Página 1 de 212

Museus Ibram têm programação especial para o Mês da Consciência Negra

Museu da Abolição, Museu das Bandeiras, Museu Regional Casa dos Ottoni e Museu de Arte Religiosa e Tradicional têm programações especiais para celebrar mês que lembra Zumbi dos Palmares, ícone da resistência negra à escravidão no Brasil.

Museu da Abolição (PE), Museu das Bandeiras (GO), Museu Regional Casa dos Ottoni (MG), Museu do Diamante (MG) e Museu de Arte Religiosa e Tradicional (RJ) têm programações especiais para celebrar mês que lembra Zumbi dos Palmares, ícone da resistência negra à escravidão no Brasil.

Celebrado por ocasião da data de morte de Zumbi dos Palmares (1655-1695), ícone da resistência negra à escravidão no Brasil, o Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) motiva programações especiais, ao longo deste mês, em museus da rede Ibram.

O Museu da Abolição (MAB), em Recife (PE), encabeça a celebração com exposições, performances e seminário. Durante todo o mês, o museu oferece ao público a exposição temporária “Os da Minha Rua: Poéticas de R/existência de Artistas afro-brasileiros”. A mostra reúne a produção visual de dez artistas negros contemporâneos, levantando importantes questões sobre a cultura africana e a cultura afro-brasileira e questionamentos em relação ao lugar da negra e do negro na sociedade brasileira.

Como parte da programação para o Mês da Consciência Negra, o MAB promove performance com Ana Lira, uma das artistas que expõem obras na mostra em cartaz, nos dias 10, 17 e 23 de novembro, sempre às 15h. No dia 21, no mesmo horário, o convidado para realizar performance é o artista Carlito Person; e no dia 28, das 16h às 20h, a convidada é a artista negra contemporânea Priscila Rezende.

A programação especial inclui ainda o Seminário Protagonismo Negro nas Lutas Libertárias, que o MAB recebe no próximo dia 27 a partir das 14h. O evento será realizado em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e a Cátedra Gilberto Freire/UFPE. O público também poderá visitar durante todo o mês as exposições de longa duração “130 Anos: Abolição?” e “Novos Objetos, Novas Coleções”.

Memória e empoderamento

No Museu das Bandeiras, em Goiás (GO), a difusão da memória afro-brasileira terá lugar em programações como o “Varal de Memórias”, que em novembro terá como tema “Sujeit@s Negr@s”. A ideia é evidenciar personalidades negras da cidade, de Goiás e do Brasil como um todo que alcançaram fama como artistas, intelectuais, acadêmicos, escritores, juristas, políticos e líderes sociais.

O museu também receberá nos próximos dias a exposição “Arcelina em África: olhares, trocas e sensações”, resultado da peregrinação da jornalista paulista Arcelina Públio Dias pelo continente africano nos anos 1990. O recorte visual é de sua passagem por Angola, país que possui estreitos e tristes laços com o Brasil em virtude da escravidão no período colonial.

Ainda como parte da programação especial, o setor de Arquivologia do Museu das Bandeiras promoverá ao longo deste mês ações públicas voltadas à democratização do seu acervo, como a já realizada aula aberta “Escravidão e Cadeia em Goiás” (foto), na qual foram apresentados documentos que revelam detalhes sobre a escravidão em Vila Boa de Goiás, bem como o cotidiano da antiga Casa de Câmara e Cadeia, situada no prédio que hoje sedia a instituição.

Outra ação programada para o Mês da Consciência Negra será o II Encontro Meu Cabelo Natural, que o Museu Regional Casa dos Ottoni, em Serro (MG), promove no próximo dia 24, a partir das 14h. Voltado ao fortalecimento da autoestima e empoderamento afro, o evento contará com oficinas de cortes e penteados, desfile e apresentação de grupo de capoeira, entre outras atrações.

No Museu do Diamante, em Diamantina (MG), será oferecida para grupos agendados, em diversos horários ao longo de novembro, a oficina “Consciência Negra”. Ministrada pelo setor educativo do museu, a oficina buscará identificar e problematizar as representações do negro no Museu do Diamante e na história de Diamantina, levando a um debate sobre a situação do negro no Brasil atual por meio da produção de um mural coletivo. O agendamento de grupos pode ser feito no período de 20 a 30/11.

Já o Museu de Arte Religiosa e Tradicional, em Cabo Frio (RJ), promove nos dias 7, 8, 21 e 29, sempre às 14h, sessões de conversa com Ricardo Alves, curador da exposição temporária “Terra de Quilombo, Retrato de uma Etnia” para escolas previamente agendadas. O MART também promove, no dia 30, das 14h às 18h, a roda de debate “As Famílias Negras em Cabo Frio: Escravidão e Pós-Abolição”, com a Profª Dra. Nilma Teixeira Accioli; e a oficina “Reeducação para as Relações Étnico-Raciais na Escola: Desafios e Possibilidades na Prática Docente”, com a Profª Dra. Livia Nascimento Monteiro.

Museu Casa dos Ottoni teve recorde de visitação na 11ª Primavera dos Museus

Feira no Museu_MRCO_11 PrimaveraO Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), que fica na cidade do Serro (MG), teve recorde de visitação na 11ª Primavera dos Museus, configurando um crescimento de 58% em relação ao ano anterior e superou em 54% a sua melhor edição, até então, a Primavera de 2015.

Durante a temporada de eventos, o MRCO ofereceu várias atividades para o público como a mostra “Minas em postais”, realizada a partir de uma parceria entre a Prefeitura de Serro, a Associação Cidades Históricas de Minas Gerais e o Museu. A exposição itinerante apresentou diversos postais das Cidades Históricas de Minas com imagens de bens culturais de natureza material e imaterial e tem como objetivo valorizar o patrimônio cultural mineiro.

A semana da Primavera dos Museus começou com a 2ª edição da Feira no Museu, um espaço cultural colaborativo realizado nos jardins do MRCO, em foram convidados artistas e artesãos atuantes em Serro para apresentar ou exibir seu trabalho. Com muita música, comidas típicas, artesanato, apresentação de capoeira e a presença de um instrutor de slackline.

Ao longo da semana houve ainda outras atividades, tais como o Cine-museu, visitas agendadas à reserva técnica do museus e a oficina “Memórias do nosso lugar”, facilitada pela historiadora da instituição e que tratou de temas relacionados à história do Serro e à memória dos mais antigos.

Texto e foto: MRCO/Ibram
Edição: Ascom Ibram

Casa dos Ottoni recebe exposição itinerante Minas em Postais

DSC04840O Museu Regional Casa dos Ottoni (Ibram/MinC), no Serro (MG), recebe a partir desta quinta-feira (7), a exposição Minas em Postais. A mostra é uma parceria da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais com a Prefeitura de Serro-MG e fica em cartaz no museu até 21 de setembro.

Gratuita e livre para todos os públicos, a exposição apresenta diversos postais das Cidades Históricas de Minas com imagens de bens culturais de natureza material e imaterial, compostos por artes, edificações, paisagens, conjuntos históricos, sítios arqueológicos, saberes, ofícios e modos de fazer, celebrações, lugares e formas de expressão.

O objetivo da mostra, que é itinerante, é fazer com que o público compreenda, valorize e reconheça os bens culturais mineiros como parte integrante de seu patrimônio cultural.

A memória institucional de museus Ibram em MG na voz de seus colaboradores

Sede do MRSJDR/Ibram em Minas Gerais

“Depois que eu entrei no museu, toda vez que estou em outra cidade, eu quero visitar um museu”, confessa Cleberson Cunha, vigilante no Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR/Ibram), em Minas Gerais (MG). “O que antes não era comum – fazer visita a um museu – hoje faço com mais naturalidade e vontade”.

O depoimento acima faz parte da iniciativa em vídeo Gente que faz o museu, que coleta impressões, histórias e vivências de novos e antigos colaboradores do MRSJDR.

A partir de perspectivas pessoais, o museu resgata importante aspecto ligado a sua memória institucional – iniciativa que se relaciona ao tema da Primavera dos Museus deste ano, Museus e suas memórias.

Instalado em casarão do século XIX, o prédio foi tombado pelo Governo Federal em 1946 e aberto à visitação, já como museu, em 1963. “Foi difícil manter o prédio de pé”, conta Rui Mourão, diretor do Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG), no documentário Símbolo de resistência – também realizado pela equipe do MRSJDR.

Casarão em São João del-Rei antes da criação do museu regional

Casarão em São João del-Rei antes da criação do museu regional

Com fotos antigas e depoimentos de pesquisadores, o vídeo conta a saga do casarão na cidade até se tornar sede do museu: das tentativas de demolição ao processo que levou ao seu reconhecimento com patrimônio histórico. Assista o documentário.

Mais informações sobre atividades do MRSJDR podem ser obtidas pelo telefone (32) 3371.7663 ou endereço eletrônico mrsjdr@museus.gov.br

Pesquisa e ações educativas
O Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), na cidade do Serro, também tem muitas histórias relacionadas à área que ocupa hoje: o prédio, do final do século XVIII, já foi casa, liceu, patronato agrícola e até maternidade antes da criação do museu em 1949.

“Trabalhamos hoje para que a instituição seja polo de discussão constante sobre o passado, presente e futuro. Nesse sentido, desenvolvemos ações para preservar a memória institucional e cumprir com a missão do museu”, aponta Carlos Xavier, diretor do MRCO.

Uma das frentes é a pesquisa e aquisição de acervo bibliográfico sobre o museu e a família Ottoni – cujos membros foram personagens da política brasileira no século XIX.

Museu Casa dos Ottoni

Museu Casa dos Ottoni no Serro (MG)

Após visitas a diversas instituições, conta o diretor, “foi possível reunir informações que, se não detalham claramente todo o passado do MRCO e do seu prédio, ajudam a elucidar pontos interessantes sobre sua história”.

Além das ações museológicas em torno da organização e preservação do acervo, o Museu Regional Casa dos Ottoni busca em suas ações educativas relacionar história e memória.

Para a 11ª Primavera dos Museus, por exemplo, o museu programou a exposição Minas em Postais, sobre cidades históricas mineiras, e a oficina Memórias do nosso lugar, que se propõe a valorizar a história da cidade a partir da história oral.

Mais informações sobre as atividades do museu pelo telefone (38) 3541.1440 ou endereço eletrônico mrco@museus.gov.br. Assista episódio sobre o MRCO na série Conhecendo Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Matérias relacionadas
Conheça as iniciativas de memória institucional do Museu Victor Meirelles
História oral resgata memória institucional do Museu das Missões
Livros e filmes abordam a memória institucional dos Museus Castro Maya
Conheça o projeto de memória institucional do Museu da República no RJ

Casa dos Ottoni comemora número de visitantes no primeiro semestre

Na cidade do Serro (227 km de Belo Horizonte, Minas Gerais), o Museu Regional Casa dos Ottoni/Ibram comemora os números de visitação alcançados durante o primeiro semestre deste ano.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

Museu Regional Casa dos Ottoni na cidade de Serro (MG)

“Os resultados foram excelentes e tivemos o 2º melhor primeiro semestre dos últimos anos, ficando atrás apenas do ano de 2013”, explica o diretor do museu Carlos Xavier.

Maio foi o mês em que o museu recebeu o maior número de visitantes. Quintas, sextas e sábados foram os dias mais procurados para visitas. 90% do público é de Minas Gerais – sendo que 61% do próprio Serro. Ou seja, o museu, além de sua característica regional, mostra-se também um espaço de integração com a comunidade local.

E os visitantes estrangeiros também têm aparecido: no primeiro semestre de 2017, 80% deles foram alemães – seguidos de longe por italianos, gregos e norte-americanos.

Mapeamento

O museu finalizou o mapeamento topográfico dos objetos existentes no seu acervo: isto é, todos os objetos tiveram sua localização específica determinada. A ação é considerada essencial tanto para a segurança quanto para o controle do acervo. “Com isso foi possível a elaboração de catálogo ilustrado de todo o acervo museológico”, explica a museóloga Rosalina Assis.

O Museu Regional Casa dos Ottoni ocupa uma construção do século XVIII. Sua origem histórica está ligada aos Ottoni, descendentes de um ramo da família do bandeirante paulista Fernão Dias Paes Leme. Criado em 1949, o museu abriga acervo formado, principalmente, por imagens de arte católica e por objetos que fazem parte da história da família Ottoni e da cidade.

O museu está localizado na Praça Cristiano Ottoni, 72, e funciona de terça a sábado, das 10h às 18h; e domingos e feriados, das 8h às 12h. Outras informações pelo endereço eletrônico mrco@museus.gov.br ou pelo telefone (38) 3541-1440.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Religiosidade, fé e arte são exploradas em mostra na Casa dos Ottoni

Cartaz Claudio JPEG“Faces da Paixão” é a nova exposição temporária do Museu Regional Casa dos Ottoni (Ibram/MinC), no Serro (MG). A mostra busca explorar a religiosidade, a fé e a arte que são latentes nas ruas, ladeiras e casarios das cidades históricas de Minas. A exposição será aberta no dia 16 de março e fica em cartaz até 4 de abril.

A exposição é composta por imagens de autoria de Cláudio Luciano Ferreira confeccionadas com materiais diversos, tais como isopor, biscuit, tecido, madeira e latas de alumínio. O artista é autodidata e possui particular interesse pela arte sacra e pelo Barroco Mineiro, o que confere às suas criações a característica expressão repleta de dor e sofrimento, dentre outros aspectos estilístos. Profundo conhecedor do acervo de arte sacra de Serro e de sua cultura religiosa, Cláudio procura, através de sua arte, pretender passar às pessoas a fé e o magnetismo de apreciar o belo. Além dessas peças, serão expostos alguns crucifixos pertencentes ao acervo do Museu Regional Casa dos Ottoni e obras da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.

O Museu Regional Casa dos Ottoni funciona de terça a sábado de 10h às 18h e aos domingos e feriados, de 9h às 12h. O Museu fica Praça Cristiano Ottoni nº 72, no Serro.

Casa dos Ottoni comemora aniversário do Serro com mostra de artista local

Cartaz2O Museu Regional Casa dos Ottoni/Ibram comemora o aniversário de 314 anos do Serro com a mostra Serro de Minas Gerais. A exposição será aberta na próxima quinta-feira, 28 de janeiro e segue até 28 de fevereiro.

Telas em nanquim e aquarela compõem a mostra do artista plástico Rafael Múcio. Nesta exposição o artista homenageia a cidade do Serro e também os distritos, com pinturas dos principais trechos da estrada real e paisagens que são símbolos de Minas Gerais e patrimônio mundial.

O Museu

O Museu Regional Casa dos Ottoni ocupa uma construção do século XVIII, na cidade do Serro. Sua origem histórica está ligada aos Ottoni, descendentes de um ramo da família do bandeirante paulista Fernão Dias Paes Leme. Criado em 1949, o museu abriga acervo formado, principalmente, por imagens de arte católica (como as imagens de roca que saíam na Procissão de Cinzas e as que pertenceram à demolida igreja de Nossa Senhora da Purificação.

Casa dos Ottoni faz homenagem às congadas em Minas Gerais

O Museu Regional Casa dos Ottoni (MCRO/Ibram), que fica na cidade do Serro (MG), inaugura na terça-feira (30) a exposição Congada – Canto de Fé & Liberdade, que retrata o universo das congadas de Goiânia, Catalão e Serro.

A coletânea de 45 imagens foram registradas pelo fotógrafo, folclorista e jornalista Sidney Dutra que escolheu seus cliques favoritos para revelar os encantos dos grupos de congo de duas cidades goianas e uma mineira. A mostra ficará em cartaz até o dia 2 de agosto.

Congada_Casa dos Ottoni

Registro do fotógrafo Sidney Dutra que estará em exposição no MCRO

Sidney Dutra fez seu primeiro contato com a congada no fim da década de noventa em Itaú de Minas (MG). Em 2000, começou a registrar a congada da Vila João Vaz, bairro de sua cidade natal, Goiânia. Sete anos depois fotografou pela primeira vez a congada de Catalão (GO).

De foto em foto a paixão pelo colorido e batido das caixas provocou ainda mais sua curiosidade e, em 2012, esteve pela primeira vez na Festa de Nossa Senhora o Rosário dos Homens Pretos do Serro que acontece no primeiro domingo de julho em Serro (MG).

A mostra revela o colorido e a diversidade desta festa que surgiu no Brasil Colônia e viajou para o coração do Brasil. A mais antiga das festas retratadas é a do Serro (MG) que surgiu em 1728, seguida de Catalão, em 1876, e a de Goiânia, em 1969.

O visitante vai poder conferir as semelhanças e diferenças da festa nas três localidades. A congada é criação do negro escravizado que surgiu em solo mineiro e chegou até a capital de Goiás.

O fotógrafo é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e registra em fotos a festa de Folia de Reis e Congada desde o fim da década de noventa.

Texto: Divulgação
Foto: Sidney Dutra / divulgação MCRO

Museu Regional Casa dos Ottoni recebe obra em homenagem a Mestre Valentim

garca_ottoniO Museu Regional Casa dos Ottoni (Ibram/MinC), no Serro (MG) recebe réplica de obra em homenagem a Mestre Valentim. A cerimônia de recebimento abre a programação da 13ª Semana de Museus do Museu e acontecerá nos jardins da Casa dos Ottoni, no dia 16 de maio de 2015 às 10h.

Doada ao MRCO pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração e pela Associação dos Amigos do Serro, a obra remete ao par de esculturas de autoria do Mestre Valentin, intituladas “Garças de Mestre Valentim”, ou “Aves Pernaltas” (ou saracuras, ou íbis, ou marrecas) cujos originais localizavam-se na “Fonte dos Amores”, no Passeio Público do Rio de Janeiro. Em 1905, foram transferidas para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Em 1997, essa instituição criou o Memorial Mestre Valentim, que inclui outras esculturas de sua autoria, para dar maior proteção e condições de conservação ao conjunto escultórico de Mestre Valentim.

Valentim da Fonseca e Silva nasceu na cidade do Serro em 1745. O artista aprendeu o ofício de toreuta (escultor, entalhador de pedra, metal ou madeira) em Portugal, para onde foi levado por seu pai em 1748. De volta ao Brasil, em 1770, instalou-se no Rio de Janeiro, então capital do Vice-Reino do Brasil. Foi nessa cidade que desenvolveu sua produção artística, de caráter escultórico, arquitetônico e urbanístico. Dentre seus trabalhos, destacam-se obras civis – como o projeto e a execução do Passeio Público do Rio de Janeiro e de vários chafarizes – e religiosas, tais como trabalhos de talhas e imaginária em igrejas cariocas.

Texto: Ascom Ibram

Faces do Serro: Casa dos Otttoni abre exposição na quinta (29)

Na quinta (29), o Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), localizado na cidade de Serro (MG), abre, às 19h, a exposição Faces do Serro.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

Nova exposição abre no MRCO no dia 29 de janeiro

Nessa noite, acontece bate papo sobre as oficinas realizadas entre o fotógrafo Lorí Figueiró e participantes fotografados para a exposição. A seguir, serão apresentados dois vídeos making of, relatando as oficinas.

Logo depois está programada a apresentação de quatro grupos folclóricos de Serro: Marujos, Caboclos, Catopês e Caixa de Assovios. As atividades acontecem no jardim do museu e será encerrada com um coquetel às 20h30.

Após a abertura, os visitantes poderão conhecer o resultado das oficinas com 25 imagens, que ficam em cartaz até 1º de março.

O Museu Regional Casa dos Ottoni localiza-se na Praça Cristiano Ottoni, 72 – Praia. E funciona de terça a sábado, das 10h às 18h; e domingos e feriados, das 8h às 12h. Outras informações pelo telefone (38) 3541.1440.

Texto: Divulgação MRCO
Foto: Banco de Imagens Ibram

Página 1 de 212