Página 1 de 212

Circuito Villa-Lobos terá segunda edição na próxima quarta-feira

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, passeio guiado leva visitantes aos pontos do Rio de Janeiro mais frequentados por Heitor Villa-Lobos.

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, passeio guiado leva moradores do Rio de Janeiro e visitantes aos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor Heitor Villa-Lobos.

O Circuito Villa-Lobos, iniciativa do Museu Villa-Lobos que leva moradores e visitantes do Rio de Janeiro a um passeio guiado pelos pontos da cidade mais frequentados pelo maestro e compositor brasileiro, terá sua segunda edição na próxima quarta-feira (18).

O Theatro Municipal, a Confeitaria Colombo, a Associação Brasileira de imprensa, o Clube Ginástico-Português, o Palácio Gustavo Capanema e o edifício em que Heitor Villa-Lobos (1887-1959) viveu seus últimos anos integram roteiro. Nesta edição, o walking tour culminará com visita à Casa do Choro, instituição dedicada à preservação do gênero brasileiro que inspirou Villa-Lobos.

Realizado em parceria com a iniciativa Revelando o Brasil, especializada em passeios a pé gratuitos que levam interessados a conhecer museus, igrejas, praças, monumentos e outros pontos de interesse histórico e cultural, apresentando suas histórias e curiosidades, o Circuito Villa-Lobos é aberto à participação de qualquer pessoa. A primeira edição, realizada no final de março, contou com 20 participantes, entre moradores do Rio de Janeiro e turistas com idades entre 12 e 82 anos.

O ponto de encontro para a saída do passeio é a escadaria do Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro. Interessados devem garantir sua reserva pelo telefone (21) 98091-2606.

Nova diretora do Museu Villa-Lobos toma posse, no Rio de Janeiro

posse villalobos 3Na quarta-feira (8), a nova diretora do Museu Villa- Lobos/Ibram, Claudia Nunes de Castro, tomou posse no cargo, após seleção em chamamento público organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Natural de Manaus (AM), Claudia é gestora cultural, musicista e educadora musical vinculada à Secretaria de Educação do Distrito Federal onde é Professora da Educação Básica. Cláudia já atuou na Sub-Secretaria de Economia Criativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal e também foi Coordenadora-Geral de Promoção e Difusão, Secretaria da Economia Criativa, no Ministério da Cultura. Em 2008, participou do Projeto de Intercâmbio Cultural: concerto no Museu de Arte Latinoamericana de Buenos Aires, na Argentina.

posse villalobos 6Na cerimônia, Cláudia Castro afirmou que fomentará a ação educativa do museu e buscará recursos e capacidades para disponibilizar digitalmente o acervo, além de estabelecer parcerias com outras instituições ligadas à música, visando ampliar o acesso ao universo de Villa-Lobos. Saiba mais sobre o Museu Villa- Lobos.

Fotos: divulgação Museu Villa-Lobos/Ibram

Nota de esclarecimento sobre seleção para diretor do Museu Villa-Lobos

Ibram_logo_baixaSobre questões levantadas no artigo Falando de música – misérias cariocas, escrito por Leandro Oliveira e publicado no blog Estado da Arte/Cultura Estadão, no dia 2 de março de 2017, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) vem a público esclarecer que:

1. Criado em 2009, o Ibram iniciou, a partir de 2011, a seleção de dirigentes para os museus federais que compõem sua rede por meio de editais públicos. O modelo, democrático e transparente, garante ampla concorrência aos profissionais da área interessados e capacitados para os respectivos cargos;

2. Com uma rede formada por 30 unidades museológicas, sete museus já tiveram novos gestores selecionados via editais públicos – todas as etapas dos processos estão disponíveis na página do Ibram;

3. O mais recente dos processos de seleção finalizados refere-se ao Museu Villa-Lobos/Ibram, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), que teve início em meados de 2016 e cujo resultado final foi publicado em fevereiro de 2017;

4. O referido edital de seleção, assim como os anteriores já realizados, não traz a obrigatoriedade da apresentação de currículos de candidatos no modelo Lattes. O currículo apresentado pela candidata citada no artigo guarda estrita coerência com os documentos comprobatórios apresentados;

5. A escolha dos nomes para compor a comissão de seleção avaliadora de candidatos à direção do Museu Villa-Lobos pautou-se pela relevância profissional, conhecimento do setor museal e perfis diferenciados para uma avaliação mais equânime. A comissão de três integrantes foi formada pelos diretores do Museu de Arte Contemporânea da USP e Museus Castro Maya e um representante do corpo diretivo do Ibram;

6. Um dos principais pontos de análise pela comissão de seleção é o Plano de Trabalho elaborado pelos candidatos, exigido no edital, que necessariamente deve prezar pela sua estrutura, coerência e viabilidade de execução – além da aderência à Política Nacional de Museus. No caso do Museu Villa-Lobos, a análise dos Planos de Trabalho foi fator preponderante na classificação final dos candidatos;

7. Cópia da dissertação da candidata Cláudia Nunes Castro, intitulada An analysis and performance practices of Jacques Ibert’s Flute Concerto: Second movement, citada no texto encontra-se depositada no Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), na sede do Ibram em Brasília, e disponível para consulta pública;

8. A comprovação de cumprimento de mestrado profissional em Administração das Artes da referida candidata, assim como os demais documentos comprovatórios, encontra-se no processo administrativo relativo à seleção de dirigente para o Museu Villa-Lobos/Ibram, estando à disposição para consulta dos interessados.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

130 anos do nascimento de Villa-Lobos é comemorado com música no museu

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro, realiza no domingo (5), dia do nascimento de Heitor Villa-Lobos e também Dia Nacional da Música Clássica, uma série de concertos em memória de seu patrono. A programação tem início às 14h e o ingresso custa R$2,00. O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, no bairro de Botafogo.

Villa-Lobos e sua esposa Arminda

Villa-Lobos e sua esposa Arminda em 1957 – dois anos antes de seu falecimento

Fazem parte da programação dois grupos – Orquestra Popular Tuhu e Orquestra Villa-Lobos e as Crianças – oriundos de um projeto social de educação musical nascido no Museu e apoiado pela instituição, além do Quinteto Villa-Lobos e o Quarteto Radamés Gnattali – dois dos mais importantes conjuntos de música de câmara brasileiros.

No encerramento, a soprano norte-americana radicada no Brasil Carol McDavit, acompanhada pelo pianista Flávio Augusto, apresenta um recital Villa-Lobos que servirá de abertura para o lançamento do seu livro Vozes das Américas – Encontro das culturas europeia, africana e indígena nas canções de câmara de Heitor Villa-Lobos e Aaron Copland.

Heitor Villa-Lobos
Considerado, ainda em vida, o maior compositor das Américas, Heitor Villa-Lobos compôs cerca de 1 mil obras e sua importância reside, entre outros aspectos, no fato de ter reformulado o conceito brasileiro de nacionalismo musical, tornando-se seu maior expoente.

Foi também, através de Villa-Lobos, que a música brasileira se fez representar em outros países, culminando por se universalizar. Villa-Lobos nasceu em 5 de março de 1887 e faleceu em 1959, aos 72 anos. Saiba mais na página do Museu Villa-Lobos.

Texto: Ascom Museu Villa-Lobos
Edição: Ascom Ibram

Festival Villa-Lobos começa nesta sexta-feira (4)

villa lobosComeça nesta sexta-feira (4), o 54º Festival Villa-Lobos, maior e mais longevo evento de música brasileira no Brasil.

Idealizado pela viúva do músico, Arminda “Mindinha” Villa-Lobos, este ano o Festival, que faz parte da programação anual do Museu Villa-Lobos/Ibram, terá como seu principal homenageado Egberto Gismonti, constituindo-se na abertura oficial das comemorações dos 70 anos do instrumentista e compositor, que serão completados em 2017.

Outras importantes efemérides serão celebradas este ano, como o sesquicentenário de Anacleto de Medeiros, os centenários de nascimento de Dilermando Reis e do mais representativo gênero musical brasileiro – o Samba -, além dos 90 de nascimento de Moacir Santos, que nos deixou há exatos 10 anos.

O Festival vai até o dia 15 de novembro, com atividades em diversos espaços da cidade do Rio de Janeiro. Confira a programação na página do evento.

Documentos do Museu Villa-Lobos são reconhecidos patrimônio pela Unesco

villa-lobos.gif-300x272Na última quarta-feira (14), foi publicada portaria do Ministério da Cultura que reconhece a inscrição dasPartituras – Obras de Heitor Villa-Lobos (1901-1959), apresentadas pelo Museu Villa-Lobos / IBRAM, no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Além das partituras, a Iconografia do Rio de Janeiro na Coleção Geyer (séculos XVI a XIX), apresentada pela Casa Geyer (Museu Imperial/Ibram) e outros documentos históricos foram selecionados. A lista com os 10 nominados, inscritos no edital de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União.

Criado em 1992, o Programa Memória do Mundo é uma iniciativa da Unesco e reconhece documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional. Entre os objetivos da iniciativa estão os de preservar e difundir esse acervo e impedir que o patrimônio da humanidade seja esquecido.

O museu

O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, em Botafogo, no Rio de Janeiro, e fica aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Instalado em um casarão tombado do século XIX, o museu reúne objetos e documentos referentes à vida e à obra do compositor e maestro Heitor Villa-Lobos. O acervo tem mais de 53 mil itens, entre partituras (manuscritas e impressas), correspondências, recortes de jornais, discos, filmes, livros, condecorações, instrumentos musicais e objetos de uso pessoal.

Música: Museu Villa-Lobos comemora aniversário do compositor em março

Museu Villa-Lobos (RJ)

O Museu Villa-Lobos fica na Zona Sul carioca

O Museu Villa Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ) preparou uma programação musical especial para celebrar o aniversário do maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959), nascido em 5 de março.

Como parte das comemorações, o museu recebe na quarta-feira (11), a partir das 14h30, miniconcerto da Orquestra Filarmônica do Projeto Villa-Lobos e as Crianças – que desde 2008 desenvolve trabalho destinado a profissionalizar jovens talentos de comunidades no Rio de Janeiro.

No dia 18, no mesmo horário, é a vez de a Orquestra Popular Tuhu, que leva em seu nome o apelido de Villa-Lobos, apresentar sua música inspirada em mestres como Pixinguinha, Ataulfo Alves e Noel Rosa.

Fugindo ao formato tradicional, a orquestra é composta por flautas, clarinetas, saxofones, trompete, trombone, baixo, violão, cavaquinho e percussão.

Fechando a programação, a Orquestra de Cordas do Projeto Villa-Lobos e as Crianças se apresenta no dia 25, também às 14h30. Sob a regência do maestro Sérgio Barboza, a orquestra apresenta repertório que inclui peças da música barroca, clássica, romântica e contemporânea, além da música de Heitor Villa-Lobos.

Todas as apresentações terão entrada franca. O Museu Villa-Lobos está situado na Rua Sorocaba, 200 (Botafogo), no cidade do Rio. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Música: Festival Villa-Lobos começa sexta (8) no Rio de Janeiro

Um dos maiores e mais tradicionais festivais de música brasileira realizados no país, o Festival Villa-Lobos abre sua 51ª edição na  sexta-feira (8). Promovido pelo Museu Villa-Lobos, vinculado ao Ibram/MinC, o evento terá mais de 50 atrações, entre shows e concertos. Serão 17 dias dedicados à música produzida no Brasil, com entrada franca ou a preços populares.

Festival acontece durante 17 dias em vários espaços culturais do Rio de Janeiro

Festival acontece durante 17 dias em vários espaços culturais do Rio de Janeiro

Nesta edição, o grande homenageado é o pianista e compositor Ernesto Nazareth (1863-1934), cujo aniversário de 150 anos de nascimento é celebrado em 2013. Autor de composições como Odeon, Apanhei-te cavaquinho e Brejeiro, entre mais de 200 temas, o músico terá seu legado musical celebrado numa ampla programação que traz diversas formações, estilos e gerações em dez espaços do Rio de Janeiro.

O festival reverencia também nesta edição Turíbio Santos e Dori Caymmi (70 anos), David Chew (60 anos), Edino Krieger (85 anos) e, postumamente, Dominguinhos (1941-2013), Mario Tavares (1928-2003), Almeida Prado (1943-2010), Alceo Bocchino (1918-2013), Radamés Gnattali (1906-1988) e Dorival Caymmi (1914-2008). O compositor baiano ganhará tributo dos filhos Dori, Nana e Danilo, no Theatro Municipal, que acontece dia 10, antecipando as comemorações pelo seu centenário de nascimento, em 2014.

“É a grande celebração da música brasileira de todas as épocas”, resume o maestro Wagner Tiso, diretor do Museu Villa-Lobos. Confira a programação completa do festival.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Festival Villa-Lobos

JMJ 2013: Museu Villa-Lobos inagura mostra em homenagem a Aleijadinho

Um dos estudos de Ismailovitch para o quadro Ceia

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), inaugura na segunda-feira (22), às 19h, uma exposição concebida especialmente para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

A Ceia brasileira de Ismailovitch – homenagem ao Aleijadinho, com curadoria de Eduardo Cavalcanti, reúne três pinturas e 14 estudos preparatórios do pintor Dimitri Ismailovitch (1890-1976) para o quadro Ceia – Homenagem ao Aleijadinho (1945), considerada a obra-prima do artista russo-brasileiro, que tornou-se admirador da obra de Aleijadinho após uma visita a Ouro Preto (MG).

A abertura contará com recital de obras de Villa-Lobos executadas pelo pianista Wagner Tiso, também diretor do museu, e pelo violoncelista Marcio Malard, que se apresentará com o violoncelo utilizado pelo próprio Villa-Lobos. A entrada é franca. A exposição poderá ser visitada até 30 de setembro. Saiba como chegar ao museu.

O Artista
Ismailovitch chegou ao Rio de Janeiro em 1927, onde fez exposição individual na embaixada norte-americana. No Rio ele conheceu Graça Aranha, escritor modernista que o introduziu no meio artístico e intelectual.

O pintor em autorretrato realizado em 1939

Ainda na então capital da república, o artista participou do Salão Revolucionário de 1931, da Escola Nacional de Belas Artes, tendo participado, nos anos seguintes, por diversas vezes, do Salăo Nacional de Belas Artes, no Rio.

Naturalizou-se brasileiro em 1937. A convite de Villa-Lobos participou, com Di Cavalcanti e a pintora Maria Margarida Soutello, da ornamentação do bloco carnavalesco Sôdade do Cordão em 1940.

Segundo críticos, dentre as várias influências de Ismailovitch podem ser citadas a iconografia russa, a arte bizantina e persa, o cubismo, o art deco, as xilogravuras japonesas, a arte mexicana e marajoara.

Notabilizou-se como retratista, embora tenha se dedicado à paisagem, à natureza morta, a arte sacra, aos estudos antropológicos, a documentação da flora e a abstração.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação

 

Jornada Mundial da Juventude: arte e religiosidade ocupam museus Ibram

A cidade do Rio de Janeiro se prepara para receber a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), maior evento jovem da igreja católica. A JMJ acontece de 23 a 28 de julho e contará com a presença do Papa Francisco. A expectativa é que o evento receba mais de dois milhões de jovens de todo o mundo. No contexto, três museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) realizam exposições que aproximam arte e religiosidade. Integrando a programação oficial da jornada, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) recebe a mostra A herança do sagrado. A exposição será aberta ao público no dia 10 de julho e fica em cartaz até o  dia 13 de outubro. Durante todo o período da exposição, o museu abrirá em horário diferenciado – de terça a domingo, das 9h às 21h – e terá entrada gratuita. Serão exibidas mais de 100 obras entre pinturas, esculturas, manuscritos e outras peças de arte sacra. Entre elas estão quadros de Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Caravaggio, Pinturicchio, Perugino, Sassoferrato, Bernini, Correggio, Annibale Carracci, Guido Reni e Beato Angelico.

Oratórios pertecem ao acervo de museu mineiro dedicado ao tema

Barroco brasileiro Durante a JMJ, o MNBA também recebe a exposição Oratórios: relíquias do Barroco Brasileiro. O visitante poderá apreciar cerca de 115 oratórios, objetos e imagens sacras dos séculos XVII ao XX, pertencentes ao acervo do Museu do Oratório, instalado em Ouro Preto (MG), desde 1998. A mostra será inaugurada dia 16 de julho e fica em cartaz até o dia 18 de agosto. Os oratórios falam de usos, costumes e tradições; evocam hábitos e características do ciclo do ouro e dos diamantes; narram o processo de contribuições afro-luso-ameríndias que se fundem na formação cultural brasileira. A história da arte e da arquitetura se revela no conjunto dos oratórios, por meio da influência barroca, rococó e neoclássica. Até o final de 2013, a exposição itinerante chegará a outras cidades brasileiras. Visite a página do Museu Nacional de Belas Artes para mais informações. Tesouros do MHN Outra exposição relacionada ao tema religioso e que já está em cartaz no Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram) é A Arte à Serviço da Fé – Tesouros do Museu Histórico Nacional. Ela fica em cartaz até o dia 18 de agosto. Nos dias 25 e 26 de julho, das 14h às 18h, terá entrada gratuita. A mostra reúne cerca de 600 peças de sua expressiva coleção de arte sacra, entre as quais pinturas, esculturas em madeira e marfim, oratórios, e objetos da Capela Imperial. Abrem a exposição três esculturas em marfim  de origem luso-oriental e indo-portuguesa, do século XVII e XVIII. Elas fazem parte de uma coleção única no gênero no mundo, não apenas pela quantidade de peças (572 exemplares) como pela qualidade, da qual o público terá a oportunidade de conhecer inúmeros exemplares na exposição.

Visita à exposição no MHN será gratuita nos dias 25 e 26 de julho

Significativas também são as pinturas sobre madeira, realizadas na Bahia do século XVIII,  que  fazem parte de um conjunto de seis painéis utilizados nas procissões dos Passos da Paixão de Cristo, na época da Quaresma. Ao lado das pinturas baianas, um importante conjunto de esculturas policromadas e outro de oratórios do período colonial. Da Capela Imperial do Paço de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, os visitantes poderão apreciar o frontão do altar em madeira policromada, um conjunto de  toucheiros, cálice, custódia e sacras em prata. Saiba mais na página do Museu Histórico Nacional. Homenagem a Aleijadinho O Museu Villa-Lobos/Ibram também recebe uma exposição concebida especialmente para a Jornada Mundial da Juventude.  A Ceia Brasileira de Ismailovitch – Homenagem ao Aleijadinho reúne três pinturas e 14 estudos  preparatórios para esta que é considerada uma obra-prima do artista russo-brasileiro. A exposição reúne uma pintura do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas do Campo (MG), um autorretrato, fotos e uma trilha sonora de Villa-Lobos, especialmente elaborada pela equipe do Museu Villa-Lobos, além de textos de Antônio Bento e Carlos Drummond de Andrade. Faça uma visita virtual a exposição. A abertura da mostra será no dia 22 de julho, às 19h, com a participação especial do Duo Márcio Mallard (Violoncelo) e Wagner Tiso (Piano) – diretor do museu. No recital, o violoncelo que pertenceu a Villa-Lobos, recentemente restaurado, será utilizado e serão executadas obras do compositor. A mostra fica em cartaz para o público de 23 de julho a 30 de setembro. Conheça a página  do Museu Villa-Lobos. Texto: Ascom/Ibram Fotos: Divulgação MNBA, MHN/Ibram Última atualização: 30.7.2013

Página 1 de 212