Página 3 de 1412345...10...Última »

Museu Imperial tem novo horário de funcionamento para escolas

A partir do dia 1° de março, o Museu Imperial/Ibram ampliará o atendimento a grupos escolares, passando a recebê-los a partir das 10h. A mudança no horário visa atender aos estudantes do turno da manhã e será mantida até o mês de dezembro.

O Museu Imperial oferece visitas mediadas e outros projetos educativos a escolas públicas e privadas gratuitamente. Somente em 2015, o Setor de Educação do museu ofereceu 66.341 visitas monitoradas a alunos e professores. As visitas devem ser agendadas previamente junto ao Setor de Educação, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 12h30 às 17h30, através do telefone (24) 2233-0345. Saiba mais

Museu Imperial registra recorde histórico de visitação em 2015

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

Longas filas marcaram o feriadão de Corpus Christi no Museu Imperial

O Palácio Imperial de Petrópolis, os espetáculos Som e luz e Um Sarau Imperial e as demais programações organizados pelo Museu Imperial/Ibram registraram recorde histórico de público no ano de 2015, alcançando a expressiva marca de 429.124 visitantes. O número equivale a um incremento superior a 19% se comparado com o ano anterior, quando a visitação registrou 346.334 pessoas.

O diretor do Museu Imperial, Prof. Maurício Vicente Ferreira Jr., afirma que o recorde de visitação “É resultado do esforço da instituição em aperfeiçoar as estratégias de acolhimento aos turistas e frequentadores e, ao mesmo tempo, um reflexo da situação do país uma vez que a crise econômica intensificou o turismo doméstico. E ao melhorarem a qualidade dos serviços oferecidos ao público os museus consolidam-se como opção de destino para os deslocamentos, especialmente durante os períodos de férias e de feriados prolongados”.

O Setor de Educação do Museu Imperial ofereceu visitas monitoradas a 66.341    estudantes e professores das redes privada e pública de ensino.  E os demais serviços e projetos do Museu, como o espetáculo Som e Luz e a dramatização “Um Sarau Imperial”, receberam 53.158 pessoas.  Já a residência de verão da Família Imperial brasileira foi visitada por 375.966 pessoas.

Museu Imperial oferece visita guiada nas férias

Museu ImperialComeçou no sábado (02) e segue até o dia 27 de fevereiro, as visitas guiadas oferecidas durante as férias pelo Setor de Educação do Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis. As visitas acontecerão de terça a sábado nos horários de 11h20, 12 horas, 12h30, 13 horas, 13h30, 14 horas, 14h30, 15 horas e 15h30. Em cada horário será formado apenas um grupo, que será acompanhado por uma educadora treinada pelo museu.

As visitas guiadas são opcionais, cabendo ao visitante optar por realizá-la individualmente ou em grupo. Caso tenha interesse, o participante deverá adquirir o ingresso na bilheteria do Museu e dirigir-se ao saguão de entrada, onde será formado o grupo. Não será cobrado valor adicional pelo serviço de monitoria.

 

Museu Imperial recebe doação de fotografias de Joaquim Eloy

O Museu Imperial recebeu do professor Joaquim Eloy Duarte dos Santos a doação de 18.629 fotografias (negativos de celulose) de autoria de Américo Czaco, produzidas na cidade de Petrópolis entre 1956 e 1962.

Fátima Argon, pesquisadora do Museu Imperial, desde a década de 1990, acalentava o sonho de ver esse conjunto documental incorporado ao acervo da instituição, cuja importância para a história da cidade de Petrópolis ela confirmou durante o seu trabalho A história da fotografia em Petrópolis (1851-1960), desenvolvido graças à Bolsa Vitae de Artes obtida em 2001/2002. Segundo suas pesquisas, Américo Czaco, de nacionalidade húngara, foi repórter fotográfico trabalhando para a Tribuna de Petrópolis e para o Jornal de Petrópolis.

O material constitui uma rica fonte de pesquisa acerca da vida social e política da sociedade petropolitana.  Desse conjunto, destaca-se uma coleção de imagens da visita de Juscelino Kubistcheck de Oliveira, por ocasião do centenário da elevação de Petrópolis à categoria de cidade, em 1957. Há registros de enchentes, desfiles cívicos, bailes de formatura, atividades de esporte, festas de casamento, carnaval, edifícios em construção, políticos, comércio e outros.

Presidente Juscelino inaugurando o obelisco em 1957

Presidente Juscelino inaugurando o obelisco em 1957

A doação foi feita durante a abertura do seminário D. Pedro II: História e Memória, comemorativo dos 190 de nascimento do imperador.

Texto e imagem: Assessoria de Comunicação do Museu Imperial

Começa hoje no Museu Imperial Seminário sobre D. Pedro II

Em comemoração aos 190 anos do nascimento de d. Pedro II, começa hoje, dia 2 de dezembro, no Museu Imperial o seminário D. Pedro II: História e Memória. Com o objetivo de divulgar estudos pautados em novos recortes temáticos e abordagens historiográficas, o evento terá temas pautados no Segundo Reinado e, especialmente, na trajetória do imperador.

SITE Imperial Seminario 02 DEZ

O seminário que acontecerá entre os dias 2 e 4 de dezembro de 2015 terá sua abertura oficial na Sessão da Comissão de Estudos e Pesquisas Históricas – CEPHAS – do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro – IHGB. A conferência de abertura será ministrada no dia 2 de dezembro, às 15h pela professora Lucia Maria Paschoal Guimarães que falará sobre o tema D. Pedro II em Portugal (1871-1872): memória e história.

Foram oferecidas 80 vagas, mas devido à grande procura nas inscrições, ampliou-se para 120, ou seja, mais 50% do previsto inicialmente.

O evento é gratuito e acontecerá no cineteatro do Museu Imperial. Saiba mais sobre o Seminário no site do Museu Imperial.

Sobre a palestrante Lucia Maria Paschoal Guimarães – Doutora em História Social (USP). Pós-doutorado na Cátedra Jaime Cortesão da FFLCH/USP e pesquisa sabática na Universidade Nova de Lisboa. Professora Titular de Teoria da História e Historiografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sócia Titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e Diretora da Revista do IHGB.

 CURADORIA:

Maria de Fátima Moraes Argon é graduada em História (1982) e Arquivologia (1986) e pós-graduada em História do Brasil (2009). Foi autora de diversos artigos, publicações e CDs sobre temas como: a Família Imperial, História de Petrópolis, História da Fotografia e Arquivos Pessoais. É Pesquisadora do Museu Imperial /Ibram/MinC, instituição na qual trabalha desde 1980. Coordenou projetos como: organização de publicações técnicas, seminários, exposições, dentre eles, o catálogo Família Imperial – Álbum de retratos (2002), que contou com o apoio do Programa ADAI (Espanha); o seminário As Muitas Faces de D. Pedro (2005) comemorativo dos 180 anos de d. Pedro II; o seminário A Princesa das Camélias (2006) comemorativo dos 160 anos da princesa Isabel e a exposição O Brasil Imperial nos Ateliês Franceses (co-curadoria, 2009) É Associada Titular do Instituto Histórico de Petrópolis e Sócia Correspondente da Academia Valenciana de Letras

Alessandra Bettencourt Figueiredo Fraguas é graduada em Licenciatura em História pela Universidade Católica de Petrópolis (2008) e em Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994). Possui experiência em pesquisa em acervo histórico e artístico. Participou de projetos relacionados ao acervo histórico do Museu Imperial, como a elaboração do dossiê que rendeu aos Documentos relativos às viagens do Imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo a nominação no Programa Memória do Mundo Internacional da UNESCO. Trabalhou no Museu Imperial como Técnica em Acervo do Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial – DAMI. É Associada Titular do Instituto Histórico de Petrópolis.

Texto e Imagem: Assessoria de Comunicação do Museu Imperial

Museu Imperial recebe doação de fotografias

Mais doações chegaram ao Museu Imperial. Desta vez, documentos tão importantes para a história das famílias Werneck e Duriez como também para a história de Petrópolis e da fotografia.

Vista da Fazenda do Alto do Pegado

Vista da Fazenda do Alto do Pegado

A sra. Ilka Werneck de Carvalho Pereira Jeronymo doou retratos de Guilherme José Werneck de Carvalho e seus descendentes, do período de 1883 a 1981. São fotografias de autoria do fotógrafo Carneiro&Tavares estabelecido no Rio de Janeiro e de vários fotógrafos como Hees Irmãos, Nietzsch, Arpad, Mario e outros, que atuaram na cidade de Petrópolis. Há, também, uma vista da Fazenda do Alto Pegado, localizada em Secretário, Pedro do Rio, de propriedade da família; um cartão postal da fachada lateral do prédio dos Correios e Telégrafos, vendo-se parte do jardim do Colégio D. Pedro II, e uma fotografia da Avenida Barão do Rio Branco, vendo-se o prédio da Moageira em construção e ao lado o comércio Bilhar e SnooKer, da década de 1950.

Já a sra. Thélia Maria Martins Werneck doou três fotografias: a primeira, do aluno Arlédio Mário Martins recebendo das mãos do prof. Carlos Alberto Werneck um livro, por mérito, em solenidade realizada em dezembro de 1963, no Cinema Petrópolis;  a segunda, de Henrique Duriez; e a terceira, de Suzana Röemer Duriez. O comerciante Henrique Duriez era proprietário da Casa Duriez, que funcionou na Avenida Quinze de Novembro, nº 751.  O estabelecimento de laticínios, conservas e louças de barro, conhecido como a “Loja dos Franceses”, vendia creme de leite, queijos e manteigas especiais.

Texto e foto: Museu Imperial/Ibram

 

Museu Imperial abre inscrições para seminário sobre D. Pedro II

Para comemorar os 190 anos do nascimento de d. Pedro II, o Museu Imperial/Ibram promoverá em Petrópolis (RJ), entre os dias 2 e 4 de dezembro, o seminário D. Pedro II: História e Memória, que contará com a presença de historiadores e especialistas ministrando palestras que visam difundir entre o público trabalhos em torno do pensamento e da memória do imperador.

Com curadoria de Maria de Fátima Moraes Argon e Alessandra Fraguas, o seminário contemplará dois eixos temáticos: História: d. Pedro II e o desenvolvimento das ciências no Brasil e Memória: a construção e a reabilitação da memória do imperador. O objetivo é divulgar estudos pautados em novos recortes temáticos e novas abordagens historiográficas, que permitam a reflexão crítica sobre o Segundo Reinado e, especialmente, sobre a trajetória de d. Pedro II.

Serão oferecidas 80 vagas. Os interessados em participar do seminário podem fazer as inscrições on-line até o dia 20 de novembro, gratuitamente, no site do Museu Imperial.

Sobre as curadoras

Maria de Fátima Moraes Argon é graduada em História (1982) e Arquivologia (1986) e pós-graduada em História do Brasil (2009), além de ser autora de diversos artigos e publicações sobre a Família Imperial e História de Petrópolis. É pesquisadora do Museu Imperial, tendo coordenado projetos como a organização de publicações técnicas, seminários e exposições. É Associada Titular do Instituto Histórico de Petrópolis e Sócia Correspondente da Academia Valenciana de Letras.

Alessandra Bettencourt Figueiredo Fraguas é graduada em Licenciatura em História pela Universidade Católica de Petrópolis (2008) e em Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994). Possui experiência em pesquisa em acervo histórico e artístico. Participou de projetos relacionados ao acervo histórico do Museu Imperial, onde também trabalhou como Técnica em Acervo do Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial – DAMI. É Associada Titular do Instituto Histórico de Petrópolis.

Biblioteca Rocambole comemora o Dia da Consciência Negra e muito mais

Atividade de leitura na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial

Atividade de leitura na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial

No mês de novembro a Biblioteca Rocambole irá comemorar o Dia Nacional da Cultura, Semana da Música, Dia do Inventor e Dia da Consciência Negra, para isso, a Bibloteca Rocambole (Museu Imperial/Ibram/MinC) preparou uma programação especial, com exibição de vídeos, oficinas criativas e exploração do acervo. Todas as atividades são gratuitas e destinadas a grupos escolares previamente agendados junto ao setor de Educação do Museu Imperial.

Nos dias 10 e 11 de novembro, em homenagem ao Dia do Inventor, será exibido o filme “Operação Big Hero”, uma animação infantil que conta a história de um garoto prodígio que cria um poderoso robô para participar de lutas clandestinas para tentar ganhar dinheiro. Porém, seu irmão deseja atraí-lo para algo mais útil e resolve levá-lo até o laboratório onde trabalha, que está repleto de invenções. Para conseguir ser matriculado no local, o menino precisa fazer a apresentação de uma grande invenção, entretanto, as coisas não saem como ele imaginava e, deprimido, encontra auxílio inesperado através do robô inflável Baymax, criado pelo irmão.

No dia 12, haverá Hora do Conto seguida de Oficina criativa. A leitura será do livro “Malvina”, que apresenta uma menina cheia de imaginação. Malvina tem muitas ideias, até o dia que decide inventar uma fabulosa máquina de despreocupação pra gente grande não ocupar demais a cabeça com tantos problemas, assuntos e complicações. É aí que algo estranho acontece! Onde foram parar suas ideias?

Nos dias 17 e 18 de novembro, após a leitura de “Obax”, haverá exploração do acervo da Rocambole. O livro conta que quando o sol acorda no céu das savanas, uma luz fina se espalha sobre a vegetação escura e rasteira. O dia aquece, enquanto os homens lavram a terra e as mulheres cuidam dos afazeres domésticos e das crianças. Ao anoitecer, tudo volta a se encher de vazio, e o silêncio negro se transforma num ótimo companheiro para compartilhar boas histórias. Esta data aproveita para comemorar o Dia da Consciência Negra.

“Meus contos africanos” também será lido em comemoração ao Dia da Consciência Negra, no dia 19 de novembro, seguido de Oficina Criativa. A história fala sobre o caleidoscópio de um livro que retrata a África em sua miríade de facetas e cores: o brilho ofuscante do quente sol africano, o tom azul das montanhas no horizonte, o repouso misericordioso oferecido pela água e pela mata, os estratagemas e a malícia das criaturas, tanto animais como humanas, que povoam esse vasto continente selvagem, e sua generosidade humana, seus grandes corações e seu riso sempre presente. Aqui são encontrados contos tão antigos quanto a África, contados ao redor de fogueiras no final do dia desde tempos imemoráveis, contos herdados dos povos san e khoi, originalmente caçadores e criadores de animais pioneiros, deixados à imaginação daqueles que vieram do mar em grandes embarcações de velas ondeantes.

Nos dia 24 e 25, haverá Hora do conto e sensibilização musical, com piano ao vivo, para comemorar a Semana da Música. Para entrar no clima, a leitura será do livro “Beethoven”, da coleção Crianças Famosas, que conta episódios da infância dos maiores músicos, pintores e escritores da História, mostrando sua genialidade precocemente revelada e apresentando-os ao público infantil. Nascido em 1770, Beethoven se apaixonou por música quando ainda era criança e teve influências de seu pai, um tenor que também dava aulas de piano e violino. Não é à toa que Beethoven era considerado um prodígio no quesito musical – a primeira vez que ele se apresentou em um concerto foi quando tinha apenas sete anos.

Para encerrar a programação do mês de novembro, no dia 26, haverá Hora do conto e oficina criativa. O livro escolhido foi “Imagine uma menina com cabelos de Brasil…”. A história apresenta Aparecida, uma garotinha com baixa autoestima, descontente com seus cabelos e que se sente deslocada na escola. As coisas só começam a mudar quando ela se une as suas duas únicas amigas para enfrentar as provocações das outras meninas. Com muita determinação e personalidade, Aparecida quer conquistar o seu lugar no mundo.

A Biblioteca Rocambole funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 12h, para leitura espontânea, consultas e empréstimos. Na parte da tarde, o espaço abre as portas para as atividades escolares agendadas através do telefone (24) 2233-0345, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 12h30 às 17h30.

O acervo é composto por cerca de 600 títulos, entre livros, revistas, gibis, dicionários, atlas, DVDs e jogos.  Sua programação mensal de atividades e outras informações relativas ao seu funcionamento e obras podem ser acessadas no Blog da Biblioteca: http://bibliotecarocambole.blogspot.com.

SERVIÇOS

Biblioteca Rocambole
Funcionamento: terça a sexta-feira, das 9h às 12h (consultas e empréstimos) e das 14h às 17h (atividades com grupos escolares agendados)
Local: Museu Imperial
Informações: (24) 2233-0332 / (24) 2233-0312
Agendamento para grupos escolares: (24) 2233-0345 (setor de Educação)
Mais informações e programação: http://bibliotecarocambole.blogspot.com

 

Texto: Ascom Museu Imperial

Design Petrópolis tem atividades no Museu Imperial

O Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis, recebe atividades do evento Design Petrópolis, entre os dias 4 e 14 de novembro. O evento apresenta à cidade, o design como fator diferencial e inovador, aplicado na comunidade de serviços, comércio e indústria. As atividades acontecem no espaço Cultural InterTV e no Cine Teatro do Museu Imperial. São palestras e workshops, bem como exposição de objetos.

No dia 5 de novembro, às 17h30, o Cine Teatro do Museu Imperial recebe o designer Fred Gelli, do escritório Tatil Design de Ideias, que ministra palestra sobre a criação do design visual para as Olimpíadas e Para Olimpíadas. Também às 17h30, no dia 9, a pestra é de Jorge Lopes, da PUC Next. Jorge fala sobre o uso da prototipagem e a fabricação digital no design e na produção futura.

O design vai à mesa é o tema da palestra que acontece no dia 10 de novembro, às 15h, no Cine Teatro do Museu Imperial. Antonio Lo Presti fala sobre a relação do design com a alimentação e o arranjo dos pratos.

E para encerrar as atividades no Museu, no dia 12, às 17h, Gilberto Strunck, da Dia Comunicação ministra palestra sobre a relação do design e as soluções necessárias para a venda dos produtos.

Mais informações sobre o evento aqui.

Documentos do Museu Villa-Lobos são reconhecidos patrimônio pela Unesco

villa-lobos.gif-300x272Na última quarta-feira (14), foi publicada portaria do Ministério da Cultura que reconhece a inscrição dasPartituras – Obras de Heitor Villa-Lobos (1901-1959), apresentadas pelo Museu Villa-Lobos / IBRAM, no Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Além das partituras, a Iconografia do Rio de Janeiro na Coleção Geyer (séculos XVI a XIX), apresentada pela Casa Geyer (Museu Imperial/Ibram) e outros documentos históricos foram selecionados. A lista com os 10 nominados, inscritos no edital de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União.

Criado em 1992, o Programa Memória do Mundo é uma iniciativa da Unesco e reconhece documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional. Entre os objetivos da iniciativa estão os de preservar e difundir esse acervo e impedir que o patrimônio da humanidade seja esquecido.

O museu

O Museu Villa-Lobos fica na Rua Sorocaba, 200, em Botafogo, no Rio de Janeiro, e fica aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Instalado em um casarão tombado do século XIX, o museu reúne objetos e documentos referentes à vida e à obra do compositor e maestro Heitor Villa-Lobos. O acervo tem mais de 53 mil itens, entre partituras (manuscritas e impressas), correspondências, recortes de jornais, discos, filmes, livros, condecorações, instrumentos musicais e objetos de uso pessoal.

Página 3 de 1412345...10...Última »