Ibram lança Primavera dos Museus durante Seminário Internacional

Nesta segunda-feira (21) começa a 9ª Primavera dos Museus, em todo o país. E, para dar início às atividades, o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, abrirá o evento, no Seminário Internacional Cultura e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro.

A Primavera acontece até o dia 27 e integrará mais de 800 instituições em 393 município em todo o país, que terão atividades diversas. O tema deste ano, Museus e Memórias Indígenas, foi escolhido em consonância com as políticas do Ministério da Cultura.

Para o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), os museus são espaços importantes para guarda e transmissão das histórias e memórias destes povos.  A diversidade sociocultural dos mais de 200 povos indígenas que vivem em nosso país, constitui-se como um dos maiores patrimônios existentes no território nacional.

Confira os mais de 2400 eventos no Guia da Programação.

Seminário Cultura e Desenvolvimento

Promovido pelo Ministério da Cultura e pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), o Seminário pretender ser um espaço para debater as conexões entre diversidade cultural e temas relevantes da atual agenda global. O evento acontece entre os dias 21 e 23 de setembro no Cine Odeon, Rio de Janeiro. A berto ao público e gratuito, contará com oito mesas de debates e trará especialistas nacionais e estrangeiros. As inscrições, sujeitas a lotação, podem ser feitas aqui.

Confira toda a programação e saiba mais sobre o Seminário.

Museu de Arte Religiosa e Tradicional realizada Oficina de Arqueologia

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart/Ibram) programou uma série de atividades durante a 9ª Primavera dos Museus. Dentre elas, a Oficina de Arqueologia: Sítio Arqueológico Aldeia do Portinho, que será ministrada pela arqueóloga Jeanne Cordeiro.

A memória indígena em Cabo Frio está literalmente enterrada: se nada resta na superfície, o trabalho agora é de escavar os diversos sambaquis que conseguiram resistir à especulação imobiliária e trazer à tona tais vestígios.

Mais de 60 sítios já foram inventariados na Região dos Lagos, entre o cabo de Armação dos Búzios e Saquarema, e revelam, ainda que agonizantemente, a intensa ocupação desse litoral pelos sambaqueiros. Chamados por especialistas de “pescadores-coletores-caçadores”, os sambaquieiros viviam perto do mar, em locais que integravam diversos ecossistemas, como restinga, lagoas, florestas e mangues.

O Sítio Arqueológico Aldeia do Portinho foi localizado em 2007, quando da realização de estudos de impacto ambiental para o desenvolvimento de empreendimentos imobiliários na área do Novo Portinho. Já em 2011, com a retomada dos trabalhos de escavação arqueológica em outra área do terreno, surgiram importantes achados, entre eles, a ‘Boop’ – o esqueleto de aproximadamente dois mil anos de uma indígena que revela o intercâmbio de duas culturas: a Sambaquieira e a Una.

O esqueleto da Boop encontra-se provisoriamente guardado no museu, e não se trata somente de uma fonte documental, mas a protagonista de uma história hoje enterrada, mas passível de ser contada e compartilhada.

Nesse sentido, a Oficina de Arqueologia: Sítio Arqueológico Aldeia do Portinho irá trazer à tona a discussão sobre a ocupação dessa região e os impactos que a ocupação, muitas vezes desordenada do nosso espaço pode ocasionar. Pretende-se proporcionar aos participantes a ampliação de conhecimentos sobre o patrimônio arqueológico da cidade e da região a partir do achado arqueológico “Boop”: a investigação e os sítios arqueológicos, a importância das pesquisas arqueológicas e da preservação dos sítios, para que possam atuar como disseminadores deste importante capítulo da história de Cabo Frio.

A Oficina, que é gratuita, será realizada no dia 25 de setembro, no Mart. O participante poderá escolher realizar a oficina ou pela manhã, das 10 às 12h, ou pela tarde, das 15:30 às 17:30h. Será, ainda, conferido certificado de participação aos presentes.

As inscrições devem ser feitas através do e-mail mart@museus.gov.br ou do telefone (22) 2646-7340, informando nome completo, telefone para contato e o turno em que pretende participar (Manhã ou Tarde).

Texto: MART

9ª Primavera tem programação para todas as idades no Museu Imperial

Entre os dias 20 e 27 de setembro o Museu Imperial/Ibram/MinC participa da 9ª Primavera dos Museus.

Durante a semana haverá uma programação diferenciada na Biblioteca Rocambole, concerto internacional no Cineteatro, curso voltado para guias de turismo, exposição de peças do acervo alusiva aos indígenas, atividades que equilibram o corpo e a mente, grupo folclórico e banda, além de preços especiais para os visitantes.

A abertura da Primavera no Museu Imperial acontecerá no dia 20 de setembro às 16 horas com a pianista Junko Ueno Garret, no Cineteatro. Os Interessados deverão retirar gratuitamente seus ingressos a partir do dia 15 de setembro, na bilheteria do Museu.

O Curso de Atualização para Guias de Turismo petropolitanos será outro atrativo. Voltado para profissionais com registro no Ministério do Turismo/Embratur, o curso tem como objetivo capacitar os guias para atuarem nos pontos turísticos de Petrópolis, proporcionando um atendimento de qualidade aos turistas que visitam a cidade. Os participantes poderão visitar os principais pontos turísticos da cidade, conhecer os bastidores do Museu Imperial e participar de palestras. Ao final, assistirão as apresentações do Sarau Imperial e o Espetáculo Som e Luz. O curso acontecerá no dia 21 de setembro.

Do dia 22 ao dia 27 de setembro, o Museu Imperial abrigará uma exposição referente aos índios. Na ocasião, serão exibidas armas indígenas, varanda de rede dentre outras peças que fazem alusão ao tema.

No dia 23 de setembro, às 19h horas, no Cineteatro do Museu Imperial, será realizada a mesa redonda “80 Anos da ANL- Aliança Nacional Libertadora” com Anita Prestes, professora do programa de pós-graduação em história comparada da UFRJ e Álvaro Penalva, professor de história do ensino médio. Posteriormente acontecerá o lançamento do livro “Pão Terra e Liberdade na Cidade Imperial”, de Paulo Henrique Machado.

A 9ª Primavera dos Museus também contemplará a área educativa, voltada para o público infantil. Com programação diferenciada no dia 22 de setembro das 14h30 às 15h30, a Hora do Conto explorará o livro “Histórias Encantadas Indígenas”, de Ingrid B. Bellinghausen; já no dia 23, será a vez da obra “Diacui”, de Denise Helena, e no dia 24 de setembro, a leitura será da obra “Como Nasceram as Estrelas”, de Clarice Lispector. Nesse dia, além da contação de história haverá oficina criativa em torno do tema abordado. As atividades serão gratuitas e destinadas a grupos escolares previamente agendados junto ao setor de Educação do Museu Imperial.

Os petropolitanos e visitantes poderão aproveitar também os espetáculos oferecidos pelo Museu Imperial a preços promocionais. Nos dias 24, 25 e 26 de setembro, às 20 horas, será a apresentação do Som e Luz a R$5,00 e 25 e 26 de setembro, com o mesmo preço às 18h30, exibições do Sarau Imperial.

A fim de contribuir para o equilíbrio do corpo e da mente, o Museu Imperial oferecerá, também no dia 26, das 10 às 11 horas, o Projeto “Meditação para Todos”, com Miguel Berredo, e, no dia 27, das 09h30 às 11 horas, “Todo dia é dia de Yoga”, com o professor Fábio Goulart.

No dia 27 de setembro, encerramento da 9ª Primavera dos Museus, a entrada para visitação ao Palácio Imperial será gratuita, em virtude do Dia Mundial do Turismo. Além disso, o visitante poderá contemplar, às 12 horas, a apresentação de dança de grupo folclórico germânico e, às 13 horas, a apresentação da Banda Wolney Aguiar.

Texto: Ascom Museu Imperial

Museu Regional de São João del-Rei abre mostra sobre memórias indígenas

O Museu Regional de São João del-Rei/Ibram realiza a exposição de curta duração Memórias Indígenas: a história que não nos contaram. A inauguração será dia 24 de setembro às 19h no próprio espaço do Museu. A programação faz parte da 9ª Primavera de Museus.

O conteúdo da exposição foi idealizado a partir de dados coletados também na própria região. Professores da Universidade Federal de São João del-Rei e pessoas da comunidade contribuíram para o processo de pesquisa e enriquecimento da mostra.

O Museu

Aberto à visitação pública a partir de 1963, está localizado na antiga residência do comendador João Antônio da Silva Mourão (1806-1866), importante comerciante da cidade no período final da produção de ouro. Após a conclusão das obras, em 1859, o comendador instalou sua família na mansão, no segundo e terceiro pavimentos, e a loja de secos e molhados ficou no primeiro andar.

O Museu Regional de São João del-Rei apresenta uma exposição de aspectos do cotidiano no comportamento e nos costumes dos séculos XVIII e XIX, retratados em móveis, utensílios, meios de transporte, imagens religiosas e pinturas. O objetivo do acervo montado é contar um pouco da intimidade e do modo de viver dos mineiros no período colonial.

Serviço
Exposição “Memórias Indígenas: a história que não nos contaram”.
24/09 (quinta feira), às 19h
No Museu Regional – São João Del Rei/MG
Entrada gratuita.

Primavera dos Museus inscreve até 21 de agosto

Banner_inscricoes_9PM_217x300_3Está disponível o texto de referência sobre o tema da 9ª Primavera dos Museus: Museus e Memórias Indígenas. O texto foi feito pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e Museu do Índio/Funai. Leia na página o Ibram.

As inscrições para a 9ª Primavera vão até 21 de agosto. Seminários, exposições, oficinas, espetáculos, mesas-redondas, visitas guiadas, exibições de filmes são exemplos de ações a serem programadas para o evento nacional coordenado pelo Ibram no segundo semestre de cada ano.

Este ano, a campanha de divulgação da Primavera traz como destaque a imagem do Pajé Itsaltako  da etnia Waurá, da Aldeia Wuará Piyulaga, no Alto Xingu (MT). Captada pelo fotógrafo Renato Soares, em 2013, a imagem mostra o Pajé durante as lutas de Huka-huka, realizadas na cerimônia do Kuarup.

A Primavera dos Museus acontece anualmente desde 2007 e é o resultado de uma ação conjunta entre as instituições museológicas de todo o país e o Ibram.

Ao longo das oito edições, a participação das instituições teve um crescimento médio de 18% ao ano, assim como o número de eventos cadastrados aumentou 21%. Veja como foram as edições anteriores da Primavera dos Museus.