Nomeada a nova diretora do Museu Socioambiental de Itaipu em Niterói

A nova diretora do museu Ibram em Niterói foi escolhida via chamada pública

A nova diretora do museu Ibram em Niterói foi escolhida via chamada pública

O Museu Socioambiental de Itaipu, localizado em Niterói (RJ) e parte da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), já tem nova diretora.

Eunice Batista Laroque foi nomeada na terça-feira (16), pelo presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, em portaria publicada no Diário Oficial da União.

Laroque tem um currículo vasto: é licenciada em Pedagogia pela Universidade Católica de Pelotas (RS), e em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade de Salamanca (Espanha), onde também fez mestrado em Tecnologia da Educação.

Possui graduação em Museologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde também se especializou em Patrimônio Cultural em Centros Urbanos. É ainda tecnóloga em Design de Interiores e especialista em Educação de Jovens e Adultos.

Transparência
Com 25 anos de experiências no Rio Grande do Sul, tendo integrado o quadro efetivo da Prefeitura de Porto Alegre, como professora, e trabalhado no Museu Joaquim Felizardo, Eunice Laroque diz-se “privilegiada” por integrar agora o quadro do Ibram.

“Este é um um momento histórico, pois estão sendo feitas chamadas públicas para ocupação dos cargos, de forma democrática, e as políticas públicas estão sendo implementadas: venho para somar”, comemora.

Ruínas de antigo convento que fazem parte do Museu Socioambiental de Itaipu

Museu Socioambiental de Itaipu ocupa área de antiga instituição religiosa

A nova diretora do Museu Socioambiental de Itaipu foi selecionada entre cinco candidatos inscritos, conforme definido na Chamada Pública nº1, aberta em março deste ano. Saiba mais.

Para a seleção foram considerados os critérios de formação acadêmica em nível superior; experiência comprovada em gestão, envolvendo atividades de relacionamento com organizações do governo ou entidades da sociedade em geral; e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu.

Os critérios foram aferidos através de apresentação de currículo, Declaração de Interesse e Plano de Trabalho. Além da apresentação da documentação, também foi realizada ainda entrevista oral entre a candidata e a comissão de seleção designada.

Arqueologia
O Museu Socioambiental de Itaipu, antes chamado Museu de Arqueologia de Itaipu, existe desde 1977 e está sediado nos remanescentes do Recolhimento de Santa Teresa, instituição de caráter religioso fundada no começo do século XVIII. Seu acervo é composto por artefatos produzidos pelos povos que viveram no litoral fluminense antes de 1500.

Exemplos são artefatos líticos e ósseos, matéria corante, ocre, restos ósseos humanos e remanescentes de fauna (aves, peixes e mamíferos), além de blocos testemunhos do Sambaqui de Camboinhas.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Banco de Imagens Ibram

MAI e sistema de museus foram tema de reunião em Niterói esta semana

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, esteve na quarta-feira (2), em Niterói (RJ), onde se reuniu com o prefeito da cidade, Rodrigo Neves, para discutir a necessidade de melhorias no entorno do Museu de Arqueologia/Socioambiental de Itaipu (MAI/Ibram),  além da criação de um sistema integrado de museus no município.

Oswaldo (esq.) e o prefeito de Niterói durante encontro

Oswaldo (esq.) e o prefeito de Niterói durante encontro

A reunião contou ainda com a participação do presidente da Fundação de Arte de Niterói (FAN), André Diniz, das coordenadoras do Sistema Estadual de Museus do Rio de Janeiro, Lucienne dos Santos, e do Patrimônio Museológico do Ibram, Vera Mangas, além do diretor do museu, Pedro Heringer.

O presidente do Ibram destacou a necessidade de readequação urbanística no entorno do MAI, que considera fundamental para a visibilidade e acesso à instituição.

Instalado no antigo Recolhimento de Santa Teresa, fundada em 1764, o local, que reúne testemunhos da ocupação humana pré-cabralina na região, é considerado um dos sítios arqueológicos pré-históricos mais importantes do país.

“A requalificação urbana da área do entorno do museu irá organizar e valorizar o espaço público, como também o patrimônio histórico-cultural e as comunidades que o cercam”, declarou Pedro Heringer.

Entorno e valorização
Ficou definido no encontro que o Sistema Municipal de Museus, cuja criação será oficializada por decreto, será lançado no dia 15 de maio em cerimônia no Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Niterói, quando também será apresentado um folder com o roteiro dos museus locais.

A expectativa, a partir da criação do sistema, é aperfeiçoar a sinalização dos museus locais, organizar seus horários de funcionamentos e agendas, facilitar o diálogo entre museus e instituições afins, promover o compartilhamento dos acervos, mostras conjuntas e atividades museológicas, além de melhorar o entorno dos museus através da valorização paisagística e ordenamento urbano.

Além do MAC e do Museu de Arqueologia de Itaipu, Niterói reúne instituições importantes como o Museu Antônio Parreiras, o Museu do Ingá, o Solar do Jambeiro, a Casa de Oliveira Vianna e o Museu Janete Costa de Arte Popular, reaberto no ano passado, além de vários espaços expositivos, como o recém-inaugurado Espaço Cultural dos Correios.

De acordo com o prefeito, a cidade vai ganhar em breve mais três museus: o do Cinema Brasileiro, em São Domingos; o da Ciência e Criatividade, no Caminho Niemeyer; e o do Samba e Choro, em Jurujuba.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Prefeitura de Niterói/divulgação

Ibram abre seleção para escolha de novos diretores em seis museus

Publicados hoje (12) no Diário Oficial da União (DOU), seis Avisos de Chamada Pública para seleção de candidatos para ocupação de cargos comissionados de diretores de museus ligados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Os museus com seleção aberta são: Museu Socioambiental de Itaipu, Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio e Museu Casa da Hera, todos localizados no estado do Rio de Janeiro; Museu Solar Monjardim, localizado em Vitória (ES); Museu Regional de São João del-Rei, em Minas Gerais; e as três unidades de museus Ibram em Goiás: Museu das Bandeiras e Arte Sacra da Boa Morte, na Cidade de Goiás, e Museu Casa da Princesa, em Pilar de Goiás. Conheça os museus.

Critérios
Para a escolha dos novos dirigentes, serão levados em consideração critérios técnicos e objetivos de qualificação baseados na análise de currículo, Declaração de Interesse e de Plano de Trabalho. Podem concorrer ao cargo servidores efetivos e não servidores que cumpram critérios como formação acadêmica em nível superior, experiência comprovada em gestão e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu. A seleção estará aberta até o dia 7 de abril.

Confira abaixo os editais e respectivos anexos. Dúvidas relacionadas às Chamadas Públicas podem ser tiradas pelo endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, citando no Assunto o museu ao qual se refere.

Chamada Pública nº 1 – Museu Socioambiental de Itaipu
Plano Museológico

Chamada Pública nº 2 – Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio
Plano Museológico

Chamada Pública nº 3 – Museu Solar Monjardim
Plano Museológico

Chamada Pública nº 4 – Museus de Goiás
Plano Museológico Museu das Bandeiras
Plano Museológico Museu Arte Sacra da Boa Morte
Plano Museológico Museu Casa da Princesa

Chamada Pública nº 5 – Museu Casa da Hera
Plano Museológico (parte I e parte II)

Chamada Pública nº 6 – Museu Regional de São João del-Rei
Plano Museológico

Texto: Ascom/Ibram
Última atualização: 20.3.2014

Matéria relacionada
MinC regulamenta processo seletivo para escolha de diretores dos museus Ibram

Museu de Itaipu tem novo nome

Com o apoio da maioria da comunidade museológica, o Museu de Itaipu (RJ) agora passa a se chamar Museu Socioambiental de Itaipu. A mudança de nome foi sugerida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), baseada na ampliação das atividades que vêm sendo desenvolvidas pela unidade, antes denominada Museu Arqueológico de Itaipu. A nova denominação contempla uma relação mais ampla entre homem e ambiente, com ênfase no desenvolvimento da comunidade em que está inserido.

A iniciativa de convocar a sociedade para discutir a proposta de alteração da denominação consolida as ações de gestão participativa empreendidas pelo museu. “A mobilização e o envolvimento da comunidade nas discussões das questões de interesse coletivo promovem uma maior interação da instituição com os atores sociais envolvidos, contribuindo, assim, para o fortalecimento da identidade local”, afirma a diretora substituta do museu, Vera Gigante.

Participaram da votação representantes da Superintendência Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (SR-IPHAN/RJ), do Museu da República, a Coordenação de Arquitetura e Espaços Museais/Ibram-RJ, do Museu Histórico Nacional, da Associação de Comerciantes da Praia de Itaipu (ACOMPI), da Associação Livre de Pescadores e Amigos da Praia de Itaipu (ALPAPI), do Parque Estadual da Serra da Tiririca/Instituto Estadual de Ambiente (PESET/INEA), do Monitor Ambiental do PESET/INEA, além  de pescadores e representantes de colônias de pescadores locais, de museólogos, técnicos em Museologia e professores da área da Universidade Federal do Estado do Rio de janeiro (UNIRIO) e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

O Museu

O museu está instalado em Niterói (RJ), nas ruínas do antigo Recolhimento de Santa Teresa, instituição fundada em 1764, pelos padres Manuel Francisco da Costa e Manuel da Rocha.  O acervo institucional é composto por objetos testemunhos de povos que habitaram a região antes do ano de 1500.