Página 1 de 612345...Última »

Revista eletrônica Ventilando Acervos abre chamada para trabalhos

Em seu sétimo volume, a revista eletrônica Ventilando Acervos, publicada anualmente pelo Museu Victor Meirelles/Ibram, está com chamada de trabalhos inéditos com prazo de envio até o dia 30 de setembro de 2019. Serão aceitos artigos, resenhas, entrevistas ou relatos de experiência redigidos por pesquisadores e profissionais de museus brasileiros e do exterior sobre a área da gestão de acervos em museus. Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail reva@museus.gov.br.

Grupo de Estudos Política de AcervosMVM

A revista, idealizada pelo Grupo de Estudos Política de Acervos, teve início em 2011 pela equipe do MVM.
O grupo, além de buscar a realização de publicações e de eventos para aumentar a rede de estudantes e profissionais participantes que atuam nos museus, tem como objetivo trocar conhecimentos e experiências quanto à aquisição, à gestão e ao descarte de acervos.
Informações sobre as normas de publicação e edições anteriores da revista podem ser obtidas aqui.

Obras de restauração e ampliação do Museu Victor Meirelles serão entregues no sábado (25)

Museu Victor Meirelles reinauguradoApós três anos, o Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram) receberá, neste sábado (25), o prédio que abriga a sua sede histórica. A casa onde o artista nasceu passou por obras de restauração e ampliação realizadas com os recursos do PAC Cidades Históricas, do Governo Federal.

Executado com um investimento de R$ 4,82 milhões, o projeto integrou os dois edifícios – o antigo sobrado luso-brasileiro, do final do século XVIII, que abriga o Museu Victor Meirelles desde 1952, e o edifício adjacente, da década de 60, cedido pelo governo do Estado de Santa Catarina, ampliando a área do MVM de 400,00 m² para 740,00 m².

O Museu recebeu um elevador que atenderá simultaneamente os dois edifícios, configurando-se como forte elemento de ligação entre as diferentes arquiteturas. O ambiente interno agora dispõe de um auditório, uma grande ala de exposições temporárias, além de salas para oficinas de arte diversas. Foi incluído um espaço de convivência social, que servirá para contribuir com a manutenção e sustentabilidade do museu.

Além disso, o MVM passou por melhorias gerais, como climatização, nova iluminação, implantação de condições de acessibilidade e segurança. Durante as obras, que contaram com participação da Prefeitura Municipal e do Governo de Santa Catarina, o Museu Victor Meirelles permitiu ao público conhecer mais sobre a restauração e também sobre o trabalho de arqueologia conduzido no local.

A cerimônia que será promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) contará com a presença do ministro da Cidadania, Osmar Terra, do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida, da superintendente do Iphan-SC, Liliane Nizzola, do presidente do Ibram, Paulo Amaral, e da diretora do Museu Victor Meirelles, Lourdes Rossetto, entre outras autoridades locais.

Desde o início das obras, o Museu está funcionando em uma sede provisória e com a entrega do prédio histórico, o MVM iniciará a as etapas de aquisição de mobiliário, projetos complementares e de transferência do acervo, com transferência definitiva das suas atividades para o segundo semestre de 2019.

No momento, o Museu está com a exposição “A Casa da Porta Verde”, com concepção e curadoria realizada de forma coletiva pelos servidores do museu, que será a última realizada na sede provisória (Rua Rafael Bandeira, nº 41, no Centro – Florianópolis/SC). Na última quinta-feira (16), o museu disponibilizou todo o seu acervo museológico numa plataforma online, possibilitando o acesso a 235 obras do Museu pela internet.

Texto: Ascom Iphan
Edição: Ascom Ibram

Museu do Diamante e Museu Victor Meirelles disponibilizam seus acervos na web, com a plataforma Tainacan

Dois museus da rede Ibram disponibilizam online, a partir do hoje, seus acervos museológicos na plataforma Tainacan, são eles o Museu do Diamante, em Minas Gerais, e o Museu Victor Meirelles, em Santa Catarina.

Do acervo do Museu do Diamante, estão disponíveis 130 objetos. São obras relacionadas à exploração do diamante, arte sacra, mobiliário, instrumentos musicais, dentre outras, que refletem a temática do Museu e estão, em sua maioria, no circuito expositivo.

Tainacan-MuseudodiamanteO Museu do Diamante possui 1.677 peças catalogadas e 806 fotografias de ruas, casas, monumentos, de personalidades de Diamantina e sobre mineração e garimpo na região, totalizando 2.485 bens culturais. Muitos objetos estão em reserva técnica e em processo de pesquisa de procedência. A medida que estas pesquisas obtiverem mais informações, novas peças serão incluídas na plataforma.

Em 2018, o Museu do Diamante contratou serviços especializados para o registro fotográfico do seu acervo, para a criação de um banco de imagens em alta resolução. Essa ação foi fundamental para que a disponibilização do acervo através do Tainacan tivesse maior êxito.

No final daquele mesmo ano, o Museu realizou uma parceria com o Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Escola de Belas Artes da UFMG, que viabilizou a higienização de uma parte expressiva de objetos do acervo. Essa ação possibilitou que os objetos estivessem em melhor estado de conservação para registro das imagens.

A administradora, Juliane Nicolle Câmara, que coordenou a implantação da plataforma Tainacan no Museu do Diamante, comentou que a expectativa da equipe é promover uma maior fruição entre o público e a instituição, e que isso mobilize os visitantes para conhecer o Museu de perto.

Museu Victor Meirelles

O Museu Victor Meirelles (MVM) disponibilizou todo o seu acervo museológico, totalizando 235 itens, que estão divididos em duas coleções: a Coleção Victor Meirelles e a Coleção XX e XXI.

Tainacan-MuseuVictormeirellesO Museu já possuía imagens com boa resolução de grande parte do acervo, capturadas em outros momentos, seja por contratação de empresa terceirizada, seja realizadas pela própria equipe do Museu. Recentemente o Museu Victor Meirelles adquiriu uma câmera fotográfica profissional e, com ela, foram captadas as fotografias das novas aquisições.

Para o museólogo do MVM, Rafael Muniz de Moura, a ferramenta tem uma ótima interface de pesquisa e um uso administrativo prático e intuitivo, o que vai facilitar o acesso à informação sobre o patrimônio preservado pelo Museu e atende à necessidade de publicização da documentação relativa ao seu acervo museológico.

Museu Victor Meirelles participa da 17ª SNM com oficina de stop-motion

Victor Meirelles_expoDentro da programação da 17ª Semana Nacional de Museus, o Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram) oferecerá duas mediações especiais para crianças e turmas escolares e oficina de roteiro e stop-motion direcionada a membros do Centro de Atenção Psicossocial de Florianópolis.

Tanto a mediação especial “Tradições Artísticas na Arte Brasileira do Século XIX: O artista Victor Meirelles” como a “Histórias do Victor” exigem inscrição prévia pelo e-mail mvm.educativo@museus.gov.br e acontecem na exposição em cartaz “A Casa da Porta Verde”, que conta a trajetória do pintor Victor Meirelles, sua relação com Florianópolis e a casa onde residiu.

A primeira, direcionada a turmas escolares durante o horário de funcionamento do Museu, apresentará a história do artista e suas influências, como o Neoclassicismo e o Romantismo. Já a mediação especial “Histórias do Victor” tem foco em crianças entre sete e nove anos de idade e ocorre no dia 15 de maio, quarta-feira. As pinturas do artista serão trabalhadas de forma lúdica e teatral, com contação de histórias.

Por fim, a oficina de Roteiro e Stop-Motion receberá frequentadores do Centro de Atenção Psicossocial de Florianópolis na tarde de 16 de maio, quinta-feira, com o objetivo de criar um roteiro a partir de ideias coletivas dos participantes, considerando-se questões técnicas como iluminação e posição de câmera.

O Museu Victor Meirelles está funcionando provisoriamente na Rua Rafael Bandeira, nº 41, no Centro de entro – Florianópolis (SC). Mais informações em http://museuvictormeirelles.museus.gov.br/

Foto: Exposição “A Casa da Porta Verde”, por Cláudia Klock
Texto: Ascom MVM
Edição: Ascom Ibram

Exposição no Museu Victor Meirelles celebra retorno à casa do pintor

Vista parcial da cidade de Nossa Senhora do Desterro - atual Florianópolis, por Victor Meirelles. Óleo sobre tela, circa 1851. Reprodução: Ana Viegas.

Vista parcial da cidade de Nossa Senhora do Desterro – atual Florianópolis, por Victor Meirelles. Óleo sobre tela, circa 1851. Reprodução: Ana Viegas.

O Museu Victor Meirelles/Ibram abre na próxima quarta-feira (24), às 19h, a exposição “A Casa da Porta Verde”. A mostra celebra o retorno do museu a sua sede histórica, na Rua Victor Meirelles, em Florianópolis (SC), após a edificação ter passado por obras de restauração e ampliação que duraram três anos.

A exposição, com concepção e curadoria realizada de forma coletiva pelos servidores do museu, será a última realizada na sede provisória em que a instituição funciona desde o início das obras, situada na Rua Rafael Bandeira, 41. O retorno à sede original, na casa em que nasceu o pintor, desenhista e professor Victor Meirelles (1832-1903) está previsto para o início do segundo semestre.

O título dado à exposição, A Casa da Porta Verde, faz referência ao destaque que a antiga casa de Victor Meirelles, sobrado histórico que é típico exemplar do estilo luso-brasileiro, imprime à paisagem urbana daquele pedaço do centro de Florianópolis, se sobressaindo das demais construções não só por sua forma e estilo construtivo, mas também pelas janelas do segundo andar e as belas portas verdes que circundam todo o pavimento térreo.

Iniciando com a trajetória do pintor, seus estudos e retratos, e também com os trabalhos de seus mestres, a sequência da mostra chega às pinturas históricas buscando propor uma ligação destas com a própria casa enquanto patrimônio histórico nacional, tombado pelo Iphan em 1950.

Na sequência, o passado e o futuro da casa onde nasceu Victor Meirelles conduzem o visitante a apreciar os trabalhos que foram inspirados na então cidade do Desterro, atual Florianópolis. É o caso das “vistas” que remetem às atuais Praça XV de Novembro e Rua Trajano, esta última tela pintada a partir do adro da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

De volta ao tempo presente, o convite passa a ser olhar para o passado. O passado da cidade, da casa e, enfim, a restauração e a ampliação do museu. Para isso, na segunda sala da exposição, uma coleção de fotos se sucede na tela ilustrando a cronologia das obras iniciadas em abril de 2016 e toda a transformação por que passou o imóvel até se unir ao prédio de três andares, construído na década de 1960 ao lado da casa histórica.

Além das fotos, será exposta também neste nicho uma coleção de artefatos encontrados na área do museu durante o trabalho de escavação arqueológica realizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Santa Catarina, responsável pela obra, por ocasião do restauro. A obra de restauração e ampliação do Museu Victor Meirelles foi realizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Cidades Históricas, do governo federal.

A exposição “A Casa da Porta Verde” fica na sede provisória do Museu Victor Meirelles até 10 de agosto e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 14h. A entrada é gratuita.

Texto: Ascom Museu Victor Meirelles
Edição: Ascom Ibram

Reunião em Florianópolis define detalhes para reabertura do Museu Victor Meirelles

 Obra abarca restauração do sobrado luso-brasileiro do séc. XVIII onde nasceu o pintor Victor Meirelles, além da ampliação de seu prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado.


Obra abarca restauração do sobrado luso-brasileiro do séc. XVIII onde nasceu o pintor Victor Meirelles, além da ampliação de prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado.

A presidente substituta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Eneida Braga Rocha de Lemos, e o responsável pela Diretoria de Planejamento e Gestão Interna (DPGI) do órgão, Denio Menezes da Silva, estiveram em Florianópolis (SC) na última quarta-feira (13) para tratativas sobre a entrega da obra de revitalização e ampliação do Museu Victor Meirelles.

Vinculado à rede Ibram, o museu está fechado ao público desde abril de 2016. A intervenção física abarca a restauração do sobrado luso-brasileiro onde nasceu o pintor Victor Meirelles (1832-1903), construído no final do séc. XVIII – que foi tombado em 1950 e é sede do museu desde 1952 – além da ampliação de seu prédio anexo, que terá seu espaço readequado e requalificado. A obra é realizada com recursos do PAC – Cidades Históricas sob a responsabilidade do Iphan-SC.

Pela manhã, a presidente substituta do Ibram participou de reunião na Prefeitura Municipal de Florianópolis a respeito de melhorias urbanísticas no entorno do museu. O encontro contou com a presença da superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Santa Catarina, Liliane Janine Nizzola; da chefe da Divisão Técnica do Iphan, Regina Helena Meirelles Santiago; do diretor de planejamento do Instituto de Planejamento Urbano (IPUF), Michel Mittmann; da diretora do Museu Victor Meirelles, Lourdes Rossetto; da Técnica em Assuntos Culturais Rita Coitinho, servidora do museu; e do arquiteto responsável pela obra, Luiz Edgard Vieira Pereira.

Em seguida, os representantes do Ibram participaram de visita técnica à obra (foto). À tarde, houve encontro na sede provisória da instituição, com a presença de integrantes da Associação dos Amigos do Museu, para apresentação das mudanças pelas quais o prédio passou e planejamento dos próximos passos que garantirão a reabertura do museu.

Após a agenda, ficou confirmada a previsão de conclusão da obra para o próximo mês de abril. A reabertura do museu ao público está programada para o segundo semestre, após execução de novo projeto de mobiliário.

A obra

A obra em curso prevê a integração entre dois edifícios – o antigo sobrado luso-brasileiro, do final do século XVIII, que abriga o Museu Victor Meirelles, e o edifício adjacente, da década de 60, ampliando a área do museu de 400 para 740 metros quadrados. O museu ganhará novas salas de exposição, auditório, salas de atividades diversas, recepção, cafeteria e biblioteca, entre outros.

O espaço receberá um elevador que atenderá simultaneamente aos dois edifícios, configurando-se como elemento de ligação entre as diferentes arquiteturas. A intervenção também vai promover, na sequência, a plena acessibilidade a todos os espaços do museu e a harmonização com seu entorno, como parte de qualificação da região a finalidades turísticas e culturais.

Museu Victor Meirelles abre chamada para publicação na Revista Ventilando Acervos

Revista eletrônica com periodicidade anual, publicada pelo Museu Victor Meirelles, a Ventilando Acervos reúne e socializa práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus.

Revista eletrônica com periodicidade anual, publicada pelo Museu Victor Meirelles, a Ventilando Acervos reúne e socializa práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus.

A Revista Eletrônica Ventilando Acervos convida pesquisadores e profissionais de museus brasileiros e do exterior a compartilhar com a comunidade de leitores interessados suas reflexões e atividades realizadas na área da gestão de acervos em museus. Serão selecionados trabalhos nas modalidades Artigos, Entrevistas, Relatos de experiências e Resenhas de livros, filmes ou exposições.

Os trabalhos devem estar de acordo com os temas de interesse da Revista: 1) Gestão de Acervos em museus: bases conceituais, diretrizes internacionais, história da Museologia, da Documentação e da Gestão de acervos arquivísticos, bibliográficos e museológicos em museus; 2) Colecionismo: debates em torno de coleções públicas ou privadas e reflexões sobre nossa relação com o patrimônio na construção e afirmação de identidades e memórias; e 3) Experiências de elaboração e uso de Política de Acervos: influências teóricas e conceituais, métodos utilizados, atores e recursos, atualizações de práticas de conservação, documentação e comunicação de coleções.

Os trabalhos devem ser enviados até o dia 15 de outubro de 2018, para o endereço eletrônico reva@museus.gov.br e o assunto da mensagem deve indicar “Inscrição de trabalho”. O resultado dos trabalhos selecionados será divulgado até dia 19 de novembro de 2018. Confira as Normas de Publicação aqui.

A Revista

A Revista Ventilando Acervos é uma revista eletrônica com periodicidade anual, organizada pelo Grupo de Estudos Política de Acervos, publicada pelo Museu Victor Meirelles/Ibram e com apoio da Associação de Amigos do Museu Victor Meirelles.

Dedicada a reunir e socializar práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus, a revista busca reunir um arcabouço teórico para auxiliar os museus a elaborar suas Políticas de Acervos, trocando práticas e exemplos de referência para reflexão sobre as atividades realizadas, os profissionais envolvidos, as dificuldades encontradas e os caminhos escolhidos.

Museu Victor Meirelles completa 65 anos com abertura de duas exposições

Cristo sobre as Ondas - Victor Meirelles - sem data Paris, França - óleo e papel sobre tela colado em madeira - 31,42 x 44,7 cm Divulgação Museu Victor Meirelles/Ibram

Cristo sobre as Ondas – Victor Meirelles – sem data
Paris, França – óleo e papel sobre tela colado em madeira – 31,42 x 44,7 cm
Divulgação Museu Victor Meirelles/Ibram

Em comemoração aos 65 anos de sua inauguração o Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram) abre duas exposições no próximo 16 de novembro, às 18 h. A primeira é Acervo MVM em Perspectiva, que faz um histórico da composição do acervo do próprio museu. A segunda propõe uma reflexão acerca das relações sociais e políticas da arte, através da montagem do Módulo 3 – A Dimensão Política, dentro do ciclo Victor em 4D, mostra de longa duração que se iniciou em maio último.

As obras selecionadas para a exposição Acervo MVM em Perspectiva representam a multiplicidade da linguagem das artes visuais, colocando lado a lado obras de um dos maiores artistas brasileiros do século XIX, o pintor Victor Meirelles, e trabalhos de 36 artistas contemporâneos.

A Dimensão Política de Victor Meirelles

Neste terceiro módulo do Projeto Victor em 4D ganha corpo a reflexão em torno da função social, cultural e política da arte, bem como a sua capacidade de representação, buscando sempre à disposição para dialogar com o público e a comunidade.

Victor Meirelles foi um dedicado aluno na Academia Imperial de Belas Artes e, mais tarde, um rigoroso professor, não menos dedicado, no Liceu de Artes e Ofícios. Além disso, se destacou por ser um habilidoso pintor de paisagens, panoramas e retratos.

Mas foi com suas pinturas históricas que Victor alcançou renome, guiado pelo compromisso do Império brasileiro em construir uma identidade nacional. Suas obras de arte contam histórias, engendram discursos, negociam estética e politicamente com as relações socioculturais da segunda metade do século XIX no Brasil.

As duas exposições, Acervo MVM em Perspectiva e Victor em 4D – A Dimensão Política, ficam em cartaz até o dia 9 de fevereiro de 2018. O Museu Victor Meirelles está funcionando em sua sede provisória, na Rua Rafael Bandeira, nº 41 – Centro, em Florianópolis. A entrada é gratuita.

——————————————————————-

 Acervo MVM em Perspectiva – Exposição
 A Dimensão Política – Exposição

Aberturas: dia 16 de novembro de 2017, às 18 horas
Museu Victor Meirelles
Rua Rafael Bandeira, 41 – Centro – Florianópolis/SC
Tel.: 48  3222-0692
Gratuito

Texto: Ascom MVM
Edição: Ascom Ibram

Conheça as iniciativas de memória institucional do Museu Victor Meirelles

O tema Museus e suas memórias, que conduz a programação da Primavera dos Museus 2017, tem sido tratado sob diferentes perspectivas entre as instituições museológicas integradas ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Desde 1952, o Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram), em Florianópolis (SC), ocupa a casa onde nasceu o pintor de quadros históricos como A primeira missa no Brasil, Moema e Batalha dos Guararapes, tendo como premissa institucional a preservação, pesquisa e divulgação da vida e obra do artista Victor Meirelles (1832-1903).

Museu Victor Meirelles (SC)

Sede do Museu Victor Meirelles/Ibram, em Florianópolis (SC), está  sendo modernizada

Ao longo dos seus 65 anos de existência, e atualmente passando por processo de modernização em sua sede, o MVM tem também se preocupado com sua história e identidade. As atividades buscam relacionar o passado com ações contemporâneas, entendendo o museu como um espaço dinâmico e conectado a vivências e percursos sociais e históricos.

O Programa de Pesquisa é responsável por implementar, organizar e avaliar processos e linhas de pesquisa, bem como publicar resultados e novas informações a partir da investigação de assuntos relacionados ao museu, que envolve ainda artes e patrimônio.

O projeto Victor Meirelles – memória e documentação, que completa 10 anos em 2018, consiste tanto na catalogação da obra completa do artista, quanto na realização de atividades complementares, como lançamento de livro e seminário, contribuindo assim para o registro de aspectos da memória da instituição.

Vídeos e publicações digitais
Em 2015, o MVM iniciou o projeto Memória em trânsito, que se propõe a estudar e divulgar a produção de artistas catarinenses que já expuseram no museu. A partir de uma obra do acervo, resultado de doação anterior, busca-se promover um diálogo desta obra com a produção atual dos artistas.

A gravação em vídeo de depoimentos , abordando carreira, técnicas e trajetória dos artistas, feita como suporte para e exposição, torna-se posteriormente arquivo acessível para pesquisadores e interessados.

O Programa de Exposições também disponibiliza online algumas edições da revista Um ponto e outro, onde são apresentados dossiês sobre mostras no espaço do MVM.

Textos críticos e artigos, alguns em torno do museu, e a revista eletrônica Ventilando Acervos, que abre espaço para a discussão ampla do tema, também são atividades que integram ações que reforçam a memória institucional do MVM.

Saiba mais sobre o Museu Victor Meirelles e assista episódio do programa Conhecendo Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MVM/Divulgação

Matérias relacionadas
História oral resgata memória institucional do Museu das Missões
Livros e filmes abordam a memória institucional dos Museus Castro Maya
Conheça o projeto de memória institucional do Museu da República no RJ

Museu Victor Meirelles celebra os 185 anos de nascimento do seu patrono

O Naufrágio da Medusa - Victor Meirelles (1857/1858) - óleo sobre papel colado em cartão - 35,9 x 52,5cm

O Naufrágio da Medusa: Victor Meirelles (1857/1858) – óleo sobre papel colado em cartão – 35,9 x 52,5cm / Divulgação: Museu Victor Meirelles/Ibram

O Museu Victor Meirelles (MVM/Ibram), em Florianópolis (SC), comemora os 185 de nascimento do seu patrono nesta sexta-feira (18), com a abertura da exposição Victor em 4D – Segundo Módulo: A Dimensão Histórica, a partir das 19h.

A programação inclui a realização de uma mesa-redonda, às 16h, com o professor Mário César Coelho, do curso de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e com o curador Pedro Xexéo.

Mário César é graduado em Arquitetura e Urbanismo, com mestrado e doutorado em História Cultural pela UFSC, e falará sobre as coleções de Estudos de Embarcações de Victor Meirelles.

Pedro Xexéo é museólogo e crítico de arte, tendo integrado o corpo técnico do Museu da Inconfidência de Ouro Preto, em Minas Gerais, e atuado como coordenador técnico do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro. O tema do seu painel será A Batalha dos Guararapes de Victor Meirelles na 25ª Exposição Geral de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1879.

No mesmo dia, será realizada também a cerimônia da assinatura dos documentos de transferência definitiva de um conjunto de obras do Museu Nacional de Belas Artes, enviadas para o MVM em 1952, 1961 e 1983. As obras passarão a integrar o acervo permanente do Museu Victor Meirelles e farão parte da exposição em cartaz.

A exposição Victor em 4D – A Dimensão Histórica fica em cartaz até o dia 11 de novembro de 2017. O Museu Victor Meirelles está funcionando em sua sede provisória, na Rua Rafael Bandeira, nº 41 – Centro. A entrada é gratuita.

Texto: Ascom/Museu Victor Meirelles
Edição: Ascom Ibram

Página 1 de 612345...Última »