Página 1 de 3123

MNBA abre exposição sobre a representação do Carnaval

Tipo de índio, circa 1920, DI CAVALCANTI

Tipo de índio, circa 1920, DI CAVALCANTI

Em comemoração aos cem anos da criação do bailado de carnaval das crianças pelo maestro Heitor Villa-Lobos, a exposição O carnaval das Crianças e outros carnavais no MNBA, apresenta cerca de 50 obras sobre a representação do carnaval no acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), a partir do dia 29 de março, sexta-feira, às 16 horas.

Desenvolvida em conjunto com o Museu Villa-Lobos, a mostra exibe os estudos de figurino elaborados por Di Cavalcanti para o Carnaval das Crianças que integram a coleção de Desenho Brasileiro do MNBA.

A mostra O Carnaval das Crianças tem como fio condutor a atuação do carnaval em diferentes épocas. O primeiro núcleo retrata o Carnaval no Rio de Janeiro, o segundo núcleo apresenta os desenhos feitos por Di Cavalcanti, a convite de Villa-Lobos, para os figurinos do bailado do carnaval das crianças. Por fim, a infância no Brasil no início do século XX.

A exposição conta com trabalhos de artistas como Di Cavalcanti, Tomás Santa Rosa, Tereza Miranda, entre outros, pertencentes ao acervo do MNBA, além de obras da coleção do Museu Villa-Lobos e uma pintura do acervo do colecionador Eduardo Cavalcanti. Ela fica em cartaz de 29 de março até 29 de junho de 2019, na Sala Clarival Valadares, do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro (RJ).

Texto: Ascom MNBA
Edição: Ascom Ibram

Museu Imperial inspira desfile da Unidos de Vila Isabel para este carnaval

Desfile da escola vai enaltecer a família imperial brasileira, responsável pela fundação de Petrópolis, assim como o padroeiro da cidade e do Império do Brasil, São Pedro de Alcântara.

Desfile da escola vai enaltecer a família imperial brasileira, responsável pela fundação de Petrópolis, assim como o padroeiro da cidade e do Império do Brasil, São Pedro de Alcântara.

O Museu Imperial, vinculado ao Ibram e situado em Petrópolis (RJ), é inspiração para o desfile que a escola de samba carioca Unidos de Vila Isabel levará ao Sambódromo da Marquês de Sapucaí neste carnaval.

Em 2019, a Vila Isabel prestará homenagem à cidade de Petrópolis com o enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos – a Vila canta a cidade de Pedro”. A agremiação, que tem como símbolo a coroa da princesa d. Isabel, vai enaltecer a família imperial brasileira, responsável pela fundação de Petrópolis, assim como o padroeiro da cidade e do Império do Brasil, São Pedro de Alcântara.

Com este objetivo, o enredo faz diversas referências ao prédio histórico em que o Museu Imperial está situado – edifício de arquitetura neoclássica datado de 1862 que funcionou como residência de verão do imperador Dom Pedro II – e ao rico acervo da instituição.

O desfile

A abertura do desfile apresentará o encontro das coroas com a Berlinda de Aparato de Dom Pedro II, carruagem usada pelo imperador em eventos de gala, e a Catedral de São Pedro de Alcântara com seus vitrais.

Ainda com referência ao Museu Imperial e a cidade de Petrópolis, o desfile retrata a “Versalhes brasileira”, os jardins da casa de verão da família imperial e a locomotiva Leopoldina, que encontra-se exposta no Pavilhão de Viaturas do Museu Imperial.

Outras referências relativas à cidade serão mostrados na avenida, como os imigrantes alemães, italianos e franceses, o antigo cassino do Hotel Quitandinha, as fábricas e o inventor Santos Dumont. Tudo isso distribuído ao longo de vinte e sete alas com três mil componentes e sete carros alegóricos.

O desfile será encerrado com o “Baile da Negritude”, onde será sugerido um baile no Palácio de Cristal por conta da alforria dos últimos 103 escravos da cidade, fato ocorrido em abril de 1888, antes da assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888 – a pena de ouro com a qual a princesa Isabel assinou a lei faz parte do acervo do Museu Imperial. A apresentação acontece na noite do dia 4 de março.

Pimpolhos

A música de Heitor Villa-Lobos será tema do desfile da escola de samba carioca Pimpolhos da Grande Rio no próximo carnaval. Com o enredo “Carnaval das Crianças”, uma homenagem à composição de mesmo título que completa 100 anos, a apresentação levará mil crianças à Sapucaí no dia 5 de março, data que marca os 132 anos de nascimento do maestro. O tema foi proposto à agremiação pelo Museu Villa-Lobos em conjunto com o Museu Nacional de Belas Artes – ambos integram a rede Ibram. Saiba mais.

Iniciativa do Museu Villa-Lobos celebrará obra do compositor na Sapucaí

Enredo

Enredo “Carnaval das Crianças”, homenagem à composição de mesmo título de Heitor Villa-Lobos que completa 100 anos, levará mil crianças à Sapucaí no dia 5 de março.

Do piano para o tamborim. A música de Heitor Villa-Lobos será tema do desfile da escola de samba carioca Pimpolhos da Grande Rio no próximo carnaval. Com o enredo “Carnaval das Crianças”, uma homenagem à composição de mesmo título que completa 100 anos, a apresentação levará mil crianças à Sapucaí no dia 5 de março, data que marca os 132 anos de nascimento do maestro.

O tema foi proposto à agremiação pelo Museu Villa-Lobos em conjunto com o Museu Nacional de Belas Artes – ambos integram a rede Ibram. “A iniciativa de representar esta obra em um desfile de escola de samba mirim valoriza dois elementos importantes da obra de Villa-Lobos: a referência às tradições populares da cultura brasileira e a importância da educação musical na formação de crianças e jovens”, explica a diretora do Museu Villa-Lobos, Claudia Castro.

Inspiração

O refrão do samba-enredo (“Tuhu, Tuhu, nosso trem já vai partir”) foi criado numa roda formada pelos músicos da Pimpolhos e do Museu Villa Lobos e faz referência ao apelido de infância do compositor, que se encantava com o som das locomotivas.

Na comissão de frente – preparada pelo projeto Balé no Samba – o público irá conhecer personagens ligados ao universo musical de Villa-Lobos como a Pierrette, o Dominozinho, o Trapeirozinho e o Mascarado Mignon. O enredo também apresenta figuras do folclore brasileiro presentes no trabalho do maestro.

“O educativo do Museu Villa-Lobos apresentou para as crianças de Duque de Caxias esse universo. Tivemos vários encontros didáticos para mostrar a música de Villa-Lobos e explicar a origem de mitos do folclore como o Uirapuru”, explica Claudia Castro.

“Carnaval das Crianças” é um conjunto de oito peças para piano solo escrito em 1919. Mais tarde, em 1929, o compositor reutilizou os temas na sua fantasia para piano e orquestra “Momoprecoce” e, em 1932, no balé “Caixinha de Boas Festas”.

A obra também serviu como inspiração para desenhos de Emiliano Di Cavalcanti (1897 – 1976). A pedido de Villa-Lobos, o pintor modernista elaborou figurinos e cenários para transformar “Carnaval das Crianças” em um balé. Os desenhos originais fazem parte do acervo do Museu Nacional de Belas Artes e irão ganhar exposição comemorativa no próprio MNBA. Já o Museu Villa-Lobos prepara uma exposição sobre a obra “Carnaval das Crianças”.

Ensaios

Antes do desfile no dia 5 de março, o enredo da Pimpolhos da Grande Rio para 2019 será executado em ensaios abertos nos dias 5 e 19 de fevereiro, no próprio Museu Villa-Lobos. O enredo “Carnaval das Crianças Brasileiras de Heitor Villa-Lobos” também já pode ser ouvido online na plataforma SoundCloud.

Próxima edição do Circuito Villa-Lobos acontece nesta quarta

Atividade leva moradores e visitantes do Rio de Janeiro a um passeio guiado pelos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor brasileiro.

Atividade leva moradores e visitantes do Rio de Janeiro a um passeio guiado pelos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor brasileiro.

O Circuito Villa-Lobos, iniciativa do Museu Villa-Lobos que leva moradores e visitantes do Rio de Janeiro a um passeio guiado pelos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor brasileiro, terá mais uma edição na próxima quarta-feira (5).

O Theatro Municipal, a Confeitaria Colombo, a Associação Brasileira de imprensa, o Clube Ginástico Português, o Palácio Gustavo Capanema e o edifício em que Heitor Villa-Lobos (1887-1959) viveu seus últimos anos integram o roteiro.

O walking tour culminará com visita à Casa do Choro, instituição dedicada à preservação do gênero brasileiro que inspirou Villa-Lobos, onde haverá recital didático de música brasileira com quarteto de flauta, violão, cavaquinho e percussão.

O Circuito Villa-Lobos é aberto à participação de qualquer pessoa, com contribuição de R$ 1. O ponto de encontro para a saída do passeio é a escadaria do Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro. Interessados devem garantir sua reserva pelo telefone (21) 97133-1822.

Circuito Museus de Botafogo + Concerto terá nova edição na próxima terça

Em parceria com a Casa de Rui Barbosa, o Museu Villa-Lobos, vinculado ao Ibram, promove na próxima terça-feira (12) mais uma edição do Circuito Museus de Botafogo + Concerto. A ação leva visitantes a um passeio guiado pelas duas instituições, ambas situados em casarões do século XIX no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ), sempre incluindo um concerto musical didático.

Nesta edição, visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto a mais recente aquisição da instituição: um instrumento musical raro – o violinofone – utilizado por Heitor Villa-Lobos em duas obras sinfônicas.

Nesta edição, visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto a mais recente aquisição da instituição: um instrumento musical raro – o violinofone – utilizado por Heitor Villa-Lobos nas obras sinfônicas Uirapuru e Amazonas.

Desta vez, a visita começará pelo Museu Villa-Lobos, com concerto do pianista Rodrigo Zimmetbaum e visita à exposição “Uirapuru – O Pássaro Encantado da Amazônia”, onde os visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto a mais recente aquisição da instituição: um instrumento musical raro – o violinofone – utilizado por Heitor Villa-Lobos em suas obras sinfônicas Uirapuru e Amazonas.

Os poemas sinfônicos/bailados Uirapuru e Amazonas estão entre as obras mais representativas do paisagismo e indianismo modernistas de Villa-Lobos, cuja linguagem musical, nas palavras da curadora da exposição, a musicóloga Maria Alice Volpe, “Expressa a floresta amazônica, monumental e maravilhosa, como uma metáfora do Brasil.” Na exposição, o museu apresenta pela primeira vez um manuscrito autógrafo (escrito pelas mãos do próprio autor) do Uirapuru sincronizado à gravação da obra.

O Circuito Museus de Botafogo + Concerto, que terá como ponto de encontro e partida a Livraria Travessa de Botafogo (Rua Voluntários da Pátria, 97) e ingresso no valor simbólico de R$ 1, encerrará com um tour pelas instalações da Casa de Rui Barbosa. Interessados em participar podem garantir suas reservas pelo telefone (21) 97133-1822.

Museu Villa-Lobos adquire instrumento raro utilizado em obras do compositor

Instrumento utilizado por Villa-Lobos nos poemas sinfônicos/bailados Uirapuru e Amazonas será importante para a futura execução das obras como o compositor as concebeu.

Instrumento utilizado por Villa-Lobos nos poemas sinfônicos/bailados Uirapuru e Amazonas será importante para a futura execução das obras como o compositor as concebeu.

O Museu Villa-Lobos, no Rio de Janeiro (RJ), acaba de adquirir um violinofone, instrumento musical raro utilizado pelo compositor e maestro Heitor Villa-Lobos (1887-1959) em duas de suas obras magistrais.

Criado no início do século XX, o violinofone é uma espécie de violino acoplado a uma campana metálica, que amplifica o som em lugar da tradicional caixa de ressonância em madeira. O instrumento foi utilizado por Villa-Lobos nos poemas sinfônicos/bailados Uirapuru e Amazonas, que estão entre as obras mais representativas do paisagismo e indianismo modernistas do compositor.

Há raros exemplares desse instrumento em condições de uso. O exemplar adquirido pelo Museu Villa-Lobos veio de Ibitinga, no interior de São Paulo, proveniente de acervo particular: seu proprietário original era porteiro e tocava o violinofone numa jazz band na década de 1920.

O instrumento será importante para a futura execução das obras de Villa-Lobos tal e qual ele as concebeu. “Quando as orquestras programam o Uirapuru, não encontram um violinofone disponível. A aquisição do museu vai permitir que essa obra seja executada com todo o colorido imaginado pelo compositor”, explica a diretora do Museu Villa-Lobos, Cláudia Castro.

Em Uirapuru, a sonoridade singular do violinofone aparece, entre outros momentos, como o canto do pássaro encantado, cobiçado pelas índias da floresta silenciosa. São justamente os efeitos orquestrais surpreendentes de Villa-Lobos que fizeram o compositor francês Olivier Messiaen considerar o brasileiro como o maior orquestrador do século XX. Seu pensamento orquestral imaginativo tira partido de instrumentos inusitados como o violinofone e combinações ousadas para criar novos timbres, texturas e massas sonoras.

Exposição

Para celebrar a aquisição, o Museu Villa-Lobos inaugura no próximo dia 16 a exposição “Uirapuru – O Pássaro Encantado da Amazônia”, que fará parte da programação da 16ª Semana de Museus. A programação da abertura inclui contação de história da lenda do Uirapuru, na versão de Villa-Lobos, e palestra com a musicóloga Maria Alice Volpe (UFRJ).

No dia 17, o museu realiza solenidade que oficializará a aquisição do violinofone, com a participação da violinista Carla Rincon (Quarteto Guarnieri). No mesmo dia, será realizada edição especial do Circuito Museus + Concerto como parte da 16ª Semana de Museus. Acompanhe a programação.

Circuito Villa-Lobos terá segunda edição na próxima quarta-feira

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, passeio guiado leva visitantes aos pontos do Rio de Janeiro mais frequentados por Heitor Villa-Lobos.

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, passeio guiado leva moradores do Rio de Janeiro e visitantes aos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor Heitor Villa-Lobos.

O Circuito Villa-Lobos, iniciativa do Museu Villa-Lobos que leva moradores e visitantes do Rio de Janeiro a um passeio guiado pelos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor brasileiro, terá sua segunda edição na próxima quarta-feira (18).

O Theatro Municipal, a Confeitaria Colombo, a Associação Brasileira de imprensa, o Clube Ginástico-Português, o Palácio Gustavo Capanema e o edifício em que Heitor Villa-Lobos (1887-1959) viveu seus últimos anos integram roteiro. Nesta edição, o walking tour culminará com visita à Casa do Choro, instituição dedicada à preservação do gênero brasileiro que inspirou Villa-Lobos.

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, especializada em passeios a pé gratuitos que levam interessados a conhecer museus, igrejas, praças, monumentos e outros pontos de interesse histórico e cultural, apresentando suas histórias e curiosidades, o Circuito Villa-Lobos é aberto à participação de qualquer pessoa. A primeira edição, realizada no final de março, contou com 20 participantes, entre moradores do Rio de Janeiro e turistas com idades entre 12 e 82 anos.

O ponto de encontro para a saída do passeio é a escadaria do Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro. Interessados devem garantir sua reserva pelo telefone (21) 98091-2606.

Nova diretora do Museu Villa-Lobos toma posse, no Rio de Janeiro

posse villalobos 3Na quarta-feira (8), a nova diretora do Museu Villa- Lobos/Ibram, Claudia Nunes de Castro, tomou posse no cargo, após seleção em chamamento público organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Natural de Manaus (AM), Claudia é gestora cultural, musicista e educadora musical vinculada à Secretaria de Educação do Distrito Federal onde é Professora da Educação Básica. Cláudia já atuou na Sub-Secretaria de Economia Criativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal e também foi Coordenadora-Geral de Promoção e Difusão, Secretaria da Economia Criativa, no Ministério da Cultura. Em 2008, participou do Projeto de Intercâmbio Cultural: concerto no Museu de Arte Latinoamericana de Buenos Aires, na Argentina.

posse villalobos 6Na cerimônia, Cláudia Castro afirmou que fomentará a ação educativa do museu e buscará recursos e capacidades para disponibilizar digitalmente o acervo, além de estabelecer parcerias com outras instituições ligadas à música, visando ampliar o acesso ao universo de Villa-Lobos. Saiba mais sobre o Museu Villa- Lobos.

Fotos: divulgação Museu Villa-Lobos/Ibram

Nota de esclarecimento sobre seleção para diretor do Museu Villa-Lobos

Ibram_logo_baixaSobre questões levantadas no artigo Falando de música – misérias cariocas, escrito por Leandro Oliveira e publicado no blog Estado da Arte/Cultura Estadão, no dia 2 de março de 2017, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) vem a público esclarecer que:

1. Criado em 2009, o Ibram iniciou, a partir de 2011, a seleção de dirigentes para os museus federais que compõem sua rede por meio de editais públicos. O modelo, democrático e transparente, garante ampla concorrência aos profissionais da área interessados e capacitados para os respectivos cargos;

2. Com uma rede formada por 30 unidades museológicas, sete museus já tiveram novos gestores selecionados via editais públicos – todas as etapas dos processos estão disponíveis na página do Ibram;

3. O mais recente dos processos de seleção finalizados refere-se ao Museu Villa-Lobos/Ibram, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), que teve início em meados de 2016 e cujo resultado final foi publicado em fevereiro de 2017;

4. O referido edital de seleção, assim como os anteriores já realizados, não traz a obrigatoriedade da apresentação de currículos de candidatos no modelo Lattes. O currículo apresentado pela candidata citada no artigo guarda estrita coerência com os documentos comprobatórios apresentados;

5. A escolha dos nomes para compor a comissão de seleção avaliadora de candidatos à direção do Museu Villa-Lobos pautou-se pela relevância profissional, conhecimento do setor museal e perfis diferenciados para uma avaliação mais equânime. A comissão de três integrantes foi formada pelos diretores do Museu de Arte Contemporânea da USP e Museus Castro Maya e um representante do corpo diretivo do Ibram;

6. Um dos principais pontos de análise pela comissão de seleção é o Plano de Trabalho elaborado pelos candidatos, exigido no edital, que necessariamente deve prezar pela sua estrutura, coerência e viabilidade de execução – além da aderência à Política Nacional de Museus. No caso do Museu Villa-Lobos, a análise dos Planos de Trabalho foi fator preponderante na classificação final dos candidatos;

7. Cópia da dissertação da candidata Cláudia Nunes Castro, intitulada An analysis and performance practices of Jacques Ibert’s Flute Concerto: Second movement, citada no texto encontra-se depositada no Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), na sede do Ibram em Brasília, e disponível para consulta pública;

8. A comprovação de cumprimento de mestrado profissional em Administração das Artes da referida candidata, assim como os demais documentos comprovatórios, encontra-se no processo administrativo relativo à seleção de dirigente para o Museu Villa-Lobos/Ibram, estando à disposição para consulta dos interessados.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

130 anos do nascimento de Villa-Lobos é comemorado com música no museu

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro, realiza no domingo (5), dia do nascimento de Heitor Villa-Lobos e também Dia Nacional da Música Clássica, uma série de concertos em memória de seu patrono. A programação tem início às 14h e o ingresso custa R$2,00. O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, no bairro de Botafogo.

Villa-Lobos e sua esposa Arminda

Villa-Lobos e sua esposa Arminda em 1957 – dois anos antes de seu falecimento

Fazem parte da programação dois grupos – Orquestra Popular Tuhu e Orquestra Villa-Lobos e as Crianças – oriundos de um projeto social de educação musical nascido no Museu e apoiado pela instituição, além do Quinteto Villa-Lobos e o Quarteto Radamés Gnattali – dois dos mais importantes conjuntos de música de câmara brasileiros.

No encerramento, a soprano norte-americana radicada no Brasil Carol McDavit, acompanhada pelo pianista Flávio Augusto, apresenta um recital Villa-Lobos que servirá de abertura para o lançamento do seu livro Vozes das Américas – Encontro das culturas europeia, africana e indígena nas canções de câmara de Heitor Villa-Lobos e Aaron Copland.

Heitor Villa-Lobos
Considerado, ainda em vida, o maior compositor das Américas, Heitor Villa-Lobos compôs cerca de 1 mil obras e sua importância reside, entre outros aspectos, no fato de ter reformulado o conceito brasileiro de nacionalismo musical, tornando-se seu maior expoente.

Foi também, através de Villa-Lobos, que a música brasileira se fez representar em outros países, culminando por se universalizar. Villa-Lobos nasceu em 5 de março de 1887 e faleceu em 1959, aos 72 anos. Saiba mais na página do Museu Villa-Lobos.

Texto: Ascom Museu Villa-Lobos
Edição: Ascom Ibram

Página 1 de 3123