Página 1 de 512345

Chamadas públicas para diretores de museus Ibram marcam 2017

Jardins do Museu da República no Catete

Jardins do Museu da República no Catete

Foi publicado ontem (21), no Diário Oficial da União, o resultado final da seleção de candidato para ocupar o cargo de diretor do Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ) e do Palácio Rio Negro, em Petrópolis (RJ).

Este foi o quinto processo seletivo para cargos de diretores de museus Ibram finalizado em 2017.

Ao longo do ano, tomaram posse no cargo o diretor do Museu Solar Monjardim, situado em Vitória (ES), na primeira semana de dezembro; em novembro, a nova diretora do Museu Villa-Lobos, situado no Rio de Janeiro; a nova diretora do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), e a do Museu do Diamante, em Diamantina (MG), tomaram posse no mês de setembro; e, em janeiro, o diretor do Museu das Missões, em São Miguel das Missões (RS), nomeado ao final do processo seletivo iniciado ainda em 2015.

Na quarta-feira (20), foram homologadas as inscrições de candidatos para o cargo de diretor do Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP). A seleção de diretores dos museus Ibram se dá através de Chamadas Públicas e observa critérios técnicos e objetivos de qualificação profissional dos candidatos.

Aberta chamada pública para diretor do Museu Lasar Segall

Museu Lasar Segall

Museu Lasar Segall

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) tornou público, nesta segunda-feira (16), o edital da chamada pública para o cargo comissionado de diretor do Museu Lasar Segall, unidade museológica que integra o Ibram em São Paulo.

A seleção pública será realizada mediante critérios técnicos e objetivos de qualificação, avaliados por Comissão de Seleção através de análise de currículo, Declaração de Interesse e Plano de Trabalho. Realizado em três etapas, o processo seletivo inclui ainda entrevista oral de caráter classificatório.

Poderão concorrer ao cargo servidores públicos ou não, com formação acadêmica, conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu, além de experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações de governo e entidades da sociedade em geral. Confira todas as condições no edital.

Interessados em candidatar-se ao cargo devem encaminhar os documentos requisitados no edital para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, informando no assunto “Chamada Pública Museu Lasar Segall”, até às 23h59min do dia 16 de dezembro de 2017.

Todos os documentos para concorrer à seleção estão disponíveis para download.

Primeiro diretor do Museu Lasar Segall, Maurício Segall faleceu hoje (31) em SP

Faleceu nesta segunda-feira (31), aos 91 anos, Maurício Segall. Ao lado do irmão Oscar Segall, ele foi criador e primeiro diretor do Museu Lasar Segall (MLS) em 1967, tendo ocupado o cargo até 1997.

Maurício diante do museu Lasar Segall em SP nos anos 70

Maurício diante do museu Lasar Segall em SP nos anos 70

O velório será realizado no Museu Lasar Segall, sendo restrito à família e amigos. O Museu permanecerá fechado para visitação amanhã (1º de agosto), quando ocorrerá a cerimônia de cremação. O presidente do Ibram, Marcelo Araujo, comparecerá às cerimônias.

Museólogo, economista e autor teatral, Mauricio Segall nasceu em Berlim (Alemanha) em 1926. Filho do artista Lasar Segall com a escritora e tradutora Jenny Klabin Segall, coube a ele a definição do museu como polo cultural no bairro da Vila Mariana, em São Paulo (SP).

Sua gestão definiu os rumos que até hoje constituem a estrutura e as atividades do museu, que cresceram a partir da sua incorporação à Fundação Pró-Memória, depois ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e finalmente, em 2009, ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Em 2013, Mauricio Segall foi nomeado Diretor Emérito do Museu Lasar Segall. A indicação foi aprovada por decisão unânime do Conselho Deliberativo do museu. O falecimento coincide com o cinquentenário do MLS, quando Mauricio Segall será homenageado.

Abaixo, trecho de depoimento do crítico literário Roberto Schwartz quando da gravação de depoimento para os 50 anos do museu:

“Para entender a pessoa de Mauricio Segall é preciso considerá-lo como um pacote explosivo de tensões. Por um lado, Mauricio descende de uma família rica e é filho de Lasar Segall, um dos grandes pintores de nosso tempo. Por outro, ele é comunista convicto e radical, numa acepção nobre, que vai além da filiação partidária e que a evolução histórica do comunismo deixou sem base. Esta bomba de contradições é tornada mais potente por um temperamento vulcânico, à moda russa, e pelo desejo exasperado de integridade e de coerência”. Leia o depoimento completo.

Texto: Museu Lasar Segall/Divulgação
Foto: Divulgação/Internet

Museu Lasar Segall e Fundação MAPFRE inauguram exposição

Imagen 404

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo, recebe a partir do próximo dia 04 de julho a exposição Tesouros da coleção Fundação MAPFRE-obras sobre papel. As obras expostas fazem parte da Coleção de Desenhos do século XX, patrimônio da Fundação MAPFRE e ficam em cartaz até o dia 28 de agosto.

Desde o início, a Fundação MAPFRE centrou seus esforços na recuperação da obra sobre papel de artistas e movimentos relevantes para apreciar a evolução dos usos do desenho e da pintura do século passado. A seleção apresentada abrange o período do final do século XIX até meados do século XX, precisamente o momento em que o desenho ainda vive sua dupla condição. Se por um lado é um meio criativo para a execução final de outras obras, ao mesmo tempo mostra sua independência, como arte plena e suficiente em si mesma.

As Coleções de desenho da Fundação MAPFRE nasceram com a vontade de ser uma coleção de desenho moderno espanhol. Neste sentido, a criação de um conjunto de desenhos centrado nas linguagens da vanguarda espanhola, que já pode ser considerada clássica, constituía um resultado natural da programação de exposições que, durante muito tempo, teve como foco central a arte espanhola de princípios do século XX. Nos últimos anos, os projetos expositivos se abriram a artistas ou períodos importantes no contexto internacional, o que levou a traçar uma reflexão em torno da construção da modernidade no panorama internacional. Essas mudanças também se produziram na coleção da obra sobre papel e podem se ver refletidas na exposição agora exibida.

O caminho da mostra se inicia com desenhos de artistas que, como Edgar Degas, Auguste Rodin, Egon Schiele ou Pablo Picasso, estabeleceram as bases da arte do novo século XX que estava por chegar; pois desde 1900 se produziram diversas transformações e um processo de renovação que culminará diretamente no que hoje é conhecido como modernidade. Nessa trajetória a imagem da mulher cumpre um papel importante e se converte em verdadeira protagonista desse universo. A visão tradicional que entendia a arte como uma sucessão de movimentos, se vê enriquecida comras como as de Henri Matisse ou de George Grosz, que tornam evidentes o valor da obra de arte em si mesma e a variedade da arte do século XX.

Texto e foto: Museu Lasar Segall
Edição: Ascom Ibram

Museu Lasar Segall com inscrições abertas para cursos e oficinas em SP

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), está oferecendo uma série de cursos e oficinas nas áreas de gravura, fotografia e literatura para o primeiro semestre deste ano.

Fotografia com pigmentos naturais ou utilizando-se da técnica pinhole, a relação entre literatura e artes visuais, a partir de projetos editoriais realizados durante o Modernismo brasileiro, ou um Ateliê Livre, dedicado ao desenvolvimento e orientação de projetos individuais com gravura, são algumas das ações educativas oferecidas. Conheça todos os cursos e oficinas.

Museu Lasar Segall em SP é uma das instituições integradas ao projeto Ibram-Google

Museu Lasar Segall completa 50 anos em 2017 e coleta depoimentos de frequentadores

Os valores das atividades e outras informações podem ser obtidos pelo telefone (11) 2159.0400 ou pelo endereço eletrônico info@mls.gov.br.

50 anos do museu
Em 2017, o Museu Lasar Segall completa 50 anos de criação e convida novos e antigos frequentadores da instituição para que registrem suas memórias e fatos de suas histórias de vida que estejam vinculados ao museu.

A partir de um formulário disponível online, a coleta de depoimentos irá formar um banco de dados com o intuito de desenvolver ações em torno do cinquentenário do museu.

Idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva de Lasar Segall, o museu foi criado como uma associação civil sem fins lucrativos, em 1967, por seus filhos Mauricio e Oscar Klabin Segall.

Instalado na antiga residência e ateliê do artista, projetados em 1932 pelo arquiteto de origem russa Gregori Warchavchik, em 1985, o museu foi incorporado à Fundação Nacional Pró-Memória, integrando-se, a partir de 2009, à rede de instituições museológicas do Ibram. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Lasar Segall/Divulgação

Ibram e Google disponibilizarão online acervos de cinco museus

Imagens em alta definição de bens culturais pertencentes aos acervos de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estarão disponíveis online nos próximos meses.

Museu Lasar Segall em SP é uma das instituições integradas ao projeto Ibram-Google

Museu Lasar Segall em SP é uma das instituições participantes da parceria entre Ibram e Google

Resultado de parceria entre o Ibram e a Google Inc, por meio do Projeto Google Art, a digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que essas instituições preservam.

Nesta primeira fase do projeto participam o Museu Imperial, em Petrópolis (RJ); o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), os Museus Castro Maya e o Museu Histórico Nacional (MHN), localizados no Rio; além do Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP).

Inicialmente, estarão disponíveis online imagens do interior e edificação dos museus, por meio da tecnologia Street View, imagens de peças emblemáticas dos acervos de cada instituição, capturadas em alta definição (ArtCamera), além de conteúdos relacionados – como plantas baixas e dados de identificação (metadados) das obras.

Trabalho em processo
Com as imagens das galerias e edificações dos museus já capturadas, está em andamento a fotografia das obras: cerca de 100 imagens devem ser feitas em cada instituição. Com a inclusão dos metadados, a última fase será a construção das exposições virtuais que alinham as obras em torno de narrativas.

GoogleArt_Print

Projeto Google Art já possui cerca de 45 mil obras disponíveis online

O lançamento dos conteúdos digitais dos museus Ibram na plataforma Google deve acontecer durante o 7º Fórum Nacional de Museus, na cidade de Porto Alegre (RS), no mês de junho.

O Google Art é um projeto sem fins lucrativos desenvolvido pelo Instituto Cultural da Google. Com instituições parceiras em mais de 60 países, e cerca de 45 mil obras online, 26 instituições brasileiras já se encontram no projeto – como Pinacoteca de São Paulo, Museu do Amanhã (RJ), Fundação Athos Bulcão (DF) e Inhotim (MG).

A proposta é divulgar os acervos culturais, obras de arte e documentos históricos que estão fisicamente em museus e instituições de todo o mundo por meio da rede mundial de computadores, ampliando sua acessibilidade para pessoas no mundo inteiro. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Ibram/Divulgação

Ministro da Cultura visita Museu Lasar Segall em São Paulo

O ministro da Cultura, Roberto Freire, visitou, no sábado (28), o Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP).

Freire_Segall

Diretor do Museu Lasar Segall (de azul) acompanha o ministro da Cultura durante visita

Ele foi recebido por Marcelo Araújo, presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram); Jorge Schwartz, diretor do museu; Marcelo Monzani, chefe da divisão técnica, e o ex-chanceler Celso Lafer, presidente do Conselho Deliberativo do museu.

Roberto Freire visitou o acervo do museu e algumas das obras mais importantes de Lasar Segall, como Navio de Emigrantes (1939-41). O ministro também esteve na sala de cinema, o Cine Segall, que recebeu um grande público no sábado, e na Bilbioteca Jenny Klabin Segall.

Por fim, Freire aproveitou para visitar a exposição temporária Liuba: Esculturas e Relevos, de curadoria de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani, em cartaz desde outubro do ano passado – em cartaz até 20 de fevereiro.

A mostra apresenta um conjunto de obras produzidas entre as décadas de 1960 e 1980, com ênfase nos anos 1970. Com exceção da obra escultórica de Lasar Segall, exposta em 1991, é a primeira vez que o museu abre os seus espaços para uma exposição individual e retrospectiva de esculturas.

O museu
Idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva do pintor Lasar Segall, o museu foi criado em 1967 por Mauricio Segall e Oscar Klabin Segall, filhos do artista. A instituição está instalada na antiga residência e ateliê do artista, projetados em 1932 por seu concunhado, o arquiteto de origem russa Gregori Warchavchik.

Em 1985, o Museu Lasar Segall foi incorporado à Fundação Nacional Pró-Memória, integrando hoje a rede de museus Ibram.

Texto e foto: Fábio Matos / Ascom-MinC
Edição: Ascom Ibram

Museu Lasar Segall recebe simpósio de Arte e Cultura em São Paulo

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo  (SP). recebe, entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro, o I Simpósio Brasil-América Latina de Arte e Cultura (Simbralac).

SimbralacO evento, promovido pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), reunirá pesquisadores, docentes e discentes para debater a produção da arte e da cultura através dos Discursos da Memória e a partir dos olhares do Brasil para a América Latina e suas correspondências.

A proposta é que daí tenha início uma nova rede de pesquisadores com projetos afins em desenvolvimento.

Jorge Schwartz, diretor do Museu Lasar Segall; Fernando Cocchiarale, curador do MAM- Rio; Maria Angélica Melendi, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Virgínia Gil Araujo, do Departamento de História da Arte, e Joana de Fátima Rodrigues, do Departamento de Letras, ambas da Unifesp, são alguns dos nomes já confirmados para o evento. Confira a programação completa.

O Simpósio será aberto ao público, que poderá se inscrever online ou pegar as senhas no dia 29 de novembro, a partir das 13h. A abertura das atividades acontece às 14h. Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu Lasar Segall
Edição: Ascom/Ibram

Museu Lasar Segall abre exposição com trabalhos de Liuba Wolf em São Paulo

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), apresenta, a partir do sábado (29), a mostra Liuba – esculturas e relevos da artista Liuba Wolf (1923-2005).

Esculturas e relevos de Liuba podem ser vistos até fevereiro de 2017

Serão apresentadas obras produzidas entre os anos 1960 e 1980, com ênfase nas peças da década de 1970. A seleção, com curadoria de Jorge Schwartz e Marcelo Monzani, foi organizada pensando-se na relação entre as características dos trabalhos e os espaços do museu.

Inicialmente figurativa, a artista passou a operar a partir dos anos 1960 uma relevante mudança formal: a modelagem ganha, de modo progressivo, novos contornos e surgem “seres” e formas orgânicas, entre a figura e o abstrato, entre o real e o surreal.

Liuba, nascida na Bulgária e radicada no Brasil desde os anos 1950, está inserida na tradição da escultura moderna, sendo considerada uma das pioneiras entre as artistas mulheres que se dedicaram à arte de esculpir – como Pola Rezende, Maria Martins, Mary Vieira, Felícia Leiner, Sonia Ebling e Zélia Salgado.

A mostra fica em cartaz até fevereiro de 2017. O Museu Lasar Segall situa-se na Rua Berta nº 111, Vila Mariana, São Paulo e funciona de quarta a segunda-feira, das 11h às 19h, com entrada franca. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Lasar Segall/Divulgação

Museu Lasar Segall apresenta mostra de Gustavo Cochet

Meus caprichos como os de Callot e os de Goya (Água-forte 196X145-cm; 1936-38)

Meus caprichos como os de Callot e os de Goya (Água-forte 196X145-cm; 1936-38)

O Museu Lasar Segall/Ibram em parceria com o Instituto Cervantes, Museo Gustavo Cochet e Ministério de Inovação e Cultura da província de Santa Fé / República Argentina, apresenta, a partir do dia 18 de junho, a mostra de gravuras Os caprichos – crônicas de uma guerra (1936-1939), de Gustavo Cochet (Rosário 1894-Funes 1979).

Neste ano celebra-se 80 anos do início da Guerra Civil Espanhola, mote da mostra que o Museu apresenta, por meio de 30 gravuras (uma é reprodução fotográfica) realizadas pelo artista Gustavo Cochet, que aos 17 anos partiu de sua terra natal para Europa, especificamente para a França, terra de seu pai, com o intento de se tornar pintor. Viveu 25 anos entre Paris e Barcelona, e participou como militante nas fileiras libertárias, na luta contra o fascismo na Guerra Civil Espanhola, sendo repatriado à Argentina em 1939, com o status de pintor, gravador e escritor.

A série que compõe a mostra pertence ao Museo Cochet, em Rosário, Argentina, e foi uma espécie de homenagem do artista a Jacques Callot (França 1592-1635), esse pelo ineditismo em representar em sua obra o horror e as misérias da guerra, e Goya (Espanha 1746-França 1828) que inspirado em Callot realizou em 1799 uma série de estampas satirizando a sociedade espanhola do final do século XVIII.

Página 1 de 512345