Página 9 de 11« Primeira...7891011

Imagens do Japão após terremoto no Museu Histórico Nacional (RJ)

Para marcar um ano da tragédia ocorrida no Japão em 2011, quando o Grande Terremoto do Leste devastou algumas áreas da região de Tohoku, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e o Museu Histórico Nacional/Ibram realizam uma exposição com cerca de 100 imagens em painéis fotográficos, apresentando detalhes inéditos do episódio. A exposição ficará patente ao público entre 9 de março e 13 de maio.

As fotos mostram como as cidades ficaram devastadas pelo terremoto e tsunami e as respectivas reconstruções de cada região. A exposição mostra também imagens dos encantos da região de Tohoku, sua culinária regional, sua paisagem, artesanato e arquitetura, proporcionando um interessante panorama de vários aspectos da cultura japonesa.

Complementando o evento, será oferecida ao público, com entrada gratuita, uma mostra de filmes japoneses em apoio à região afetada pelo terremoto, que acontecerá no auditório do Museu Histórico Nacional entre os dias 8 e 16 de março. Veja a programação completa das exibições. Mais informações sobre o MHN aqui.

Fonte: Divulgação Museu Histórico Nacional

Museus históricos são tema na abertura do ciclo Museus em Debate

Com o intuito de promover o diálogo entre os 30 museus integrantes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) começa, no dia 15 de março, o ciclo Museus em Debate, que será realizado até novembro no auditório da sede do Ibram, em Brasília (SBN, Quadra 2, Bloco N, Lote 8 - sobreloja). A cada edição, o projeto aproximará pelo menos três museus da rede Ibram em torno de temas e recortes conceituais.

O tema escolhido para a o primeiro dos oito encontros agendados, Tempo e memória nos museus históricos, terá como debatedores os diretores Vera Tostes (Museu Histórico Nacional), Maurício Vicente Ferreira Junior (Museu Imperial) e Magaly Cabral (Museu da República). Ana Lucia de Abreu Gomes, do Curso de Museologia da Universidade de Brasília, fará a moderação.  A mesa acontece das 9h às 12h e tem entrada franca.

A proposta curatorial do Museus em Debate foi desenvolvida pelo Departamento de Processos Museais (DEPMUS/Ibram), resultando em um ciclo inédito de encontros, que revelará visões diferenciadas sobre a atuação das instituições museológicas no país.

No encontro de estreia, os participantes discutirão novas abordagens e reflexões sobre as narrativas históricas submetidas à mediação dos museus. Mais que a escrita do passado, o encontro propõe um debate sobre o tempo, a memória e a história da escrita museal.

Texto: Ascom/Ibram

Museu Histórico Nacional recebe exposição e filmes do Japão após terremoto

Para marcar um ano da tragédia ocorrida no Japão em 2011, quando o Grande Terremoto do Leste devastou algumas áreas da região de Tohoku, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e o Museu Histórico Nacional/Ibram realizam uma exposição com cerca de 100 imagens em painéis fotográficos, apresentando detalhes inéditos do episódio. A exposição ficará patente ao público entre 9 de março e 13 de maio.

Reconstrução: uma estrada japonesa após o terremoto e meses depois

As fotos mostram como as cidades ficaram devastadas pelo terremoto e tsunami e as respectivas reconstruções de cada região. A exposição mostra também imagens dos encantos da região de Tohoku, sua culinária regional, sua paisagem, artesanato e arquitetura, proporcionando um interessante panorama de vários aspectos da cultura japonesa.

Complementando o evento, será oferecida ao público, com entrada gratuita, uma mostra de filmes japoneses em apoio à região afetada pelo terremoto, que acontecerá no auditório do Museu Histórico Nacional entre os dias 8 e 16 de março. Veja a programação completa. Saiba mais.

Texto e fotos: Divulgação MHN/Ibram

Museu Histórico Nacional (RJ) retoma concertos mensais gratuitos

Dando continuidade à série Música no Museu, promovida pela Carpex Empreendimentos, o Museu Histórico Nacional/Ibram abrigará toda última sexta-feira do mês, sempre às 12h30, um concerto aberto ao público com entrada franca.

Em janeiro, a série privilegia concertos dedicados aos blues e derivados. O estilo está na base de grande parte da música pop moderna, podendo ser muito simples e direto, com o som de voz e violão, ou muito sofisticado e orquestrado. No dia 27 de janeiro, acontece o Concerto do duo In The Mood, com os músicos Jolt (voz guitarra, gaita e flauta) e Damu Shiva (contrabaixo acústico).

Já em fevereiro, os clássicos do carnaval movimentarão a agenda do projeto Música no Museu. No dia 24 de fevereiro será o dia da apresentação de teclado com Newton Nazareth executando peças de Carlos Gomes, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Noel Rosa, entre outros. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MHN/Ibram

Museus da rede Ibram levam atividades culturais à população carcerária

O Museu Regional de Caeté/Ibram iniciou uma parceria inédita com o presídio da cidade mineira de Caeté.

O objetivo é levar à população carcerária atividades educativas e culturais por meio de uma programação especial que está sendo desenvolvida pelo museu.

A parceria teve início com uma visita musicada, na qual os detentos aprenderam sobre cinco diferentes instrumentos musicais e ouviram diferentes estilos de músicas, incluindo peças musicais do século XVIII. Além de proporcionar um momento de cultura e lazer, a iniciativa visa configura-se ainda como uma ferramenta de reinserção social para os detentos. Saiba mais.

Nossa História
No âmbito do Programa de Exposições Itinerantes do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), desenvolvido numa parceria dos setores de Museografia, Projetos Sociais e Educativa, a exposição Brasil Nossa História chega a 160 internos da Penitenciária Vieira Ferreira Neto, localizada no Fonseca, em Niterói (RJ).

A exposição, aberta dia 7 de dezembro, poderá ser vista pelos funcionários, apenados e seus familiares até o dia 22 de dezembro e pretende criar interesse para os que frequentam a escola da penitenciária. A exposição conta ainda com monitores locais treinados pela equipe do MHN/Ibram para dar suporte aos visitantes. Mais informações sobre o Museu Histórico Nacional aqui.

Fonte: Divulgação Museu Regional de Caeté e MHN/Ibram
Foto: Museu Regional de Caeté/divulgação

Museu Histórico Nacional (RJ) exibe Água e Tristeza do Infinito

Com curadoria artística de Marcello Dantas e curadoria científica de Gustavo Accacio e Mário Domingos, O Museu Histórico Nacional/Ibram recebe a exposição Água, que trata da relação entre a água e o planeta, aliando ciência, arte e tecnologia. A exposição estará aberta ao público de 23 de novembro a 22 de março de 2012.

Serão apresentadas instalações interativas, obras de arte, peças de acervo museológico, aquários virtuais e instalações audiovisuais, que ocuparão os 1mil m² de galerias ao redor do Pátio dos Canhões.

A exposição ficou em cartaz seis meses em São Paulo e atraiu 240 mil visitantes. Entre as principais atrações, está a simulação de uma enchente de grandes proporções numa casa, podendo mo público nela entrar em pleno temporal.

Idealizada e realizada pelo Instituto Sangari, Água tem patrocínio da IBM e o co-patrocínio da AMIL e do Movimento Cyan da AMBEV. A exposição tem ingresso em separado, com direito a visitar as exposições do Museu. Quem não quiser visitar a exposição, continua adquirindo o ingresso normal do MHN. Saiba mais.

Óleo sobre tela
Segue em cartaz a exposição Tristeza do Infinito, realizada com o apoio da Associação de Amigos do Museu Histórico Nacional, reunindo trinta telas à óleo do artista plástico e restaurador Luiz Fernando de Carvalho Abreu.

Sob a inspiração da leitura de textos poéticos de Cruz e Souza, o artista transformou a leitura em ação, criando desenhos, composições, transparências e figuras que “falam, sentem e transmitem ao expectador a tristeza do infinito”. A exposição estará em cartaz até 26 de fevereiro de 2012.

Luiz Fernando de Carvalho Abreu é carioca, formado pela Escola de Belas Artes/UFRJ com especialidade em restauração. Com exposições individuais e coletivas, realizadas no Rio de Janeiro e em Barcelona, Luiz Fernando é responsável pela Oficina de Pintura do Laboratório de Restauração do Museu Histórico Nacional desde 1985.

Textos e fotos: Divulgação Museu Histórico Nacional

Museu Histórico Nacional (RJ) sedia Encontro de Pesquisadores Ibram

Começou neste dia 8, no Museu Histórico Nacional/Ibram, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), o I Encontro de Pesquisadores do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o evento tem como objetivo mapear as pesquisas em desenvolvimento ou finalizadas, assim como delinear linhas gerais de investigação museal e museológica no instituto. Mesas redondas, painéis e apresentação de trabalhos fazem parte da programação, que segue até sexta-feira (11).  

No dia 8, Após a mesa de abertura marcada para 14h, acontece a Mesa Redonda Museus e Museologia: Possibilidades de Pesquisa, com exposição de Renato Lemos (Instituto de História/ UFRJ) e Marcio Rangel (MAST/UNIRIO). Em seguida, tem lugar o painel Pesquisa e Pesquisadores do Ibram.  Veja aqui a programação do evento.

 Saiba mais sobre o encontro aqui.

Mostra Welasco de Móveis no Museu Histórico Nacional (RJ)

O Museu Histórico Nacional/Ibram exibe, entre os dias 12 de outubro e 7 de novembro, 20 peças cujo principal elemento de composição é a madeira. A Mostra Welasco de Móveis apresenta o trabalho do arquiteto Paulo Fernando Gomes, que estabelece como premissas o reaproveitamento de materiais encontrandos na cidade do Rio de Janeiro e a preservação do meio ambiente.

São mesas, cadeiras, aparadores, peças de mobiliários em geral, que ganham vida a partir do uso consciente da madeira, do resgate e reaproveitamento deste material, encontrado em grande parte na iminência do desaparecimento.   

“Com olhar atento, identificando as madeiras em situação de risco de destruição, encontro minha matéria-prima e inicio o processo para intervir em seu destino provável e levá-las a exercer todas as suas possibilidades, cumprindo nobres funções aonde sua beleza será potencializada”, explica Paulo Fernando Gomes.

O Museu Histórico Nacional localiza-se à Praça Marechal Âncora, s/nº – próximo à Praça XV. A exposição pode ser vista de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h. O Museu não abre às segundas-feiras. Entrada franca aos domingos. Mais informações aqui.

Fonte: Divulgação MHN/Ibram

Museu Histórico Nacional (RJ) exibe retrospectiva de Clécio Penedo

A exposição Percurso Gráfico – 50 anos da arte de Clécio Penedo está em cartaz no Museu Histórico Nacional/MinC entre os dias 6 de outubro e 25 de novembro.  Trata-se da retrospectiva da obra de Clécio Penedo (1941-2004), um importante nome do desenho brasileiro contemporâneo, no âmbito das comemorações dos 70 anos do nascimento do artista.

Numa promoção do Instituto Cultural Clécio Penedo, a exposição engloba 120 obras, produzidas ao longo de 50 anos de atividades, organizadas e divididas em 14 séries. Com mais de 30 exposições individuais e 40 coletivas no Brasil e no exterior, Clécio Penedo teve sua carreira marcada pela preocupação social.

No dia 19 de outubro, às 14h, acontece uma Mesa Redonda sobre o artista e sua obra, com a participação de André Luiz Faria Couto, Geraldo Édson Andrade, Ronaldo Auad Moreira e Solange Godoy e mediação de Edson Borges.

Serviço
Exposição Percurso Gráfico – 50 anos da arte de Clécio Penedo
De 6 de outubro a 25 de novembro de 2011
Museu Histórico Nacional/Ibram
Praça Marechal Âncora, s/nº – Rio de Janeiro, RJ
Outras informações aqui.

Página 9 de 11« Primeira...7891011