Página 5 de 6« Primeira...23456

Museu Lasar Segall abre duas novas exposições no dia 14 de julho em SP

O Museu Lasar Segall/Ibram,  em São Paulo (SP), dando continuidade ao programa de exibições 2012, abre duas novas exposições no dia 14 de julho – que ficam em cartaz até 21 de outubro.

Quadro de Portinari, pintado em 1959, estará em exposição

Exercícios de olhar traz 37 obras de 32 artistas, de períodos e tendências distintas da história da arte, estarão à mostra. A exposição traz pinturas, gravuras e desenhos pertencentes a coleções particulares e de acervos de instituições museológicas do Rio de Janeiro e São Paulo.

A curadora Aracy Amaral selecionou obras do final do século XIX à contemporaneidade, com ênfase em trabalhos do período modernista, sempre focalizando a temática pouco usual de figuras de costas. Por razões formais esse ângulo de enfoque – omissão da figura frontal – alcança um caráter enigmático. Essa temática também causa estranhamento e não deixa de ser frequente em trabalhos de índole expressiva.

Intervenções
Já o projeto Intervenções, com curadoria de Jorge Schwartz e de Marcelo Monzani, tem como objetivo apresentar artistas contemporâneos com obras inéditas.

Em sua quinta edição, a convidada é a artista Edith Derdyk. Sua instalação, intitulada Alçapão, propõe uma leitura enigmática do espaço arquitetônico, abrindo, simbolicamente, outras paragens e passagens secretas, talvez num desejo de acionar mananciais necessários para a sobrevivência da arte e os lugares em que habita – uma casa, um ateliê, um museu. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação Museu Lasar Segall

Exposição no Museu Lasar Segall reúne cerca de 100 obras modernistas

Mangue foi realizado por Di Cavalcanti em 1929

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), inicia seu programa de exposições 2012, no dia 31 de março, com Poéticas do Mangue, e tem como convidado para curadoria o professor Fábio Magalhães.

A mostra fica em exibição até 17 de junho e reúne um conjunto expressivo de cerca de 100 obras, entre desenhos, aquarelas, gravuras e pinturas, do período que perpassa a década de 1920 até meados de 1960.

Um dos grandes temas do Expressionismo Alemão, a prostituição feminina encontrou no Brasil um habitat quase ‘natural’ na região do mangue, nas proximidades do cais do porto no Rio de Janeiro. Na arte moderna brasileira, o tema foi abordado por vários artistas.

A mostra traz Lasar Segall (1891-1957) e Di Cavalcanti (1897-1976), os que mais registros fizeram da paisagem do meretrício carioca, e outros importantes nomes como Antonio Gomide (1895-1967), Poty Lazzaroto (1924-1998), Otto Lange (1879-1944), Walter Jacob (1893-1964).

No dia 19 de maio, às 17h, será o lançamento do catálogo/livro Poéticas do Mangue, quando ocorrerá uma mesa redonda com especialistas. A mesa fará parte das atividades da 10ª Semana de Museus, que acontece de 14 a 20 de maio – evento promovido anualmente pelo Ibram/MinC.

Intervenções
No mesmo dia 31 de março, o museu inaugura a quarta edição do Projeto Intervenções, evento em que há ocupação de diferentes áreas da instituição com instalações ou intervenções.

A convidada é a artista plástica Mônica Nador, que inspirada na xilogravura de Segall, Cabeça de negro (1929), realiza um trabalho de justaposição desta imagem, com um autorretrato realizado em 2004 por um morador da periferia de São Paulo que participa do Jardim Miriam Arte Clube (Jamac). Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação Museu Lasar Segall

Ilustrações de Fayga Ostrower serão exibidas no Museu Lasar Segall (SP)

A partir de 12 de novembro, o Museu Lasar Segall/Ibram, em parceria com o Instituto Moreira Salles (IMS), apresentará a exposição Fayga Ostrower – Ilustradora, com aproximadamente 100 obras que revelam uma faceta pouco conhecida de ilustradora de livros da artista considerada uma das principais gravadoras do país. A exposição poderá ser visitada até 19 de fevereiro de 2012.

A exposição, que esteve  anteriormente em cartaz no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, apresenta gravuras, instrumentos de trabalho, fotografias, livros e documentos produzidos entre os anos 1940 e 1970, mostrando a transição de Ostrower do expressionismo figurativo à abstração.

A mostra, com curadoria do poeta e consultor de literatura do IMS Eucanaã Ferraz, é dividida em três conjuntos: o primeiro retratando os trabalhos figurativos de Ostrower, o segundo caracterizando a passagem para a abstração e o terceiro com uma linguagem já pertencente ao abstracionismo – com cores inicialmente sóbrias e por fim vibrantes. “O diálogo entre a letra e a figura é tão antigo quanto o livro e a obra de Fayga está entre as mais altas realizações da arte brasileira do século XX. E essas duas evidências encontram-se na exposição”, explica o curador.

Nascida em 1920 na cidade de Lodz, Polônia, a artista chegou ao Rio de Janeiro na década de 30. Seus trabalhos se encontram nos principais museus brasileiros, da Europa e das Américas. Dentre suas contribuições para a arte moderna, Ostrower foi presidente da Associação Brasileira de Artes Plásticas entre 1963 e 1966, fez parte do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro de 1982 a 1988. E, em 1999, recebeu o Grande Prêmio de Artes Plásticas do Ministério da Cultura. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu Lasar Segall/Ibram

Última semana para conferir mostra de Segall em Ouro Preto

A exposição Lasar Segall – Imagens do Brasil, em cartaz na Sala Manoel da Costa Athaide, no anexo I do Museu da Inconfidência (Ouro Preto/MG), será encerrada neste domingo, 24 de julho. Até o momento, mais de 1,1 mil pessoas visitaram a mostra, que reúne 35 gravuras vindas do Museu Lasar Segall, SP, e uma escultura e uma tela do Museu Nacional de Belas Artes, RJ.

As obras abrangem o período de 1924 a 1930, época de grande concentração de imagens do Brasil na obra de Segall, inclusive na sua produção gráfica. A maior parte destas gravuras foi feita durante sua estada em Paris (1928-1932), a partir de anotações levadas do Brasil.

A visitação da mostra é de terça a domingo, das 12h às 18h, com entrada franca.

O artista – O pintor, gravador, escultor e desenhista Lasar Segall (Vilna, Lituânia, 1891 – São Paulo, SP, 1957) iniciou seus estudos artísticos em 1905 na Academia de Desenho, em Vilna. Continuou a formação em Berlim, na Escola de Artes Aplicadas e na Imperial Academia Superior de Belas Artes. Em Dresden, Alemanha, frequentou a Academia de Belas Artes. Na sua carreira, tiveram destaque obras de derivação impressionista e expressionista. No Brasil, fixou residência em São Paulo, em 1923. Foi destaque no cenário da arte moderna, considerado um representante das vanguardas européias.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Museu da Inconfidência

Sistema de audioguia bilingue informa sobre obras de Segall

Quem visita o Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), pode agora se aprofundar ainda mais na vida e na obra do artista, com ajuda da tecnologia. Desde a inauguração da mostra Segall Processos, neste mês, o museu passou a contar com um sistema de audioguia, equipamento eletrônico gratuito que complementa a visita, oferecendo detalhes históricos das obras de Lasar Segall (1891 – 1957).

“É um aparelho simples de manusear, em que o visitante digita um número que está identificado na obra exposta e ouve uma descrição sobre ela ou sobre a produção de Segall”, explica Marcelo Monzani, diretor técnico do museu.

Com o audioguia, o visitante pode fazer o tour em português, inglês e ainda em forma multimídia, para deficientes auditivos. O aparelho oferece informações sobre o acervo do museu. Na exposição Segall Processos, há destaque para as telas Eternos Caminhantes (1919), exibida na imagem acima, e Navio de emigrantes (1939-1941), além de uma ambientação com objetos da residência da família Segall. A mostra é composta por cerca de cem trabalhos realizados por Lasar Segall, que integram o acervo do museu.

 Ao digitar o código correspondente das obras, o visitante recebe informações desde a origem da pintura até as inspirações e período em que foi produzida. “O conceito desta exposição se diferencia das anteriores, propondo ao visitante que acompanhe os processos de criação do artista por meio de diferentes linguagens”, diz o diretor do Museu Lasar Segall, Jorge Schwartz.

O projeto do audioguia teve produção tecnológica da empresa Neocultura e patrocínio da Secretaria municipal de Cultura de São Paulo.

Museu Lasar Segall inaugura exposição e sistema de audioguia

O Museu Lasar Segall (Ibram/MinC) abre a exposição Lasar Segall – processos, dia 16 de julho. A mostra apresentará um percurso de aproximadamente 100 trabalhos realizados por Segall desde os mais antigos, de cerca de 1909, até sua produção final na década de 1950. Na ocasião também será inaugurado o novo sistema de audioguia, que oferecerá detalhes da vida e obra do artista em português, inglês e multimídia.

Após uma mostra com destaque exclusivamente às pinturas de Segall, esta nova montagem traz obras que representam seus principais momentos de transformação nas diferentes linguagens – desenho, gravura, escultura e pintura.

As anotações realizadas pelo artista ao longo da vida, em papéis, blocos e cadernos de anotação irão revelar seus processos de criação, e em uma das salas será reproduzida a decoração da residência de Segall, com móveis, luminária, tapete e objetos desenvolvidos por ele na área de design, lado menos conhecido, mas de traço igualmente criativo e rigoroso.

Por meio das obras, a exposição também evidencia o percurso de vida do artista em diferentes fases: a formação européia do início do século XX; o impacto que o Brasil teve em seu trabalho quando de sua vinda ao país em 1923; o período em Paris no final da década de 1920; a volta ao Brasil no início dos anos 30, quando a produção poética e de engajamento humanista passam a ser representadas em sua obra; e a depurada obra dos anos 1950.

Dois novos módulos ressaltam os processos de criação. Um em torno da obra Eternos Caminhantes (1919), outro destacando a tela Navio de emigrantes (1939-1941). Ambas serão acompanhadas de uma seleção de trabalhos do artista relacionados a elas – desenhos, gravuras, fotografias – dimensionando, desta forma, a reflexão de Segall em torno do recorrente tema da emigração.

O projeto de pesquisa para o conteúdo do audioguia foi desenvolvido pela equipe do museu, produzido pela empresa Neocultura e patrocinado pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Serviço:
Exposição Lasar Segall – processos
Quando: A partir de 16 de julho de 2011 (exposição de longa-duração), de terça a sábado e feriados, das 14h às 19h; domingos, das 14h às 18h.
Onde: Museu Lasar Segall (Rua Berta 111, Vila Mariana, São Paulo, SP).
Áudio guia: 31 obras (serviço gratuito).
Informações: (11) 5574-7322; www.museusegall.org.br
Entrada gratuita.

Fonte: Ascom Museu Lasar Segall

Museu Lasar Segall tem cursos e exposições em junho

O Museu Lasar Segall, além do seu acervo permanente, diversifica suas atividades com exposições temporárias e cursos gratuitos com o objetivo de estimular a vivência, a reflexão, a interação e a experimentação das pessoas ao campo das artes.

Criado com o objetivo de reunir, documentar, estudar, conservar e divulgar a obra do pintor russo naturalizado brasileiro (1891-1957), o museu está situado à Rua Berta, 111, em São Paulo, e instalado na antiga casa e ateliê de Segall. Em 1985, foi incorporado à Fundação Nacional Pró-Memória , integrando hoje o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), vinculado ao Ministério da Cultura, como unidade especial. Em seu acervo constam cerca de três mil trabalhos do artista, doados por seus filhos.

Programação de junho – No dia 18, das 09h, às 16h, será ministrado um curso para professores pela orientadora Marina Herling A gravura de Lasar Segall, que oferece subsídios para melhor exploração das técnicas de gravuras e suas possibilidades educativas em sala de aula. As inscrições deverão ser realizadas nos dias 14 e 15 de junho pelo telefone (11) 55747322, das 09h às 18h.

No dia 19, às 15h, a orientadora Paula Selli desenvolverá a atividade Arte em família com jogos e brincadeiras para crianças maiores de cinco anos, adolescentes e adultos com vínculos familiares ou de amizade. Inscrições na recepção do museu no dia do evento a partir das 14h.

O Projeto intervenções – Lygia Reinach fica em cartaz até o dia 26. O projeto, que tem como objetivo apresentar artistas contemporâneos no espaço interno do museu, traz, em sua primeira edição, a escultora e ceramista Lygia Reinach que exporá dois trabalhos inéditos sob a curadoria de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani. Pelo projeto, cada artista deverá apresentar um projeto de instalação/intervenção, propiciando ao público visitante uma reflexão sobre as relações entre o espaço arquitetônico, espaço público e artes visuais.

Ponte do Brooklin e linha do horizonte de Manhattan, foto de Feininger

Também até o dia 26, o Museu apresenta a exposição Andreas Feininger – Nova York anos 40, um clássico da história da fotografia. A mostra, apresentada pela primeira vez na América Latina, é composta por 93 fotografias e alguns exemplares da revista Life, onde o fotógrafo trabalhou. Organizada pelo arquivo Andreas Feininger Tübingen, juntamente com o Museu Zeppelin Friedrichshafen e o Museu Lasar Segall, a exposição faz um recorte de Nova York nos anos de 40 e tem como curadores Jorge Schwartz e Marcelo Monzani.
Já a exposição Segall Pinturas, que fica em cartaz até 10 de julho, apresenta 20 pinturas do acervo do Museu. A mostra tem como objetivo divulgar a obra de um dos mais importantes artistas modernos brasileiros. A organização desta exposição não é somente cronológica, mas também crítica, pois assinala as grandes transformações ocorridas na obra artística de Segall, desde seus primeiros trabalhos até a última produção da década de 1950.

O museu Lasar Segal está aberto à visitação pública de terça-feira a sábado, e também aos feriados, das 14h às 19h. Aos domingos, o horário de visitas é das 14h às 18h.

Fonte: Ascom/MinC

Museu Lasar Segall inaugura o projeto Intervenções

A escultora e ceramista Lygia Reinach inaugura nesse mês, com a apresentação de duas esculturas inéditas, o projeto Intervenções no Museu Lasar Segall, em São Paulo.

O projeto pretende apresentar artistas contemporâneos, com projetos de instalações/intervenções inéditos, no jardim do museu, propiciando ao público a oportunidade de refletir sobre as relações entre espaço arquitetônico, espaço público e artes visuais. A curadoria é de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani.

 Quando: visitação até 26 de junho. De terça a sábado e feriados, das 14h às 19h; domingo, das 14h às 18h.

Onde: jardim do Museu Lasar Segall. Rua Berta, 111 – Vila Mariana – São Paulo. Tel.: (11) 5574 7322.

Informações: www.museusegall.org.br

Museu Lasar Segall oferece oficina de xilogravura

Estão abertas inscrições para oficina de xilogravura no Museu Lasar Segall – Ibram/MinC. O curso, ministrado pela artista Carolina Lopes, será realizado de 6 de outubro a 24 de novembro, às quartas-feiras, das 14 às 19h. As vagas são limitadas: 12.

O objetivo é orientar os participantes quanto às técnicas e à prática de gravação em madeira, bem como estimular os alunos a descobrirem suas próprias capacidades em relação à xilogravura.
A oficina custará R$ 120,00. Os frequentadores inscritos no Ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall em 2010 estão isentos do pagamento da taxa de inscrição.

A técnica - A xilogravura teve sua provável origem na China do século VI, mas se difundiu no Ocidente somente na Idade Média. A técnica se popularizou no Brasil, principalmente no Nordeste, por meio de obras da literatura de cordel – hoje expostas em renomados museus de todo o mundo, como o MoMA (Nova Iorque), e premiadas em importantes festivais, como a Bienal de Veneza.

Inscrições: de terça a domingo, das 14h às 18h, na recepção do museu (Rua Berta, 111 – São Paulo-SP). Tel.: (11) 5574-7322.

Museu Lasar Segall recebe obras de Hilal Sami Hilal

Estreando em museus paulistas, o artista capixaba Hilal Sami Hilal expõe, a partir de 8 de agosto, no Museu Lasar Segall. A exposição tem como peça chave um Atlas, gigantesco álbum de paisagens que dialoga com doze obras que vestem as paredes do espaço expositivo. Este livro de enorme formato estabelece uma interlocução com objetos em cobre e alumínio, que obedecem a uma técnica de pranchas de metal corroídas pelo ácido, com resultados surpreendentes.

O Museu Lasar Segall fica na Rua Berta, 111, São Paulo-SP. Visitação: de terça a sábado (inclusive feriados) das 14 às 19h e domingo das 14 às 18h.

Foto: Sérgio Guerini

Página 5 de 6« Primeira...23456