Página 11 de 15« Primeira...910111213...Última »

Balanço: Museu Imperial recebeu mais de 270 mil pessoas em 2011

Exatamente 277.881 pessoas passaram pelo Museu Imperial/Ibram no ano de 2011. O número, que reúne os dados de visitação ao palácio e o público espectador dos eventos, foi fechado a partir do relatório emitido pelo sistema de bilheteria da instituição.

Já a Casa de Cláudio de Souza, inaugurada em julho e pertencente ao Museu Imperial, recebeu 1.710 visitantes até o final de dezembro do ano passado.

Apesar de ter sofrido uma redução em relação a 2010, quando foram recebidas 331.347 pessoas, o número é considerado bastante positivo, pois a tragédia das chuvas, em janeiro, reduziu em cerca de 90% a visitação no início do ano.

De acordo com o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., “o expressivo número de visitantes comprova que o desejo de visitar o Museu Imperial é maior que o medo provocado pela tragédia do 11 de janeiro”.

Na visão da instituição, a ampla visitação em 2011 pode ser atribuída à constante oferta de novas atividades, eventos e exposições, além da capacitação frequente da equipe para atender ao público com qualidade. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial

Museu Imperial oferece visitas guiadas no período de férias

Durante os meses de janeiro e fevereiro, o Museu Imperial/Ibram conta com uma novidade para o público: de terça-feira a sábado são oferecidas visitas guiadas de hora em hora, das 11h às 16h.

As visitas são conduzidas por monitoras capacitadas pelo setor de Educação do Museu Imperial. Ao longo do ano, elas são responsáveis por acompanhar grupos de estudantes e, no período de férias escolares, atendem ao público visitante. O serviço está incluído do valor do ingresso de visitação, sem custo adicional. Mais informações aqui.

Recesso em janeiro
Durante este mês, o espetáculo Um Sarau Imperial não terá apresentações. A dramatização, que recria um sarau oferecido pela princesa Isabel em 1878, voltará a ser apresentada normalmente em fevereiro.

O espetáculo, com duração de 45 minutos, conta com a participação de quatro atrizes, sendo uma também cantora lírica, e um pianista. Eles interpretam a princesa Isabel, a condessa de Barral, a baronesa da Loreto, Adelaide Taunay e Isidoro Bevilacqua, professor de piano da princesa.

Ao longo da dramatização, o público tem a oportunidade de acompanhar diálogos baseados na correspondência da família imperial, que abordam aspectos políticos, econômicos, culturais e sociais do século XIX. Tudo isso é embalado por modinhas imperiais e declamação de poesias.

A partir de fevereiro, Um Sarau Imperial voltará a ser apresentado às sextas-feiras, às 18h30. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), com oferecimento ainda de pacotes promocionais. Mais detalhes aqui.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Museu Imperial/Ibram recebeu mais de 250 mil visitantes em 2011

Desde o início de 2011 até 23 de dezembro, o Museu Imperial/Ibram recebeu 255.600 visitantes. O número é considerado positivo pela direção do museu, apesar de ser menor que o público recebido em 2010, que foi de 331.347 pessoas.

Contudo, informa o museu, ”é preciso levar em conta a redução de visitantes em Petrópolis (RJ) nos primeiros meses deste ano em virtude das chuvas em 12 de janeiro.”

“Em 2011, o Museu Imperial buscou otimizar o desempenho de suas atividades básicas: a preservação, o estudo e a comunicação do acervo histórico, artístico e paisagístico sob sua responsabilidade, bem como dinamizar a oferta de serviços de qualidade para um público cada vez maior”, afirma Maurício Vicente Ferreira Júnior, diretor do Museu Imperial.

“Em 2012, pretendemos fazer ainda mais, oferecendo aos petropolitanos e turistas do Brasil e do mundo novas formas de apropriação do patrimônio nacional preservado no Museu Imperial”, conclui o diretor. Conheça o balanço de atividades realizadas neste ano pelo Museu Imperial.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Museu Imperial tem atividades e horários especiais no fim do ano

À época de d. Pedro II, o período das festas de final de ano era um dos mais movimentados em Petrópolis. O imperador gostava de chegar à cidade ainda em novembro e passar o Natal e o verão com a família em seu Palácio Imperial. Da mesma forma, outros nobres se refugiavam na Serra nessa época do ano.

Em homenagem a essa tradição, o Museu Imperial/Ibram oferece ao público uma edição especial de Natal do espetáculo Som e Luz. A apresentação acontece no dia 18 de dezembro, às 20h, e contará com ingressos ao preço promocional de cinco reais. 

Além do espetáculo especial, quem estiver na cidade poderá também desfrutar do Som e Luz regular, que acontece às quintas, sextas e sábados, às 20h, com ingressos a 20 reais, e de Um Sarau Imperial, nas sextas, às 18h30, com entrada a 10 reais. Contudo, devido aos feriados, não haverá apresentações do Som e Luz nos dias 24 de dezembro (véspera de Natal) e 31 de dezembro (Réveillon).

No período, também haverá horários especiais de visitação. Nos dias 24 e 31 de dezembro, o palácio estará aberto das 11h às 14h. Já em 25 de dezembro e 1º de janeiro, não haverá visitação. Mais informações aqui.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Alunos e professores da rede municipal na Casa de Cláudio de Souza (RJ)

As apresentações da 5ª. Mostra de Leituras do projeto Paiol de Histórias, da Fundação Cultural Casa Lygia Bojunga, realizada nas tardes da terça-feira (6) e quinta-feira (8), na Casa de Cláudio de Souza, integrada ao Museu Imperial, contou com a presença de alunos e professores da rede pública municipal. Durante os dois dias, o evento foi apreciado por cerca de 150 pessoas.

O trabalho das crianças do Paiol de Histórias, com idade entre 9 e 12 anos, chamou a atenção do público. Leituras dramatizadas, músicas do folclore brasileiro, parlendas e brincadeiras com as palavras, foram interpretadas pelo grupo. A coordenação do Paiol é da pedagoga e musicista Francisca Valle e as oficinas de teatro são dos atores Madson José Carvalho e Renata Alves Carvalho.

O sucesso se repetiu na quinta-feira (8) com a turma de adolescentes. Eles dramatizaram a obra Tristezas de um coração, de Ariano Suassuna, um jogral sobre Zumbi, realizando brincadeiras com duas adivinhas e músicas de Villa- Lobos, Jaime Ovale e Waldemar Henrique. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial

Projeto mensal prevê visita aos bastidores do Museu Imperial (RJ)

Os participantes do projeto O Museu Que Não Se Vê, desenvolvido pelo Museu Imperial/Ibram, tiveram a oportunidade de conhecer um acervo diferente no dia 18 de novembro: os itens relacionados à fotografia guardados nos setores técnicos.

A atividade fez parte do festival de fotografia Clic! Petrópolis, que acontece na cidade até 27 de novembro, e esteve integrada ao projeto mensal que revela os bastidores do Museu Imperial, apresentando os setores técnicos e o acervo que não fica exposto no palácio.

A edição especial apresentou ao público livros sobre fotografia, periódicos, álbuns, câmeras antigas e imagens capturadas com diversas técnicas fotográficas, como daguerreótipo e ambrótipo. Os participantes tiveram até mesmo a oportunidade experimentar um estereoscópico, técnica do início do século XX que permite visualizar fotografias em três dimensões.

Além do acervo da Biblioteca, do Arquivo Histórico e do Setor de Museologia, os visitantes conheceram o Laboratório de Conservação e Restauração, que preserva todo esse acervo, e o Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Projeto DAMI), que digitaliza e disponibiliza no site do Museu as coleções guardadas na instituição.

A participação no projeto é gratuita e pode ser agendada pelo telefone (24) 2245-4668 ou pelo e-mail mimp.someluz@museus.gov.br. São realizadas visitas toda última quarta-feira do mês, das 9h e das 14h. Mais informações aqui.

Texto e fotos: Divulgação Museu Imperial

Sociedade de Amigos doa peças para o acervo do Museu Imperial (RJ)

No dia 5 de novembro foram comemorados os 20 anos da Sociedade de Amigos do Museu Imperial (SAMI) - também Dia Nacional da Cultura. Para celebrar, foi realizada uma cerimônia na qual a associação presenteou o Museu Imperial/Ibram com peças para os acervos museológico, arquivístico e bibliográfico da instituição.

Para a Biblioteca, foi doada uma obra raríssima: Funcções do casamento de sua Magestade Imperial, o senhor Dom Pedro I° com a sereníssima senhora princesa Amelia de Leuchtenberg. O livro, datado de 1830, traz todo o serviço do casamento de d. Pedro I com sua segunda esposa, d. Amélia, além de poemas e dedicatórias escritas para os noivos.

O Museu recebeu ainda, para o setor de Museologia, um retrato de d. Leopoldina (foto), primeira imperatriz do Brasil. A pintura tem autoria e data desconhecidas, mas, pelos trajes, é possível identificar que d. Leopoldina foi retratada já como imperatriz, o que restringe o período entre 1822 e 1826, ano de seu falecimento.

Já o Arquivo Histórico foi presenteado com uma série de oito fotografias que formam um panorama em 360° de Petrópolis. As imagens foram capturadas em 1898 por Jorge Henrique Papf, a partir do Morro do Cruzeiro (conhecido atualmente como Morro dos Milionários) e incluem a cadeira na qual o imperador d. Pedro II costumava se sentar para apreciar a vista da cidade.

O presidente da SAMI, dr. Miguel Pachá, ressaltou a importância das sociedades de amigos de museus. “Essas associações são necessárias para que o museu possa desenvolver atividades além das possibilitadas pelo seu orçamento anual, como é o caso da aquisição dessas peças. Assim, mantemos os museus vivos”. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Museu Imperial (RJ) recebe doação de Roupas Brancas

O Museu Imperial/Ibram recebeu como doação para seu acervo 91 peças das chamadas “roupas brancas”, que consistem em roupas de uso íntimo – todas datadas do século XIX e primeiras décadas do XX.

Na coleção, existem ainda camisolas, toucas, calçolas, camisinhas de pagão, lençóis, fronhas e toalhas de mesa. Os itens são confeccionados em cambraia de linho, fustão e rendas de diversos materiais.

A doação foi feita pelo casal Eduardo e Sônia Soares Sampaio, que descende de Heloísa Leal e Joaquim Elísio Pereira Marinho, viscondessa e visconde de Guaí. Entre as peças doadas, encontram-se artigos que pertenceram à viscondessa, como uma blusa e um lenço.

Segundo Ana Luisa Alonso de Camargo, chefe do setor de Museologia do Museu Imperial, “essa doação vem enriquecer ainda mais a coleção de indumentária do Museu e, em especial, de indumentária infantil”.

As peças serão preservadas na reserva técnica do Museu, sob responsabilidade do setor de Museologia. Mais informações sobre o setor e agendamentos para consulta ao acervo podem ser feitas pelo e-mail mimp.museologia@museus.gov.br/.

Fonte: Divulgação Museu Imperial/Ibram

Museu Imperial tem programação especial nos feriados de novembro

O Museu Imperial/Ibram oferecerá uma programação especial ao público nos feriados de 2 e 15 de novembro, Dia de Finados e Proclamação da República, respectivamente. Serão oferecidas apresentações do espetáculo Som e Luz e promoções para moradores de Petrópolis (RJ).

No feriado de Finados (2), os petropolitanos e moradores poderão visitar gratuitamente o museu. O benefício é parte do projeto O Museu é nosso, que concede entrada franca a esse público todas às quartas-feiras e último domingo do mês.

Às 20h, haverá uma apresentação extra do projeto Som e Luz. O ingresso custa R$ 20, mas, no dia, haverá convites promocionais a R$ 5 para petropolitanos e moradores da cidade. Para obter o benefício, é preciso apresentar documentação que comprove nascimento ou moradia em Petrópolis.

Apresentado regularmente às quintas, sextas e sábados, o espetáculo oferece ao público a oportunidade de reviver alguns dos principais momentos do Segundo Reinado via efeitos de iluminação e sonorização.

No feriado do dia 15 de novembro, também haverá edições especiais do Som e Luz. As apresentações ocorrerão nos dias 13 (domingo) e 14 (segunda), às 20h. Assim como no dia 2, petropolitanos terão ingressos promocionais a R$ 5.

Como o feriado da Proclamação da República será em uma terça-feira, o Museu Imperial abrirá para visitação, excepcionalmente, na segunda feira (14), de forma a atender aos turistas que estarão na cidade. O funcionamento será no horário normal, das 11h às 18h. Na data, petropolitanos e moradores da cidade também terão entrada gratuita.

Devido à abertura no dia 14, o Museu Imperial estará fechado na quarta-feira (16). O fechamento ocorrerá porque a equipe do Museu necessita de um dia na semana para realizar atividades de manutenção e limpeza do palácio e anexos. Em ambos os feriados, a Casa de Cláudio de Souza, vinculada ao Museu Imperial, também estará aberta à visitação, das 11h às 18h, com entrada gratuita.

Clique aqui para mais informações sobre a programação do Museu Imperial.

Fonte: Divulgação Museu Imperial/Ibram

Leitura dramatizada celebrou Cláudio de Souza em Petrópolis (RJ)

No dia 20 de outubro, comemoraram-se os 135 anos de nascimento do escritor e dramaturgo Cláudio de Souza. Na data, o Teatro Experimental Petropolitano (TEP), em parceria com a Academia Petropolitana de Letras, realizou uma leitura dramatizada de peças do autor, na Casa de Cláudio de Souza – vinculada ao Museu Imperial/Ibram.

Foram encenados atos das obras Eu Arranjo Tudo (1915), A Matilha (1924) e Flores de Sombra (1916), com participação dos atores do TEP Janine Meirelles, Fernanda Mury, Silvio Rafael, Joaquim Eloy, Patrícia Ávila e Sylvio Adalberto.

Além disso, para ilustrar a época em que viveu Cláudio de Souza, foram apresentadas as cortinas poéticas: Bon Soir Mademoiselle la Lune!, ambientada na época da Belle Époque, e Os Amores de Colombina, recordando o teatro clássico italiano, ambos de J. Eloy Santos.

Fundado em 1956, o Teatro Experimental Petropolitano é um dos ícones do teatro da cidade. Desde sua fundação, encenou obras de diversos autores brasileiros, estrangeiros e petropolitanos.

O homenageado
Cláudio de Souza escreveu inúmeras peças teatrais, artigos e textos científicos. Eleito para a Academia Brasileira de Letras, em 1924, ocupou a cadeira de número 29 (cujo patrono é Martins Pena). Presidiu a ABL por duas vezes, em 1938 e 1946, tendo então dirigido as comemorações do cinquentenário daquela instituição.

Membro-fundador da Academia Paulista de Letras, em 1909, abandonou definitivamente a medicina em 1913, passando a dedicar-se às viagens pelo mundo e à literatura. Casado com a Sra. Luísa leite de Souza, filha do barão do Socorro, fixou residência no Rio de Janeiro.

Em 1956, a viúva de Cláudio de Souza, dona Luísa, doou sua casa em Petrópolis, junto com seu acervo, ao Museu Imperial. Hoje, o espaço funciona como um museu e centro cultural dedicado a seu antigo proprietário, com móveis e objetos originais da casa, além da biblioteca do escritor, com 660 obras. A casa pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 11h às 18h, com entrada gratuita.

Página 11 de 15« Primeira...910111213...Última »