Governo do DF autoriza cessão do Museu Honestino Guimarães à União

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de segunda-feira (27), a Lei 5.293, de 24 de janeiro de 2014, que autoriza a cessão para a União do Museu da República Honestino Guimarães, que integra complexo cultural localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

De acordo com a lei, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), será responsável pela administração do museu por  um prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado por autorização legislativa.

O processo de transição da gestão será feito com a participação do Governo do Distrito Federal (GDF), de modo a manter o espaço de exposições temporárias e preservar o atual acervo da instituição.

A transferência definitiva se dará após celebração de termo de cessão entre a União e o GDF, seguindo o que determina a lei.

Acervos federais
Está prevista a criação de um grupo de trabalho conjunto para garantir o funcionamento e continuidade das ações programadas pelo museu durante o processo de transição, que será acordado entre as partes. Durante o período da gestão compartilhada, os servidores atuais do espaço cultural deverão ser mantidos pelo GDF.

O objetivo da cessão do museu à União é dar maior acesso ao público a obras de arte, presentes em acervos passíveis de musealização, que são de propriedade de órgãos da Administração Direta e Indireta da União. Nestes termos, o MinC, por intermédio do Ibram, deverá fazer um levantamento dos acervos pertencentes aos órgãos federais  para que venham a integrar a programação expositiva do museu.

Em paralelo, o Ibram prepara Projeto de Lei, a ser enviado à Câmara dos Deputados, criando o Museu Nacional de Brasília. O projeto visa dar estrutura ao museu, bem como criar cargos efetivos para o seu corpo técnico.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Wikipédia

Matérias relacionadas
Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães
Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Reunião entre MinC, GDF e Ibram tratou da transferência do Museu Nacional da República para o governo federal

A pedido da presidenta Dilma Rousseff, o Museu Nacional da República, que fica na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), passará a ser gerido pelo Ministério da Cultura (MinC).

O anúncio foi feito na tarde de quinta-feira (16), durante reunião que a ministra Marta Suplicy teve com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o secretário de Cultura do DF, Hamilton Pereira. Participaram também a presidente substituta do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Eneida Braga, e Angelo Oswaldo – indicado pela ministra para assumir a presidência do Ibram.

Atualmente, a gestão do Museu é feita pelo Governo do Distrito Federal. O governador se reuniu com a ministra para discutir como o processo de cessão pode ser feito. Ficou decidido no encontro que o GDF e o MinC vão analisar as possibilidades do ponto de vista jurídico. A formalização da transferência será feita em breve.

A ministra explica que a ideia de trazer o Museu para a gestão do MinC consiste em tornar acessível aos cidadãos grandes obras de arte que fazem parte do acervo de empresas estatais. “A intenção é que o Museu passe a contar com um acervo fixo e exposições itinerantes, além de uma gama de possibilidades que está sendo definida junto com a equipe do Ibram”, explicou Marta.

Segundo o governador, a federalização proporcionará maior dinamismo ao Museu. “Temos muita coisa guardada em instituições como o Banco Central, por exemplo, que o público não tem acesso. Não adianta termos obras maravilhosas se o cidadão não puder usufruir”, afirmou o governador. Continue lendo.

Texto: Rosiene Assunção, Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Elisabete Alves, Ascom/MinC

Museu Nacional, de Brasília, expõe “O Brasil na arte popular”

O Museu Nacional do Conjunto Cultural da República apresenta de 18 de maio a 26 de junho a exposição “O Brasil na Arte Popular”. Serão apresentadas cerca de 1.500 obras de arte popular brasileira, de 70 artistas populares oriundos de 13 estados. Estão presentes a arte pioneira de Mestre Vitalino e sua escola do Alto do Moura (PE), as formas femininas das moringas, bonecas e noivas do Vale do Jequitinhonha (MG), as embarcações do São Francisco, além de esculturas que contemplam as mais diversas manifestações da vida cotidiana do Brasil.

O acervo é do Museu Casa do Pontal.

A exposição poderá ser vista de terça a domingo, das 9h às 18h30. Entrada franca.

Hélio Oiticica – Museu é o Mundo chega a Brasília

A exposição Hélio Oiticica – Museu é o Mundo está aberta ao público de Brasília desde a última terça-feira (21), no Museu Nacional Honestino Guimarães – Complexo Cultural da República, em Brasília (DF). Trata-se da maior mostra já realizada sobre Hélio Oiticica e a chegada à capital brasileira faz parte da itinerância que já passou por São Paulo e Rio de Janeiro. Após Brasília, a exposição segue para Belém (PA).
A exposição traz raríssimos penetráveis, obras monumentais de Hélio Oiticica, que serão instalados em espaços públicos, como Invenção da Luz, feito pelo artista para Brasília, no final da década de 1970, e que será visto pela primeira vez na cidade. Vai ser instalada no Eixo Monumental, em frente à Funarte.

No Museu Nacional, o público encontra alguns de seus Metaesquemas, datados de 1958. Além disso, o público, especialmente crianças, se diverte nas diversas instalações como Rhodislândia, de 1971. A exposição também traz bólides e parangolés do artista, como o Parangolé Noblau (1979/86). Há ainda vídeos, como HO (12min), de 1979, estrelado por Oiticica e dirigido por Ivan Cardoso.

A circulação das obras custará R$ 1,5 milhão, captados a partir de uma parceria estratégica estabelecida com o Ministério da Cultura, que investiu ainda mais de R$ 800 mil nos processos de higienização e restauração das obras danificadas por incêndio no ano passado. A exposição fica em Brasília, no Museu Nacional, até 20 de fevereiro de 2011, das 9h às 18h. A entrada é franca. (Com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Cultura. Foto: Marina Ofugi/MinC)

Brasil Africano em exposição no Conjunto Cultural da República

O Museu Nacional da República apresenta até o dia 13 de junho a exposição O Brasil Africano. Em parceira com a Universidade de Brasília (UnB) e a Petrobras, a mostra é composta por mapas e fotos pesquisados e organizados pelo professor Rafael Sanzio Araujo dos Anjos.

A exposição faz parte do Projeto Geografia Afro-Brasileira Educação & Planejamento do Território, cujo principal objetivo é caracterizar e interpretar espacialmente as estruturas existentes na formação do Brasil e da sua população, tomando como referência os aspectos geográficos da herança africana no território brasileiro.

Visitação de terça a domingo, das 9h às 18h30. O agendamento de visitas monitoradas deve ser realizado pelos telefones: (61) 3325-6410 ou 3325-5220.

O Museu Nacional do Conjunto Cultural da República fica no STRVS, Brasília-DF. Informações: quilombo@unb.br ou www.unb.br/ih/ciga