Ritual Guarani no Museu das Missões

Para comemorar a 9ª Semana Nacional de Museus, o Museu das Missões, em São Miguel das Missões (RS) realizou o ritual do acendimento do Tatarandé – fogo místico na visão dos índios Guarani. A Pira Cultural ou Chama Crioula foi acesa pelo diretor do museu, Ariston Jose Correia Filho e pelo historiador Diego Vivian, com participação de alunos de escolas da região. 
Ainda como parte da programação da 9ª Semana de Museus, o Museu das Missões realiza a oficina Museus e Memória: da Comunidade Local ao Patrimônio Mundial, que tem como objetivo refletir e divulgar as ações preservacionistas desenvolvidas no microcosmo social de São Miguel das Missões.

Brasília tem museu virtual

A capital federal ganha no dia 16 de maio, o Museu Virtual de Brasília, projeto-piloto de website de um museu vitual sobre a cidade de Brasília, com versões em português, inglês e espanhol (ainda em construção). O lançamento é parte das comemorações da 9ª Semana Nacional de Museus. O projeto é fruto de uma pesquisa de mestrado realizada no Centro de Excelência em Turismo da UnB, e apresenta contribuições conceituais, teóricas e aplicadas dos campos da museologia e do turismo. O endereço do museu virtual é www.museuvirtualbrasilia.org.br.

O tema Museu Virtual de Brasília será parte da programação da 9ª Semana de Museus, na mesa “Preservação e Memória, além dos espaços museológicos tradicionais”, que ocorrerá dia 19, às 18h30m, no auditório da Casa da Cultura da América Latina da UnB. O projeto recebeu o patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do DF e foi desenvolvido pela equipe do Instituto Viva Capital, em parceria com a Casa da Cultura da América Latina da Universidade de Brasília (UnB) e com o Arquivo Público do DF, que cedeu grande parte do material magnético.

Museu Imperial na Memória

No dia 16 de maio, segunda-feira, o Museu Imperial inaugura a mostra temporária “Museu Imperial na Memória”, que estará aberta à visitação até o dia 30 do mesmo mês. A mostra acontecerá na Sala de Exposições Temporárias do palácio e fará parte do circuito de visitação.

 O objetivo da exposição é apresentar a memória institucional do próprio Museu, através de fotografias, documentos e objetos que retratam a sua história e das pessoas que por ele passaram.

Entre as peças expostas estará o primeiro livro de visitas do Museu Imperial, assinado por Getúlio Vargas na inauguração, em 16 de março de 1943. Também haverá uma apresentação de fotografias que contam um pouco da história da instituição desde sua criação até os dias de hoje.

 O tema está em consonância com a 9ª Semana Nacional de Museus, que acontece de 16 a 22 de maio em todo o país com a temática “Museu e Memória”.

Além da mostra temporária, o Museu Imperial oferecerá diversas outras atividades ao longo da semana, como palestras, cursos e espetáculos. Além disso, funcionará na segunda-feira (16) – dia em que, normalmente, está fechado – e oferecerá entrada gratuita a todos os visitantes na quarta-feira (18). A programação completa da Semana pode ser acessada em www.museuimperial.gov.br.

A mostra temporária poderá ser visitada das 11h às 18h e estará incluída no ingresso de visitação, cujo valor é R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia). A bilheteria do Museu funciona das 11h às 17h30.

 SERVIÇOS

 Mostra “Museu Imperial na Memória”

Data: de 16 a 30 de maio de 2011

Horário: 11h às 18h

Ingresso: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia) – mostra incluída na visitação ao palácio

Local: Museu Imperial

9ª Semana Nacional de Museus – Museu e Memória

Data: de 16 a 22 de maio de 2011

Local: Museu Imperial

Informações e programação em http://www.museuimperial.gov.br/portal/semana-nacional-de-museus.html

Pontos de Memória participam da 9ª Semana Nacional de Museus

Os Pontos de Memória da Estrutural (Distrito Federal/DF), Terra Firme (Belém/PA), Museu Comunitário Lomba do Pinheiro (Porto Alegre/RS), Museu de Favela e Museu da Maré (ambos do Rio de Janeiro/RJ) participam da 9ª Semana Nacional de Museus, que acontecerá entre os dias 16 e 22 de maio. Os Pontos integram as 1.006 instituições que, com o tema Museu e Memória, promoverão cerca de 3 mil eventos em mais de 500 cidades de todo o país durante a Semana.

A Semana Nacional de Museus acontece anualmente em celebração ao Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, e no Brasil é promovida pelo Ibram. Confira a programação dos Pontos de Memória na Semana:

  •  Ponto de Memória de Terra Firme: realiza a primeira gincana de história e memória do bairro, do dia 16 a 20 de maio. Voltada especialmente para os jovens, a competição está dividida em cinco provas relacionadas à memória local.
  •  Ponto de Memória da Estrutural: lança sua primeira exposição no dia 21 de maio. A mostra Movimentos da Estrutural, cujos suportes são elaborados a partir de objetos reciclados do Lixão, pretende retratar a memória das estratégias de luta dos moradores. 
  •  Museu Comunitário Lomba do Pinheiro: realiza a exposição Saber Popular: Ervas, Rezas e Benzeduras: Alternativas de saúde.
  •  Museu de Favela: inaugura, no dia 22 de maio, o circuito Casas-Telas no Pavão-Pavãozinho. O projeto, que começou no morro do Cantagalo (na foto acima), em 2009, retrata em grafite, nos muros e fachadas de casas do morro, um circuito que conta a história da favela.
  •  Museu da Maré: terá agenda diversificada, com apresentação de contos e lendas locais por moradores, oficina de leitura e a exposição Museu da Maré, que narra a história de resistência da comunidade. Também haverá um “chá de memória”, reunindo moradores que construíram a identidade e a memória da Maré.

 Veja a programação completa da 9ª Semana em www.museus.gov.br

Semana de Museus será recorde, com mais de 3 mil eventos em 1.006 instituições

As inscrições para a 9ª Semana de Museus terminaram na última sexta-feira (4/3) com recorde de inscritos. 1.006 instituições de todos os estados do país e do Distrito Federal participarão da Semana neste ano, oferecendo ao público 3.076 eventos.

Promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio), a Semana será realizada de 16 a 22 de maio. Neste ano, o tema é Museu e Memória.
Dentre as instituições participantes estão museus, casas de cultura, fundações, arquivos públicos, pinacotecas, galerias e até escritório de arquitetura, que vão realizar exposições, palestras, oficinas, visitas guiadas, seminários, ações educativas e saraus, entre outras atividades.

A Semana de Museus tem-se mostrado um efetivo instrumento de divulgação dos museus ao mobilizar e apresentar uma programação comum que chama a comunidade a refletir, discutir e trocar experiências sobre temas da contemporaneidade, revelando a importância das instituições museológicas para o desenvolvimento da sociedade.

O Guia da Semana será divulgado em breve neste site. Fique de olho e não perca a programação da sua cidade!

Aventura I – Ibram leva mais de 130 crianças do interior de SP ao museu

Imagine adentrar pela primeira vez em um grande casarão antigo da metade do séc. XVIII, com fachada de azulejos, janelas e portas gigantescas, percorrer por salões com pinturas de época nas paredes e subir por escadas iluminadas por uma clarabóia comprida, toda trabalhada. E, logo adiante, se surpreender com um gramofone, no meio da sala, e com equipamentos que contam a história da imagem e do som de uma cidade – primeiros aparelhos de televisão, telefone, retro-projetores, vídeo-games, câmeras, discos de vinil, cartazes de filmes de época, fotografias da cidade antiga e de cantores e músicos conterrâneos, desde o notório maestro Carlos Gomes à dupla Sandy e Júnior. Imagine também conhecer um grande salão moderno, vazado e branco, com uma série de obras em diferentes formatos e cores, que pontuam a história da arte no município: algumas expressam o imaginário popular de determinada década, outras fazem referência às histórias em quadrinhos, às fábulas, às manifestações de protesto, à ditadura e à guerra.

O primeiro espaço descrito é o Museu da Imagem e do Som – MIS Campinas, visitado na terça-feira 11 de novembro, por cerca de 80 crianças de seis entidades sócio-educativas da cidade do interior paulista Hortolâdia – SP. São elas: Núcleo de Crianças Vinde a mim, Barracão da Gente, Casa Bethania da Paz, Escola Evangelho Esperança, Centro Comunitário São Pedro e Casa da Criança. Já o segundo, é o Museu de Arte Contemporânea de Campinas – MACC, visitado por 40 crianças de uma escola do ensino fundamental campinense, na segunda-feira, 10 de novembro. O diferencial dos visitantes é que são crianças de áreas de risco social, e algumas delas retiradas do trabalho infantil. O diferencial da visita é que, além de conhecer pela primeira vez uma casa de memória, elas também puderam aprender, através de oficina de contação histórias e produção de desenhos, a importância do museu como guardião da memória e lugar de comunicação entre passado, presente e futuro.

A ação – piloto faz parte do Programa Aventuras da Memória: Nosso Museu, minha história, uma parceria entre o Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e a escritora de literatura infantil Patrícia Secco. O projeto pretende promover e incentivar a visitação a museus e a leitura, consideradas práticas fundamentais para compreensão do mundo. Durante as oficinas, a escritora conta as histórias “Aventuras da Memória” e “Museu Vivo”, ambas de de sua autoria. A primeira, que faz referência à mitologia grega, narra as aventuras de um grupo de crianças que são apresentadas as noves musas gregas, filhas da memória. Já a segunda, conta a história de um menino que ganha de aniversário um livro em branco e ali registra sua história pessoal, familiar e da cidade, o que o inspira a criar um museu no quintal de sua casa. Após a contação de histórias, as crianças ganham um kit, com os livros, lápis de cor, lápis grafite, borracha e papel e são convidadas a soltar a imaginação e desenhar o que pensam sobre museu. Também faz parte do projeto a publicação de um livro com os melhores desenhos produzidos pelas crianças.

A monitora Casa da Criança Feliz Michelle Clementino diz que a cultura de Hortolândia está apagada e que a cidade precisa de museu para contar sua história. “Precisamos incentivar a criação de um museu da cidade de Hortolândia, pois acredito que, a partir do entendimento de nossa história, das memórias da cidade, as crianças vão resgatar a identidade e ter uma melhor expectativa de vida ”, enfatiza.

O diretor do Departamento de Inclusão Social de Hortolância, Rogério Nóbrega, diz que as mensagens dos livros vêm ao encontro da cidadania que a cidade vem buscando. “Apesar de estar na região metropolitana de São Paulo, cercada por um conjunto de fábricas, grande parte da população de Hortolândia não tem acesso a equipamentos culturais”, afirma.
Já a coordenadora do MIS- Campinas, Adriana Maciel, diz que o trabalho é importante na formação das crianças por apresentá-las ao patrimônio cultural da cidade. “É fundamental que as crianças desde cedo despertem o interesse e o respeito pelos museus e pela memória da cidade.”

Na próxima semana, a ação estará em Porto Alegre – RS, com a participação de 300 crianças de municípios do interior gaúcho.

FICHA DE INSCRIÇÃO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS AS COMUNICAÇÕES COORDENADAS E AOS PAINÉIS

Aventura II – Ibram leva 300 crianças do interior gaúcho a museus de Porto Alegre

Cerca de 300 estudantes da rede pública dos municípios gaúchos de Canoas, Rio Grande, Alvorada e Missões tiveram a oportunidade de conhecer, na última semana, a importância do museu e da memória, através de atividades lúdicas e divertidas do Programa Aventuras da Memória – Nosso museu, minha História, do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, em parceria com a escritora Patrícia Secco. As atividades foram realizadas em instituições museológicas de Porto Alegre.
Os estudantes da Escola Normélio de Barcellos, de Alvorada, conheceram o Museu Militar do Comando Militar do Sul e tiveram contato interativo com tanques, canhões e armas usadas nos combates gaúchos.

Já o Museu de Ciência e Tecnologia da PUC, recebeu as crianças da Escola Estadual Prof.ª Margot Terezinha Noal Giacomaz, de Canoas, e do Centro de Atenção Integral à criança e adolescente – CAIC, de Rio Grande. No museu, as crianças interagiram com os objetos em exposição – corpos humanos com dispositivos que mostram partes internas dos membros, aparelhos de medição de equilíbrio, e ainda puderem conhecer uma jibóia viva no aquário.
A Aventura nos Museus também chegou ao sítio arqueológico das Ruínas de São Miguel, no Museu das Missões, projetado por Lúcio Costa. O local , cercado de lendas e ruínas, proporciou às crianças contato com a influência do barroco europeu em fusão com traços indígenas refletidos na coleção de imagens sacras missioneiras da região.

As atividades nos museus contaram com contação de história dos livros Aventuras da Memória e Museu Vivo, da Patricía Secco, visitas mediadas aos museus e uma oficina, em que foram distribuídos kits – com lápis de cor, lápis grafite, borracha e bloco de papel, para os alunos soltarem a imaginação e desenharem o que pensam sobre museu e a memória. Os melhores desenhos farão parte da publicação de um livro.

A ação, coordenada pelo Departamento de Difusão, Fomento e Economia dos Museus – DDFEM/Ibram, pretende promover e incentivar a visitação a museus mostrando às crianças que conhecer um espaço de memória está longe de representar uma visita a um local estático, responsável apenas por conservar relíquias. Mas que, assim como no filme Uma Noite no Museu, de Ben Stiller, o museu é um lugar de comunicação, e a visita pode ser um convite a grandes descobertas e desafios, onde objetos realmente ganham vida e se comunicam a partir do momento em que passamos a construir relação com eles.

O evento também recebeu apoio da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul – Sistema Estadual de Museus, do Comando Militar do Sul – Museu Militar do Comando Militar do Sul e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Museu de Ciências e Tecnologia.