Página 4 de 14« Primeira...23456...10...Última »

Coleção Geyer é Patrimônio da Humanidade

Aquarela e guache sobre papel: retrato da São Clemente, em Botafogo – Coleção Geyer.

Aquarela e guache sobre papel: retrato da São Clemente, em Botafogo – Coleção Geyer.

A candidatura Iconografia do Rio de Janeiro na Coleção Geyer (séculos XVI a XIX), apresentada pelo Museu Imperial/Ibram, foi aprovada durante reunião do Comitê Brasileiro do Programa Memória do Mundo da UNESCO (MoWBrasil) e será inscrita no Registro Nacional do Brasil do programa da referida organização.

“Vemos que os temas dessa verdadeira brasiliana partem do particular, o Rio de Janeiro, para o geral, o Brasil. A difusão das imagens em tempo quase simultâneo à sua produção foi ampliada pela intensa atividade editorial ligada ao tema das viagens, conferindo a essa coleção status de patrimônio documental do país” – explica diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Júnior.

Na mesma reunião, ocorrida nos dias 22 e 23 de setembro no Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, Maurício Vicente foi eleito presidente do Comitê Brasileiro do Programa Memória do Mundo da UNESCO, com mandato até outubro de 2017.

Os dez conjuntos aprovados, dentre as 30 candidaturas habilitadas para análise, serão inscritos no referido programa por meio de portaria do Ministério da Cultura a ser publicada oportunamente no Diário Oficial da União. Veja lista aqui.

A Coleção

Doada ao Museu Imperial pelo casal Maria Cecília e Paulo Geyer, em 1999, a coleção reúne livros, álbuns, pinturas, gravuras, litografias, desenhos, mapas e demais objetos de arte reunidos durante 40 anos, totalizando 4.255 obras. Com o falecimento dos doadores, o Museu Imperial assumiu a coleção e a edificação que a abriga, em uma área de 12 mil m², localizada no bairro do Cosme Velho, na capital fluminense. A casa, que deverá ser aberta ao público em 2016, será uma subunidade do Museu Imperial.

9ª Primavera tem programação para todas as idades no Museu Imperial

Entre os dias 20 e 27 de setembro o Museu Imperial/Ibram/MinC participa da 9ª Primavera dos Museus.

Durante a semana haverá uma programação diferenciada na Biblioteca Rocambole, concerto internacional no Cineteatro, curso voltado para guias de turismo, exposição de peças do acervo alusiva aos indígenas, atividades que equilibram o corpo e a mente, grupo folclórico e banda, além de preços especiais para os visitantes.

A abertura da Primavera no Museu Imperial acontecerá no dia 20 de setembro às 16 horas com a pianista Junko Ueno Garret, no Cineteatro. Os Interessados deverão retirar gratuitamente seus ingressos a partir do dia 15 de setembro, na bilheteria do Museu.

O Curso de Atualização para Guias de Turismo petropolitanos será outro atrativo. Voltado para profissionais com registro no Ministério do Turismo/Embratur, o curso tem como objetivo capacitar os guias para atuarem nos pontos turísticos de Petrópolis, proporcionando um atendimento de qualidade aos turistas que visitam a cidade. Os participantes poderão visitar os principais pontos turísticos da cidade, conhecer os bastidores do Museu Imperial e participar de palestras. Ao final, assistirão as apresentações do Sarau Imperial e o Espetáculo Som e Luz. O curso acontecerá no dia 21 de setembro.

Do dia 22 ao dia 27 de setembro, o Museu Imperial abrigará uma exposição referente aos índios. Na ocasião, serão exibidas armas indígenas, varanda de rede dentre outras peças que fazem alusão ao tema.

No dia 23 de setembro, às 19h horas, no Cineteatro do Museu Imperial, será realizada a mesa redonda “80 Anos da ANL- Aliança Nacional Libertadora” com Anita Prestes, professora do programa de pós-graduação em história comparada da UFRJ e Álvaro Penalva, professor de história do ensino médio. Posteriormente acontecerá o lançamento do livro “Pão Terra e Liberdade na Cidade Imperial”, de Paulo Henrique Machado.

A 9ª Primavera dos Museus também contemplará a área educativa, voltada para o público infantil. Com programação diferenciada no dia 22 de setembro das 14h30 às 15h30, a Hora do Conto explorará o livro “Histórias Encantadas Indígenas”, de Ingrid B. Bellinghausen; já no dia 23, será a vez da obra “Diacui”, de Denise Helena, e no dia 24 de setembro, a leitura será da obra “Como Nasceram as Estrelas”, de Clarice Lispector. Nesse dia, além da contação de história haverá oficina criativa em torno do tema abordado. As atividades serão gratuitas e destinadas a grupos escolares previamente agendados junto ao setor de Educação do Museu Imperial.

Os petropolitanos e visitantes poderão aproveitar também os espetáculos oferecidos pelo Museu Imperial a preços promocionais. Nos dias 24, 25 e 26 de setembro, às 20 horas, será a apresentação do Som e Luz a R$5,00 e 25 e 26 de setembro, com o mesmo preço às 18h30, exibições do Sarau Imperial.

A fim de contribuir para o equilíbrio do corpo e da mente, o Museu Imperial oferecerá, também no dia 26, das 10 às 11 horas, o Projeto “Meditação para Todos”, com Miguel Berredo, e, no dia 27, das 09h30 às 11 horas, “Todo dia é dia de Yoga”, com o professor Fábio Goulart.

No dia 27 de setembro, encerramento da 9ª Primavera dos Museus, a entrada para visitação ao Palácio Imperial será gratuita, em virtude do Dia Mundial do Turismo. Além disso, o visitante poderá contemplar, às 12 horas, a apresentação de dança de grupo folclórico germânico e, às 13 horas, a apresentação da Banda Wolney Aguiar.

Texto: Ascom Museu Imperial

Museu Imperial recebe doação de livro raro

Imperial.livroO Museu Imperial acaba de receber do Sr. Thales Ribeiro de Magalhães a doação de um livro raro cuja edição é de 1699. Em verdade, a Biblioteca Nacional possui uma edição ainda mais antiga, de 1606.

A obra doada tem como título:  Les Aphorismes d´Hippocrate, rangez selon l´ordre des parties du corps humain. Avec des nouvelles explications… Par M. Du Four, Docteur en Medecine. Paris: Laurent d´Houry, M.DC.XCIX.

Hipócrates, que viveu entre os séculos V e IV A.C., é reverenciado como o Pai da Medicina, e a obra em questão é um conjunto de definições elaboradas por Hipócrates com raro exercício de síntese e concisão que configura justamente a expressão aforismo. Para alguns especialistas, Os Aforismos de Hipócrates ainda é o texto que melhor sintetiza conhecimento e prática.

Casa de Cláudio de Souza recebe Semana da Cultura do Japão

Oficina da Semana da Cultura do Japão em 2014

Oficina da Semana da Cultura do Japão em 2014

A Casa de Cláudio de Souza (Museu Imperial/Ibram) recebe, na próxima semana, a Semana da Cultura do Japão. O evento acontece de 11 a 15 de agosto e faz parte do Bunka-Sai – Festival da Cultura Japonesa de Petrópolis, organizado pela Associação Nikkei de Petrópolis.

Durante a semana, interessados poderão desfrutar, gratuitamente, de uma programação extensa e dinâmica, que abrange todos os aspectos da cultura japonesa. São palestras, oficinas, concerto de violinos, dentre outras atividades.

O evento tem apoio do Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, Museu Imperial, Casa de Cláudio de Souza, Academia Petropolitana de Educação, Academia Brasileira de Poesia e Centro de Estudos de Jovens e Adultos de Petrópolis.

A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247, Centro, Petrópolis. Para mais informações, entre em contato pelos telefones (24) 2231-5156 e (24) 2231-4722 ou pelo e-mail mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br.

Receita doa uma série de obras apreendidas ao Ibram

Pintura Rio de Janeiro, de Luis Ribeiro, sendo recebida no Museu da República

Pintura Rio de Janeiro, de Luis Ribeiro, sendo recebida no Museu da República

Cinco museus Ibram receberam, nesta semana, obras apreendidas pela Receita Federal na Alfândega do Aeroporto de Guarulhos e na Alfândega do Porto de Santos, em São Paulo.  As obras, que foram destinadas ao Ibram, como previsto pela Lei 12.840/2013,  já estão sob a guarda e administração dos museus e passarão agora por procedimentos museológicos de documentação, conservação e pesquisa, através do qual as equipes técnicas dos museus poderão identificar ou confirmar sua origem, material utilizado, estilo e autoria, entre outros aspectos.

O Museu Nacional de Belas Artes (RJ) recebeu a pintura Mangueïrengruppe (grupo de mangueiras ) do artista austríaco naturalista Joseph Selleny, que veio ao país no século XIX com o objetivo de retratar a paisagem brasileira. Duas esculturas intituladas Negros Venezianos suportando resposteiros, representação artística de escravos do séc. XIX, foram para o Museu da Abolição (PE).

O Museu da República (RJ) recebeu a obra de Luís Ribeiro, Rio de Janeiro – Baia de Guanabara, de 1899, apresenta uma cena marítima da então capital federal, nos primeiros momentos da República recém instaurada. Le Corcovade, de Henri Langerock, de cerca de 1880, foi destinada ao Museu Imperial (RJ), e fará parte da coleção que retrata o Rio de Janeiro real e imperial.

A tela O Martírio das onze mil virgens, Escola Flamenca do século XVII, foi destinada ao Museu Histórico Nacional (RJ), que também recebeu as tapeçarias Noblemen in the Garden e uma tapeçaria em fio de lã, com a seguinte inscrição na borda inferior: Manufacture Royale Aubusson 1739. De acordo com a diretora do MHN, Ruth Beatriz, com essas peças, o museu forma um conjunto de tapeçarias jamais visto no Brasil.

A destinação das obras levou em conta critérios como a política de aquisição dos museus, disponibilidade para receber os bens, condições favoráveis de preservação e segurança, além das disposições de preferência previstas pela lei que dispõe sobre a destinação de bens culturais aos museus.

Museu Imperial recebe doação de caderno de viajante inglês do século 19

Páginas do caderno de viagem de William Collett no Brasil (1848)

Páginas do caderno de viagem de William Collett no Brasil (1848)

Nesta sexta-feira ( 3), às 16h, o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), recebe de Deirdre Atmore e George Andrews, descendentes do viajante inglês William Rickford Collett (1810-1882), a caderneta (travel-log) com anotações sobre a viagem do aventureiro entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais – realizada de fevereiro a abril de 1848.

Com o título Journey  from Rio de Janeiro to the Mines (Viagem do Rio de Janeiro para as Minas, em tradução livre) o volume com encadernação de couro e fecho de metal contém 70 páginas com apontamentos manuscritos e aquarelas de próprio punho do viajante, e que permaneceu em poder dos descendentes de William Collett até hoje.

Viajantes pelo Brasil
A obra de Collett se inscreve no rol dos registros de viagem comuns no século 19, especialmente os produzidos por súditos da coroa britânica, seja por artistas profissionais e/ou artistas diletantes conhecidos a partir dos exemplares preservados na Coleção Geyer, que pertence ao Museu Imperial.

Assim, o diário de William Collett se junta a outros, igualmente produzidos na primeira metade do século 19, como os Diários do almirante Graham Eden Hamond (1825-1838) e os Sketches do tenente William Smyth (1831-1834), complementando tematicamente a categoria “literatura de viagem” sob a guarda do Museu Imperial.

Dentre os destaques do caderno de viagem encontram-se duas imagens raras: uma que documenta os primórdios da construção do Palácio Imperial de Petrópolis, hoje Museu Imperial, e outra da Fazenda do Padre Correa, comunidade rural anterior a chegada da família imperial.

Assim, a incorporação da obra contribui para o estudo da ocupação da região petropolitana e do registro de seu cotidiano. Saiba mais sobre o Museu Imperial e faça uma visita virtual.

Texto e imagem: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

 

Leilão: Museu Imperial adquire retrato desconhecido de d.Pedro II

Retrato à lápis de d.Pedro II

Desenho do jovem imperador d.Pedro II passa a integrar acervo do Museu Imperial

A Sociedade de Amigos do Museu Imperial arrematou um retrato inédito do imperador d. Pedro II durante leilão realizado na Casa Collin Du Boccage, em Paris (França), na sexta-feira (19).

O desenho, crayon sobre papel, medindo 21,5 x 16,8cm, retrata o segundo imperador do Brasil de perfil, em traje civil, portando insígnia e placa da Imperial Ordem do Cruzeiro do Sul. A obra, sem assinatura, traz a inscrição: “1841” e “D´après nature”.

A obra pertenceu à coleção da família real francesa e, muito provavelmente, foi oferecida no leilão por herdeiros da princesa d. Isabel de Orleans e Bragança, bisneta de d. Pedro II, e condessa de Paris por casamento com Henrique de Orleans, chefe da casa real francesa.

Maurício Vicente Ferreira Junior, diretor do Museu Imperial/Ibram,  que fica em Petrópolis (RJ), e que arrematou o retrato por telefone, afirma que “as características da obra sugerem que o retrato tenha sido produzido como um estudo para a elaboração de uma medalha ou moeda, não executadas, no contexto celebrativo da coroação e sagração do jovem imperador, em 1841″.

A oferta da peça em leilão foi informada ao Museu Imperial pelo Setor Cultural da Embaixada do Brasil na França, que ainda acompanhou toda a operação desde Paris. O valor pago pela peça foi de 1,5 mil euros (cerca de 5,2 mil reais).

Saiba mais sobre o Museu Imperial e faça uma visita virtual ao antigo palácio imperial.

Texto e imagem: divulgação Museu Imperial

Visitas ao Museu Imperial crescem 60% no feriado de Corpus Christi em 2015

O feriado prolongado de Corpus Christi neste ano, entre os dias 4 e 7 de junho, fez com que o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), tivesse um aumento expressivo em sua visitação: o público total no período contabilizou 10.677 visitantes.

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

O número, que engloba visitas ao palácio e audiência ao espetáculo Som e Luz e a dramatização Um Sarau Imperial, representou um aumento de 60% com relação ao mesmo período do ano de 2014, quando o Palácio Imperial de Petrópolis recebeu 6.669 pessoas.

“O incremento da visitação ao museu é o resultado do trabalho de divulgação dos serviços oferecidos pela instituição e de sensibilização do público sobre a importância dos acervos históricos e artísticos preservados na casa favorita do imperador d. Pedro II”, esclarece Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial.

“Isso é a prova de que os museus podem e devem formar novos públicos interessados em conhecer um pouco mais da história nacional”, conclui.

Já o número de estudantes atendidos pelo Setor de Educação do museu foi de 249 alunos. Durante os quatro dias do feriado, somente o Palácio Imperial de Petrópolis recebeu 9.300 visitantes.

O espetáculo Som e Luz foi visto por 1.090 espectadores neste período de 2015. Já as modinhas da dramatização Um Sarau Imperial foram acompanhadas por 287 pessoas. Conheça mais sobre o Museu imperial e faça uma visita virtual.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Semana e Museus no Museu Imperial tem uma vasta programação

Museu ImperialO Museu Imperial/Ibram realiza uma série de atividades durante esta semana. Na segunda (18), o Museu estará fechado para visitação, porém, será realizada a sétima edição do Curso de Atualização para Guias de Turismo, que vai até o dia 20, e é destinado a guias com registro na Embratur. Seu objetivo é capacitar os profissionais para atuarem nos pontos turísticos de Petrópolis, de modo a proporcionar atendimento de qualidade aos turistas que visitam a cidade. Na programação do curso, estão previstas palestras e visitas guiadas no Museu Imperial e outros pontos turísticos da cidade. Também será realizada uma visita técnica aos bastidores do Museu Imperial, na qual os participantes conhecerão os acervos arquivístico, bibliográfico e museológico que não estão expostos no palácio. Os guias serão convidados ainda a assistir aos espetáculos Som e Luz e Um Sarau Imperial gratuitamente.

Ainda na segunda-feira, às 10 horas, haverá uma mesa redonda sobre o tema da Semana, “Museus para uma sociedade Sustentável”. O palestrante Carlos Fernando de Moura Delphim falará sobre “Sustentabilidade ambiental e patrimônio cultural”; Evany Noel abordará o tema “Sustentabilidade econômica, o potencial dos museus como geradores de emprego e renda e Turismo e Desenvolvimento Econômico de Petrópolis”; já Antônio Carlos Dias Pastori, exporá a questão da “Sustentabilidade sociocultural, o projeto de reativação da Estrada de Ferro Príncipe do Grão Pará e seu potencial para a recuperação ambiental, social e cultural da região do Meio da Serra e os seus benefícios para a cidade de Petrópolis”. A mesa redonda terá como mediadores a Mestre em Filosofia da Educação, Lara Sayão, e o Diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr.

Além disso, estará acontecendo a II Feira de Livros, na Biblioteca do Museu, das 09h às 12h e das 14h às 18h. Este evento irá até o dia 22 de maio. Para participar, os interessados deverão trazer os livros para serem trocados, caso não exista nenhum livro de interesse, será dado um vale livro que poderá ser utilizado durante o período do evento. Os amantes da leitura poderão se deliciar escolhendo exemplares de artes, história, infantil, infantojuvenil, filosofia dentre outros. Dicionários, enciclopédias não serão aceitos.

No segundo dia, 19 de maio, o Museu Imperial terá visitação gratuita a todos, em celebração ao Dia Internacional de Museus. A partir desta data, até o dia 24 de maio, interessados poderão visitar a Exposição “Iconografia Petropolitana”, na Galeria Petrópolis, dentro do Palácio. Para este, a entrada franca será para moradores de Petrópolis mediante comprovação de residência.

Ainda no dia 19, a Biblioteca Rocambole terá contação de história do livro “O Livro do Planeta Terra”, das 14h30 às 15h30. A participação é gratuita mediante inscrição prévia junto ao setor de Educação, porém restrita a grupos escolares.

Na quarta-feira, dia 20 de maio, todos os interessados poderão desfrutar das edições promocionais do “Um Sarau Imperial”, às 18h30, e do “Espetáculo Som e Luz”, às 20 horas, com o valor de R$5,00. Também na quinta, sexta-feira e sábado os mesmos serão realizados a este preço.

Ainda na quarta-feira, o livro “Água Viva” será a leitura da Biblioteca Rocambole, às 14h30 e, mais tarde, às 15h30, o Museu Imperial receberá 30 adolescentes em conflito com a Lei, amparados pelo Departamento de Proteção Especial da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania de Petrópolis, para participar do Projeto Petrópolis e fazer uma visita ao Palácio. O Projeto será apresentado para escolas, na sexta-feira, dia 22, às 11h e 15h30.

No dia 21 de maio, quinta-feira, “O Livro das Origens” fará parte da Hora do Conto na Biblioteca Rocambole, seguido de oficina criativa, às 14h30.

No sábado, dia 23 de maio, assim como acontece tradicionalmente, Miguel Berredo irá guiar a prática de meditação no Museu Imperial, às 10 horas, gratuitamente. Enquanto isso, com início às 09 horas, estará sendo realizada a I Jornada Artística, com palestra sobre criação artística, no Cineteatro, com o artista plástico, Luiz Áquila. Ao término da Jornada, às 10 horas, começará a Oficina de Aquarela – “O Museu Imperial e seu entorno”, com Beatriz Pena, nos jardins. Interessados devem se inscrever gratuitamente no site do Museu Imperial.

Para encerrar a Semana Nacional de Museus, haverá a prática de Yoga, às 9h30 no pátio do Museu e, mais tarde, às 16 horas, o Conjunto anima e Cuore e a Orquestra e Coro da Universidade Católica de Petrópolis se apresentam no Cineteatro no III Concerto da Temporada 2015. Os ingressos serão gratuitos mediante retirada antecipada na bilheteria do Museu Imperial.

Texto: Ascom Museu Imperial

Museu Imperial oferece online diário de viagem de d. Pedro II

Retrato do imperador tirado em Nova Iorque em 1876

Retrato do imperador tirado em Nova Iorque em 1876

A partir do dia 29 de abril, o Museu Imperial irá disponibilizar diariamente, em seu portal da internet e na página web do Consulado dos Estados Unidos, o conteúdo do diário de d. Pedro II, relativo à viagem feita ao território estadunidense, de abril a julho de 1876. São 43 cadernetas manuscritas que fazem parte do acervo do Museu.

Entre abril e junho de 1876, o então imperador do Brasil d. Pedro II protagonizou uma histórica viagem aos Estados Unidos da América, onde participou da Exposição Universal daquele ano, comemorativa ao centenário da independência estadunidense.

As cadernetas, que integram o acervo do museu e receberam o Prêmio Memória do Mundo da Unesco, terão seu conteúdo disponibilizado em posts diários que serão publicados até 7 de julho nas páginas eletrônicas do Museu Imperial e do Consulado dos Estados Unidos.

A data escolhida para iniciar as postagens não foi ao acaso: no dia 29 de abril foi escrita a primeira anotação do imperador. “Vamos seguir a lógica do diário, trabalhando com textos adequados a linguagem atual e incluindo imagens de época para acompanhar”, explica o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr. Conheça o Museu Imperial.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Imperial/divulgação

Página 4 de 14« Primeira...23456...10...Última »