus visa selecionar projetos de implantação de museus em municípios que ainda não possuam instituição museológica instituída. Já o edital Modernização de Museus consiste em selecionar projetos para modernização de instituições museológicas.

Os dois editais têm por finalidade, constituir um banco de projetos para apoio financeiro no exercício de 2013, de acordo com disponibilidade orçamentária do Ibram, mediante celebração de convênio. Os participantes poderão inscrever-se com projeto cujo valor solicitado para repasse esteja entre R$ 150 mil e R$ 300 mil.

As inscrições começam nesta quinta-feira, 25 de julho, e seguem até 12 de setembro, e devem ser feitas pelo sistema SalicWeb, disponível na página do Ibram e do Ministério da Cultura. Veja os editais aqui.

Fomento aos Museus
O Ibram adota o procedimento de seleção de projetos de museus não vinculados ao instituto, com o objetivo de democratizar e descentralizar os recursos públicos no setor por meio de editais públicos.

A finalidade é permitir que os museus cumpram seu papel na salvaguarda e difusão do patrimônio cultural musealizado, proporcionando-lhes condições necessárias para atratividade de público, realização de ações de comunicação, investigação e preservação de acervos.

Além de contribuir com o aumento do número de museus, os editais também democratizam o acesso a bens culturais e o desenvolvimento regional, especialmente através da geração de ocupação e renda e do estabelecimento de formas de integração com a economia local.

Texto: Ascom/Ibram

Museus do Ibram recebem Certificado de Excelência do portal TripAdvisor

Seis dos 30 museus vinculados à rede Ibram/MinC receberam Certificado de Excelência do portal TripAdvisor, que é considerado o maior site de viagens do mundo e reúne informações, relatos e dicas para viajantes.

Museu da Chácara do Céu está entre os certificados pelo TripAdvisor

Os certificados foram concedidos a partir da avaliação positiva dos visitantes em votação realizada na página para o prêmio TripAdvisor Travelers’ Choice 2013.

Foram agraciados o Museu da República, o Museu Histórico Nacional, o Museu Nacional de Belas Artes e o Museu da Chácara do Céu, do Rio de Janeiro (RJ); o Museu Imperial, em Petrópolis (RJ), e o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG).

Para se qualificar para o Certificado de Excelência, é preciso que os museus obtenham uma nota global de quatro pontos ou mais, de um possível total de cinco, conforme analisado por viajantes. Os critérios adicionais incluem o volume de comentários recebidos nos últimos 12 meses.

Travelers’ Choice - O programa Certificado de Excelência é uma extensão do prêmio TripAdvisor Travelers’ Choice (em português, “a escolha dos viajantes”). Em sua edição deste ano, a premiação também traz o Museu Imperial, vinculado ao Ibram, entre os 10 melhores do Brasil e um dos melhores da América do Sul.

Realizado anualmente, o prêmio tem como base milhões de avaliações e opiniões dos viajantes. Os vencedores são encontrados em 39 países do mundo, incluindo listas regionais para a África, Ásia, Austrália, Caribe, América Central, China, Europa, Índia, México, Oriente Médio, América do Sul, Pacífico Sul e Estados Unidos.

Texto: Ascom/Ibram

Reunião de julho da CNIC aprovou R$ 11,5 milhões para projetos em museus

A Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) aprovou em sua 211ª reunião, que aconteceu em Vitória (ES), entre os dias 9 e 11 de julho, mais de R$ 11,5 milhões para projetos na área de museus.

Foram aprovados, no total, dez projetos, sendo que sete deles foram analisados pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e os demais analisados por outras vinculadas do Ministério da Cultura (MinC). Eles agora poderão captar os recursos aprovados via Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet).

Os projetos aprovados destinam-se a ações como modernização e acessibilidade a museus, aquisição de obras e realização de exposições e outros eventos museais. Confira a lista completa de projetos aprovados na 211ª reunião da CNIC.

Texto: Ascom/Ibram

Museu Nacional de Cultura Afro-Brasileira na Bahia poderá ser federalizado

O Museu Nacional de Cultura Afro-Brasileira (Muncab) pode ser o primeiro museu vinculado ao Ministério da Cultura (MinC) na Bahia. Durante reunião realizada em Salvador,  na quinta-feira (18), a ministra da Cultura, Marta Suplicy, e autoridades do Estado discutiram a possibilidade de que o museu passe a ser de competência do governo federal e administrado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Ministra, acompanhada pelo diretor do Muncab, conheceu acervo do museu

A reunião contou com a presença do governador da Bahia, Jaques Wagner, do diretor do Muncab, José Carlos Capinan, do presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Hilton Cobra, e do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo.

Estiveram presentes ainda o secretário de Cultura da Bahia, Albino Rubim, a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) e  outras autoridades.

Etapas
O primeiro passo para o processo de federalização do museu, criado em 2002, será a produção de um diagnóstico sobre as pendências existentes, que desde 2011 ocupa o antigo Prédio do Tesouro, no Centro Histórico de Salvador, mas ainda está em processo de instalação. Para que a federalização seja viabilizada também será necessária a elaboração, pelo Poder Executivo, de projeto de lei sobre o tema.

A ministra Marta Suplicy destacou a importância de que o Brasil tenha um museu nacional voltado para a temática afro-brasileira. “Nosso país precisa muito de lugares como este, que trata de uma raiz fundamental para a nossa história. O acervo encontrado aqui tem grande relevância, relata a importância do negro no processo civilizatório brasileiro”, disse.

Texto: Ascom/MinC e Ibram
Foto: Roberto Abreu/MinC

Cadernos Museológicos: livro Acessibilidade a Museus já está disponível online

Já está disponível para consulta e download na página do Ibram, o volume 2 da série Cadernos Museológicos, publicado pelo instituto no final de abril.

Com o tema Acessibilidade a Museus, a publicação é uma contribuição para a adaptação das práticas, das instituições e dos espaços museais brasileiros de forma a torná-los acessíveis a todos – com destaque para pessoas com deficiência.

Tem ainda o intuito de suprir a carência de informações sobre o tema e contribuir para o processo de democratização do acesso à cultura. Baixe o livro em versão PDF.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O primeiro volume da série Cadernos Museológicos teve como tema Segurança em Museus, que também se encontra disponível para baixar.

Texto: Ascom/MinC

Entrevista com José Luiz Pedersoli sobre gestão de risco e patrimônio cultural

Ministrante do curso Gestão de Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro, promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), entre os dias 8 e 12 de julho, José Luiz Pedersoli Junior é químico formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Mestre em Química de Polímeros, com ênfase em materiais celulósicos e aplicações na área da conservação patrimonial, pela Universidade de Helsinki (Finlândia).

Pedersoli coloca a gestão de risco como área estratégica em torno de acervos musealizados

Morou durante muitos anos na Europa, inicialmente em Amsterdã, quando trabalhou como cientista da conservação no Instituto Holandês do Patrimônio Cultural, e depois em Roma, no Centro Internacional para o Estudo da Preservação e Restauração do Patrimônio Cultural (ICCROM).

Voltou ao Brasil com uma importante experiência na área da ciência dos materiais aplicada à preservação patrimonial, mais especificamente à conservação de acervos de papel e materiais relacionados, com vários trabalhos científicos publicados em revistas especializadas.

Essa experiência profissional inclui também o desenvolvimento, coordenação e ensino em cursos nacionais e internacionais voltados à capacitação profissional no setor patrimonial.

O químico respondeu por e-mail a três perguntas feitas pela Assessoria de Comunicação do Ibram.

Qual a importância da implementação de um plano na área de gestão de riscos para os museus?

A gestão ou gerenciamento de riscos constitui ferramenta eficaz para aprimorar a tomada de decisões dirigidas à preservação do patrimônio cultural. Sua utilização fornece uma visão abrangente dos diversos tipos de risco para esse patrimônio, desde eventos emergenciais e catastróficos até os diferentes processos de degradação que ocorrem de forma mais gradual e cumulativa.

A partir da identificação e análise sistemática desses riscos, é possível estabelecer prioridades de ação e alocação de recursos para mitigá-los. Estratégias sustentáveis podem então ser estabelecidas para minimizar impactos negativos sobre o objetivo comum dos museus de transmitir seus acervos para as gerações futuras com a menor perda de valor possível. Otimizando o uso dos recursos disponíveis, tipicamente limitados, para a preservação, segurança e fruição dos acervos museológicos, a gestão de riscos contribui para maximizar a utilidade e benefícios sociais dos mesmos ao longo do tempo.

A implantação do gerenciamento de riscos na comunidade de museus do Ibram também contribuirá de forma significativa para harmonizar e incrementar a eficiência de iniciativas e esforços já existentes voltados à salvaguarda de seus acervos, assim como para fomentar sinergias em ações futuras, proporcionando uma plataforma de trabalho bem estruturada, uma linguagem comum e uma metodologia adequada ao compartilhamento e integração dos conhecimentos e experiências específicos detidos pelos diferentes museus. O uso dessa ferramenta estimula, ainda, a integração interdisciplinar e intersetorial com profissionais e instituições de áreas afins.

Diante do contexto internacional, como você avalia a atuação dos museus brasileiros?

A atuação dos museus brasileiros na área da gestão de riscos e segurança de seus acervos reflete, a meu ver, um universo bastante heterogêneo, com algumas instituições já significativamente avançadas nesse aspecto e outras onde falta ainda implementar requisitos básicos para a proteção do acervo frente aos riscos que os ameaçam.

Observo uma tendência positiva no sentido da conscientização e adoção crescente de medidas de conservação preventiva, o que vem sendo fortalecido com iniciativas de capacitação como este curso realizado pelo Ibram. Contudo, para lograrmos uma melhoria significativa contemplando todo o patrimônio musealizado brasileiro, seria necessário amplificar esses esforços e proporcionar os recursos para que as medidas de segurança necessárias possam ser implantadas de forma sustentável.

Quais as etapas fundamentais que uma instituição precisa para iniciar a elaboração de uma Plano de Gerenciamento de Riscos para o seu acervo?

Antes de mais nada, é fundamental haver vontade política para fazê-lo e uma definição bem clara da missão e dos objetivos da instituição no tocante ao uso do acervo sob sua guarda. Outro fator essencial é o envolvimento e participação proativa de toda a equipe do museu ao longo de todo o processo.

Obviamente, devem estar disponíveis os recursos mínimos para a implantação das medidas propostas no decorrer da execução do Plano. É essencial garantir, desde o início, que o Plano será um documento “vivo” na instituição. As etapas para a elaboração do Plano envolveriam, primeiramente, a constituição formal de uma equipe ou grupo de trabalho na instituição com papéis e responsabilidades bem definidos, com tempo disponível para a execução do projeto.

Observados esses aspectos, temos sugerido que o desenvolvimento do Plano de Gerenciamento de Riscos seja estruturado segundo as etapas consecutivas do processo de gerenciamento descrito na norma técnica ISO 31.000:2009, que incluem: 1) estabelecer o contexto, 2) identificar os riscos, 3) analisar (quantitativamente) os riscos, 4) avaliar e priorizar os riscos, 5) tratar (reduzir) os riscos segundo as prioridades estabelecidas.

Todas essas etapas são permeadas pela comunicação e consulta com todas as partes interessadas e atores relevantes ao processo, assim como pelo monitoramento e revisão dos aspectos relevantes em cada uma delas.

É importante lembrar que o gerenciamento de riscos é uma processo contínuo, visando à eliminação ou redução e contenção dos riscos para o acervo a níveis aceitáveis para a instituição. Dessa forma, é importante que essa ferramenta seja integrada de forma permanente ao sistema de gestão da organização para garantir seu uso continuado e, assim, alcançar com sucesso os objetivos propostos.

Edição: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matéria relacionada
Técnicos do Ibram participam de curso sobre Gestão de Risco no Rio de Janeiro

Técnicos do Ibram participam de curso sobre Gestão de Risco no Rio de Janeiro – See more at: http://www.museus.gov.br/noticias/tecnicos-do-ibram-participam-de-curso-sobre-gestao-de-risco-no-rio-de-janeiro/#sthash.cDXeyUmf.dpuf
Gestão de Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro, promovido pela Divisão de Preservação e Segurança em Museus da Coordenação de Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). – See more at: http://www.museus.gov.br/noticias/tecnicos-do-ibram-participam-de-curso-sobre-gestao-de-risco-no-rio-de-janeiro/#sthash.cDXeyUmf.dpuf

Técnicos do Ibram participam de curso sobre Gestão de Risco no Rio de Janeiro

Terminou na sexta-feira (12), o curso Gestão de Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro, promovido pela Divisão de Preservação e Segurança em Museus da Coordenação de Patrimônio Museológico do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

O treinamento, que começou no dia 8 e teve lugar nos museus Histórico Nacional e Nacional de Belas Artes, ambos integrados a rede Ibram, é voltado para o conjunto de técnicos que atuam na área de segurança e conservação dos 30 museus vinculados ao instituto, além de representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC) e do Instituto Cultural Flávio Gutierrez.

Ministrado pelo especialista José Luiz Perdesoli, químico graduado pela Universidade de Minas Gerais (UFMG) e com larga experiência na área de preservação e segurança de patrimônio cultural no Brasil e no exterior, o curso tem como objetivo apresentar conceitos, metodologia e exercícios práticos, capacitando os técnicos na identificação, análise e avaliação dos possíveis riscos para o patrimônio musealizado.

Em março deste ano, especialistas em museus e segurança já haviam participado, também no Rio, do Seminário-oficina Preservação e Segurança em Museus: Introdução de Gestão de Riscos para Acervos Musealizados. Os treinamentos são realizados em parceria com o Programa Ibermuseus e a Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI).

Texto: Ascom/Ibram

Presidente do Ibram apresentou aos servidores prioridades da nova gestão

Na tarde da quarta-feira (10), o novo presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, foi oficialmente apresentado aos servidores da sede do instituto, em Brasília (DF), pela até então presidente substituta, Eneida Braga.

O encontro contou com a participação expressiva dos profissionais da casa, que ouviram do novo presidente um pequeno resumo de sua trajetória, além das expectativas e prioridades para sua gestão.

Fortalecimento da rede de museus Ibram é uma das prioridades da nova gestão

Angelo Oswaldo disse considerar os 30 museus vinculados ao Ibram como “sustentáculos” da instituição, e que eles devem ser paradigmáticos para o campo.

O novo presidente destacou como prioritário o fortalecimento das áreas de comunicação e educação museal, assim como da Museologia Social.

Também foi destacada como prioridade a ampliação do Cadastro Nacional de Museus (CNM), que considera essencial para um diálogo “mais eficiente e abrangente” com o setor; a criação de novos museus, inclusive vinculados à rede Ibram em grandes cidades brasileiras que ainda não possuem unidades deste tipo, como Salvador (BA) e Brasília; o apoio à organização da Conferência Icom 2013 no país; e a valorização dos servidores do Ibram.

“O corpo de servidores constitui a nossa força e é com ele que temos que atingir nossas metas”, disse Angelo Oswaldo aos profissionais. “Temos que lutar, com a liderança do MinC, para valorizar a carreira e ampliar o quadro, além de buscar recursos para o trabalho de vocês”, concluiu.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Página 30 de 53« Primeira...1020...2829303132...4050...Última »